História Filhos de Nyx - Em Busca de Nathan - Capítulo 5


Escrita por: ~

Visualizações 4
Palavras 2.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Incesto, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 5 - Imperatriz Da Noite. [Elena]


Fanfic / Fanfiction Filhos de Nyx - Em Busca de Nathan - Capítulo 5 - Imperatriz Da Noite. [Elena]

  Acordei já era noite e eu ouvia a voz de Mira e Enzo conversando ao redor de um fogueira enquanto eu estava deitada embaixo de árvore.

- Hum... Mas de verdade, acho que ela dormiu demais desde que eu vi ela pela primeira vez... - Dizia Enzo, acho que se referindo a mim.

- Isso é normal... Acredite. Filhos de Nyx quando não estão dormindo estão desmaiados. Eles não conseguem parar de olhos abertos, exemplo é o Nathan que sempre estava dormindo.

  Aquele nome percorreu pela minha cabeça e eu tentava convencer a mim mesma que não era meu Nathan. Afinal, não existia só um no mundo. Finalmente abri os olhos e me sentei colocando a mão no rosto.

- Olha só, finalmente acordou! - Dizia a voz de Enzo.

- É... Me deixa... - Disse tentando encerrar o assunto de uma vez, só queria ficar pensando mesmo.

- Pode deixar... Afinal, já estou indo! - Ele dizia se levantando.

- Indo? Pra onde? - Perguntei de curiosidade olhando para ele.

- Eu e Mira concordamos que é melhor ela ficar com você... Ela pode te treinar melhor que se você fosse para o Acampamento, e tenho certeza que os outros semideuses não iam te receber tão bem. - Ele deu um leve sorriso e logo olhou para Mira acenando para ela e para mim. - Enfim. Se cuidem... - Ele pulou e começou a voar rapidamente e eu quase não consegui o acompanhar com o olhar.

- Quer dizer que vai ficar só nós duas? - Disse olhando para Mira e vendo que ela logo estava olhando para mim.

- Exatamente, e bem... Não sou alguem muito paciente então vamos começar a treinar imediatamente!

- Treinar? Precisa? Eu sinceramente acho que meus reflexos são muito bons na hora de lutar...

- Você está falando de seu extinto de sobrevivência... Ele ativa quando você passa por uma grande pressão emocional, mas sem ele você não pode fazer nada e ele te cansa muito, e sinceramente existe seres que seu extinto de sobrevivência não vai funcionar nem um pouco. Então levanta e fica com seu sabre em mãos...

- Nossa... Como você é mandona. Mas okay. - Me coloquei de pé enquanto falava e logo pensava no meu sabre, Labareda, aparecendo em minha mão e assim ele fez aparecendo na minha mão direita.

- Antes de começarmos, você já teve treinamento com algum tipo de arma? - Ela dizia enquanto me olhava, sentada na minha frente.

- Na verdade não... Mas por que?

- Bem, uma pessoa com treinamento em várias armas, precisaria de anos para aprender a lutar com um sabre desses, agora alguem totalmente iniciante é o contrário. Tem uma grande facilidade e perícia com esse tipo de arma, mas se torna quase inútil quando utilizando outra arma...

- Quer dizer que eu só vou poder usar esse sabre pra sempre?

- Claro que não, mas isso você não tem necessidade de aprender agora... Agora dobre os joelhos e... - E assim ela começou a me treinar.

[Uma cansativa semana depois...]

  Pois é... Uma semana se passou. Ou melhor dizendo oito dias. Oito infernais dias. Vendo de longe, aquela gatinha parecia um anjo, mas quando se conhecia um pouco se via que era um demônio. Ela não me deu nem um dia para descansar sequer. O treinamento foi tão árduo e difícil que demoraria muito para eu falar, mas eu posso dizer o resumo...

  No primeiro dia treinamos uma coisa chamada "A Arte da Espada". Um estilo ancestral de luta com espadas longas. Imagine oque é um dia inteiro fazendo flexões sem parar, agora multiplique isso por mil. Foi isso para pior treinar aquela merda. Meus braços doiam como se fossem cair. Primeiro ela me fazia fazer curvas com cortes pesados nas árvores. Pode parecer fácil, mas meu braço literalmente quebrou três vezes, e enquanto se regenerava ela continou me fazendo treinar. Me fez carregar pesos nos pulsos e repetir os mesmo movimentos mil vezes cada. O sabre que tinha um pouco menos de um quilo parecia pesar uma tonelada.

