História First and Only Love ( JB ) - II Season / The First Love - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Nicola Peltz, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Amizade, Drama, Romance, Sexo
Exibições 27
Palavras 1.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - Miracle Wonder


POV  - Justin

- Aquilo não podia está acontecendo, eu não estava vivendo aquele pesadelo de novo.

- Tudo aquilo não podia ser real ... Eu prometi protege-los e mais uma vez falhei ...

- Gritei para que Lara ou Clarice ligassem para a emergência e a polícia fosse chamada. Foi quando a vi, sendo segurada por Petter.

- Sua vadia cretina... Filha de uma puta...   - Parti pra cima dela, mas Mikey e Phil me seguraram. Me solta seus merdas.   - Gritei com as lágrimas caindo, como se eu fosse uma criança que se encontrava sozinho em meio a multidão... Perdido. Era exatamente assim que me sentia ... Perdido.

- Era você na porta logo cedo, nos olhando.   - Perguntei a encarando.   Você é louca.

- Tudo que eu quero é o melhor pra nós dois. Diz ela.

- Nunca ...  nem que você fosse a única mulher do mundo ...  tenho nojo de você. Tudo em você é podre. Cuspi com ódio.

- Eu te odeio, você está destruindo minha vida.

- Pra construímos uma juntos meu amor.  - Diz ela convicta.

- Não me chama de meu amor... Eu não sou seu amor. Sai daqui sua piranha... Tira essa louca daqui agora. - Gritei.

- Não demorou muito o socorro e a polícia chegaram. Enquanto os paramédicos socorriam Nathy. Aquela assassina de inocentes gritava descontroladamente e a vontade que eu tinha era de mata-la.

- Justin eu te amo... Foi por amor... Ela não ia te fazer feliz... Eu sou sua felicidade.  - Dizia a louca aos berros, enquanto era colocada na aviatura.

***

- Tudo vai dar certo meu amor.  - Disse em sussurro. Como se Nathasha fosse abrir os olhos e me ouvir. Ainda estava desmaiada.

- Salvem eles. Falei para um dos caras enquanto segurava a mão dela.

- Acho melhor você ficar e se acalmar.  - Diz um dos paramédicos.

- Não! Eu não vou deixa-los.  - Recusei-me a sair de perto dela.

- Sigam a ambulância.  - Ordenei a Mikey, Phil e Paul.

- Petter quero que fique e descubra como aquela piranha de merda entrou aqui.  - Dei a última ordem enquanto entrava na ambulância.

***

- Cada minuto naquele hospital era uma eternidade. Nathasha estava cercada de médicos e Dra. Lucy era um deles. Não sei como tive forças para ligar para os pais de Nathasha que assim como eu, agora se encontravam na sala de espera andando de um lado para o outro, sem ter o que fazer a não ser esperar.

- Quando finalmente a médica surgiu, eu não sei se senti alívio ou medo de olhar e encarar o que sua feição transparecia.

- Sentem se por favor.  - Disse a médica. E assim fizemos.

- Bem eu não sei como mais ela e o bebê estão bem.  - Suspirei aliviado.

- Apenas um corte na coxa foi o que minha paciente sofreu com a queda. Mais isso não diz que ela esteja livre de qualquer evento, que possa ocasionar situações não tão boas como a que ela acabou de passar. A maioria das mulheres perdem com facilidade o primeiro bebê, principalmente em casos de acidentes. Mais por um motivo maior Nathasha é exceção.

- Ela está bem mesmo doutora ?  - O pai de Nathasha pergunta abraçado a Caren sua esposa.

- Sim. Tanto ela como o bebê estão bem, por um milagre suponho.

- E quando que posso vê-la?  - Pergunto.

- Assim que terminarem a sutura do corte, ela ira para o quarto e depois irei libera-la para casa. Pois todos os exames mostraram que não houve dano nenhum ao útero e nem ao bebê.

- Que bom, obrigado.  - Digo agradecendo a Deus, abraçando os pais da minha amada.

