História Fio Dental - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Comedia, Dentista, Fio Dental, Naruto, Sasusaku
Exibições 179
Palavras 3.781
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieh ^^
Perdão, pela demora. Odeio descumprir datas >,<
Lembrete: Como essa fic era para ser uma One mas, eu a dividi esse vai ser o penúltimo capítulo - o maior que eu já fiz hehe
LEIAM AS NOTAS FINAIS!
Bem vindo ao leitores novos! Amei os comentários <3
E eu espero que gostem desse cap.
Boa leitura!

Capítulo 3 - Pacote completo - Parte 2


Fanfic / Fanfiction Fio Dental - Capítulo 3 - Pacote completo - Parte 2

                                                               Narrado por Sakura

               No capítulo anterior...

Quando acabou a consulta peguei o retorno que seria amanhã no mesmo horário e as próximas recomendações. Sai do hospital me sentindo desnorteada.

Sem saber o que fazer. Eu tinha que contar para o Sasuke-kun ele tinha o direito de saber - eu não fiz o filho sozinha -, mas, como?

Ele sempre estava trabalhando e nunca tinha um horário vago... só se eu marcasse um jantar na sexta feira, assim ele não teria como recusar.

Perfeito!

                                                                                ~~O.O~~O.O~~O.O~~

 

- Ino! Cheguei! – gritei fazendo minha voz ecoar por todo o apartamento.

Assim que coloquei a chave no chaveiro ela estava na minha frente com uma aparência um tanto peculiar: cabelos desgrenhados e com uma camisa bem maior que ela – chegando até na metade do seu bumbum.

Observação: sem sutiã e com calcinha.

- Pensei que você viesse mais tarde testa.

Que embolação. Acha que eu sou boba.

- Quem está na sua cama?

Ela ficou pasma, por que eu nunca fui direta assim... Devem ser os meus hormônios.

- C.como? – ela ficava apontando o dedo para várias direções -, é o Gaara. – suspirou se entregando.

- Isso virou amizade colorida?

Ino começou a fazer desenhos imaginários com pé enquanto ficava vermelha, ok. Acho melhor eu trocar de assunto.

- Enfim, não é sobre isso que eu quero falar.

Fui andando em direção a cozinha para pegar um copo de água.

- Saiu o resultado dos exames?

- Sim...

- E?

- Tenho que começar a cuidar mais da minha saúde. – disse com pesar.

Nem havia terminado de falar e a Ino veio me sacudir com as duas mãos em meus ombros. – Sakura, está doente, com algum tumor...?

- Não, é isso... Eu estou grávida... de gêmeos.

Sério. Ela estava estática. Eu pensei que a roleta iria desmaiar ou começar a dar sermões mas não, ela fez o imprevisível.

Abraçou-me com força demasiada e começou a chorar.

- Ino?

- Parabéns Saky! Eu quero ser madrinha já vou avisando. Qual é o sexo dos baby’s? – falava com a maior animação do ela poderia ter e isso incluía balançar os braços e dar gritinhos.

- Vou voltar lá amanhã à tarde.

- O Sasuke-kun já sabe?

- Não. – antes que ela me interrompesse me adiantei – eu vou marcar um jantar.

- Acho bom. Bem, vai fazendo as suas coisas que eu vou lá pra cima. – Quando Ino já estava no pé da escada eu gritei:

- Usem camisinha!

Tirei meus saltos que estavam me matando e fui à procura do meu celular, por que convenhamos, bolsa de mulher é um mistério. Achei! Deitei-me no sofá e comecei a procurar a lista de contatos.

Não está realizando a ligação; quando pensei em cancelar a chamada o telefone começa no Bip...

Ligação On

- Sakura? Aconteceu alguma coisa? – sua voz estava mais grave do que o normal e carregava um tom de preocupação que eu nunca tinha presenciado.

- Sim, sou eu. Não. Você está ocupado? – perguntei receosa, já se passava das 17 horas.

- Não, pode falar.

- Sexta você está livre?

- Sim. Por...?

- Quero marcar um jantar no Tsuki.

