História Five Nights at School - Capítulo 110


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Balloon Boy, Bonnie the Bunny, Chica the Chicken, Endoskeleton, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Golden Freddy, Mangle, Marionette, Mike Schmidt, Nightmare, Nightmare Balloon Boy, Nightmare Bonnie, Nightmare Chica, Nightmare Foxy, Nightmare Freddy, Nightmare Mangle, Plushtrap, Shadow Bonnie, Shadow Freddy, Springtrap, Toy Bonnie, Toy Chica, Toy Freddy
Tags Bonniexchica, Foxyxmangle, Funtimefreddyxbaby, Goldenxspring, Puppetxmarionette, Shadowfreddyxshadowbonnie, Toyfreddyxtoychica
Exibições 173
Palavras 1.812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Tudo bem com vocês? Bem, nesse capítulo teremos 1 foco maior no Puppet (mas nem por isso, não teremos o Freddy). É só isso que eu queria "digar" mesmo então...enjoy!!!

Capítulo 110 - Exorcizando o porão.


Fanfic / Fanfiction Five Nights at School - Capítulo 110 - Exorcizando o porão.

~Freddy POV On~

-Então Spring, me conte sobre o ocorrido. -Puppet falou enquanto caminhava até o porão e Spring começou a pensar.

-Bem...ultimamente minha família e eu temos ouvido certos barulhos lá em baixo, coisas caindo ou até vozes. -Spring falou seguindo nós. -Minha mãe se sente observada também. -Spring completou e eu arrepiei.

-NÃO QUERO MAIS MORAR AQUI NÃO! -Gritei desesperado, de tantas casas de amigos, fui pegar logo a assombrada.

-Relaxe Freddy. -Puppet falou olhando para mim. -Não deve ser nada demais. -Puppet falou parando na porta do porão.

-Como você sabe? -Perguntei olhando para o Puppet, que sorriu.

-Não sei, apenas deduzi. -Ele falou me empurrando e fazendo eu rolar pelas escadas do porão. -Não se preocupe, Traposo. Iremos cuidar disso. -Essa foi a última coisa que ouvi do Puppet antes de chegar ao final da escadaria.

-Não sinto meu corpo! -Exclamei tentando enxergar algo. -Estou sentindo que vai acontecer merda! -Exclamei me levantando, não conseguia ver nada. -Puppet? -Tentei chamá-lo pelo nome. 

-Euzinho. -Puppet surgiu do meu lado com 1 vela.

-AAAAAH CARALHO! -Gritei pulando para trás e batendo em alguma coisa. -O capítulo começou bem para caralho. -Falei colocando a mão nas minhas costas.

-Relaxa, você está muito exaltado. -O Puppet está muito calmo, deve ter tomado chá de ervas, ou será que ele fica concentrado assim mesmo em 1 missão desse tipo? -Olha, eu tenho muita experiência com esse tipo de coisa, primeiro temos que esperar a identidade se comunicar com nós. -Puppet falou sorrindo e ficou parado.

-Isso demora muito? -Perguntei sério.

-Depende se tem algo de verdade aqui ou não. -Puppet falou e riu 1 pouco.

-É assim que se chama 1 identidade, Puppet. -Falei dando 1 panela e 1 colher de madeira para ele.

-Casual Bongos? -Puppet perguntou.

-Não. O que aconteceu com você? É assim olha! -Tomei a panela e a colher da mão dele e comecei a bater a colher na panela. 

-O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI!? -Ouvi a voz do Spring lá de cima.

-Nada! -Exclamei forçando 1 risada. -Apenas...devolva isso pra sua mãe. -Falei jogando a panela e a colher escada a cima. 

-Isso o que!? Ai! -Ouvi barulhos de panela.

-Acho que você já sabe...apenas...volte para o seu quarto. -Falei e Puppet me olhou feio.

-Brincando em serviço. Que coisa feia. -Puppet falou e eu fiquei irritado.

-Serviço!? Cadê meu velho Puppet? O que estava pouco se fodendo para serviço. -Perguntei e ele começou a me olhar sério. -Esse não era o Tio Puppet que a galera queria ver quando te escolheram nos comentários. -Falei.

-Isso é coisa séria, ok? Pode ser 1 espírito, querendo vingança, se perturbarmos ele...eu nem quero saber o que pode acontecer. -Puppet falou e eu arrepiei inteiro.

-Perturbar é? É melhor eu sair daqui então. -Falei e comecei a subir as escadas, mas Puppet me agarrou pela gola.

-Não. Não. E não! Aliás, cadê o interruptor dessa bagaça? -Puppet, com a outra mão, procurava o interruptor na escuridão.

-Espera, se você está me segurando com 1 mão, procurando o interruptor com outra...quem está segurando a vela? -Perguntei e ele começou a me olhar.

-Boa pergunta, mas olha, a vela está voando, não precisamos mais carregar ela. -Puppet falou apontando para a vela voando no meio da escuridão.

