História Five Nights at Freddys Uma história diferente - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Fnaf, Romance
Exibições 13
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Necrofilia, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


espero que tenham gostado

Capítulo 6 - Capítulo 4: De volta á Freddys


Fanfic / Fanfiction Five Nights at Freddys Uma história diferente - Capítulo 6 - Capítulo 4: De volta á Freddys

Mik olhou para a tal Mangle, como ela ficou daquele jeito? Gab deu uns tapas no ombro de Mik, ele desligou o interruptor, as luzes se apagaram, apenas alguns feixes de luz brilhavam fracos, Mik olhou mais uma vez para Toy Chica, ela lhe chamava muita a atenção, era como se ela o chamasse, Mik tentou esquecer aquela história dos espíritos das crianças, eles chegaram á sala do vigia, em cima da mesa havia um copo de refrigerante cheio com um bilhete do lado que dizia ´´ Cortesia do Dave, mais uma noite hein rapazes, boa sorte, aproveitem o refrigerante pois pode ser o último, nunca se sabe´´ Mik ajeitou o boné e o colarinho, e um susto, o telefone tocou novamente, novamente a voz de Dave que soava como se fosse a única voz do mundo, Gab se assustou a bobina da caixa de música estava acabando, mas ainda era meia noite, início do turno. Era uma da manhã, Mik ouviu um som de estática nas câmeras e, Mangle havia sumido, não estava em nenhuma das câmeras, nem Toy Bonnie:

Mik: Bom que Toy Bonnie sai não é mais novidade, mas Mangle?? Ela nas condições em que está não pode sair!

