História Fix You - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Originais, Toni Kroos
Personagens Dinah Jane Hansen, Toni Kroos
Tags Dinah Jane, Romance
Exibições 30
Palavras 1.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olllás!

Boa leitura! *-*

Capítulo 4 - Estrelas e olhos brilhantes


- Me desculpe se foi muito cedo para isso. Nós nem nós conhecemos direito é eu já vou beijando você, me perdoa. - Ele falou enquanto passava as mãos pelos seus cabelos loiros é perfeitamente arrumados. A coloração de Toni não estava normal, não sei se estava vermelho ou rosa. 



Levei a minha mão esquerda até o rosto de Toni é o acariciei delicadamente, ele parecia gostar pois sorriu. Sorriu para mim.



- Não sei quantas vezes eu disse isso desde quê te conheci mas… Tudo bem Toni, eu não me importo. Mas se o problema é quê não nos conhecemos o suficiente, pode me falar sobre você, é eu falo de mim.



- Bom, Me chamo Toni Kroos, nasci na Alemanha um ano depois da queda do muro de Berlim. Tenho um filho é dois cachorros. Gosto de ler é ouvir rock clássico. Jogo num clube esportivo nada conhecido chamado Real Madrid. Quando era adolescente "matava" aula para jogar futebol...



Encostei a minha cabeça no ombro de Toni é fiquei apenas ouvindo o quê vinha por parte dele. Toni falava sobre seu filho, sobre sua preferência musical, falou também sobre o desconforto quê a fama lhe causava. 



- Falei de mais não é? - Ele questionou. - Você obviamente não prestou atenção a quase nada. 



- Lógico que não, eu ouvi tudo o quê você falou principalmente a parte quê você bateu no seu irmão por ele ter falado para A Jessy quê você estava gostando dela. Tadinho dele Toni...



- Tadinho nada, ele mereceu. Agora você pode me falar um pouco mais sobre Ashley Kathrin.  



- Ashley Kathrin é uma garota super normal. Talvez nem tanto pois ela não gosta de Justin Bieber é derivados, exceto bandas femininas, elas costumam cantar o quê Ashley tem vontade de falar aos quatro ventos. 
Ela gosta de música francesa. Livros? Ela devorava todos pois a leitura é como terapia. Ashley Kathrin também gosta muito de escrever sobre a vida real, histórias reais de pessoas reais. Tal garota é formada em ciências 
humanas é está no penúltimo ano da faculdade de psicologia. Ela ama muito as crianças por isso está doida para conhecer o Leon, filho de um amigo que ele conhece a pouco tempo mas já o considera muitíssimo, esse mesmo amigo está olhando para ela com ternura e ele tem olhos que fazem as estrelas desse céu tão lindo perderem o brilho.  



- Então quer dizer que além de psicóloga quer ser uma escritora de histórias reais? - Ele perguntou sem tirar os olhos dos meus.




- Não. Eu apenas escrevo para relaxar.



- Entendi. Mas onde você encontra tais histórias reais?  



- Histórias de amigos, conhecidos, conhecidos de conhecidos é até histórias vividas por mim mesma. Num dia eu escrevi uma história sobre um amigo meu, ele mora lá em Varsóvia, ele tem uma história triste porém de superação.  



- Se eu pedisse para você escrever sobre mim, escreveria?  

- Sim. Mas não sei, sabe? Você é meio difícil de decifrar. É como se eu tivesse uma caixa de lápis com 24 cores diversas, más tenho apenas um céu para colorir, o céu é azul então eu tenho quê usar todas as outras cores mas não tenho um local onde posso usá-las ou pelo menos não sei usá-las. Se eu usar elas posso estragar por completo a minha arte. 


- E o que a cor azul realmente quer dizer? 


- Azul… é a cor dos teus olhos é também da camisa quê está usando hoje. Afinal, ela caiu super bem em você. 


Toni apenas sorria, parecia estar sem palavras. 


- Você tem essa mania com todos ou somente comigo? - Ele questionou após alguns minutos no mais puro silêncio.


