História Five Nights At Humor 3 - A Zoeira É Para Sempre - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Balloon Boy, Bonnie the Bunny, Chica the Chicken, Endoskeleton, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Fritz Smith, Golden Freddy, Jeremy Fitzgerald, Mangle, Marionette, Mike Schmidt, Nightmare, Nightmare Balloon Boy, Nightmare Bonnie, Nightmare Chica, Nightmare Foxy, Nightmare Freddy, Nightmare Mangle, Personagens Originais, Phone Guy, Plushtrap, Purple Guy, Sammy, Springtrap, Toy Bonnie, Toy Chica, Toy Freddy
Tags Comedia, Engraçado, Fireboltvioleta, Five Nights At Freddy's, Fnaf, Humor, Paralelo, Self-inserction, Universo Alternativo
Exibições 85
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Self Inserction, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Pedido de Casamento


Fanfic / Fanfiction Five Nights At Humor 3 - A Zoeira É Para Sempre - Capítulo 2 - Pedido de Casamento

 

SAMMY: (enquanto todos estão espalhados pelos cantos da Área de Refeições) ahn... por que me chamou pra conversar, mana?

TORI: (rindo) Sammy, Sammy, maninho ingênuo (dá um tapinha nos ombros do menino) agora que você quer juntar as trouxinhas com a Rabby, acho melhor te orientar em alguns assuntos.

SAMMY: (erguendo uma sobrancelha) ahn... a voz da experiência? E que tipo de “experiências” (faz aspas com os dedos) você anda fazendo com o Snowtrap?

Tori gira a mão direita ao lado da esquerda, imitando uma manivela, erguendo lentamente o dedo do meio. Dolly, ao lado dela, começa a ter um derrame de tanto rir.

DOLLY: imagino, Sammy, que ela está se referindo ao passo a passo do... você sabe...

TORI: lepo-lepo.

BALLOON BOY: (começando a cantar feito o retardado que é) “AHHHHHHHH, EU JÁ NÃO SEI O QUE FAZER, DURO, PÉ RAPADO, COM SALARIO ATRASADO...”

DOLLY E TORI: TIO BALLOON!

BALLOON BOY: tá, parei.

DOLLY: (suspirando) bem, mas como eu dizia... não tem muito segredo (olha para Tori, segurando o riso) você só tem que usar as quatro operações matemáticas (dá risadinha) você adiciona a cama...

TORI: (lenny face) subtrai as roupas...

DOLLY: divide as pernas...

TORI: e então... (gargalha) reza pra não multiplicar.

Sammy está da exata cor de um tomate.

AUTORA: (de braços cruzados, chegando perto das meninas) ei, parou. Chega de fazer bullying com meu futuro genro. Putz, Dolly (balança a cabeça) pode até ser filha da Santinha, mas você não tem é nada da tua mãe.

DOLLY: (revirando os olhos) vem, Tori (pega Tori pela mão e sai da mesa) a sogrinha chegou.

Bia senta na cadeira que Dolly acabou de deixar vaga, segurando o riso com a cara desolada de Sammy.

AUTORA: nervoso? (dá tapinha companheiro nas costas do garoto)

SAMMY: um pouco... eu vou fazer isso. Hoje (engole em seco) mas não sei como começar.

FREDDY: ei, filhão! (se intromete na conversa e senta de frente pro filho) não é difícil! Olha só pra mim... eu simplesmente disse o que deu na telha pra tua mãe, no dia que me declarei pra ela!

AUTORA: (dando um pigarreio do tipo “vê-se-eu-aguento”) você deu é sorte da Toy Chica ser anencefálica o bastante para se amolecer com aquelas declarações do tipo “tu é a azeitona da minha empadinha”;

FREDDY: (fechando a cara) não precisa esfregar na minha cara.

SAMMY: (achando graça, ficando menos tenso) ai, está bem. Vou arranjar uma declaração válida, pai.

Sammy sai da mesa, fuçando um dos bolsos da jaqueta, tremendo mais que vara verde, indo na direção de Rabby – que, nesse momento, está ocupada rindo de uma piada muito ruim de Bonnie.

FREDDY: (suspirando) é o meu garoto... manda ver, campeão!

AUTORA: (também suspirando) como crescem rápido. Ainda lembro da primeira vez que vi esse moleque, quando o tirei de dentro da lata de lixo.