- Que horas? – agora ele parecia impaciente.

- Ás 20 horas é bom?

- Sim. Te vejo lá.

- Beijos, Sasuke-kun.

Ligação Off

Quando finalizei a ligação parecia que havia lago o incomodando ou sei lá, talvez estivesse diferente. Coloquei o telefone ao lado da minha barriga e automaticamente me lembrei que eu estou carregando dois bebês... “A ligação entre o filho e a mãe é muito forte” minha mãe sempre me dizia isso, até que ela faleceu por ataque cardíaco.

Meu pai não agüentou e veio a falecer logo depois; naquele ano eu passei pelas mãos da depressão era parecia uma enxurrada de tragédias, mas aí o Sasuke entrou na minha vida.

Nós ficamos e começamos a namorar ele sempre foi 5 anos mais velho que eu. Fazíamos sexo quase todos os dias, só eu o conhecia tão bem a ponto de conhecê-lo verdadeiramente sem aquela casca envolta do seu corpo, e os seus sentimentos. Paramos de namorar por que parecia que não dava certo e também tinha virado rotina, portanto, nos separamos, porém, todo o mês eu marcava uma consulta – por medo de perdê-lo completamente e saudades.

E simplesmente agora eu estou com medo de não só perdê-lo, mas, também de ser rejeitada. Dos meus filhos não terem pai. Do meu amor não ser nada. De eu não passar de uma qualquer... Sendo que talvez ele já tenha arrumado alguém.

Levantei minha blusa e comecei a acariciar minha barriga. De vez em quando eu ouvia uns gemidos altos vindo do segundo andar... Ino e o seu suposto ficante. Peguei no sono sem nem perceber.

 

No dia seguinte às 14h15min - Consultório

- Deite-se, querida.

Deitei-me devagar em cima da maca para fazer o ultrassom, levantei minha blusa para ela começar a passar o gel gelado. Com o equipamento todo do lado da maca e com o transdutor percorrendo a minha barriga já pude começar a ver uma gigante mancha branca e os pequenos bebês no meu ventre envoltos de uma mancha branca – a placenta.

- Como eu imaginava são gêmeos bivitelinos.

Olhei para ela e confirmei com a cabeça.

Nos segundos instantes já pude sentir meu estômago se contorcer em uma felicidade absurda. É aquele momento em que você sente um frio de ansiedade percorrer pelo o seu corpo.

- É um menininho e uma menininha.

Imagens já começavam a passar pela minha cabeça só de pensar em como seria gratificante entrar em uma loja infantil e poder comprar todos os mimos em que eu vou poder oferecer. Sapatinhos, roupas lindas – que apenas na infância pode se ver -, brinquedos e carrinhos. Chupetas em suas bocas fazendo aquele barulho gostoso. Cheirinho de bebê.

Quando sai daquele consultório estava com uma mão na minha barriga, pois a senti mexer, era como se eles estivessem felizes em eu ser a sua mãe.

Mãe...

- Eu sinto muito que vocês não vão ter avós – sussurrei baixinho. Era triste por que, são os avôs que mais os mimam e dão doces.

Mas por outro lado, existe a família Uchiha que poderá oferecer tudo isso.

 

[...]

 

O dia do jantar chegou mais rápido do que eu poderia imaginar.

Nesse meio tempo em que a semana passou diante dos meus olhos, Ino começou a namorar com o ruivo sem sobrancelhas, vulgo Gaara no Sabaku. Eu comecei a procurar outro imóvel, por que agora comigo grávida e com crianças a caminho eu não podia mais ficar morando com a Ino.

Há quase 3 messes quando Hinata e Naruto nos convidaram para jantar na casa deles, os dois propuseram algo que era: eu e Sasuke sermos madrinha e padrinho de casamento. Como os meus sentimentos ainda estavam confusos e os do Uchiha eu não fazia a mínima idéia eu recusei, pois não saberia como iria ficar a situação.

