História Find You - OH SEHUN - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Kpop, Sehun
Exibições 33
Palavras 1.162
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capitulo é curto mas está meio profundo. Espero que gostem.

To tentando postar ele faz dias mas o aplicativo travou no meu celular.

Capítulo 4 - QUATRO


Decidi pegar um copo de bebida leve para nós e sentei ao lado dele no sofá. 


-Está com fome? - Pergunto entregando o copo de água. Ele sorri com lábios fechados. 


-Não. - Ele responde e bebe a água. Depois ele encara a parede pensativo e volta bruscamente seu olhar para mim. - Como era sua avó? 


     Ele perguntou de repente, de maneira rápida. Eu fiquei em choque. Nem Yumi perguntava isso para mim. Esse é um assunto que eu sempre carreguei sozinha. 


-Bem.. -Disse num suspiro.- Ela era incrível. Ela.. - Respiro fundo. Não posso chorar agora. - Era compreensiva.. - Percebo que ele me encara com muita atenção. Ele realmente quer saber sobre minha avó. Preciso contar direito, eu não posso chorar. - Eu fiquei com ela só quatro anos, mas recebi dela uma atenção que eu não tive de mais ninguém. - Sinto meus olhos arderem e fungo olhando para o teto. - Ela me ensinou à arrumar as coisas.. Me ensinou a me vestir bem.. Me ensinou a cuidar do cabelo pintado.. -Olho para Sehun e percebo que seus olhos brilham de tanta atenção que ele está prestando. - Eu me sinto grata.. -Digo com um sorriso trémulo.- Tudo que sei e todas as decisões que tomo são por conta dos conselhos dela.. Ela me fez. - Sehun abre um sorriso emocionado. Vejo seu rosto vermelho. - Os sonhos dela viraram os meus sonhos e.. - Sinto três lagrimas involuntárias cairem do meu olho esquerdo. Sehun me encara prendendo o choro e demonstrando uma preocupação desesperada. - Desculpa.. -Digo soluçando.- É que.. É a primeira vez que falo.. Sobre a minha avó. 


       Uma lágrima cai dos olhos de Sehun e ele morde o lábio inferior prendendo o choro. Eu começo um choro desesperado onde tento me controlar , mas não consigo. Ponho as duas mãos no rosto e depois olho para Sehun que ainda me encara preocupado..


-Eu acho que.. - Digo em meio à soluços. - preciso de água. - Me mecho para poder me levantar do sofá e em um segundo Sehun me puxa pelo braço em um gesto delicado, porém um tanto brutal. Eu o encaro em um misto de surpresa e susto. 


-O que você precisa.. - Ele diz se aproximando. - Não é água. Você precisa de algo que eu acho que  nunca fizeram por você..


-O que? - Pergunto chegando mais perto. 


Sehun puxa minha nuca e faz meu rosto ir em direção ao seu ombro. No ombro dele encosto meu queixo e repouso meu rosto alí,  perto de seu pescoço. Ele se ajeita no sofá, ficando confortável. Sinto seu cheiro cítrico e masculino e então começo a chorar ainda mais. Me ajeito deitando- me no sofá e continuando apoiada no ombro de Sehun, que começa a mecher em meu cabelo. Mais lágrimas descem. Realmente, ninguém nunca havia feito aquilo por mim. 


-Você não quer mais falar, certo? - Ele pergunta e eu assinto. No mesmo momento ele entende. - Mas eu posso falar sobre o que ouvi?


-P- Pode.. - Respondo em meio à soluços mais calmos e ele acaricia meus cabelos com mais atenção e delicadeza intensa. 


-Não é uma palavra que costumo usar mas.. Você é muito forte. - Ele diz. - Guardou lágrimas por tanto tempo sem um abraço.. - Sua voz fica trémula. - Eu nunca tive família mas por um lado não dá pra sofrer por aquilo que não  se tem.. - Percebo alteração na voz dele e ele respira fundo. -Sua vó com certeza era brilhante.. Brilhante como o sol. 