***

- Quando cheguei no quarto ela estava sentada enquanto a enfermeira olhava para um aparelho em seu braço.  Terminei, logo a médica está vindo falar com vocês.  - Disse ela e saiu nos deixando com Nathasha.

- Que susto minha filha.  - Disse a mãe dela a abraçando com cuidado.

- Mãe, pai estamos bem.  - Diz alisando a barriga como se estivesse acariciando o nosso filho.

- Eu fiquei no canto receioso, com medo que ela me culpasse. Quando depois de um tempo falando com seus pais ela finalmente me percebe de verdade.

- Justin, Vem aqui.  - Diz me oferecendo as mãos, que estão com uma agulha devido ao soro.

- Me aproximei com os olhos marejados de lágrimas.

- Não. A culpa não é sua.  - Diz Hebert me confortando da dor que ainda estou sentindo de imaginar que a mulher que amo poderia ter morrido. E digo fazendo-os me olhar com doçura.

- Mais não morri.  - Diz ela sorrindo.  Estamos bem. Não precisa mais se preocupar. Dou um selinho em seus lábios, quando um pigarro me faz se afastar.

- Boa tarde. A voz da Doutora Lucy quebra nosso beijo.

- Boa tarde Doutora.  - Respondemos.

- Vi dar a alta da minha paciente e fazer minhas recomendações, já que tem férias a vista né mesmo.  - Diz se sentando na poltrona ao lado da cama.

- Podemos adiar se for o melhor pra eles.  - Gesticulei para Nathy.

- Não. Podem ir sem problemas, mas terei que dar limites a dona Nathasha.

- A gestação é uma etapa da vida das mulheres que necessita de cuidados especiais, não só com a mãe mas com o bebê. A mulher passa por muitas transformações, afinal uma vida está se desenvolvendo dentro do útero.  O seu corpo Nathasha está em constantes mudanças mesmo que você não as vejam ainda.  E eu quero que vocês dois sigam minhas recomendações.  ok!

- Ok! E quais são as recomendações ?   -  perguntei curioso. Nathy continuava calada apenas ouvindo e observando Lucy.

- Primeiramente nada de esforço físico, quero que fique em repouso por dois dias. Lembrando que eu só estou te dando alta, porque os exames não mostraram nenhum problema com o bebê e nem com você. E como falei antes, isso é um milagre.

- Tem mulheres que perdem o primeiro filho sem sofrer acidentes e você passou por um grande susto, mas teve sorte.  - Sorte não Doutora.  -  Interrompi.  Deus quer que o nosso bebê venha ao mundo e vou cuidar deles com minha vida de agora em diante.  - Completei.

- Muito bem.   - Disse ela e sim, Deus quer essa família feliz e unida e lembre-se Justin, do que falei para você logo cedo, nada de sexo até os próximos 15 dias e cuide para que Nathasha tenha uma alimentação saudável.  - Disse ela enquanto anota em seus papéis.

- Dra. Lucy me entregou o receituário médico com algumas vitaminas que Nathy precisaria tomar. Compre assim que sair daqui e boa viagem e até o início do próximo mês com  a consulta do pré-natal.   - Disse ao se despedir de nós.

***

-  Assim que cruzamos o grande portão da mansão  ela me olha confusa ao perceber que o portão que nós passávamos não era de nossa casa.  Vamos dormir aqui hoje na casa de meus pais é melhor e assim você não fica pensando em tudo o que aconteceu.

- Ela não diz nada, apenas concorda com a cabeça.

- Fomos recebido com grande alegria, principalmente pelos meus irmãos que literalmente pularam ao encontro de Nathy.  -  Calma aí vocês dois, ela tá com a perna machucada, e aqui dentro tem um bebê.  - Digo tocando no ventre dela.

- É verdade e parece que vocês dois,  andam esquecendo do que a gente tanto conversou. Nada de pertubar ela nem apertar, o bebê que esta aqui dentro precisa crescer forte e saudável para que venha para cá e a gente possa cuidar dele, não foi o que combinamos !  - Diz minha mãe.