Mik pegou  a lanterna, e saiu pelo corredor, novamente sua mão suava, Gab ficou no escritório observando e procurando Mangle e Toy Bonnie, Mik passou lentamente e com passos quase sem som para não acionar o alarme de movimento,  ele ou viu um barulho de estática e batidas metálicas, aquilo ia ficando mais perto e.. – Olá – Aquela voz infantil, meiga e aterrorizante emergiu da escuridão – Tem alguém aqui?- Mik pensou, era uma voz de criança, vinda de longe,  e novamente sons de batidas metálicas e estática, Mik respirou fundo, seria a primeira noite que iria ir no salão principal, ele olhou em volta, pela luz da lanterna ele só via seu reflexo no chão polido, algumas mesas e, escuridão. Gab olhou na câmera do palco, apenas Toy Freddy estava ali, e, - Olá – Aquilo ressoou na mente de Gab, era uma voz de criança com certeza – Vamos Mik cadê você?- . Mik empunhava a lanterna com a mão trêmula de medo, ele engoliu em seco, precisava encontrar Mangle e uma câmera para avisar a Gab que ele estava bem, mais ou menos, Mik ouviu a doce música que vinha da caixa de presentes da lojinha, não estava muito longe, havia uma câmera lá, Mik se aliviou, por telefone Dave disse que os animatronics tinham um modo de andar livre á noite ou se não seus sistemas falhariam, não havia nada de espíritos nem nada, então dessa vez, DESSA VEZ havia um ladrão, pois Mangle mal podia se mexer naquele estado, o som da caixa ficava cada vez mais perto, Mik sentiu um calafrio, algo lhe dizia que algo de ruim estava bem atrás dele, Mik se virou lentamente, seu coração pulsou, ele congelou e empalideceu, logo á sua frente estava Toy Chica que o olhava fixamente, estava sem seus olhos e seu bico, Mik deu alguns passos para trás, e bateu em algo, era Toy Bonnie, Mik se afastou, seu coração batia acelerado, sua mão tremia, ele suava rios, ele tentava soltar um grito que não saía, algo encostou em suas costas, ele se virou era Mangle, ela estava ali, estática, parada, imóvel, soltando um grito estático, sua boca estava aberta como se quisesse abocanhá-lo ali, Mik estava cercado, não havia como fugir, ele tentou correr e. Gab ouviu sons vindos do corredor algo havia acionado o alarme de movimento, ele usou a lanterna para iluminar o corredor, o tal Dave havia dito que caso vissem um animatronic no corredor era só iluminar com a lanterna em seus olhos e seu sistema seria reiniciado, ele iluminou e seu coração saltou, era um animatronic que ele nunca tinha visto, era uma raposa como Mangle, só que vermelho, estava inteiro, parcialmente, havia buracos em seu corpo, suas pernas mecânicas estavam de fora, no lugar de sua mão esquerda havia um gancho afiado, sua boca permanecia aberta, ele permanecia em uma posição de como se fosse saltar a qualquer instante em sua direção, Gab segurou a lanterna e olhou o celular, era quatro da manhã e – oi – Aquela mesma voz infantil, estava vindo do duto, Gab acendeu a luz do duto e, ele caiu para trás, ali estava o boneco dos balões, olhando para ele, seus olhos esbugalhados transmitiam medo para Gab que imediatamente colocou a mascara de Freddy, ele suava incessantemente, os enormes olhos do garoto o fitavam assustadoramente, até que, Gab piscou, e o garoto havia sumido, em um piscar de olhos, Gab se levantou e rebobinou a caixa de música, o som do alarme de movimento parecia um eco vindo das profundezas da escuridão, ele iluminou a lanterna no corredor, ninguém, Mik estava demorando, e se ele, Gab pegou a lanterna mas antes que pudesse dar mais um passo ele se lembrou da raposa vermelha que ele havia visto, dar de cara com aquilo não era bem o que Gab queria, foi quando um som de estática e rangidos invadiu a sala, vinha do duto direito, Gab colocou a mascara do Freddy e olhou no duto, era Mangle, ela o observava sem parar, suas partes mecânicas se estendiam pelo duto, uma outra cabeça robótica estava o observando também, mas logo, novamente em um piscar de olhos ela sumiu, Gab se sentou na cadeira do escritório novamente, era cinco e cinquenta da manhã – Ah Mik cadê você – Gab olhou as câmeras, e nada de Mik, ele havia sumido, e não havia nenhum animatronic Toy á vista, na verdade todos haviam sumido exceto, aqueles que estavam na sala de Partes e Serviços, estavam ali imóveis, Gab achou que era a hora de se desesperar, seu melhor amigo havia sumido no meio de um lugar cheio de e Robôs que agem de forma assustadora, Gab pegou a lanterna, iluminou no corredor e, ali estava, a raposa vermelha, Gab assentiu, não poderia passar por ele, foi quando o relógio bateu seis da manhã, a raposa vermelha sumiu, e os animatronics Toy haviam voltado ao palco, Mangle estava de volta na mesma posição de antes sem fazer qualquer ruído, e aquela garoto dos balões novamente estava ali parado, era a hora de procurar Mik.

Mik acordou atordoado, sua cabeça doía como se milhares de sinos badalassem com força total em seus ouvidos, não demorou muito para perceber que estava amarrado e amordaçado, seus pés e mão estavam amarrados fortemente na cadeira em que ele estava, ele tentou se mexer mas era inútil, quem quer que fosse que o amarrou devia ter uma força colossal, ele estava em uma pequena sala, estava tudo escuro, mas ele ainda via seu celular que pendia para fora do bolso – Salvo pelo fone – Mik alcançou a ponta do celular, ele o ligou, era quatro e cinquenta e dois da manhã, foi quando algo bateu no celular e ele caiu no chão, Mik olhou para frente, e ali estavam dois pequenos pontos brancos cintilantes, devia ser Toy Chica, uma pequena lâmpada se acendeu fraca no teto, e era Toy Chica, acompanhada de Toy Bonnie e Toy Freddy, todos o encaravam de maneira estranha, Mik tentou se desamarrar, mas era inútil, de repente uma voz soou de Toy Chica uma voz suave mas que logo se tornou assustadora:

Toy Chica: Olá amigo, seja bem vindo á Nova e Improvisada Freddy Fazbear´s Pizza, espero que você esteja se divertindo.

Mik tentou falar algo mas a mordaça não permitia, Toy Freddy se aproximou e retirou a mordaça da boca de Mik:

Mik: Me divertindo? Eu deveria fazer essa pergunta a você, está se divertindo? Está gostando de nos assustar e querem nos matar!?