PURPLE GUY: (subindo na mesa e assustando todo mundo, começando a dançar e tirar o jaleco de segurança, fazendo Bonnie surtar) “meu corpinho você quer, meu talento você quer...”

AUTORA: (exasperada, virando a mesa e derrubando Purple Guy com o café da manhã e tudo) PARA COM ESSA PURPURINA LOGO CEDO, MANO!

Sammy, que estava indo na direção de Rabby, se esconde atrás de uma das pilastras da Área de Refeições, assim que Rabby se vira para a mãe, espantada.

PURPLE GUY: (com a cara esborrachada no chão, erguendo a mão) tem nada não, gente. Foi só um tombinho!

BONNIE: (cutucando algo branco e pontudo que salta pra fora do joelho de Purple Guy) e esse osso quebrado pra fora da sua pele é o quê?

PURPLE GUY: (caindo a ficha) GAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

Enquanto uma Bia canta Sorry,indo curar a fratura na perna do segurança, embalada pelos berrinhos de um Bonnie soluçante, Sammy continua seu trajeto, aproveitando-se da distração geral para se postar atrás de Rabby.

SAMMY: (respirando fundo) R-Rabby...

RABBY: (virando para Sammy) ah. Oi, amor.

Até mesmo Purple Guy para de xingar Bia em aramaico, encarando a cena entre Sammy e Rabby. Um silêncio quase perturbador se estabelece na Área de Refeições.

SAMMY: (engolindo em seco) ahn, Rabby... eu... (remexe os bolsos) eu queria... pedir uma coisa.

PEANUT: (facepalm) pedir a mão dela. Ai, meu Deus.

SAMMY: (vendo que se enrolou todo) quer dizer... perguntar uma coisa (todo mundo guincha quando ele ajoelha no chão, apanhando uma caixinha do bolso e a abrindo) eu... eu não agüento mais, Rabby (a coelha mal consegue tirar os olhos da aliança dourada dentro da caixa) eu te mo. Já vivemos tanta coisa juntos... mas eu não posso passar nem mais um segundo da minha vida sem te chamar de “minha esposa”... (ofega, tremendo) Rabby, a coelha mais linda de qualquer universo, o amor da minha vida... quer casar comigo?

Não se ouve uma respiração sequer no cômodo – exceto a de Rabby, que está disparada, combinando com seus olhos arregalados e o queixo caído.

AUTORA: (cruzando os dedos no seu canto) vai, filha. Diz que sim.

RABBY: (soluçando) Sammy... eu... eu... (quando Sammy está quase pra desmaiar, ela se joga nos braços deles, extasiada) SIM, EU QUERO!

UNIVERSO: AAAAAWN!

Todo mundo aplaude, enquanto Sammy pega Rabby no colo, lhe dando um beijo na boca de tirar o fôlego.

BALLOON BOY: (tocando um violão surgido sabe-se lá de onde e cantando) “é o amooooooor, que mexe com a minha cabeça e me deixa assim...!”

PURPLE GUY: (equilibrando-se na muleta que Bia conjurou e chutando Balloon Boy com a perna boa) NÃO ESTRAGA O MOMENTO, BOLA DE PRAIA!

A galera toda vai parabenizar Rabby e Sammy, emocionada.

SPRING: (olhando pra Bia) não está preocupada?

AUTORA: eu? Não (sorri) Sammy vai cuidar bem da nossa menina, senpai.

SPRING: não... (sorriso malicioso) estou falando de eles trazerem alguma coisa pra pizzaria depois da lua-de-mel... algo barulhento, pequeno... e que vai te chamar de “vovó”.

AUTORA: (som de vidro quebrando) Springtrap... (respira fundo, enquanto Spring se encolhe com o olho vermelho da esposa) você está querendo pagar por todos os seus pecados ou o que?

(Acharam que ia ter referência aqui? TROLLEI!)

SPRING: brincadeirinha, amor. Brincadeirinha.

Bia balança a cabeça, mas se limita a voltar a apreciar o momento fofo entre a filha e Sammy. Vendo Bia distraída, Springtrap se encarrega de fechar o capítulo, estalando os dedos, e fazendo a tela desaparecer em meio á uma fumaça esverdeada.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...