História Fire Game - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), G-Friend, Got7
Personagens Daehyun, Eunha, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Nayeon, Rap Monster, Suga, V, Yugyeom, Yuju
Tags Ação Comédia, Bts, Bts Criminal, Bts Gfriends, Bts Got7, Fire Game, Jikook, Lab Segunda Temporada, Letybobbie, Namjin, Taekook, Twice, Vkook, Yaoi, Yoonmon
Exibições 12
Palavras 3.953
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaaa, voltei com um capítulo especial Vmin <3 se preparem pq NAO tem yaoi e lemon, é mais sentimento forte de amizade *U* Link embaixo.
Esse capítulo é mais pra entender o lado do V com sua regressão, não quero deixar isso passar, então vamos lá.

BOA LEITURA

Capítulo 18 - A amizade


Fanfic / Fanfiction Fire Game - Capítulo 18 - A amizade

 

Jimin chegou à Seul com seu grupo e se surpreendeu com as fãs gritando seu nome e pedindo desculpas. Viu plaquinhas:

“Nós te amamos Jimin”

“Por favor, aceite nossas desculpas”

“Você é o melhor”

E outras frases.

Ele não entendeu que mundo aconteceu para que as fãs voltem para estar ao seu lado, mas pensou que seria porque descobriram que ele não foi o culpado.

Youngjae sorriu e pegou no ombro do Park.

–– Parece que as coisas voltaram ao normal hyong.

Saíram do aeroporto internacional de Incheon e foram direto para a empresa. Durante o caminho, Jimin teve a curiosidade de pesquisar na internet através do seu celular e descobrir o que havia acontecido. Foi então que ele encontrou o que menos esperava... O vídeo de confissão daquela ruiva Seungkyung.

O vídeo mostrou que ela estava de cabelos soltos e dentro de um carro, no banco da frente de passageiro. Apertou o play:

“Olá a todos” – reverenciou de leve “Me chamo Lee Seung Kyung e eu estou aqui pra finalmente depois de muitos dias, contar o que exatamente aconteceu com aquele rumor em que Jimin do grupo seven Bi e eu, namorávamos. Eu queria dizer primeiro a todos que Jimin e eu somos apenas amigos, foi então que estávamos conversando e agi por impulso de beijá-lo. E para ele me proteger da confusão, ele me pediu pra voltar à empresa pra ele ir atrás dos fotógrafos que estavam em cena, ele não queria que isso acontecesse como aconteceu e de ser julgada pelo ataque de ciúmes. Mas eu não voltei para empresa mesmo sabendo que estava de noite e que poderia ser perigoso, eu fui direto para rua para pegar o ônibus e ir pra casa, mas fui surpreendida por gangues que me queriam como vítima. Fui levada a força, mas por sorte, eu consegui escapar e entrar no primeiro taxi que apareceu. Mas como aconteceu a noticia, eu tive medo de me manifestar. A intenção desse vídeo é pra revelar para todas as fãs que Jimin não tem culpa de nada, ele é inocente tanto quanto eu e também quero me desculpar a todos e principalmente a ele por eu estar calada esse tempo todo” – reverenciou mais uma vez “peço minhas humildes desculpas e obrigado Jimin, por tentar me proteger”

Foi assim que Seungkyung gravou. SeNa queria que ela contasse tudo, e que foi planos dela de tentar acabar com a carreira do Jimin, mas com esse vídeo da garota inocentando ele, já era o começo. Ele finalmente sorriu com sinceridade enquanto assistia o vídeo; para ele tudo estava ficando normal e seu coração estava mais aliviado. Ele viu que esse vídeo foi postado dois dias antes da sua volta a Coreia. 

Chegou à empresa Bighit e foi recebido por Yoongi, Jackson e Kelly. Jimin ficou feliz pela presença surpresa deles e saiu da van.

Seus amigos os abraçaram.

–– Por que veio? –– perguntou animado.

–– Viemos te receber –– disse Kelly –– Somos seus amigos e queríamos dizer que comentamos no vídeo daquela ruiva, como seus amigos que te conhece muito bem.

–– Espera, então em um dos comentários, são de vocês? –– perguntou admirado.

–– Sim –– respondeu Yoongi.

–– Jin, Eunbi e Bonhae mandaram um abraço e que estão muito felizes por você. –– disse Kelly (Soohyun)

–– Ah meu coração –– brincou Jimin, animado e emocionado –– Estou tão emocionado por ter amigos como vocês.