  No total eu pratiquei uns cento e cinquenta movimentos da Arte da Espada, levantei peso o dia todo para aumentar minha força. Quando deu o mesmo horário do dia seguinte eu pensando que finalmente poderia descansar ela me fez ler livros chamados de "grimorios" por algumas horas, e novamente quando pensei que ia fechar os olhos, ela me fez começar a controlar minha energia interior.

Foi isso por mais um dia. Ela fez eu aprender a controlar o fogo que saia de mim e me transformar no mesmo. Além de fazer eu concentrar a energia ao meu redor transformando as coisas em fogo, ou controlando as sombras. Mais um dia tinha passado e ela me fez ler mais livros.

  Um coisa interessante neles é que parecia que semideuses tinham memória muscular oque tornava as coisas muito mais fáceis de ser aprendidas e decoradas, além de ser colocadas em prática.

  O terceiro dia começou com ela me fazendo seguir ela correndo pela floresta com pesos no corpo e lutando contra monstros que apareciam na minha frente. Corremos o dia inteiro e no final ela me fez ficar fazendo agachamentos dentro de um rio, enquanto lia mais daqueles livros. Ela dizia que a corrida ia aumentar o meu vigor e aquele exercício minha resistência e respiração, além de fazer meu cérebro trabalhar mais lendo o livro enquanto fazia os exercícios.

  O quarto dia eu já não sentia mais sono e cambaleava de um lado para o outro cansada quando ela treinar combate corporal com árvores. Meus punhos sangravam a todo momento. Eles carregavam pesos e se regeneravam enquanto eu socava árvores e quando usava muita força fazia as mesmas caírem e eu ter que erguer elas por um tempo antes de deixar cair no chão.

  No sexto dia foi a mesma coisa, mas com as pernas e mais intenso. Eu tinha que usar toda minha força em um chute sempre, se não o peso que eu carregava nos pés aumentavam.

  O sétimo dia ela me fez ler vários livros enquanto praticava tudo que aprendemos naquele seis dias. E finalmente quando eu pensei que ia cair no chão dura, sem energias, ela disse que por enquanto era o suficiente. Ela me fez tomar um banho em um rio e usar roupas novas. Limpas. Um moletom branco e um short normal que chegava até os joelhos e um all star preto super macio.

  Podia ser exagero mas eu estava tão cansada que quando me deitei sobre a árvore me apoiando no chão era como se fosse a coisa mais macia do mundo. Meu corpo todo doía e meus olhos pesavam, mas eu finalmente pude dormir, ou melhor, hibernar por um dia inteiro.

[Agora mesmo]

  Acordei e logo alonguei meu corpo. Diferentemente de ontem, meu corpo formigava de prazer ao contrário daquela dor absurda que eu sentia. Fiquei sentada por um segundo com a mão nos olhos, enquanto tampava eles do Sol.

  Era 10hrs da manhã e logo Mira estava na minha frente com uma refeição digamos que boa. Um copo de água, não sei da onde ela tirou ele, mas bem... E uma estra com muitas frutas, diversas completamente cheia. Dei um sorriso e comecei a comer começando pelas amoras.

- Você merece. E também, tem que ter uma dieta balanceada. Seu corpo, precisa se acostumar com esse ritmo e criar mais músculos. - Ela dizia mais descontraída do que antes.

- Sinto que estou no exército... - Suspiro e sorrio voltando a comer.

- Bom, agora... Acho que eu deveria te contar do que estou te treinando. - Ela dizia séria como nunca, sentada na minha frente.

- Você está bem seria... Aconteceu alguma coisa? - Disse continuando a comer.

