História Find Me - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jack & Jack, Jacob Whitesides, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier
Exibições 356
Palavras 1.776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


notas finais!!!!!

Capítulo 20 - Choose.


Fanfic / Fanfiction Find Me - Capítulo 20 - Choose.

— Também te amo, minha princesa. — Falo, e sorrio. — Te amo com todo o meu coração!

(...)

Acordei com os raios de sol em meu rosto, Jack estava abraçado a mim, então eu me virei com cuidado, para não acordá-lo e pode observá-lo.

Ele dormia sereno, com a feição feliz. Me perdi em seu rosto, em sua feição tranquila, e em sua respiração pacífica. Após algum tempo, eu me levanto e vou até o banheiro, faço minhas higienes pessoais e tomo um banho. Pego um cueca e um moletom de Jack, já que estava começando a esfriar, e muito.

— Quer que eu compre café da manhã, amor? — Jack, diz assim que acorda, e eu sorrio. — Te chamar de amor é tão bom. — Ele diz, sorrindo, sem mostrar os dentes sem abrir os olhos, o que o fez ficar fofo.

— Eu adoraria, estou varada de fome. — Respondo, e subo na cama. — E não posso ir tomar café apenas de blusa. — Dou um beijo em sua bochecha, e logo em seus lábios. Jack se afasta, e se levanta.

— Se você me beijar, não vai ter café da manhã nenhum, e não vamos sair dessa cama tão cedo.— Ele diz, sorrindo.

— Ok, amor. — Falo, e sorrio largo. Puxo seu queixo em direção ao meu rosto e lhe dou um selinho. Beijo seu pescoço, e chupo o lóbulo de sua orelha. — Quando você voltar, estarei te esperando com uma surpresa. — Falo, e acaricio seu membro.

— Que tipo de surpresa? — Ele pergunta, e morde seus lábios.

— Do tipo que vai te fazer gemer o meu nome bem alto. — Sussurro maliciosa no seu ouvido, e ele se arrepia.

Jack dá um pulo na cama, e veste suas roupas correndo, rio de sua pressa, e ele tropeça em suas calças e caí no chão, começo a rir ainda mais, enquanto ele se contorcia no chão para colocar a calça, ele voa para dentro do banheiro, e escovar os dentes, enquanto arruma seu cabelo.

— Te vejo daqui a pouco. — Ele fala, me dá um beijo rápido, e sai correndo pela porta.

Tiro minha blusa, ficando apenas de roupas íntimas e vou até a sala e fico vendo TV, enquanto Jack não chega. Meu celular começa a tocar, e vejo que era Fany ligando, atendo e aproximo o aparelho do meu ouvido.

— Amanda? Oh céus, graças a Deus! — Ela diz, aliviada.

— Fany? Está tudo bem? O que aconteceu? — Pergunto.

— Dois caras vieram aqui, e estavam procurando por você, eles falaram que você fugiu de um hospício, isso é verdade? — Ela pergunta.

— Sim. — Respondo, mas eu fugi porque eu não era doida, fui internada à força por nada, você sabe disso, não sabe? — Pergunto.

— Claro que sim. — Ela responde. — Mas tem mais coisa. — Ela diz, e meu coração dispara. — Fui falar com o Nash, e esses caras estavam entrevistando seus amigos antigos, inclusive uma tal de Nicole, que afirma de pé junto que você é doida. — Ela fala, e eu fervo de raiva. — Os homens disseram para eu encontrar em contato com você, e te chamar, eles querem fazer exames em você. — Ela fala. — E você não pode recusar.

— Porque não? — Pergunto.

— O que Nash e seus amigos fizeram para ajudar você, foi errado. — Ela responde. — Se você se recusar a fazer os exames, eles vão dar queixa.

— Mas já se passou tanto tempo, dois meses se passaram, porque isso está acontecendo agora? — Pergunto.

— Eles disseram que foi muito difícil te achar. — Fany, responde. — E eles querem apenas te ajudar. — Fany, disse. — Amanda, você não tem nenhum problema, você realmente não tem o que temer, vá com eles e os enfrente, acabe logo com isso.

— E se eles derem um jeito de me enfiar uma doença? — Pergunto.

— Aí quem vai fazer algo ilegal, sou eu. — Ela diz, e eu rio.

— Ok, eu vou fazer os exames. — Respondo.