- Tem um bebê.  - Diz Jaxon confuso. 

Sim tem o sobrinho ou sobrinha de vocês, os dois são tios do bebê.

- E vou ajudar a cuidar dele quando ele sai daí.  - Pergunta Jezzy toda carinhosa.  Claro e quem você acha que vai me ajudar a trocar fraldas.  Vocês dois.

- Eca ! Não quero trocar fraldas.  - Diz ela fazendo careta.

- Eu te ajudo, sou um homem.  - Diz Jaxon nos fazendo rir.

- Todos vão ajudar.  Agora a gente tem que cuidar da Nathy, certo.  Quando ela tiver melhor e o bebê for crescendo aí dentro da barriga dela, com 9 meses ele vai nascer e a gente vai poder cuidar dele com muito amor e carinho.  - Explico.

- Hora de descansar um pouco.  - Digo colocando ela em meu colo.  Me põe no chão eu não estou doente.  - Diz ela.

- Repouso lembra ? Ou você acha mesmo que eu vou deixar você subir essa enorme escada ?

- Tá bom, senhor.  - Diz fazendo continência.

- Mando o  jantar para quarto.  - Diz minha mãe prestativa. Você precisa descansar, foi um grande susto e nós não queremos passar por tudo de novo nunca mais.

- Subo as escadas com ela em meu colo e deixo deitada na cama do meu antigo quarto.

-  Agora eu quero que você descanse aqui um instante que eu vou preparar o seu banho e já volto.

- Enquanto preparo a banheira para ajuda-la a tomar seu banho, sua voz ecoa me assustando. 

- Não estou invalida. Escuto ela dizer aborrecida na porta do banheiro.

- O que foi que falei pra você.  - Digo zangado.  Que era para ficar deitada. Você não escutou nada do que a médica  falou.

- Não vou ficar presa em cima de uma cama, porque o meu namorado acha que eu sou invalida.

- Eu não falei que você é invalida, falei pra você ficar na cama.  - Digo um pouco alto demais assustando minha mãe que entra no quarto.

- O que está acontecendo aqui ?  Você porquê esta gritando com ela ?

- Mãe, essa teimosa não quer ficar na cama.  - Digo em minha defesa.

- Isso não justifica você ter gritado com ela e você mocinha tome banho e fique de repouso naquela cama ou ligo pra Lucy internar você.  - Diz minha mãe feito um comandante.   - Nathasha obedece.

- Ajudo ela a tirar a roupa e andentrar na banheira.

- Naty eu só estou cuidando de vocês.  Hoje tomei um grande susto, eu achei que te perderia e graças a Deus, ela não te jogou do topo da escada caso isso tivesse acontecido você estaria morta e eu desesperado e sozinho.

- Desculpa.  - Diz ela. Eu não sabia que você tava assim tão destroçado com o que houve. Mais passou e tudo vai ficar bem, foi você mesmo que me disse isso.

- Então para de reclamar e deixa eu  cuidar de você.

Ajudei ela a tomar um banho e a trocar de roupas, depois coloquei ela confortável na cama esperando o jantar.

-  Fui até o banheiro para tomar meu banho deixando a porta aberta caso ela precisasse, era só chamar e assim eu escutaria.  Depois do jantar  ficamos conversando falando um pouco sobre nome de bebês até que ela notou meu olhar preocupado.

- O que você tem ?  - Perguntou.

Você está estranho.

- Não é nada só estou assustado ainda. Descansa. Eu te amo.  - Digo puxando ela e colocando em meu peito e assim adormecemos.


Notas Finais


Desculpem a demora pra postar. Estou fazendo as provas do final de semestre na faculdade, e tenho filhos e a casa pra cuidar, projetos pra administrar e espero a compreensão de vocês.

Tem Fanfic nova por vir.

50 Tons de Bieber. Espero que gostem e apóiem. Obrigada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...