- Bem, escute com atenção. Antes de vir para esse mundo, eu morava no palácio da Senhorita Nyx e vivia junto com ela, até que um dia, do nada, ela me mandou para esse mundo onde eu tive que cuidar e treinar o outro filho dela. Nathanael. Ele é um semi-primordial assim como você e muito poderoso. Ele tinha uma missão que era impedir que abrissem o jarro de Pandora, mas ele descobriu da pior forma que profecias não se tornam realidade se você não levar a sério e resolver fazer algo a respeito. Ele deixou simplesmente os dias passarem, e bem, como pode ver, ele falhou na sua missão e no primeiro verso de sua profecia. Ele teve que lutar com um garoto que estava quase com os poderes de um Deus Menor e se não fosse os amigos dele ele teria morrido, mas no fim Nathan venceu ele. Mas, com isso, ele acabou criando um segundo verso da sua profecia, onde ele ficou desaparecido e uma pessoa que apareceu do nada ajudou a encontrar ele e fez parte do resto de suas vidas, e bem, achamos que esse alguem pode ser você... - Ela dizia seria enquanto me olhava.

  Fiquei olhando para ela com minha boca cheia. Eu estava seria e preocupada. Do nada uma responsabilidade dessas caiu em minhas mãos? Engoli as frutas e logo tomei um pouco de água olhando para Mira.

- Mas... Por que acham que sou eu? - Disse olhando ela até parando de comer.

- Bem, você é irmã dele... É a melhor opção.

- Não sei se posso aguentar isso... - Disse me referindo a pressão e responsabilidade.

- Olha oque está dizendo... Você no seu primeiro dia de semi-primordial acabou matando um Drakkon com facilidade. Até o Nathan teve problemas para matar um... - Ela dizia calmamente.

- Não sei... Acho... Não posso viver assim, nas sombras de um pessoa de já matou um Drakkon, derrotou alguem que poderia ser um deus e tinha como missão salvar, ou sei lá. com a jarro de Pandora. - Eu dizia preocupada e sem perceber as palavras que saiam da minha boca, na verdade eu tinha medo.

- Sabe... Não tema isso. Ele também tem esse medo de viver nas sombras de certas pessoas... Tipo o Pai dele que foi grande herói e suas antigas encarnações em que seus feitos eram gigantescos. Se ele conseguiu tudo isso, foi por medo de morrer não sendo o suficiente para sí mesmo e para o mundo, reconhecido como um grande herói! Então, tenha a mesma meta que ele! Afinal, você é irmã dele! Está no sei sangue, o poder, o heroísmo, a noite! Você é a Imperatriz da Noite e em nenhum momento eu disse que você viveria nas sombras dele, você tem o mesmo sangue que ele e assim como na profecia que vocês não podem saber, vocês estão lado a lado! Nenhum abaixo do outro!

  Eu não sei se vocês viram Naruto mas ele fazia uns belos discursos, e eu me sentia no meio do anime agora. Aquela Mira sabia fazer uns belos discursos, que eu tinha medo e agora ela falou uma coisa ao contrário do que eu temia mas já tinha me encorajado a continuar aquela luta.

- Você tem razão! Não sei se você sabe, mas você é ótima para encorajar os outros! Como eu acho esse tal Nathan? - Disse encorajada, destemida e voltando a comer enquanto olhava para ela.

- Obrigada! Bem, não vai ser tão fácil assim... A gente vai ter que ir em um acampamento de sobreviventes. Lá tem um filho de Hypnos que vai ajudar você a achar ele. Mas ele fica um pouco longe... Meio que no Rio Grande.

- Realmente... É longe... Umas duas semanas de viagem... - Dizia olhando para ela voltando a beber um pouco de água.

- É, sua visão espacial está muito boa! Você consegue já ver coisas desse tamanho de distância... - Ela dizia olhando para mim e confirmando.

- É... - Balancei a cabeça e terminei de comer - Então acho melhor começarmos logo, não é?

- Exatamente... Pronta? - Ela disse pulando no meu ombro e logo me levantei enquanto a olhava.

- Pronta! - Dei um sorriso enquanto começava a caminhar já sabendo a direção que tínhamos que seguir.

  Fiquei em silêncio começando a andar a caminhar junto com Mira e sentia o Sol bater um pouco em meu rosto. A viagem seria longa e durante dela eu sabia que encontraríamos algumas pessoas... Naquele momento eu estava muito ansiosa pra minha verdadeira aventura!


Notas Finais


Desculpem os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...