Mais tarde quando nós duas já íamos embora a morena de olhos perolados me puxou para um canto, para ter uma conversa séria aonde ela disse que o Sasuke tinha como obrigação assumir os seus filhos e caso ele não fizesse tal ato, o Uzumaki iria dobrá-lo; imaginei a situação e aos poucos fui começando a rir da minha própria desgraça em ter engravidado sem ter nenhum compromisso com o moreno.

Sai do transe que os meus pensamentos me levaram quando senti minha pele queimando sob a água do chuveiro; finalizando o meu banho me enxuguei e enrolei uma toalha rosa na cabeça.

Como hoje era um dia importante e faltava apenas poucas horas para o devido encontro de verdades. Decidi vestir algo simples, porém, sofisticado.

Fui até o meu closet e encontrei um vestido que só havia usado uma vez, também em um jantar, só que diferente deste eu estava na casa dos pais de Sasuke – a primeira apresentação.

O toque do tecido era liso como a viscose, ele era de alças num tom vermelho, e caia da cintura para baixo alçando uma palma acima dos meus joelhos. Para acompanhar coloquei um brinco de argolas, pois, como o vestido já ganhava maior destaque resolvi colocar algo simples em minhas orelhas.

Com a roupa já em ordem comecei a passar uma maquiagem básica – delineador para destacar meus olhos, base não precisava por que minha pele já era livre de marcas, a não serem as sardas. Rímel e um batom cor nude.

Nos meus cabelos rosados já longos fiz uma trança de lado no estilo messy. Rondei o meu quarto com os olhos para constar se eu não havia esquecido nada, me virei para o espelho enorme que tinha no meu armário e vi uma pessoa totalmente diferente do que meus olhos estavam acostumados. Minha barriga já estava com uma saliência, o bom era que o vestido não é tão apertado a ponto de machucar.

Pego minha bolsa da Clutch para dar o toque final.

 

19h54min

 

Ansiosa para ver Sasuke novamente eu espero em frente à entrada do restaurante. A lua se colocava majestosa diante do mar que ficava na frente do restaurante. Minhas mãos começavam a suar em ansiedade por esse momento. Eu pensava em todas as possibilidades que poderiam acontecer nesse jantar; em dar tudo errado até ele me arrastar até a sua casa e lá me amando.

Agora restavam apenas 3 minutos para as 20 horas.  

O ronco do motor ecoava pelo estacionamento, percebi que era ele quando vi que era um Mustang na cor azul ébano. Com um carro bonito não poderia faltar um dono lindo. Minhas orbes se atentaram a cada movimento seu, eu estava presa em seu gingado, a forma como ele girava as chaves na sua mãos e o seu olhar fixo em mim.

Vestindo uma camisa social e uma calça cor caramelo ele veio parando em frente a mim e como sempre, podia se notar o seu típico sorriso de canto me avaliando de cima a baixo – parando seu olhar por mais tempo na minha barriga -, com o seu cabelo desorganizado o deixando mais másculo.

Sua voz rouca chegou aos meus ouvidos ao mesmo tempo em que fui tirada da minha admiração.

- Está encantadora!

Dei um risinho tímido não deixando de respondê-lo a altura. – Você também está... Pediu ajuda a alguém?

Não recebi nenhuma resposta de volta, apenas a sua mão erguida no ar, pedindo que eu a segurasse como um legítimo cavalheiro.

- Me daria a honra?

Era estranho pensar que nós dois já fomos namorados e agora assim.

- Claro.

Fomos caminhando para dentro como um casal. Ele estava com um olhar diferente, parecia feliz de ter vindo.

Sentamo-nos à mesa reservada que dava a vista ao esplendoroso reflexo que a lua fazia na água. Um de frente para o outro; entreolhamos-nos na espera que ninguém viesse a quebrar o silêncio, porém, para o nosso desagrado o garçom de preto e branco veio nos recepcionar.

Olhei para Sasuke em cúmplice quando ele bufou em descontentamento.

- Gostariam de beber alguma coisa? – o homem de cabelos brancos segurava um bloquinho de anotações na mão.

Levantei minha mão e sinal que eu iria falar primeiro. – Quero um suco de morango.

O garçom anotou e em seguida olhou para Sasuke o questionando em silêncio.