-Ah, que alívio, achei que ela tinha caído, assim ela poderia provocar 1 incêndio e... -Eu olhei desesperado para o Puppet. -SAI CAPIROTO! -Voei para cima da vela com 1 vassoura, que eu tinha pego do chão.

-NÃO FREDDY! -Puppet gritou e me agarrou. -Você quer combater com 1 identidade sobrenatural? É tipo eu te colocar contra o Nightmarionne novamente. -Puppet falou e eu congelei.

-Night...marionne é? -Perguntei tremendo.

-Para falar a verdade, não sei porque tanto medo dele ainda, já selamos ele. -Puppet falou e eu bufei.

-A experiência foi traumatizante, mané. -Falei cruzando os braços. -E OLHA ISSO A VELA TÁ DANÇANDO! -Exclamei vendo a vela fazer várias manobras no ar.

-Eu acho que está mais para 1 pacto. -Puppet falou e continuamos olhando. -Espera, pacto? Pacto para que? -Puppet perguntou desviando seu olhar para mim.

-A verdadeira pergunta é: porque estamos esperando ela acabar o pacto para ver no que vai dar...VAMOS DAR O PÉ! -Gritei e sai correndo.

-CALMA! -Puppet gritou e saiu correndo atrás de mim. -Não estou vendo nada! Está tudo escuro! -Puppet exclamou.

-A IDEIA DE COLOCAR 2 CRIANÇAS EM 1 PORÃO ESCURO COM O SATANÁS ATRÁS DELAS FOI GENIAL, EM AUTOR! -Gritei e senti que trombei com alguma coisa. -Ai, porra! Puppet, vela aqui! -Exclamei e senti passos se aproximando. -Mais rápido. -Falei ouvindo os passos mais altos.

-Mas eu estou aqui. -Quando percebi, eu havia trombado no Puppet. -Pensei que esses passos eram seus e eu que havia trombado em algo. -Puppet falou com 1 lanterna na mão.

-Ah não... -Falei e os passos pararam. -Puppet, não mira essa lanterna atrás de mim. -Falei e Puppet, com muita ousadia e alegria, mirou a lanterna atrás de mim.

-Tem nada. -Puppet falou rindo e eu aliviei. -Precisamos descobrir o que esse espírito quer logo... -Puppet continuou a falar, mas eu não consegui prestar muita atenção, pois comecei a ver 1 sombra envolvendo o corpo dele.

-Puppet? PUPPET? -Gritei na frente dele e ele me olhou confuso. -Ca-cara, tinha 1 sombra atrás de você, e tenho a total certeza que não era o Shadow Freddy te dando 1 sarrada. -Falei e ele começou a rir.

-Para de tentar me assustar, cara. -Ele falou na maior calma do mundo, estava impressionado por ele ficar calmo tão rápido, não fazia nem 1 minuto que ele estava desesperado. -Observe e aprenda. -Puppet falou e 1 monte de velas apareceram em nossa volta.

-AI MEU DEUS O DEMÔ... -Fui cortado pelo Puppet.

-Fui eu! Retardado! Enfim, agora nós fazemos perna de índio. -Puppet falou sentando, fiz o mesmo.

-Me sinto no primeiro ano com essa gíria de "perna de índio". -Falei e Puppet colocou a mão na minha boca.

-ESPÍRITO! ALMA! FANTASMA! GHOST! -Puppet começou a gritar e eu tirei a mão dele da minha boca.

-O que caralhos está fazendo? -Perguntei sério e ele me olhou com 1 cara de "não faço ideia".

-Estou vendo do que ele gosta de ser chamado, talvez espírito seja muito ofensivo para ele. -Puppet falou e voltou a fazer o...pacto? -ESPÍRITO! ESPÍRITO! DIGA-ME, O QUE QUERES? O QUE QUERES PARA DEIXAR ESTA CASA EM PAZ! -No meio desse teatro do Puppet, eu comecei a olhar sério para ele.

-Você não sabe se comunicar com espíritos, cara. -Falei e Puppet ficou bravo.

-Beleza então, senhor caça-fantasmas. Ensina ai. -Puppet falou e eu comecei a pensar.

-Senhor espírito, venha aqui e pegue esta manteiga exótica. -Falei pegando 1 jarro de manteigas exóticas. -Espírito? -Perguntei e Puppet começou a rir.

-É assim mesmo que se comunica com 1 identidade sobrenatural! -Puppet exclamou rindo e do nada o jarro começou a voar. 

-Meu Deus! Acho que ele aceitou minhas manteiguinhas. -Falei com brilho nos olhos. 

-N-não pode ser. -Puppet falou surpreso e o jarro começou a brilhar.

-Observe Puppet, o pacto divino da pureza sobre 1 espírito com 1 desejo de vingança. -Falei emocionado e o jarro foi envolvido por 1 luz branca.

