História Fim de semana na prai. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 11
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


.
.
.
:^)
.
❤você só pensa em sexo ?

Capítulo 4 - Quero de novo


Ele vira pra mim corado e meu coração derrete, eu chego mais perto e o abraço pelo pescoço ele assente e me envolve com os dele ficamos assim por algum tempo.

- Você é incrível - não sei de onde tiro coragem mais fico feliz por ter falado.

- você que é incrível - ele fala tão dócil, corado, envergonhado não aguentei e segurei seu rosto e le dei um beijo delicado.

- Eu era virgem - ele fala e eu arregalo os olhos.

- V-Vc... e .. eu.. EU TE FORCEI.. M-ME...U... DEUS - começo a entrar em desespero - Eu tirei a virgindade dele sem nem perguntar se ele queria ou ... mDS.. - eu solto ele quando tento sair do box ele me agarra pela cintura e meu coração começa a bater forte.

- Estou feliz por ter sido com você - eu me viro pra ele corado e seguro seu rosto encostando nossos lábios no canto de nossas bocas.

- você mal me conhece - ele me da um celinho e volta a me abraçar agora pelo pescoço, ele da um pulinho pra fazer isso e eu sorrio.

- se você não for repetir a dose é melhor vestir alguma coisa porque..... - ele fala e eu sorrio com seu membro crescendo entre minhas pernas.

- não tá doendo ? - falo passando a mão na bunda dele.

- um pouco, digamos que eu me descontrolei  - ele dá uma Mordidinha no meu ombro.

- Devia se descontrolar mais vezes - ele esconde o rosto no meu pescoço e sinto algo escorrer pelo meu ombro - ele esta chorando?- Ei, isso foi um elogio - digo.

- eu sei, e qui - ele começa a soluçar - não quero sair da qui, não quero que esse momento acabe aqui, quando eu vou sentir " alguém "............" você "... assim de novo, poder sentir o seu corpo quente e nu, seus braços me apertando, eu não quero decer e começar a fingir que eu não sinto atração por isso - ele passa a mão pelo meu peito.

Eu o aperto com força e ele vai se acalmando um pouco - vem aqui - eu desligo o chuveiro e o seco levando ele pra cama.

- Vem - eu sento na cama e ele se aconchega entre as minhas pernas e eu o abraço forte - Um dia você vai sentir isso de novo, você só tem 17, meio que você não tem liberdade nem uma - ele bufa sorrindo.

Ele se vira ficando de lado e escorando à cabeça no meu peito, ele começa a chorar de novo e eu o trago mais pra cima e o apertando mais.

Ele começa a distribuir beijos no meu peito e no meu pescoço e depois segura meu membro e o movimenta mas eu o paro, não poço deixar ele fazer isso o mesmo ainda está chorando.

- deixe eu fazer, se não consigo te consolar por palavras - seguro o pênis dele - então deix.. - Não! - ele fala e eu fico sem reação, ele tira minha mão e começa a me beijar - espera - tento falar mas ele não deixa, ele começa a me masturbar ficando de joelhos em cima de mim, colocando os braços em volta do meu pescoço ele me coloca dentro dele - Não Gabr.. - ele enterrompe me beijando de novo, e começa a subir e a decer muito devagar como se quisesse gravar aquela sensação, ele para e encosta os labios no meu ouvido - Goze dentro de mim de novo - segurando suas coxas eu começo a estocar forte, ele dá um gemido a cada estocada, eu vou com tudo e tiro lentamente, vou com tudo e tiro lentamente, faço isso repetidamente até que ele goza entre nossos abdomens e eu paro sentindo o pênis dele pulsar na minha barriga - Não, não pare - e eu continuo mas depois ele me para e vai se sentando no meu membro, aos poucos ele vai mordendo seu labio com mais intensidade conforme eu vou entrando, ate que eu estou totalmente dentro dele e gozo, em seguida ele goza de novo com a cabeça em meu peito.

Ele começa a me beijar querendo mais da minha língua ele quer luxúria, calor ... mas só consigo dar ternura.

- Gabriel - falo dócil

- Não quero sua ternura, eu quero seu corpo - fala com a voz elevada e os olhos cheios de lágrimas segurando meu rosto tentando alcançar a minha língua que não se manifesta, ele começa a soluçar se desvinculando da minha boca e eu o puxo pra um abraço e ficamos lá por um tempinho até ele ficar calmo mas, depois, do nada, ele começa a gemer de novo.

- Gabriel? - ele demora um pouco pra responder

- Seu pênis estava murchando dentro de mim e agora ele está ficando duro de novo - sinto ele sorrir no meu ouvido.

- você só pensa em sexo ? - falo sarcástico

- só mais uma vez - ele pedi dócil já me beijando e começa a subir e a decer lentamente.

- você vai achar me matando - digo

- até lá eu já vou estar morto - eu sorrio e o deito na cama começo a masturbalo e a estocar lentamente em quanto admiro ele com a cabeça jogada pra trais, um sorriso radiante, segurando os lençóis com força e mordendo os lábios pra não gemer. Ele goza primeiro, depois de um tempo eu tiro meu membro pra gozar na barriga dele.

- não, não. . Não... - ele me repreende frustado e se atira em mim me fazendo cair na cama fico sem entender e então segurando meu pênis ele o engole com tudo e eu gozo na hora, ele o continua lambendo e chupando em quanto gozo, eu me contorso na cama tapando a minha boca com as duas mãos pra não gritar de prazer quando ainda estou gozando ele me coloca mais fundo encostando em sua garganta, eu me levanto em um pulo ficando sentado na cama explodindo pra não gritar, ele finalmente para e me tira dele e eu me jogo na cama.

Eu tapo o meus olhos com as mãos envergonhado, o sinto se deitando sobre mim.

- você gostou ? - ele fala e eu coro intensamente.

- você realmente não tem pena de mim - sinto seu sorriso no meu peito - você não engasga?  - digo.

Ele esconde o rosto no meu peito sorrindo e eu me levanto ficando sentado para o encarar.

- temos que decer - digo

- eu sei

- que horas são? - ele demora pra me responder

- 19:47

- MDS nem 18 horas direito eram quando você veio tomar banho.. - me levanto as pressas indo em direção a porta - Droga - Olho pra ele que está sorrindo.

- temos que tomar banho de novo e eu não troce roupa quando subi .

- eu sei - fala ele vindo em minha direção com um sorriso no rosto, pega na minha mão e me leva pro banheiro.

Depois de quase transar de novo no banheiro oque teria acontecido se eu não tivesse saído rápido quando vi meu semem decer pela bunda dele oque me deixou muito excitado o mesmo deceu e pegou uma cueca bermuda e camiseta pra mim. Ele deceu primeiro depois eu fui e dei de cara logo com Pedro que estava com um sorriso malicioso no rosto.

- Quem diria que você curtia gente mais nova - o mesmo da um tapa na minha bunda e continua andando.

- ei.... o..que..mas..e..mm? - gaguejo

- relaxa, disse que vocês foram andar na praia - na que la hora eu passei a amar o Pedro e a ter uma dívida enorme com ele - que merda - penso comigo mesmo é dou um sorriso

Continua...


Notas Finais


Estou virando um pervertido 😂
.
.
.
Obg pela leitura


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...