História Fireflies - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Lesbicas, Lgbt
Exibições 128
Palavras 1.492
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Eu queria postar mais vezes, juro, porém, tô tendo prova direto e não ta dando. vcs são dms <3
boa leitura

Capítulo 21 - Ficaremos Bem.


     VITÓRIA
 Na manhã seguinte acordei com várias mensagens no meu celular, todas de Julia, metade era pedidos de desculpas e a outra metade agradecimentos. Em uma das mensagens ela perguntou se eu podia ir lá hoje, pensei bastante e resolvi ir, pelo menos agora ela estaria sóbria. Hoje não tinha nada de importante na escola então resolvi faltar pra ir lá, tomei café da manhã, peguei minha mochila e sai como se fosse ir pra aula para que meus avós não percebessem. Cheguei a casa de Julia e mandei uma mensagem pra ela ir abrir a porta, ela fez eu entrar pela porta dos fundos, aparentemente o pai dela estava em casa. Subimos o mais rápido possível para o quarto dela e ficamos em silêncio por alguns minutos até que Julia começou a falar.
 - Então... Desculpa por ontem, eu mal me lembro na verdade, mas obrigado por ter vindo e me ajudado, e desculpe novamente por qualquer coisa que eu tenha dito. -Disse ela.
 - Tudo bem. Mas, então você não lembra de nada? -Perguntei eu curiosa.
 - Bem, não muito, lembro coisas entre apagões, eu bebi muito, desculpa se disse algo ruim pra você. -Falou Julia.
 - Mas se eu dissesse que "eu também", você diria de novo o que disse ontem? -Falei eu envergonhada.
O silenciou pairou no ar novamente, estava me arrependendo de ter perguntado. Então, repentinamente ela me puxou pelo braço da cama e me deu um abraço, longo, ainda em silêncio, quando nos soltamos, Julia olhou nos fundos dos meus olhos e disse:
 - Eu te amo.
Fiquei sem resposta, estava feliz mas ao mesmo tempo não sabia o que estava sentindo.
 - Essa é a hora que você diz que também me ama. -Disse Julia rindo.
 - Idiota. haha. Eu te amo. -Falei e a dei um beijo.

     JULIA
 Depois disso eu e Vitória conversamos por horas, esclareci tudo que ela queria saber, contei tudo sobre Livia e que realmente foi errado o que eu fiz com ela, ela também me contou coisas, no final estava tudo bem, aparentemente.
 - Tem mais uma coisa... Bem, eu... Eu estou indo embora daqui três meses, me mudarei pra capital, começar a faculdade, já está tudo certo lá, aqui seria impossível já que não tem nada, ficará tudo bem? -Perguntou Vitória me encarando.
 - Você... Quer dizer que... -Segurei o ar por um tempo, tentando manter a calma.
 - Ficará tudo bem, daremos um jeito, afinal, quero o melhor pra você, se acha que tem que ir... Daremos um jeito, nós sempre damos um jeito. -Disse eu segurando a mão de Vitória.
Vitória ligou para a avó dela para avisar que passaria o dia fora já que íamos sair, se esses eram os últimos três meses que teria com ela, aproveitaria todos os dias. Era perto do almoço, meu pai me chamou para comer, sem saber que Vitória estava ali, descemos nós duas.
 - Oh meu deus... Oh meu deus. Vitória, é você? Incrível, que saudades, venha cá me dar um abraço. -Disse meu pai quando percebeu Vitória descendo as escadas.
 - Senh... Fernando... Nossa, que saudades. -Disse Vitória abraçando meu pai.
 - Vai ficar pro almoço, né? Diga que sim, hoje teremos frutos do mar. -Perguntou meu pai encarando Vitória.
 - Claro, porque não. -Disse Vitória sorrindo.
Ajudamos a botar a mesa e sentamos para almoçar. Foi tudo meio silencioso. Depois do almoço eu e Vitória saímos, íamos ao shopping.
 - Você é linda. -Disse Vitória quando estava no ônibus.
 - Você que é. -Disse eu.
Percebia que algumas pessoas nos encaravam no ônibus, como odiava aquilo, mas tentava não me importar. Quando chegamos ao shopping fomos ao cinema, nem sei que filme que era, apenas entramos no que estava em cartaz. Bem, cinema com alguém todo mundo sabe como é, o filme em questão nem importa.
 - Como eu estava com saudades desse teu beijo. -Disse eu.
E assim foi até o final do filme, quando terminou ficamos andando pelo shopping, compramos algumas coisas e só. No fim da tarde voltamos pra minha casa, Vitória estava insistindo pra eu ir jantar com os avós dela mas eu não achava que era uma boa, mesmo que eles estivessem mais liberais não sei, porém, de tanto ela insistir acabei aceitando. 
 - Que roupa você acha que eu devo ir? -Perguntei pra Vitória.
 - Ah, sei lá, qualquer uma. -Disse ela.
 - Qualquer uma nada, tenho que impressionar eles, não vão deixar a neta deles saírem com qualquer uma.
 - Você não é qualquer uma. -Disse Vitória parando atrás de mim e beijando meu pescoço.
 - Ok, só pare com isso, se não acabaremos nem saindo hoje... -Falei eu.
 - Nossa, sua safada hahahaha. -Disse Vitória rindo alto.
 - Idiota. -Disse eu e dei um beijo na testa dela.
 - Ok, se arrume logo. -Falou ela me apressando.
Depois de um tempo me decidi, peguei um vestido preto, soltinho, nem muito curto e nem muito longo. Chamamos um uber e fomos até a casa de Vitória. Quando chegamos eu estava meio nervosa, Vitória já tinha avisado que eu jantaria com eles, então eles já tinham se preparado, creio eu. Vitória abriu a porta e entramos, os avós dela logo vieram em nossa direção e me cumprimentaram normalmente.
 - Que bom que chegaram, Vitória, ajude seu avô com a lasanha na cozinha, ele não sabe mexer bem no forno. -Disse a avó de Vitória.
 - E você Julia, pode me ajudar a arrumar a mesa. -Continuo a avó dela.
 - Claro. -Disse eu.
O único som que se ouvia era dos armários sendo abertos para nós tirar os pratos, talheres, etc e botar mesa, até que a avó de Vitória começou.
 - Bem, estou lidando com isso com dificuldades ainda, mas já aconteceu coisas horríveis nessa família, e se você faz Vitória feliz, me deixa feliz também, porque tudo que me importa é ela, é a única coisa que temos, entende? Desculpa o modo que agimos antes, mas por favor, entenda, Vitória é frágil, suponho que ela tenha contado que irá se mudar, e bem, vai ser difícil pra ela, você terá... -E então percebemos que Vitória e Sebastian, seu avô, tinham saído da cozinha.
 - Parece que as meninas tiverem o que conversar, Julia, querida, não deixe que essa velha encha sua cabeça de coisas, ok? -Falou o avô de Vitória brincando.
Eu ri e então nos sentamos em volta da mesa para jantarmos.