- Quê mania?  


- A mania que faz todas as minhas palavras é intenções sumirem!



- Desculpa, eu não faço de propósito.  



- Tenho certeza que não! É apenas um dom que você tem! - Falou é voltou a sorrir. Eu estava tão completa pois sabia que aquele sorriso tão sincero era para mim 



Ele deitou em meio aquelas Folhas secas sem se preocupar com a sujeira que grudaria no próximo, seguida eu deitei sobre o seu peito. Eu estava deitada em sujeiras é certamente em incetos, más só o fato de estar deitada sobre o seu peito é sentindo os seus batimentos era como deitar em um campo com flores roxas vestida com um lindo vestido braço, era assim quê me sentia por apenas deitar sobre o seu peito.  


Toni apenas olhava as estrelas quê hoje brilhavam como nunca. 



- Está vendo aquelas estrelas ali? - Falou apontando para duas estrelas quê estavam enfileiradas. - Sabe como elas se chamam? 



- Não. Eu não sei, na verdade naoe tenho a mínima idéia!


- Eu também não. - Ele falou e eu ri. - Nós podemos dar nomes para elas! Uma pode se chamar Kathrin e a outra...


- A outra é você!  


Ficamos horas é horas conversando sobre coisas aleatórias, sobre nós, estrelas.  



Logo em seguida voltamos para a parte baixa. 


- Acho quê agora nos conhecemos o suficiente! - Falou é novamente colou os nossos lábios.  



Agora era um beijo calma nos apenas estávamos curtindo o momento, momento esse que parecia não ter fim. Com certeza esse beijo vai fazer parte da lista das melhores coisas que já fiz. 



- Nós estamos parecendo dois adolescentes apaixonados! - Falei assim quê partirmos o beijo. 



A região da boca de Toni estava totalmente vermelha, o que me fez rir.



Ficamos ali bem agarradinhos é isso foi incrível. Pela primeira vez em anos eu me senti protegida em um único abraço, me senti "alta" ou melhor dizendo: Flutuando.  
Toni me causa incríveis sensações.  



- Eu quero, eu preciso te ver mais vezes! - Falou com um voz abafada. Certamente pelo calor quê estava neste momento. Um estranho calor que deixava aquele momento mais, muito mais terno. 


- Eu também e muito. Mas agora eu tenho que ir se eu quiser dormir detro de casa hoje!  

- Com isso não precisa se preocupar, eu te levo para dormir na minha casa! Mas você pode ir, não quero que tenha problemas com o seu pai por minha culpa!  


- O quê vale é a intenção!  

Dei mais um selinho nele é fui correndo novamente para casa. Obviamente meu pai já notou a minha ausência.  

Entrei dentro de casa na pontinha dos pés. O quê não foi o bastante. ,

- O Toni é apenas um amigo não é senhorita Ashley Kathrin?!? 

Neste momento pensei que meus olhos iriam saltar para fora das órbitas. 

- Pai? É… sim o Toni é apenas um… amigo. 

- Desde quando amigos ficam se agarrando à essa hora da madrugada? 

- Agarrando? Não era eu não pai, era a… Viviam eu fui tomar um sorvete é vi ela lá então fique lá segurando vela! 


- Sorvete Ashley? Vai dormir. Você sinceramente não sabe mentir. Agora vá se deitar, amanhã teremos uma longa conversa sobre esse seu amigo ai! 




Não sei de onde tirei essa ideia de Sorvete à essa hora, realmente sou péssima com mentiras 


- Tudo bem Pai. Boa noite. - Dei um sorrisinho é fui para o meu quarto é me joguei na cama.


O meu sorriso não poderia estar maior, a noite foi perfeita retirando o fato do meu pai ter me pegado no flagra. Eu fechava os olhos é a única coisa que vinha a minha cabeça era a imagem de Toni e eu nos beijando. Com certeza terei muitos sonhos com ele, ele é o meu sonho.  

Notas Finais


*-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...