— Tudo bem, vou avisar eles, e não se preocupe, vai dar tudo certo. — Ela fala, e desliga.

Fico mais alguns minutos vendo TV, e logo ouço a porta abrir, corro até a mesma, e salto no primeiro vulto que vejo. O garoto grita, e me empurra, caio no chão, dolorida.

— Porra, Jack, só estava tentando te fazer uma surpresa, não precisava me empurrar assim. — Falo, e encaro o garoto, ou melhor dizendo, havia três garotos, que me encaravam, assustados. Grito e me arrasto até ficar atrás de uma poltrona. — Podem levar o que quiserem, mas não me machuquem, por favor. — Suplico.

— Moça, a gente não é bandido. — Um deles, fala.

— Será que a gente entrou no apartamento errado? — Um deles fala, baixo.

— Não, tenho certeza que é esse. — Outro responde.

— O que vocês querem? — Pergunto.

— Nosso amigo está hospedado aqui. — Um deles, responde e eu coloco apenas minha cabeça pra fora, para encará-los. — Quem é você?

— Não confio em você, saí daqui. — Falo, e o garoto bufa.

— Moça, se você estiver tentando ter alguma coisa com o meu amigo, esqueça, ok?  — Ele fala, e eu bufo, garoto idiota.

— Não sou uma vagabunda. — Respondo, trincando os dentes.

— Então, quem você é? — O loiro, me pergunta.

— Amanda. — Respondo. — Namorada do Jack. — Falo, e os garotos riem.

— Sammy. — Um de cabelos castanhos, fala.

— Nate. — O moreno, diz.

— Johnson. — O loiro irritante, fala. — Melhores amigos do Jack , e nunca ouvimos falar de você.

— Nunca ouvi falar de vocês, também. — Respondo, e dou de ombros.

— Você não é a namorada do Jack, Madison é. — Johnson, fala.

— Eles terminaram. — Respondo. — Jack me ama.

— Olha me desculpa dizer isso, mas ele ama a Madison, você provavelmente vai ser apenas um daqueles casos de garotas que tentam fama com ele, e acabam se dando mal. — Nate, diz.

— Vocês não me conhecem, não conhecem minha história com o Jack. — Respondo. — Agora, será que poderiam sair daqui?

— Claro que não. — Johnson, diz.

— Eu estou semi-nua. — Grito.

— E vai continuar assim até o Jack chegar. — Nate, responde.

— Eu tenho uma namorada chamada Amanda. — Sammy, diz. — É a minha ruivinha. — Fala, sorrindo.

— Que gracinha. — Respondo. — Mas eu ainda estou semi-nua. — Falo, e ele assente.

— Vou pegar um lençol pra você. — Ele diz, e caminha até o quarto.

— O que você quer com o Jack? Sério. — Johnson, diz.

— Eu o amo. — Respondo.

— Como vocês se conheceram? — Ele pergunta.

— Por telepatia. — Respondo, e o garoto bufa. Sammy joga um lençol na minha direção, e eu me cubro com ele.

— Amanda. — Jack, grita assim que abre a porta, e encara seus amigos. — O que fazem aqui?

— O que você faz aqui? — Nate, pergunta. — Madison sofreu um acidente, e você está aqui com ela?

— Meu Deus, ela está bem? Como ela está? — Jack, pergunta desesperado.

— Ela está em observação, mas está muito machucada. — Sammy, responde. — Mas ela vai ficar bem.

— Ela quer ver você. — Johnson, diz.

— Em que hospital ela está? — Ele pergunta.

— Vamos te levar até ela. — Nate, responde. — Depois que você se livrar dessa daí. — Nate, diz e aponta pra mim.

— Eu tenho nome. — Falo, com raiva.

— Quem é essa, Jack? — Johnson, pergunta, e Jack me encarava, quando vejo sua hesitação em todos responder, meu coração se quebra e meu mundo desaba.

Me levanto, me sentindo completamente humilhada, se Jack ainda tinha sentimentos por Madison, porque ele foi atrás de mim? Porque era tão difícil pra ele falar sobre mim? Ele me queria na vida dele, mas ao tempo queria que nada mudasse, que tudo continuasse como antes.