Disse Jackson:

–– A gente sempre soube que você não seria capaz de deixar a pobre coitada sozinha só por causa de um beijo.

–– Obrigado meus amigos –– estendeu seus braços para ser abraçado por eles. –– Estou tão orgulhoso de vocês...

–– Aliás –– disse Jackson com todos abraçando –– Por que você não disse que foi isso que aconteceu? –– todos desfizeram o abraço.

–– Se ele dissesse –– disse Yoongi –– Alguém ia acreditar?

Comentou Kelly:

–– O jeito que o povo julga com olhos fechados, é bem difícil de acreditar.

–– Exatamente –– concordou Yoongi.

–– Onde está o biscoito? –– perguntou cantor.

–– Liguei pra ele, ele não atende. –– disse Suga –– Taehyung disse que passará aqui mais tarde pra te ver. Jeon biscoito provavelmente te ligará ainda hoje ou quando puder. Deve que está ocupado agora.

Jimin ficou pensando, queria a presença do amado ali também, mas se ele estava ocupado, poderia vê-lo mais tarde e abraçá-lo, já que todo amigo tem essa liberdade.

 

== ==

V apareceu na sala de consulta da sua médica psiquiátrica Seo.  

–– Bem vindo de novo –– sorriu ela.

Tae já consultava com ela a tempo, a fim de descobrir o se passava em sua cabeça. Ele contara sobre o seu dom de regressão. A Dra. Seo, tem aparência de mais velha, aproximadamente a mesma idade que sua madrasta. Ela estava sentada em uma cadeira em frente ao outro vazio para o paciente. Ela estava com um caderno e caneta na mão.

Ele se sentou e ela começou:

–– Como foi o seu dia, normal? Tem se passado bem?

–– Não –– respondeu e suspirou pensativo. –– Aconteceu a regressão hoje de novo.

–– Mudou alguma coisa? –– anotou algo no papel.

–– Não aconteceu nada. Eu fui para o lugar sem sentido, quando eu já havia me tornado o novo Taehyung.

–– Depois da sua ultima regressão através das águas.

–– Sim. Estou me sentindo tão atordoado... Achei que isso acontecesse só em sonhos. Mesmo que eu regredia por eu estar em coma, foi tão real...

–– Há alguma diferença da regressão quando você estava em coma com as ultimas vezes?

V, pensou.

–– Quando eu estava em coma, não dava pra perceber. Como você diz, uma inconsistência. Eu sempre achei que era real até eu descobrir eu mesmo na cama do hospital. Quando eu via que eu estava prestes a desaparecer, eu não entendia nada, absolutamente nada. Mas depois que em vez de eu voltar para o passado, fui para o futuro, eu pude entender que tudo aquilo era um sonho, uma ilusão por eu estar em coma.

–– Quando você se viu no hospital, como sabia que estava em coma?

–– Porque eu vi o formulário ao lado da minha cama.

–– Entendi. E quanto a regressão que fizera no orfanato e outras?

–– Depois que acordei do coma, eu não podia admitir, aceitar que eu tenha perdido meus amigos. Eu sempre achei que a culpa fosse minha. Acho que eu só consegui regredir, mesmo sabendo que era impossível, através da minha força de vontade. Não sei exatamente o que era, mas quando eu desejei puder voltar ao passado e mudar tudo, eu pensava em voltar para o dia do acidente e impedir que a gente saia da cidade. Mas eu voltei para o inicio de tudo, onde conheci Jungkook.

–– Que foi no orfanato.

–– Sim. Eu achei estranho em ter parado lá se eu desejei voltar para o dia do acidente. Lá eu entendi que a melhor maneira de evitar sofrimento, foi fazer o que eu não deveria ter feito... Ter implicado com meu amigo e acabar nos tornando amigos.

Ela continuou ouvindo atentamente e anotando algo na folha. Ele continuou:

–– Sempre que eu desejava, eu conseguia, acho que de coração. Essa é a diferença da regressão de antes com essa, na minha vida nova. Ah... Quando eu voltei para o orfanato, estranhamente as vozes saíam um efeito eco, como se eu estivesse sonhando. Quando eu chorei nos braços do meu pai, de repente eu me apaguei, como se eu caísse em um sono profundo até acordar em meu quarto e reparar algumas mudanças. A grande mudança foi em eu ter ganhado uma irmãzinha –– sorriu por lembrar o rosto da pequena.

Dra também sorriu. Parecia que ela estava bastante envolvida na historia por seu paciente contar com tantos sentimentos.

