História Find You - OH SEHUN - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Kpop, Sehun
Exibições 31
Palavras 1.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capitulo curto

Capítulo 6 - SEIS


 "O que dizer sobre hoje? Já fazem duas semanas que 'encontrei' Sehun e ele sumiu. Bem, eu devia ter imaginado. Sou só uma conhecida de infância.. Eu que criei ilusões de me animar e conversar sobre o passado. 

       Sobre a faculdade está tudo okay. Hoje o Xiao vai vir fazer outro trabalho aqui em casa. Neste trabalho iremos fazer um Beirute- prato árabe. Achei interessante o tema do nosso trabalho e eu e ele estamos à cada dia mais próximos. 

       O único problema atual é que fui demetida. Eu sei que ainda conto com a pensão da vovó, mas ficar sem trabalhar acaba comigo. Gosto do dinheiro por mérito próprio. 

      Yumi disse anteontem que tinha uma surpresa pra mim e depois não deu sinal de vida! Eu já mandei mensagem, liguei, tentei falar com o Tae.. E nada! Isso está me preocupando. Não quero perder minha única e melhor amiga. 

      Estou me sentindo bem solitária e isso é tudo que tenho para escrever diário." 


       Fecho o caderno cor violetta e ponho o mesmo e a caneta no braço dopraio sozinha. A solidão faz uma maior de idade escrever em um diário. 


       Ouço a campainha. Deve ser o  Xiao para fazermos o trabalho. Ando até a porta e abro a mesma com um sorriso quase amigável no rosto. 


-Oi,Sol.. -Diz Xiao que me olha de cima à baixo. -Arrumadinha assim até dentro de casa? 


     Fico meio sem graça com seu comentário  e apenas sorrio abrindo mais a porta para ele entrar.


-Uau, sua casa é cheia de coisas! -Ele diz ao entrar e depois põe os materias que trouxe do mercado encima da sala. - Cadê seus pais?-Ele pergunta e eu engulo em seco. Droga. O que eu respondo?


-Ah.. Eu.. Eu to morando sozinha,é.. -Respondo e ele arqueia uma sobrancelha. - Meus pais viajam toda hora.. 


-Entendi.. - Ele responde sorrindo. -Bom, podemos começar o trabalho?


-Sim! - Respondo sorrindo e andamos até a cozinha. 


      Eu acho que estou ficando apaixonada por Xiao e eu tenho certeza que ele também está interessado em mim, mas o único problema é que eu sei que se ele souber a verdade sobre mim,isso não vai dar certo. 


- Eu posso usar o banheiro? -Ele pergunta me tirando dos devaneios enquanto corto partes do recheio.


-Pode.. Fica na esquerda do corredor da sala em frente a porta que tá escrito quarto da Sol. - Respondo e ele sorri. 


-Está bem. -Ele diz com um sorriso um tanto.. Malicioso?  - Já volto. Assenti sorrindo e continuei a cortar o recheio e depois umas folhas de alface para por no nosso lanche. Além do beirute, quero fazer um lanche que ele goste muito. 


     Continuo cortando os alimentos e me lembro de uma conversa que tive com a vovó quando tinha doze anos. 



******


Chego em casa cansada após um dia um tanto complicado. Tão complicado que ao invés de ir de moto para casa com meus amigos que passavam pelo mesmo caminho que eu, resolvi ir caminhando para organizar meus pensamentos que estavam um tanto conturbados. 


-Oi Vó. -Digo chegando na cozinha e sentando à mesa.-Preparando a janta à essa hora? - Pergunto e ela direciona seu olhar à mim.


-Sim.- Ela diz parando de cortar o tomate que estava nas suas mãos e o põe na tábua a encima da pia.Depois caminha em minha direção e senta na cadeira ao meu lado. -Por que está assim? Você não chegou animada em casa. - Minhas bochechas esquentam e eu coço a coxa em sinal de nervosismo. 


-Me apaixonei pela primeira vez. - Disse com um misto de vergonha e medo. Minha vó me surpreendeu com um sorriso.


-Isso é lindo. - Ela responde. - Mas por que isso te deixa triste?


- E-eu. . Eu fiz de tudo para ser legal, vovó. -Digo cabisbaixa. - Eu até inventei que era rica e a gente virou amigo. Mas ele apareceu com uma namorada.. -Minha vó muda sua expressão para uma de compaixão e me abraça acariciando meu cabelo. 


-Solzinho.. - Ela diz beijando minha testa.- Você não ama ele. 


-Eu amo sim,vovó. -Digo e cai uma lágrima. Ela continua a acariciar meu cabelo. 


-Um sentimento só é verdadeiro quando você se sente à vontade e não esconde o que é. 


******


    Sorrio. São tão boas as lembranças da minha avó. Essa lembrança me deixou intrigada. Acho que essa foi a única coisa errada que ela falou. Gosto do Xiao,mesmo que no momento eu ainda tenha medo de mostrar quem eu sou. 


      Percebo de repente que ele está demorando no banheiro. Melhor eu ir checar se ele está bem. 


Saio pela cozinha e congelo ao chegar na sala. Ele está lendo o meu diário. Lendo. Meu. Diário. Tem a minha vida toda ali. Estou perdida.


-Solta isso. -Digo ao chegar na sala e ele solta o caderno na mesa da sala. 


-Desculpe. Eu estava vendo seus desenhos nas ultimas paginas. -Diz ele. - Eu pensei que fosse um livro e acabei me distraindo. -Ufa! Ele não leu. -Vamos continuar o nosso trabalho?


-Vamos. -Respondo sorrindo e ele vem comigo para a cozinha. 



                                                                   ****


-Está segurando direito? - Pergunto à Xiao no caminho da faculdade, estamos no carro do pai dele que está sendo dirigido pelo motorista particular da família . Perguntei isso o caminho inteiro na verdade. Metade do meu semestre está nesse beirute. 


-Estou sim. -Ele responde sorrindo e olhando para mim. Eu fico sem fala e retribuo o sorriso.


De repente, Xiao se aproxima e fica à uma distância quase inexistente do meu rosto. Não acredito que isso está acontecendo. Ele passa cuidadosamente seus lábios sobre os meus. Depois se aproxima totalmente me dando dois selinhos. Ele se distancia um pouco e dessa vez quem o beija sou eu. Um beijo lento. Minha lingua pede passagem e ele logo aceita iniciando um beijo desejoso. Ele se afasta com um sorriso malicioso e eu fico corada como um tomate. 


-Somos amigos ainda? -Ele pergunta sarcasticamente. - Ou algo mais? 


-Melhor sermos amigos. -Respondo sorrindo e ele muda sua expressão de maneira instantânea. - Acho que compromisso agora desviaria meu foco no futuro. 


Ele solta uma risada anasalada. 


-Sua família é riquinha e seus pais vivem viajando! - Ele diz,tomado por uma raiva que eu não conhecia nele. - Tirou notas altas até agora e inventa essa desculpa! 


-Ei.. -Digo com a voz mansa para tentar acalma-lo. -Podemos ser amigos mais íntimos.  

Não era bem o que eu queria dizer, mas eu queria vê-lo calmo.


-Está bem. - Ele diz com um sorriso malicioso. - E ninguém precisa saber. - Ele diz e eu mordo o lábio. 


       Gostei dessa idéia na qual ninguém precisa saber de nada.




Notas Finais


Vocês confiam nesse Xiao?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...