- Me traga uma taça do seu melhor vinho.

Acho que um dos momentos de maior tensão foi esse. O Uchiha não tirava os olhos de mim e eu tentava a todo custo ao olhá-lo, fingir que ele não existe era uma ótima forma de prosseguir com o nosso joguinho.

- Está tudo bem Sakura? – ele pousou uma mão na mesa. Olhando-me como um falcão. Percebi que ele tinha me perguntado isso quando meus dedos pararam de batucar.

- Sim. Muitos pacientes? – resolvi mudar de assunto na mesma hora.

- Hm. – essa era a sua forma de dizer sim – Mas, nenhuma se compara a você.

Meu Deus. Meu coração palpitou em afirmação a aquela frase. Talvez existisse uma chance de ele me amar. A salvação de eu não precisar responder foi o grisalho ter voltado com as nossas bebidas.

- Já se decidiram?

Eu nem havia tocado no cardápio, mas Sasuke se adiantou e pediu o prato:

- Uma seqüência de frutos do mar. – quando ele tinha se afastado o Uchiha falo num tom abafado:

- Eu sei que você gosta. – piscou.

E como eu gosto, agora ainda mais! No início dessa semana comecei a ter uns desejos loucos, como por exemplo: Sorvete com peixe.

E era uma delícia.

- Qual foi o motivo deste jantar? – ele assumiu uma postura séria, provando um pouco do seu vinho e olhando para mim em seguida esperando uma resposta.

Comecei a suar a esmo. Não sabia como contar, como proceder!

- Preciso te contar uma coisa.

Ele ficou ereto o mais que possível do que o banco poderia oferecer. Levou ambas as mãos em cima da mesa e cruzou. Ok, agora não teria escapatória.

- Estou todo a ouvidos.

- E.eu... Eu estou grávida! - Preferi ir direto ao assunto, por que Sasuke era muito direto e sendo assim eu não queria enrolar.

Com as mãos tremendo e a respiração acelerada eu temia que eu estivesse pior, mas, nada me preparou para a cena que veio a seguir:

Sasuke Uchiha sendo afetado por um tique nervoso na cara inteira. Me controlei para não rir.

- Ahn..? – sacudiu a cabeça para ambos os lados, parecia um cachorro que havia acabado de tomar banho.

- Grávida. De. Gêmeos. – soletrei a última palavra.

- Como!? – duplo sentido.

Só me faltava essa...!

- Você! Enfiou o seu Uchiha júnior na minha entrada USB, capiche?

Socorro! Ele não piscava e parecia que nem respirava; estático! Seus braços estavam molengas por que ele os deixara cair sob a mesa, sua cabeça pendia para o lado esquerdo como se tentasse entender o que acontecia. E como se, não pudesse ficar mais cômico... ficou!

Ele fazia barulhos estranhos com a boca, uns ganidos – tipo, agonizando. Chutei o seu joelho com o meu pé, mas não adiantou. Cheguei a cogitar jogar água, contudo o pingüim em forma de garçom chegou antes.

- Com licença, - colocou um amontoado de comida na nossa frente – bom apetite! – Ele olhou para nós dois sorrindo, mas seu sorriso morreu ao ver Sasuke imóvel.

Um vegetal.

- Senhor? – balançou as mãos na frente dos seus olhos. De nada adiantou. O Uchiha continuava olhando para o além, absorto em pensamentos.

Para me divertir mais ainda com a situação comecei uma pequena encenaçãozinha.

- RÁPIDO, AJUDA ELE!!

O garçom pareceu se ligar do que eu falava e como uma ave ele começou a sacudir os braços não sabendo o que fazer. Tsuki – o restaurante – estava cheio, resultando em todos olhando para nós. Num clique o pingüim começou a sacudir Sasuke pelos ombros, para trás e para frente e eu, bom eu só assistia... Cadê a pipoca?

- KAMI SAMA! MEU MARIDO VAI MORRER!

De repente um homem se levantou de uma das mesas e começou a vir até nós, sua posse denunciava que ele sabia fazer algo a respeito, não demorou e ele chegou mais perto de Sasuke como se tivesse o avaliando.