-Freddy...você é 1 gênio. -Puppet falou vendo o jarro envolvido pela luz branca. 

-Agora... -Falei e a luz começou a ficar mais forte. -Adeus espírito. -Falei e do nada o jarro explodiu, logo após isso, começamos a ouvir mais passos. -MINHAS MANTEIGAS! -Gritei assim que vi todas elas esparramadas pelo chão. -NÃO! -Gritei e comecei a socar o chão.

-Bem que estava muito fácil...e sentimental também. -Puppet falou colocando o dedo na manteiga e lambendo. -Próximo plano? -Puppet perguntou.

-Próximo plano!? Isso existe? Pensei que estávamos apenas fazendo qualquer coisa! -Exclamei abraçando minhas manteigas.

-Inclusive, de onde saíram essas manteigas? -Puppet perguntou me olhando.

-Eu não faço ideia! -Exclamei. -Mas vamos, ação! -Exclamei pegando 1 barra de ouro.

-Pegou a barra de ouro...a porra ficou séria. -Puppet falou.

-"Adoro ouro". -Falei sorrindo e fiquei parado, Puppet ficou me olhando.

-E então, não vai fazer nada? -Puppet perguntou e eu neguei. -Porra, tudo isso pra nada? -Puppet perguntou e começamos a ouvir passos novamente.

-Eu vou é me esconder! -Exclamei pulando em 1 caixa de papelão. 

-Não me deixa aqui, filho da puta. -Puppet falou entrando dentro da caixa também. -Tá meio apertado aqui, né? -Puppet perguntou. (Autor: Que errado isso...)

-"Que errado isso"? Espera ai! Sai fora, tenho namorada! -Exclamei saindo da caixa. 

-Fala que isso foi 1 piada. -Puppet saiu da caixa também.

-Não era, mas no fim...até que foi sim. -Falei e 1 vulto passou na minha frente. -CORRE BERG! -Gritei.

-Espera aqui, Freddy. -Puppet falou e foi por onde o vulto passou.

~5 minutos depois~

Eu estou imóvel faz 5 minutos, não ouço nada, vejo nada, só tem escuridão a minha volta. O Puppet ainda não apareceu e sinto que vai demorar para aparecer, e o pior, ele levou a lanterna, ou seja, estou tecnicamente perdido nesse imenso porão da minha nova casa.

-DEU RUIM! -Ouvi a voz do Puppet e depois senti alguma coisa me atropelando.

-Alguém anotou a placa do...desiste, essa piadinha é velha. -Falei tentando entender alguma coisa. 

-PORRA FREDDY! -Quando fui ver o Puppet, que estava no chão, estava mirando a lanterna em mim. -O CAPETA TÁ VINDO, CORRE! -Puppet gritou se levantando e eu sai em disparada junto com ele.

-E AGORA? -Gritei desesperado e o Puppet invocou 1 banana. -VAI ENFIAR ISSO NO CU DE SATANÁS? -Gritei e Puppet bufou.

-Não, apenas olhe e reze. -Puppet falou e brecou. -Espíííííírito, espííííírito! Venha até mim e seja selado nesta lindo e bela banana. -Puppet falou e eu comecei a rir. 

-Que piada! -Exclamei e de repente, vi 1 luz vermelha indo na direção do Puppet. -Eita. -Falei arregalando os olhos. Em seguida, a luz vermelha bateu no Puppet e sumiu. -QUE!? -Gritei desesperado, pois eu não estava entendendo nada.

-O espírito está selado! -Puppet exclamou sorrindo. -Nesta... -De repente, a luz do porão ligou. -BANANA! -Puppet gritou mostrando a banana e eu fiquei confuso. -Ah, e sim, eu só achei o interruptor agora. -Puppet falou ligando e desligando a luz do porão varias vezes.

-Não quero saber! Quero sair daqui! -Exclamei correndo para as escadas. 

-Para ser sincero, eu também. -Puppet vinha flutuando logo atrás de mim. 

-E então, conseguiram? -Spring chegou em nós 2.

-Sim. Selamos ele nessa banana. -Puppet falou e Spring sorriu.

-Ótimo. Estão livres. -Spring falou e entrou na cozinha.

-E agora? O que fazemos com essa banana? -Perguntei e Puppet sorriu maliciosamente.

-Espere. -Puppet falou e teletransportou.

-Ué. -Falei e, em seguida, ele voltou. -O que você fez com a banana? -Perguntei.

-Apenas...deixei ela na mesa da mansão para o T.Golden. -Puppet sorriu maliciosamente. -Bem, vou indo, falou. -Ele se teletransportou.

-Eita porra. 

Continua...

 

 

 


Notas Finais


Olá! Gostaram? Bom, eu gostei desse capítulo, acho que ele ficou bem engraçado (fazia tempo que eu nn achava isso)...

Pergunta do capítulo:
Quem vocês acham que deveria ser o próximo personagem secundário a ter 1 episódio focado nele?

Faloou!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...