Em sua ultima frase solucei e comecei a chorar ainda mais. 


- Calma,Allana.. - Sehun diz acariciando meu cabelo. - Oh, céus.. Perdão eu falei muito.. Eu.. - Apertei o braço dele com força sem sentir que estava o fazendo. 


-O sol.. - Disse em meio às lágrimas.. - Eu mudei meu nome para Sol.. 


-Iluminando o dia.. - Ele disse pensativo. 


-Sim.. - Disse sorrindo em meio ao choro.- Minha avó amava o sol da manhã e dizia que eu era alegre como ele.. -Soluço e fungo.- Lembro do sorriso dela quando dizem o meu nome.. Ela saia de manhã pra fazer caminhada e todo dia,mesmo no mais nublado.. Ela.. Ela elogiava o Sol.


-Sol.. - Ele disse meu atual e verdadeiro nome e o abracei com força. 


-Mas você pode me chamar de Alla..


-Não. -Ele me interrompe, me abraçando forte. Meus soluços estavam começando a parar. - Sol é o seu nome. Sol é o nome que te representa. - Ele disse e o abracei mais forte, ficando em uma posição aconchegante. - Vou cantar para você se acalmar. - Eu assenti e ele começou a cantar vários lalala seguidos em ritmo de uma canção de ninar. Por mais incrivel que possa ser, aquilo realmente me acalmou..



                                                                    ****


       O barulho ensurdecedor do despertador toma conta da casa e acordo com dor nas costas me deparando com Sehun acordando assustado.. O QUE? COMO ASS.. Ah,sim. Eu dormi aqui no sofá. Levo minha mão à testa e me levanto para desligar o despertador que está no meu quarto. 


     Volto para sala e vejo que Sehun não está no sofá, bato na porta do banheiro que está fechada e nao ouço barulho nenhum. Arrisco abrir a porta e... Ah! Nada.


    Caminhando em direção à cozinha sinto um forte cheiro de café junto de um cheiro de torradas.. Me lembra acordar com o café da vovó. Sorrio ao lembrar do café da manhã com ela. 


     Ao entrar na cozinha me deparo com costas definidas.. ops! Sehun sem camisa preparando um café. Eu jurava que ele tinha ido embora e o cheiro era do café de alguem da vizinhança. 


     Ele volta seu olhar em minha direção e sorri ao me ver. 


-Bom dia, Sol. - Ele diz dando ênfase no meu nome. Sorrio. 


-Bom dia.. - Respondo sorrindo. - Por que está sem camisa, Sehun?  -Pergunto sinceramente.  Não é como se eu tivesse algo contra ele ficar sem a blusa,mas.. Pra que?


-Está calor demais. -Ele responde resmungando e em seguida cora olhando o próprio abdómen.- Oh..Desculpa! Eu.. É.. Vou me vestir.. -Ele abre um sorriso amarelo,todo sem graça. Que situação cómica.


-Não precisa. -digo cruzando os braços e me apoiando na parede. - Fez café?  


-Sim! -Ele responde animado. - Eu queria agradecer pelo.. favor. 


-Favor?  - Pergunto arqueando a sobrancelha. Ele bagunça o cabelo com a mão. 


-É. . Cedeu sua cas..


-Não foi um favor! - Eu o interrompo resmungando. -Ei! Sehun! -Digo desesperada.


-O que foi?  - Ele pergunta assumindo uma expressão preocupada. 


-E o Chen? - Pergunto. - Você passou a noite aqui, mas não avisou à ele!- Digo e Sehun ri.


-Mandei uma mensagem assim que você dormiu. -Ele diz estalando os dedos da mão esquerda. - Eu disse que ia entregar à noite toda. - Arqueio uma sobrancelha.


-Você mentiu! -Digo um tanto indignada. - Por que não falou que estava comigo? -Ele ri corando. 


- Você.. É segredo por enquanto.



Notas Finais


E aí gente, gostaram? Ein?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...