V, continuou:

–– Eu achei que eu não ia nunca mais regredir, achei que fosse minha ultima chance de fazer o que era certo. Mas aconteceu o que eu nunca imaginei acontecer. Quando eu conheci Daehyun, o único amigo que sabe do meu segredo, as coisas estavam um pouco diferente.

–– Diferente como?

–– Sei lá, tenho a sensação de estar diferente. Às vezes eu sonhava com o passado. É um alivio ser apenas o sonho, pois estou muito satisfeito em ser amigo deles de novo, de maneira correta. Mas sobre a primeira regressão depois de muito tempo, foi aquela parte da ponte.

–– Ponte Binpo... Onde se encontrou com amigos.

–– Sim. Novamente parecia que eu estava dentro de um sonho por causa das vozes que saia aquele mesmo efeito. E hoje mais cedo aconteceu outra regressão, com efeito nas vozes do mesmo jeito.

–– Você voltou pra onde?

–– Estranhamente eu voltei para o dia em que vi Namjoon de bicicleta. Se lembra que eu te disse sobre minha ultima regressão?

–– Lembro sim.

–– Voltei para esse dia. Tudo estava do mesmo jeito, com a manhã ensolarada. Quando virei as costas pra entrar na cafeteria –– ele não deu detalhes, pois havia dito isso pra médica na sessão passada, sobre sua regressão no orfanato e o encontro com novos amigos na cafeteria –– o clima mudou, trovejava e chovia. Meus amigos não estavam mais lá, acho que pulei para outros dias, impressionante!

–– Descreva como era o seu redor. Era tudo normal? Cor, pessoas...

–– Sim. Como se eu realmente estivesse lá, de verdade. É a mesma cafeteria que eu te disse aquele dia, só que em clima de chuva. Nada estava fora do lugar como, calçadas, ruas e prédios. Só fui para o dia diferente.

–– A roupa que você usa quando vai pra regressão, é a roupa que fica no seu corpo?

–– Não. De acordo com tempo que vou, as roupas ficam diferentes. Quando fui à ponte Binpo, eu estava de jeans e jaqueta assim como eu usava naquela época. Nesta ultima regressão, voltei pra cafeteria com o dia de sol, mas eu não estava de paletó como acostumo usar. Eu estava de jeans e camisa. Quando o temporal mudou, eu estava com outra roupa.

–– Interessante.

–– Quando voltei pra calçada eu ouvi o choro de alguém. Quando me virei pro lado, Daehyun estava sentado na calçada pegando chuva.

–– Ele te viu?

–– Sim. Me aproximei e acabei pegando chuva também. Literalmente eu peguei chuva, eu me molhei. Ele estava abraçado com seus joelhos. Ele chorava baixo. Eu perguntei “Daehyun?”, mas depois me toquei que ele não podia me conhecer ainda, eu não sabia que dia eu estava. Ele olhou pra mim e disse que sente falta de seus amigos. Depois que disse isso, trovejou e voltei para a porta do apartamento da Anna.

–– Ah, então você estava no apartamento dela?

–– Sim. Quando ela fechou a porta eu me virei pra seguir o corredor, e foi então que o cenário mudou. Achei foi interessante que dessa vez eu não senti dores. Mas quando eu voltei pro apartamento, passei mal do mesmo jeito e desmaiei.

–– Isso tudo foi hoje? –– arqueou sobrancelhas.

–– Sim. Parei neste hospital e recebi alta agorinha.

–– Entendi. –– olhou o papel –– Vamos falar de seu amigo Kim Daehyun?

Ele assentiu. Ela recomeçou:

–– Na sessão passada, você disse que ele também tem o dom de regressão, foi por isso que contou seu segredo pra ele?

–– Sim. 

–– Os dons de vocês têm algo a ver com o outro?

–– Não sei. Ele me comentou apenas uma vez depois que descobriu que tenho esse dom. Ele não gosta de comentar sobre o assunto, mas depois dessa minha ultima regressão eu tenho pensado que o motivo de ele não gostar de falar sobre isso, foi por causa dos amigos.

–– Então vocês compartilham as mesmas dúvidas, o mesmo dom.

–– Sim, mas se ele não comenta. É provável que não regrida mais. –– V ficou pensando e então desviou um pouco do assunto –– E se... Ele também tivesse voltado para o mesmo tempo que eu, hoje?

–– Você acha?

–– Não sei, ele nunca mais me disse sobre a regressão dele. A ultima vez que ele disse sobre isso, sem detalhes, foi a mesma coisa que me disse quando estávamos em frente a cafeteria, que sente falta de seus amigos.

