História Fingindo... ou não. (Imagine Kim Taehyung ) - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Taehyung Tae Taetae
Exibições 87
Palavras 694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


...

Capítulo 38 - Lea?


Fanfic / Fanfiction Fingindo... ou não. (Imagine Kim Taehyung ) - Capítulo 38 - Lea?


- Não! Moça deve haver um engano! - eu disse enquanto tentava controlar os soluços.

- Me desculpe senhor, creio que não houve engano algum.

- Não, não é possível! - sussurrei a mim mesmo enquanto caia de joelhos no chão chorando.


" A morte de alguém é um acontecimento sempre trágico e absurdo. Não por ser violenta e acidental, mas por nunca ser desejável e esperada, ainda quando anunciada.

Todos os nossos desejos, intenções e perspectivas de ação são raptados por um destino que não controlamos. Somos catapultados para um abismo solitário em que nenhuma ajuda, consolo e aconselhamento pode trazer conforto.

Não há nenhum alívio quando você perde a si mesmo com a morte do outro.

Seu dinheiro não ameniza isso, sua beleza tão pouco ajuda, o status faz nada porque diante da morte todos somos nivelados pelo mesmo horizonte. Cada um a seu tempo irá morrer, goste ou não."


Então era isso? Eu perdi o amor da minha vida para sempre? Ela me deixou aqui nesse mundo cruel e impiedoso? Quem vai me fazer sorrir? Quem será o motivo da minha vontade de viver? Eu só tinha a ela, agora não tenho mais nada.

- Senhor? - levantei minha cabeça para olhar a mais velha que me chamava. - Gostaria de ver pela última vez a Senhorita Lea?

Que?

- Lea? - olhei rápido para o JungKook, limpamos nossas lágrimas e nos levantamos do chão. - Quem é Lea?

- Oh, os senhores não estão com a Jung Lea?

- Não! - Jung falou alto. - Estamos com a Park Gi.

- Perdoem o meu erro. - se curvou.

- Você sabe como ela está? - perguntei.

- A senhorita Gi? - não, sua avó!

- Sim. - nós dois dissemos juntos.

- Ela teve duas paradas cardíacas, os médicos conseguiram "ressuscita-la". - fez aspas com os dedos.

- Ela está viva?? - Jeon  perguntou.

- Podemos vê-la????

- Sim, ela está viva. E sim, podem ir lá. Ela está no mesmo quarto de antes.- agradecemos e nos curvamos. Saímos correndo atrás do quarto dela. Paramos na frente da porta e nos olhamos sorrindo, girei a maçaneta e abri a mesma devagar, dei de cara com minha mulher sentada um pouco inclinada, olhando atentamente para o médico a sua frente. Estava linda como sempre, seu rostinho um pouco inchado, cabelos desarrumados, porém lindos. Ela direcionou seu olhar para nós dois e logo abriu um imenso sorriso acompanhado por lágrimas, ouvi Jung gargalhar e logo correr até a cama, quase passando por cima de mim, ele a abraçou apertado, seus olhinhos se fecharam em contato com o corpo do irmão. Eu permanecia sorrindo e chorando, um pouco sem acreditar que apesar de tudo, ela não me deixou, eu quase não estava acreditando. Quando eles se separaram ela olhou pra mim sorrindo, abriu seus braços para que eu pudesse abraça-la. Não pensei duas vezes em sair correndo e agarrar ela com todas as minhas forças, ouvi sua risada gostosa misturada com as fungadas por causa do choro. Pude finalmente sentir o seu contato de novo, seu cheiro, a maciez dos seus cabelos, era incrível como seu corpo se encaixava perfeitamente ao meu. Depois de uns cinco minutos assim, me separei calmamente, olhei cada detalhe de seu rosto enquanto acariciava suas bochechas e colocava uma mecha de seu cabelo atrás da orelha, me aproximei devagar e encostei nossos lábios delicadamente, senti que nós dois precisávamos daquilo. Não teve malícia alguma ou mão boba, sem segundas intenções, só tentando matar a saudade. Nos separamos e colamos nossas testas.

- Senti sua falta. - falei. - Eu te amo tanto que... aish! - ela riu fraco.

- Também senti sua falta, meu amor. Eu te amo demais! - nos abraçamos de novo.

Estava tão feliz que nem podia descrever! Eu finalmente a tinha de volta, apesar de todas as lágrimas de tristeza ela estava lá, conosco, sã e salva. Junto à mim.



Eu quero ser trancado em você e nadar em você Eu quero te conhecer melhor, um explorador se aventurar através de sua floresta profunda do mistério Eu aprecio a obra-prima que é você porque a sua existência por si só é uma arte.

- Just one day, Bangtan Boys.


Notas Finais


Uahaha em, por essa vocês não esperavam kkkkk
Me desculpem se ficou pequeno demais e não desistam de mim! ❤
Não se esqueçam de comentar bastante, me incentiva muito a continuar a escrever!
Amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...