História Finnrey - My Lord - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Matapple

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Finn, Rey
Tags Finn, Finnrey, Jedistorm, Rey
Exibições 23
Palavras 557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, querido leitor(a)! O autor deste capítulo é o fã #1 do Finn e da Rey juntos, Poe Dameron!
Se você veio por causa do Finnrey, que, infelizmente, faz falta aqui, bom, sinta-se em casa! Eu e o Matapple viemos para saciar sua vontade de Jedistorm brasileiro :3
Se está aqui por causa de Star Wars, bom, acho que posso te deixar parcialmente na mão, amigo(a)! Mas na medida do possível, vai ter choque de sabres de luz e talvez uma nave ou outra. Só porque é tem castelos e príncipes em apuros não quer dizer que não tem tecnologia avançada ¯\_(ツ)_/¯
O capítulo está escrito numa forma de cópia machadiana barata, mas tirando isso, dá pra entender. Se achar alguma parte incoerente ou não entender bem, terei o maior prazer de explicar para a vossa senhoria.
Já enchi bastante o saco, né? Enfim, aproveite o (curto) capítulo!

Capítulo 1 - I-Oh Lord, My Lord


Fanfic / Fanfiction Finnrey - My Lord - Capítulo 1 - I-Oh Lord, My Lord

    I- Oh Lord, My Lord

Existe um ditado popular no reino: Não há trabalho que preste no fim deste mundo. A discordância da minha pessoa sobre esta afirmação é imensa, mais do que palavras podem ser escritas.

Mas cá estou eu, começando mal esta história. Peço perdão, caro leitor. Eu não tenho um nome, pelo menos, por parte dos meus pais, que são tão presentes quanto dois mais dois dar cinco é afirmação. De onde eu cresci, de vilas em vilas, cada uma mais maligna e sofrível que a vizinha, me deram o nome de “Rey”. Ou pelo menos, era como meu primeiro dono me chamava. Mas isso é trama pra outro momento.

Do quarto ao lado do dormitório real, esta escrita é feita. E o meu trabalho, pra poder viver tão perto do Mi Rei e suas crias? Defesa Pessoal e Aconselhamento Moral do Primogênito Real. Um nome estrambólico para cavaleira do píincipe. Vosso Rei ainda é minha autoridade, mas hei de prestar serviços específicos à Alteza Finn Calrissian, o dito-cujo. E que dito-cujo.

Não há de feições mais simétricas e benevolentes como de Mi Mestre. A pele cor de chocolate, feito das melhores sementes de cacau e produzido nas mãos dos melhores suíços, que cobrariam caro para atingir tamanha tintura em seus doces mais apetitosos. A musculatura de um senhor de guerra, mais forte que dez homens bárbaros. A altura padrão do reino, 5ft 9in, ou um metro e setenta e cinco centímetros, para quem emprega o sistema internacional.

Mas trapaceia-se a si mesmo, caso o vejas como um bicho bruto e incivilizado. No dia da receita, onde a plebe é extorquida de forma justa, pagando em moedas a proteção Do Rei, Vossa Alteza passa na grande cidade, saindo do castelo contra a vontade do Rei, afim de levantar a verdade para aqueles que um dia eu já fui. Interage-se com os pequenos, os trabalhadores, droga, até com as parideiras e os desabilitados de idade e por falta de membros. Vosso Finn sempre estampa o sorriso de cachorro e imaculado, capaz de queimar o mais frígido dos corações e, sempre virtuoso, hai de abraçar o próximo do seu lado, fazendo a psique dos arredores subir para um estado animado e eufórico. Nos dias que não se faz presente, os soldados à praça não tem o de relatar senão os crimes de sempre, como roubo ou assédio. No inverso do contado, Teu Herdeiro rejoiza o centro da cidade com paixão e benevolência, aproxima os inimigos e deixa as rivalidades de lado. Nenhum cidadão deixaria levar-se pelos desejos mais obscenos e perversos, se tua confiaça fosse quebrada para Finn.

Caro leitor, caso não tenha percebido ainda, Meu Protegido é o céu na Terra; o santo no meio dos demônios; a própria Caixa de Pandora selada. Não faz disso o meu trabalho mais fácil: O ódio dos outros feudos com tal virtuosidade ambulante fez dele um alvo para diversos mercenários e assassinos. Se não fosse o deleite Dele que atraísse os mais diversos necessitados e bem intencionados, eu mesma pediria ao Rei para trancar os portões da cidade contra qualquer estrangeiro.

Mas passar cada dia ao lado do bondoso Finn, com olhos de inocência e aventureiros, faz o meu ofício o mais prazeroso de todos. Se tem um trabalho que preste, é receber dinheiro por proteger um anjo.

 


Notas Finais


Se você aguentou até aqui, eu te parabenizo,leitor(a)! Espero que tenha gostado <3
Sobre sair um novo capítulo, o próximo tá na conta do Mat, então cobra dele xD
Críticas construtivas, opiniões ou qualquer pequeno comentário é sempre bem-vindo!
PS: Tem um vídeo de 3 minutos e 45 segundos no Youtube reunindo os melhores momentos desses dois juntos na música mais emocionante que já ouvi. Como Finnrey nunca é demais, aqui está ela para vocês verem https://www.youtube.com/watch?v=fcbJuMTP70g (A qualidade da imagem está meio "meh", mas de resto, é perfeito)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...