–– Você conhece os amigos dele?

–– Não. Eu acho que ele perdeu contato com eles. Eu acho que agora sou o único amigo dele.

–– E você sente falta do passado?

–– Não tenho certeza. Daehyun tem me despertado tantas coisas que agora eu não sei o que sinto falta. No momento sinto falta dos meus amigos, percebo que tenho andado afastado demais deles. Faz quase uma semana que eu não os vejo, mas vi o Jungkook hoje no hospital quando ele me visitou. Eu não sei o que aconteceu comigo, mas... Eu o agradeci por ser meu amigo. Isso veio dentro de mim.

–– Somente Daehyun esteve ao seu lado quando você passou mal e foi para a ponte Binpo. Você o viu regredir também?

–– Nunca.

–– Nunca? Somente ele que te vê?

–– Aquele dia foi a primeira vez que ele me viu. Ele achou isso impressionante.

–– Talvez ele tenha dito que há também esse dom pra te deixar mais confiante com ele, não acha?

–– Pensei a mesma coisa. Mas sobre ele ter chorado em frente a cafeteria, está me fazendo deixar de pensar nisso e acreditar que ele também voltou.

–– Você perguntou pra ele?

–– Não o vi ainda.

–– E o que você sente em relação a tudo isso, sobre a sua vida?

–– Me sinto atordoado, eu não sei o que sinto, eu não sei o motivo de eu estar passando as vezes pro passado. Antes de eu voltar pela “primeira” vez ao passado, eu passava mal e depois voltava ao normal, como se eu não controlasse e ao mesmo tempo controlasse minha dor.

Continuou dizendo:

 –– Toda vez que volto pro passado, há um detalhe que me faz pensar muito se é real ou estou dentro de um mundo paralelo. Quando eu estava em coma, não tinha efeito de voz, que me fazia pensar que era real, mas depois disso, agora eu pareço estar dentro de um sonho real.

–– E se esse feito de voz fosse uma inconsistência de que seu dom não é na verdade real e sim da sua cabeça?

–– Eu estou perdido –– abaixou a cabeça.

Ela olhou o papel, pensou e disse:

–– Eu acreditaria que depois de tudo o que você disse... Seria um colapso, ou seja, o efeito de choque caracterizado por uma debilidade física, por causa da sua paisagem ao tempo.

Ele hesitou.

–– A senhora acha que podia ser algum tipo de ilusão da minha cabeça?

–– Pode ser. Pode ser algo como esquizofrenia.

–– Mas é tão real...

–– Esquizofrênicos acham que as coisas são reais, mas acredito que você tenha consciência do problema que enfrenta.

Ele hesitou cabisbaixo:

–– Será?

E por fim a médica recomenda:

–– O que posso recomendar a você, é que você se conheça melhor.

Olhou pra ela:

–– Me conhecer?

–– Ainda sim está bem confuso, precisamos organizar a sua mente e teremos a certeza no que está acontecendo. Talvez seja a força que somente você tem e que os outros não vejam. Como você é o primeiro caso que pego, aponto que você passa por algum tipo de anomalia em um fator do poder da sua mente. É difícil de acreditar, eu sei –– sorriu. –– Encaminharei você pra fazer check-up de exames neurológicos.

Depois da consulta, ele marcou exames e foi embora do hospital Haesung onde ele havia sido internado.

Ele ficou pensando nas palavras de sua médica “Recomendo a você que se conheça melhor” Ele não havia pensado nisso. Será que ele se conhece bem? Talvez não.  

Continuou caminhando sem rumo pensando em tudo o que viveu. Estava bastante incomodado e preocupado com suas regressões, temendo que aconteça outro novamente. Mas não sabe que por essa preocupação, podia muito bem causar uma.

Colocou uma das costas de suas mãos na testa procurando no fundo de seus pensamentos o que exatamente fazer, mas de repente quando se virou para o seu lado direito, perdeu contato com o chão e se viu estar dentro de um rio gelado; e ao mesmo tempo se virou para a direita (pra você) e depois olhou em volta. Teve que manter sua respiração presa para não se afogar. Não entendeu o que estava acontecendo com ele, ele tinha que sair daquele rio, mas estava preso naquele lugar, não conseguia ir para a superfície. Mas isso durou segundos, pois começando a se debater dentro daquela água azulada, viu que usara a camisa preta, escrito “Nirvana”.  Ainda rebatendo, rapidamente mudou o cenário e se viu seco, sentindo vento frio; seus pés encontraram o chão e com isso ele quase caiu. Ofegante, olhou em volta percebendo estar na rua, ainda perto do hospital, ainda com aquelas roupas conjunto de paletó.