Toy Chica: Oh desculpe pela má impressão Sr. Vigia...

Mik: Eu tenho um nome sabia? É Mik.

Toy Chica: Oh sim, e o que você está achando daqui?

Mik: Acharia legal se vocês não tentassem me matar!

Toy Chica: Oh Mik, não queremos fazer nenhum mal a você, eu pelo menos não faria, só queremos que você seja nosso amigo.

Mik empalideceu, amigo? É só isso que eles querem? Um amigo?

Mik: Tem muita gente aqui de dia, inclusive as crianças, vocês podem ter muitos amigos.

Toy Chica: É que é só a noite que podemos andar livres, falar e fazermos o que quisermos, e os outros vigias acham que somos monstros, criaturas mecânicas.

Mik: Você ficaria melhor com seu bico e olhos, e se pudesse me soltar seria um grande favor.

Toy Freddy: Não posso te soltar, se eu te soltar você vai fugir e irá contar aos outros, se souberem disso vamos falir e seremos desativados, por isso sinto muito senhor Mik.

Mik: Ok onde é a porta dessa sala?

Toy Freddy: Você não sabe?

Mik: Eu nem sei em qual lugar da Freddy´s eu estou.

Toy Bonnie: Pode soltá-lo Freddy.

Mik se impressionou, Toy Bonnie falava com uma voz feminina, era uma grota! Toy Freddy o desamarrou rapidamente.

Mik: Muito obrigado.

Toy Chica: De nada.

Mik: Ah Toy Chica, com bico e olhos você fica melhor.

Toy Chica deu uma risadinha, meio mecânica mas era uma risadinha, foi quando um ruído apareceu, era Mangle.

Mangle: Então o que temos aqui?

Toy Chica: Ele é o Mik, é um bom rapaz, e um ótimo amigo!

Mangle: Sim ele deve ser, com certeza.

Toy Freddy: Vá Mangle traga o outro.

Mangle: Não posso, ele está lá.

Mik: Quem?

Toy Bonnie: Deixe eu explicar, há muito tempo, havia outra pizzaria, nela haviam outros animatronics iguais a nós, só que meio diferentes, eles estão aqui, mas estão quebrados, e ficam agindo estranhamente, eles agem como se não estivessem no controle deles mesmos.

Mik: Ah aqueles que estão na Partes e Serviços?

Toy Freddy: Esses.

Mik: Sabe, eu tenho que voltar, vocês são legais, não são o que eu achava que eram, mas eu tenho minha vida lá fora, eu juro eu não conto pra ninguém, vou ficar quieto eu juro.

Os animatronics formaram uma roda e começaram a cochichar.

Toy Freddy: Será que deixamos? Eu não confio muito nele.

Mangle: Eu confio.

Toy Chica: Eu também, eu tenho certeza de que ele vai ficar quieto, e talvez até nós possamos nos mostrar como realmente somos, exceto você Mangle, mas vamos confiem nele, eu confio.

Toy Bonnie: Vamos Freddy deixe o garoto.

Eles voltam a olhar pra Mik.

Toy Chica: Vamos te deixar ir, mas confiamos em você para cumprir a promessa de não falar o que aconteceu aqui.

Mik: Ok, dito e feito.

Toy Freddy abriu uma porta que estava escondida atrás de umas caixas, Toy Bonnie saiu primeiro, depois Toy Freddy depois Mangle e por fim Mik.

Mik: Mangle!

Mangle: Sim Mik.

Mik: É que sabe, talvez eu possa te concertar.

Mangle: Não preciso disso, estou bem do jeito que estou.

A cabeça robótica que acompanhava Mangle concordou e riu, Mik olhou o celular, era seis e uma da manhã.

Gab correu e encontrou Mik no balcão da recepção.

Gab: Por todos os lobos Mik! Onde você estava?!

Mik: Em um lugar, depois te explico, mas você tem que jurar que não vai contar a ninguém.

Gab: Do que você ta falando?

Mik: Te explico em casa.

 


Notas Finais


espero que tanham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...