O Uchiha ainda ganindo eu fiz a melhor coisa que se podia fazer: tirei uma foto.

Vai pra net! (risos).

Comecei a comer lentamente enquanto via um aglomerado de pessoas se juntarem ao suposto médico e ao pinguim. Cansada desse teatro, fui descendo para debaixo da mesa até meu pé direito alcançar a sua coxa e foi aí que eu chutei de leve a sua pélvis. Imediatamente Sasuke urrou de dor e levou a mão até a parte íntima, meio que “acariciando”. Mesmo se contorcendo de dor ele levantou e começou a ir andando até a areia.

Decidi fazer o mesmo, pois sabia que agora é que vinha o momento delicado.

A única luz que tinha era a da lua, fazendo o ar parecer romântico. Meus cabelos prendidos pela trança balançavam conforme o vento coordenava. Ele estava sentado em uma pedra que tinha mais a frente – perto do mar. Segui até ele em silêncio; não quero estragar o clima. Sentei ao seu lado num espaço que ainda havia. Não disse nada até ele se pronunciar.

- É estranho... - Ser invasiva não estava nos meus planos, eu ponderei se perguntaria ou nem fazia isso, porém antes de fazer qualquer pergunta ele continuou. – Nos conhecemos em um momento em que você mais precisava Sakura.

- O que quer dizer com isso?

- Que.. eu só namorei na época por desejo e não por amor, enquanto você estava sofrendo.

Aquela revelação me pegou de surpresa. Eu não esperava por isso. O vi sacudir os ombros em uma risada nasalada.

- Quer chegar aonde? – ele se virou para mim fazendo a luz do luar iluminar o seu rosto por completo, me dando a visão de como o seu rosto é perfeito. Seus lábios finos formavam um linha.

Era peculiar conversar com Sasuke, por que ele não costumava ser tão falante, ainda mais expondo os seus sentimentos. Então enquanto dava eu tinha que aproveitar.

- O que eu quero dizer é que... – olhou no fundo dos meus olhos e disse: Eu me arrependi amargamente de me separar de você.

Eu não acredito! Arrepiei-me toda. Prendi minha respiração mo momento em que comecei a escutar a segunda declaração.

- Eu percebi os meus sentimentos no momento em que eu me separei por puro capricho meu. Por não conseguir aceitar que eu sou bom o suficiente, ou por que sou masoquista quem sabe... – deu de ombros. – A questão é, eu fiquei chocado quando me disse que tinha ficado grávida. Pegou-me de surpresa imaginar que eu teria uma família, dois filhos me chamando de papai e correndo em volta da casa, fiquei muito feliz e não tive a oportunidade de pergunta uma coisa. – Ele segurou uma das minhas mãos e começou a fazer carinho. – Qual é o sexo?

Me acomodei na pedra que estava começando a machucar o meu bumbum. Sorri me lembrando do momento em que a doutora disse o gênero.

- É um menino e uma menina.

Olhei para cima a tempo de ver um sorriso. Seu sorriso era o mais lindo de todos, me causava um conforto saber que ele gostou da surpresa.

- Sasuke?

- Hm.

- Como vai ser daqui pra frente?

Ele deu uma alavancada no lugar, perdendo o seu olhar mais uma vez para o horizonte. Atrás de nós ecoava uma música que saia do restaurante. Absorta nos meus pensamentos não ouvi ele falando, assim só pegando metade da fala do moreno.

- (...) a amava tive absoluta certeza de que a quero tornar Sakura Uchiha.

- O quê? – Minha vez de ficar perplexa. Ele estava se declarando ou era impressão minha?

Meu coração só faltava saltar do peito quando ele se abaixou na minha frente ficando apoiado apenas com um joelho. Ele respirou fundo e num movimento rápido tirou de dentro do bolso da calça jeans uma caixinha preta de veludo. Pegou uma das minha mãos e olhou para mim.