— Amanda, espera. — Jack, diz agarrando o vestido da minha mão, e quando tento pega-lo, ele joga o vestido para trás, que passa direto pela janela. Olho horrorizada para ele, e Jack estava assustado. — Juro que não fiz isso de propósito, eu juro eu...

— Você não cansa de quebrar o meu coração? — Pergunto.

— Não, Amanda, por favor não fale assim, eu...

— Você ainda tem sentimentos por ela? — Pergunto.

— Eu me importo com ela. — Ele responde.

— Você ainda a ama. — Afirmo, e ele não rebate. — Porque você foi atrás de mim?

— Porque eu te amo. — Ele responde. — Madison foi e sempre vai ser uma pessoa muito importante pra mim, ela foi meu primeiro amor, e é minha melhor amiga, não vou deixá-la.

— Então, eu vou deixar você. — Respondo, e pego meus saltos. — Não posso entregar meu coração a alguém que ainda tem sentimentos por outra, eu já me machuquei demais, Jack, não vou suportar ser machucada de novo. — Respondo.

— Você sabe que eu nunca te machucaria de propósito. — Ele responde.

— Eu sei. — Respondo.

— Então, não vá, por favor, eu preciso ir vê-la, mas não quero ir se eu for perder você. — Jack, responde.

— Tenho faculdade. — Digo, mudando de assunto. — Você tem até meia-noite para decidir se você me quer na sua vida ou não.

— Mas eu quero você. — Ele responde.

— Você me quer na sua vida, publicamente? — Pergunto. — Assumir para todos que estamos juntos e nos amamos? — Pergunto, e Jack fica quieto. — Eu não quero ser um caso, Jack, não quero ser a segunda opção, não quero ser apenas uma garota por quem você pensa que está apaixonado e quando se enjoar de mim, vai perceber que nunca me amou, e vai quebrar meu coração, então decida. — Falo, me agarrando ao lençol, e indo em direção a porta.

— O lençol é do hotel. — Johnson, diz e eu jogo o lençol na cara dele.

— Amanda, espera, você não pode sair assim. — Jack, grita do quarto e começa a caminhar na minha direção.

— Eu posso, e eu vou. — Falo, e abro a porta.

— Amanda, você está quase pelada. — Jack, diz.

— Esse é um problema meu, cuide você dos seus e eu cuido dos meus. — Respondo, e pego meu celular.

Bato a porta com força, tremendo de raiva, mando uma mensagem para Fany, pedindo que ela viesse me buscar e chamo o elevador. Quando as portas se abrem, havia quatro garotos no elevador, adentro o mesmo e me espremo num canto, as portas se fecham e eles começam a me encarar.

— Que foi? — Pergunto. — Nunca viram uma mulher de calcinha e sutiã, não? — Falo, brava, mas meus olhos são inundados pelas lágrimas.

— Está frio lá fora. — Um deles, diz e tira um de seus casacos, e coloca sobre os meus ombros. Fany não responde, e logo presumo que ela deveria estar ocupada. — Você precisa de uma carona? — O garoto, pergunta gentil.

— Sim, por favor. — Falo, chorando.

(...)

Os quatros garotos frequentavam a mesma faculdade que eu, eles não tentaram nada comigo e foram muito gentis. Quando cheguei ao meu dormitório, encontrei Fany, dormindo. Fui no banheiro, lavei os meus pés, e me deitei na cama com ela.

— O que aconteceu? — Ela pergunta, preocupada.

— Só me abraça, por favor. — Peço, e ela me abraça. Uma chuva forte começa a cair, e eu me encolho na cama, e logo em seguida, adormeço.


Notas Finais


TRAILER DE FIND ME: https://m.youtube.com/watch?feature=youtu.be&v=w7SJ6mtuG2Q

ME ADICIONEM NO SNAP: amandarsy

queria MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO que vocês comentassem o que acharam, por favor!!!
Enfim, espero que tenham gostado, amo fazer vocês felizes!

falem comigo no twitter: @samwilkgirl

eu comecei uma nova fanfic com o Shawn, se vocês puderem ler, por favor https://spiritfanfics.com/historia/writing-my-own-love-story-6679865


eu vou começar uma nova fanfic com o sammy e ruivinha, e quero amuito do apoio de vocês, estarei postando o primeiro capítulo em breve, mas já dá pra favoritar
Link: https://spiritfanfics.com/historia/a-beautiful-mess-3491568


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...