Seria mesmo esquizofrenia? Realmente pareceu algo de sua cabeça.

De tanto pensar, sua cabeça estava se resolvendo. Por estar usando aquela camisa no rio, denunciou-se estar no dia em que fizeram sua primeira regressão, quando acidentalmente caiu no rio e voltou para a banheira do Jimin.

E por se lembrar da banheira do amigo, percebeu que estava anoitecendo e precisava dar um pulo na empresa pra ver o cantor. Havia prometido que o visitaria mais tarde, e essa era hora.

Voltou e foi no estacionamento procurar por seu carro. Pegou a chave do bolso e destravou.

Com seu carro, dirigiu para o outro lado do bairro, pouco longe que demoraria 30 minutos pra chegar a empresa. Depois que chegou, estacionou e ficou no carro. Pegou o celular e ligou pro Jimin.

“Tae bro...” – Jimin estava sorridente.

“Jiminie... Está ocupado?”

“Estou indo praticar coreografia agora, por quê?”

“Estou na porta da empresa”

“Ah, só empurrar aquela porta de vidro que estou descendo”

Encerraram a ligação e Jimin, feliz, deixou a sala e se apressou para o térreo. Assim que viu o V dentro da empresa, correu e o abraçou.

–– Está com tantas saudades assim? –– brincou V.

–– Ei, faz tempo que não te vejo. Você é o mais sumido entre nós. Você está bem? –– deu uma tapa de leve nos ombros do visitante.

–– Estou. Vamos conversar.

–– Vamos sentar aqui nessa cadeira.

Eles foram e sentaram. Jimin estava com roupas esportivas pra poder dançar a vontade. Taehyung estava de paletó, que fez o cantor pensar que ele vinha do trabalho.

–– Como foi a sua viagem? –– perguntou V.

–– Minha viagem cansativa não importa agora, quero saber de você. Quando vai arrumar uma mulher pra se casar? –– riu.

–– Eu tenho uma em mente, mas...

–– Mas?

–– Ela não me nota.

–– Entendo perfeitamente –– riu, apoiando seus braços nas costas dele. –– Também passo por isso.

–– Quem é a azarenta? –– brincou. Jimin riu.

–– Você não faz ideia, mas não é a Anna e nem Yoonha.

–– Eu juro que não pensei em nenhuma delas.

–– A não?

–– Pensei foi na Im Nayeon –– riu.

Jimin sabia que isso era a provocação.

–– Muito menos ela! –– o olhou de canto.

–– Yoongi, foi à minha casa esses dias. Faz... Uma semana?

–– O que aquele branquelo queria com você? –– arqueou sobrancelhas.

–– Hum, ele foi pra lá no dia que você viajou.

–– Ei, só passei cinco dias em Miame, como diria ser uma semana?

–– Pra mim é uma semana, aish. –– Jimin riu.

–– Tá, o que ele queria?

–– Me incomodar como sempre faz. Ele quase me acusou por eu ser o crush da Yoonha.

–– Todo mundo sabia menos ele.

–– Eu não sabia, jinjja (sério) eu fiquei surpreso quando ele me disse aquilo. Achei que por Yugyeom gostar dela, ela gostar dele também.

–– Nossa, então você e o nosso irmão não sabiam...

–– Bom... Eu já desconfiava, mas seria impossível pra mim.

–– Entendi.

–– Não é a toa que o chamamos de Min lento. –– ambos riram.

–– Ele brigou com você?

–– Não. Ele brigou com Jungkook por causa do rumor de ele estar namorando ela.

–– Ah, eu tava lá quando o Suga hyong invadiu a sala, acusando o Kookie.

–– Yoongi não muda mesmo.

–– É...

–– O hyong deu soco na cara dele?

–– Não, eles só discutiram. Ah... Kook o chamou de issekya.

–– Jinjja? –– riu. –– Então o nosso biscoito enfrentou a morte?

–– Quase isso.

–– Yoongi tem mesmo ciúmes da sua irmã. Ele a protege de qualquer jeito, qualquer coisinha acha que é maldade pra cima dela.

–– Verdade.

–– Ele parece durão, mas na verdade é um doce de pessoa... Só quando quer. E também muito exagerado em relação à irmã, pois eles perderam os pais quando eram mais novos.