- Não ria, não sei fazer isso direito – um riso seu foi o suficiente para me desestabilizar, como se já não bastasse tudo isso -, eu... Desde o momento em que eu te vi, percebi que já era minha. Fui um idiota a deixando e sei que me ama assim como eu te amo. – Minhas lágrimas já eram abundantes no meu rosto; droga de hormônios. Ele abriu a caixinha revelando uma anel prata com 3 pedras azuis de topázio. Lindo!

Cobri a minha boca com a outra mão. – Sakura, você quer se casar comigo?

Engasgada com o choro constante eu só consegui balançar a cabeça afirmando. O anel coube perfeitamente no meu dedo anular  esquerdo.    

Sasuke se levantou bem a tempo de eu poder pular em seu corpo envolvendo minhas pernas ao redor da sua cintura o mantendo em um abraço apertado.

- Sim sim. – enquanto nos abraçávamos em meio a praia eu somente podia ouvir a batida dos nossos corações e a sua gargalhada.

Quando paramos ele me desceu do seu colo me pondo com cuidado no chão.

- Sakura Uchiha, gostei... Você não?

- Amei Sr.Uchiha.

Nossos rostos foram se aproximando devagar, senti sua respiração na minha bochecha e depois senti o leve tocar dos meus lábios nos dele. Um arrepio eletrizante passou por minha espinha, o beijo era calmo sem pressa, pois agora teríamos todo o tempo do mundo. Movíamos de um lado para o outro, senti Sasuke aprofundar o ósculo quando ele pediu permissão com a língua no meu lábio inferior. De repente começara a ficar quente, eu já o trazia para mais perto e ele descia sua mão por minha cintura.

O Uchiha percebeu isso e finalizou o ósculo com um selinho demorado. Me surpreendi ainda mais quando ele se abaixou novamente rente a minha barriga, ele olhou pra cima e disse:

- Posso?

Afirmei positivamente.

Ele acariciou minha barriga por cima do fino tecido do vestido, olhando para o pequeno volume com carinho.

- Oi, vocês sabiam que a mamãe é muito linda? E eu sou seu papai, espero que saiam logo daí de dentro. – Passando a mão ele sentiu um chute, olhou assustado para a mãe que sorria com o ato.

- O primeiro chute.

 

Flashback Off

 

Quando nós dois saímos da praia, fomos até o restaurante e pegamos nossas coisas; pagamos a conta e nesse meio tempo eu liguei para Ino vir – de algum jeito – buscar o meu carro. Fui junto com Sasuke por que ele tinha dito que agora a minha casa era a dele. Sem questionar resolvi acatar as suas ordens.

A caminho de casa resolvi provocar o papai, afrouxei o sinto e comecei a passar a mão no seu peito e com muita habilidade fui desfazendo os botões. Com o sinal vermelho tive mais facilidade para adentra a minha mão agora na sua camisa entreaberta. Ele suspirava sob o meu toque, amo o efeito que eu causo nele.

Cheguei mais perto com o meu rosto perto da sua orelha.

Sussurrei: - Tenho uma idéia para hoje a noite, papai. – falei a última palavra em tom provocativo, o fazendo soltar um grunhido rouco.

- Não Sakura, eu vou acabar batendo com o carro! – sua voz saiu divertida e ao mesmo tempo como se estivesse pego uma criança no flagra.

Sabe aquelas pessoas que fazem malabarismos?

Essa sou eu. Atravessada e usando cinto de segurança dentro de um Mustang Rocket para tentar chegar até Sasuke. Ele se arrepiou todo quando eu dei uma leve mordida no seu lóbulo.

E por que estou fazendo isso?

Por que eu o amo. 


Notas Finais


Links:
Look da Sakura no jantar:
http://www.polyvore.com/jantar_da_sakura/set?id=212162764
Look do Sasuke:
http://www.polyvore.com/cgi/set?.locale=pt-br&id=211887660
Anel de noivado:
http://www.polyvore.com/anel_de_noivado_sakura/set?id=211895825

Estou pensando em fazer extras, a decisão vai ser de vocês se vão querer ou não.
- Estou aberta a sugestões.

Gostaram?
XoXo :33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...