História First Love ||Harry Styles|| - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, Londres, One Direction, Romance
Exibições 33
Palavras 1.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Second


R O S A L I E F I S H E R |

Assim que chegamos no nosso prédio a garota nos olha desconfiada mas não diz nada, apenas sai do carro e nos segue até o nosso apartamento. Quando estou prestes a abrir a porta Thereza me impede.

- Não! Primeiro, temos que saber como ela se chama, não vou recolher uma estranha na minha casa. - Thereza olha pra mim e eu bufo.

- Eu me chamo Eleanor e obrigada por terem me trazido até aqui mas acho que posso ir embora agora. - Ela fala e eu nego com a cabeça.

- Bem, já que sabemos quem ela é, não há problema algum dela entrar na nossa casa. - Eu olho pra Thereza que revira os olhos.

Abro a porta e dou passagem pra elas entrarem. Assim que entramos indico o sofá e Eleanor se senta no mesmo.

- Bem, eu sou a Rosalie, mas pode me chamar de Rose! - Sorrio e Eleanor sorri e assente. - E está antipática aqui é a Thereza. - Aponto pra Thereza que olha pra mim com cara de tédio e bufa antes de ir em direção à cozinha.

- Obrigada por terem me ajudado, se não for muito incômodo você poderia me emprestar o seu telefone? É que eu preciso ligar pro meu namorado mas meu celular está descarregado. - Ela fala sempre com sua voz calma e sempre muito educada.

- Oh claro, pode usar se quiser. - Falo sem hesitar. - Bem, eu vou na cozinha falar com a Thereza, quer alguma coisa? - Questiono sorrindo e ela sorri timidamente e nega.

- Não, obrigada. - Responde e eu assinto.

- Fique a vontade! - Exclamo e vou até a cozinha vendo Thereza mexendo no armário e resmungando ao mesmo tempo.

- Eu me chamo Eleanor...Ah vá! - Ela resmunga e eu clareio a garganta chamando sua atenção. - Com que então agora vem falar comigo? Traidora! - Exclama brava.

- Ah querida! Eu só estou sendo simpática, você podia deixar de ser rabugenta às vezes Tetê. - Zombo e ela me olha séria.

- Não me chame assim...quer saber, vá lá com sua nova amiga..- Ela fala rabugenta e eu riu.

- Larga de ser ciumenta! Eu conheci ela à apenas vinte minutos ou nem isso, ela só precisava de ajuda. - Comento e Thereza revira os olhos.

Minha melhor amiga às vezes pode ser comparada com aquelas velhas chatas e rabugentas. Ela cisma com tudo, reclama de tudo e acha que tudo tem que ser do jeito dela.

- Ok, como quiser. - Ela simplesmente responde eu dou de ombros.

Volto pra sala e vejo Eleanor desligando a chamada e de seguida ela sorri.

- Então? - Questiono e assim que me sento ao seu lado no sofá.

- Ele vem me buscar, deverá estar aqui daqui a uns dez minutos mais ou menos. - Ela responde calmamente.

- Espera, você sabe em que endereço está? - Questiono confusa e ela abana à cabeça.

- Uma colega minha da universidade morava nesse prédio mas ela mudou-se.

- Oh, ela era da London University? - Questiono e ela assente.

- Em que curso está? - Eleanor questiona curiosa.

- Eu estou no segundo ano de pedagogia. - Respondo e ela sorri.

- Eu também já estive lá mas...bem por algumas circunstâncias tive que largar o curso. - Ela suspira.

- É difícil ser namorada de um famoso? Quer dizer...- Me embaraço e ela ri um pouco.

- Não é a coisa mais fácil desse mundo, penso que seria mais fácil se não recebesse tanto ódio de pessoas que nem ao menos se importam de realmente me conhecer e saber como sou. Isso é muito ruim, acredite, não é nada fácil, não que eu esteja reclamando, apenas..eu nem deveria estar dizendo isso. - Ela olha pro chão e eu sorrio de forma carinhosa.

- Se eu falasse que te entendo, não estaria sendo sincera pois nunca vivi ou vi algo parecido, mas se você se sacrifica tanto por ele é por quê realmente o ama se estou certa. E não ligue pro que os outros pensam ou dizem sobre você, pois ninguém jamais vai entender o quê se passa entre você e o seu namorado. - Eu sorrio e ela sorri radiante.

- Obrigada, você parece ser uma pessoa muito legal Rose, pode me chamar de Els se quiser. - Ela fala e eu assinto.

Conversamos por mais uns minutos até ela resolver descer e esperar seu namorado na portaria, eu a acompanhei e logo ela entrou em um carro preto e aceno sorrindo e agradecendo a mim por tê-la ajudado.

- Achei que ia preferir ir com ela também! - Thereza exclama assim que entro no apartamento.

Ela como sempre estava jogada no sofá, comendo salgadinhos e vendo sua série favorita enquanto sujava nosso sofá e tomava seu refrigerante.

- Ah Tete você é muito dramática! Podia ser um pouco mais simpática? Ia te custar algo? - me jogo no sofá ao seu lado e ela revira os olhos.

- Ia me custar energia e eu não sou atriz e também não gostei dela. Não pode me obrigar a gostar de ninguém!

- Nem se eu disser que ela é uma pessoa legal? Você nem quis conhecer a garota! - Abano a cabeça negativamente e minha amiga dá de ombros.

- Tá ta bom, agora cale a boca que eu to ocupada! - Ela nem sequer olha pra mim.

Bufo e me levanto do sofá indo pro meu quarto e me trancando no mesmo. O temperamento de Thereza às vezes me tira do sério mas não é nada que eu já não esteja acostumada.

Vejo meu computador apitar e olho vendo que minha mãe queria fazer uma chamada pelo Skype, não que nós nos falamos com frequência pois isso é muito raro de se acontecer. Assim que aceito a chamada vejo a minha mãe no outro lado da tela.

- Rosie...- Meu nome sai como um suspiro pelos seus lábios pintados de vermelho.

- Oi..bem, como vocês estão? - Pergunto meio sem graça e ela ri amargamente.

- Bem, estamos bem dentro do possível, eu estava com saudades por isso resolvi falar com você. - Ela fala e eu analiso seu semblante cansado. Minha mãe era o tipo de mulher que dava tudo de si pela sua família, ela viveu toda a vida dela pra nós, e eu acho que ela talvez precise se libertar um pouco, ela está presa a meu pai desde que eles se casaram, ela merece liberdade.

- Por quê não vem me fazer uma visita? Lanore me disse que a senhora está exausta de tudo aí, seria bom sabe..- Comento e minha mãe sorri um pouco.

- Eu não quero deixar o seu pai aqui, e também tem o Jorge, quem vai cuidar dele enquanto Nore está no trabalho? - Ela argumenta e eu suspiro.

- Mãe você se sente presa e isso tá mais do que na cara. Para de se preocupar um pouco com o papai e a Nore, Jorge é filho dela, ela deve se preocupar com ele e outra que o Max está ai, ele pode cuidar do Jorge. - Eu explico e ela suspira.

- Max mal consegue cuidar de si! Seu irmão não é o rapaz mais ajuizado de Liverpool. Ele ainda se mete em confusões por aqui Rosie. Olha eu tenho que desligar, seu pai está me chamando!

- Mãe..- Nem tenho tempo de terminar a frase pois ela já havia encerrado a chamada


Notas Finais


Hello! Gotaram do capítulo? Espero que tenham gostado e agradeço imenso por estarem lendo a fic :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...