     VITÓRIA 
Só conseguia pensar no que minha avó tinha falado pra Julia, quando eu e meu avô saímos da cozinha Julia estava com um semblante bem preocupante, mas preferi não perguntar nada, me sentei do lado de Julia e meus avós se sentaram lado a lado também no outro lado da mesa.
 -Então, Julia, já sabe pra qual faculdade quer ir? -Perguntou minha avó.
 - Bem, eu estou pesquisando ainda, acho escolhas importantes, estou vendo algumas mas não tenho certeza. -Respondeu Julia.
 - Ah, sim, e que curso quer fazer? -Continuou minha avó.
 - Sobre isso, não tenho certeza,  digo, quero fazer muitas coisas, gosto de artes, música, teatro, tudo que envolva esse meio. -Disse ela.
 - Entendo. -Falou minha avó.
E o resto do jantar seguiu assim, algumas perguntas sem sentido e coisas desse tipo. A parte de faculdade me prendeu, percebi que eu e Julia nunca tínhamos falado sobre isso, arte, sempre vi muitos quadros no quarto dela e coisas assim mas ela nunca me disse nada.
 - O jantar estava ótimo, obrigado. -Disse Julia quando todos terminamos de comer.
Estava acariciando suas pernas por debaixo do vestido e ela tentava se afastar, era engraçado, ela mantendo a pose na frente dos meus avós, se importando com o que eles iriam pensar. Ela até ajudou a lavar a louça e tirar a mesa.
 - Me acompanha até a porta? Acho que já vou. -Falou Julia e eu assenti.
 - Bem, obrigado pelo noite, foi ótima. -Disse Julia se despedindo dos meus avós.
 - Você já vai? Bem, boa noite, então. -Disse meu avô.
 - Boa noite. -Disse minha avó.
E então fomos até a frente da minha casa. 
 - Ficaremos bem? -Perguntou Julia.
 - Como assim? -Disse eu.
 - Com sua mudança e tudo mais... -Falou ela.
 - Você me ama? -Perguntei eu.
 - Claro, que pergunta idiota. -Disse ela.
 - Sério, você me ama? 
 - Amo, mais que qualquer coisa. -Respondeu Julia séria.
 - Então daremos um jeito, certo? Tudo ficará bem. -Falei eu a abraçando.
 - Confie em mim, ok? -Falei pra ela.
 - Eu confio. -Falou Julia separando nosso abraço e me dando um longo beijo.
 - Eu amo você, muito. -Disse eu cortando o beijo quando percebi que o uber dela tinha chegado e ela teria que ir.
 - Também amo você. -Disse ela e foi em direção ao carro.
Eu estava tão feliz, era como se tudo tivesse se refazendo porém agora tudo do jeito certo e feliz.
 


Notas Finais


falta dois capítulos pra acabar, creio eu :(( obrigado a todos e espero que vcs estejam gostando desses últimos capítulos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...