–– Você diz isso como se o conhecesse bem...

–– Eu conheço bem vocês... –– sorriu.

Eles ficaram um pouco em silêncio.

–– Ei Tae... Por ter mencionado Yugyeom... Tem alguma novidade sobre ele?

–– Não. Nenhuma. Você está preocupado com ele? Achei que o odiasse.

–– Na verdade eu nunca o odiei, sempre achei que não fosse pessoa de confiança.

–– Jiminie e seus olhos afiados... –– sorriu fazendo o cantor sorrir junto. –– Te entendo, você não é de confiar em qualquer um, principalmente quando você está com ciúmes.

–– Eu, ciúmes? –– V riu.

–– Tudo bem, eu tenho ciúmes dos meus amigos também.

–– Como sabe? Eu nunca disse isso.

–– Como eu disse... Conheço todos vocês muito bem.

–– Está certo. Vou fingir que você não investiga nossas vidas –– brincou.

Taehyung não queria mencionar sobre os sentimentos do cantor para com Jungkook, por saber que o mesmo o amava desde a época da primeira jornada. Mas como sua vida estava em outra, talvez as coisas como o coração do Park, tenha mudado.

–– Jimin... Eu sei que ultimamente estou afastado, mas eu não vou deixar de ser seu amigo. Sempre serei o seu Tae Bro e você sempre será meu Jiminie.

–– Por que está me dizendo isso? Por acaso tem pouco tempo de vida?

–– Não –– riu –– Só digo isso porque quero que saiba que tem um amigo –– apontou pra ele mesmo –– que você pode contar.

–– Ok –– riu e o abraçou de lado –– Então voltamos para os velhos tempos? Quando nos tornamos melhores amigos e andávamos por aí de lutinhas?

–– Achei que tivesse ausaimer –– riu.

–– Esta me chamando de velho? –– riu e o ameaçou em bater.

V se levantou e brincou.

–– Está querendo me bater? Olha eu vou chamar a polícia, idiota –– riu.

Jimin se levantou e brincou também.

–– Não quis dizer chamar o papai, seu criança?! –– os dois começaram a brincar de lutinha.

Fingiam que dava socos, chutes e fingiam também ser atingido e cair sobre o chão. Os dois se divertiram muito com isso esta noite. Até então V perceber o cordão no pulso do Jimin.

Parou a brincadeira e perguntou risonho:

–– Ei, ei Jiminie... Esse cordão não é do biscoito? Ele te deu? Você pegou? Ah... Troca de pertences, que bonitinho.

–– Larga de ser idiota –– riu e continuaram a “brigar”.

–– Ei, parece coisinha de namorado –– o provocou e Jimin não se sentiu atingido, apenas continuou rindo e brincando.

-- --

Jimin acompanhou V na porta pra ele ir embora. Felizmente não tinha fãs de plantão. Eles não sabiam que tinha algumas passando e tirando foto, que era normal. 

–– Vamos visitar minha avó (materna) algum dia? –– perguntou V.

–– Sua avó? Ok. Só me dizer pelo menos uma semana antes.

–– Ok.

Jimin o acompanhou até o carro da visita. V desceu calçada e olhou para trás, para o amigo.

–– Jiminie... Gomawo [obrigado]

–– Por que está me agradecendo?

–– Por você ser meu amigo e por permitir eu ser seu amigo também –– sorriu.

Jimin sorriu pensativo, não havia parado pra pensar o como estava agradecido por ter esses amigos, além dos meninos de seu grupo. E por causa disso percebeu como tem ligação com V, Kook. Suga, Namjoon, Hoseok e Jin, mais que seus amigos do grupo 7B.

Park assentiu para o outro e continuou hesitando. V abriu a porta do seu carro e entrou. Park permaneceu na calçada e, seu amigo foi embora.

Jimin pegou seu celular e olhou as horas. Não pegou somente pra isso, mas pra ver se havia alguma mensagem do Kook ou ao menos uma ligação perdida.

E ainda não tinha. Ele não fez ideia no que se passou naquele momento com o seu amado, mas estava para descobrir ainda esta noite e, a chance de estar perto dele para finalmente tocá-lo e acariciá-lo enquanto dormia.

 

18

 


Notas Finais


Não é aí que acaba sobre o dom do V, tem muito mais, rsrs
Gostaram do capítulo? Segunda terá a continuação sobre o capítulo passado.

OST desse capitulo <3
https://youtu.be/l7-ku3-hSyc

bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...