História First Flame - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Suga
Visualizações 12
Palavras 1.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse cap vai ser curto, mas o próximo não. Beijinhos de luz, meus amores!

Capítulo 3 - Bons tempos


Aish. Tudo na minha estava tão calmo. Ela tinha mesmo que cruzar meu caminho novamente? Jennie Kim era uma mulher agora e não mais a garota que eu conheci na escola. Se eu já não conseguia lidar com ela naquela época, imagina agora. O destino é mesmo um filho da...Não tenho tempo de terminar meu insulto ao universo pois o Holly começou a latir e interromper meu pensamento filosófico.

—O papai estava filosofando sobre como a sua quase mãe não deveria ter aparecido—digo indo até o cão que não parava de correr pela casa pedindo atenção —Acha que vou vê-la novamente, Holly?

Nenhuma resposta veio .Graças a Deus, imagina um cachorro falando.

Namjoon estava tão preocupado com Seokjin, que nem mesmo reconheceu Jennie. Ele ainda perguntou se eu a conhecia. Será que as coisas teriam sido diferentes se eu não tivesse ganhado aquele bendito concurso? Sei que o premio não era o mais importante para Jennie. Mas se não era o prêmio, o que era? Não posso ficar quebrando minha cabeça com as coisas da minha juventude, tenho um vida adulta para seguir. 

*****

—Que cara é essa, enfermeiro Min?—minha paciente perguntou—parece que está com a cabeça em outro lugar.

Tiro olhos do prontuário e os colo em Mei. Ela já estava bem melhor, era uma garota forte já que sobreviveu a uma queda do lace de escadas. Mei era uma paciente muito alegre, e creio que isso ajudou na recuperação dela.

Dou lhe um pequeno sorriso e digo:

—Aigoo, você é uma fofoqueira! Deveria preocupar-se com a sua saúde.

—Não posso evitar de me preocupar com o homem que cuida de mim com tanto carinho. Em breve posso sair daqui, doutor?

—Mas alguns dias e será liberada.

Verifico mais alguns pacientes e logo em seguida fico sentado em uma das cadeiras perto da recepção. Já se passaram uma semana desde que encontrei a Jennie, mas continuo pensando nela. Acho melhor eu fazer uma visita a igreja de minha avó, preciso ser exorcizado para tirar ela da cabeça.

Pego meu celular e começo a conversar com Namjoon, mas meu momento de descanso é interrompido quando as portas do hospital são escancaradas e dois policiais chegam carregando um terceiro. Levanto-me rapidamente e vou até eles.

—O que aconteceu?—pergunto tentando me manter calmo enquanto faço sinal para um maqueiro.

—Nosso colega foi atingido por dois tiros no braço e está perdendo muito sangue.

—Okay, vamos levar ele para o tratamento, preço que aguardem aqui.

Junto com o maqueiro, coloco o homem devidamente deitado na maca e o levamos para uma sala. Ele estava pálido e suava frio, seus lábios não paravam de tentar formar uma palavra que eu não conseguia escutar. Olho para sua farda e vejo que seu sangue é o tipo A positivo.

—Woo-jin, pegue uma bolsa de sangue A positivo por favor.

—Sim, senhor.

—Eu-eu não posso morrer.

—O que está falando? você não vai morrer.—afirmo encorajando-o

—Eu levei dois tiros no braço e não foram de uma pistolinha qualquer. Perdi muito sangue no meio do caminho. Sei os riscos que eu corro, mas não posso morrer. Não agora.

Olho para sua mão e vejo uma grossa aliança prateada e entendo que ele não poderia abandonar alguém.

—Vai ficar tudo certo, tenha fé.

Todo o procedimento foi tenso. Depois de anestesiar o policial e coloca-lo para receber o sangue, foi a vez de retirar as balas que abriram-lhe dois grandes buracos no braço, com muito

—Espero que não se importe com uma cicatriz.

—Essa é a minha menor preocupação.

—Foi um procedimento complicado, mas você ficará bem.

—Eu agradeço muito.

—Apenas fiz meu trabalho—digo colocando-o no soro—agora descanse.

Saio da sola e lavo-me, depois sigo para o saguão do hospital avisar aos outros policiais.

—Como ele está?—pergunta o mais alto.

—Vai ficar bem. Só precisa descansar. Em hipótese alguma pode sair por ai atirando. Precisa de repouso.

Eles curvam-se em agradecimento e eu os cumprimento da mesma maneira. Foi por isso que decidi fazer enfermagem. Essa alegria no rosto das pessoas ao saberem que uma pessoa querida está bem não tem preço! Lembro-me de quando eu estava decidindo e me ajudaram a escolher. Ela me ajudou a escolher.

**** Anos atrás ***

—Precisa decidir logo,Yoongi—disse enquanto andava e chutava uma pedrinha—A prova já está chegando.

—É muita pressão.Só tenho dezessete anos! Não posso decidir meu futuro inteiro com essa idade.

—Mais da metade da Coreia do Sul faz o mesmo. Não use isso como desculpa.

—Pra você é fácil falar. Vai seguir a carreira de advogada assim como seus pais.

—Fácil. Até parece que dar continuidade a um escritório é fácil.

A tarde já estava caindo e nós caminhávamos tranquilamente em direção de um café que tinha ali por perto. Eram nesses momentos que eu e Jennie podíamos ficar sozinhos e conversar sobre qualquer coisa. Erasmo dois viciados em bebidas quentes  então aquele lugar era o nosso refugio depois de alguns pontos cegos da escola. Assim que chegamos escolhemos uma mesa bem afastada da entrada.

—Amo tanto vir aqui com você —confessou abraçando sua mochila e soltando um pequeno sorriso.

—Diz isso só pra que eu page o seu café. Espertinha demais, você.

—Não falaria isso só pra ganhar coisas grátis.

—Vou fingir que acredito. Podíamos ir no cinema semana que vem. O que acha? —questiono desviando os olhos do folheto da lanchonete e olhando para ela. Jennie vira a cabeça na direção dos ombros, tentando esconder seu rosto, ato que faz com que seus cabelos castanhos tampem-lhe a face.

—Não vai me responder?

—S-seria uma boa ideia, Yoongi. Eu aceito.

—Jura —praticamente grito —aceita mesmo?

—Sim.Agora para de gritar, as pessoas podem pensar algo errado.

Olho para ela e sinto minhas bochechas ficarem totalmente coradas. Jennie sorria docemente para mim e parecia estar tão envergonhada quanto eu. Como podia ser tão doce? Em um ato de loucura, faço algo que já estava com vontade a muito tempo. Estico meu corpo em sua direção e lhe dou um breve selar.

Aquele foi o meu primeiro e beijo.

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...