História Fixation - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Fixação, Obsessão, Possessão
Exibições 192
Palavras 2.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


✧ HELLO, BABIES! Sejam bem-vindos de novo. ♡
✧ Muito obrigada pelos comentários referente ao capítulo anterior, continuem comentando, é o que me mantém animada para continuar.
✧ Deixem a opinião de vocês, é muito importante para mim.
✧ B O A L E I T U R A. ♡

Capítulo 7 - VII. Party in the resort.


Fanfic / Fanfiction Fixation - Capítulo 7 - VII. Party in the resort.

Point of view’s Charlottie Sullivan

Seattle – 09:43

Ótima maneira de se começar o dia, Charlottie. Vou voando até o carro, com os meus saltos altos em mãos, pois se corresse com eles, teria grandes chances de levar um belo tombo e me machucar inteira.

Minha entrevista de emprego estava agendada para às dez horas da manhã, mas, infelizmente, ontem dormi tarde da noite. Jessie veio em casa, contei a ela sobre o jantar da noite anterior, em que eu tinha encontrado Justin e Aubrey. Um jantar impactante, de forma ruim, claro.

Haviam diversas mensagens suas em meu celular, mas eu optei por deixá-lo falando sozinho, pois ele estava muito exaltado.

Para minha sorte, o trânsito não estava muito caótico ou agitado, então consegui chegar apenas dois minutos antes da entrevista, correndo como uma maluca pelos andares do grande edifício.

— Olá, eu sou Charlottie Sullivan, tenho uma entrevista agora. – Eu ofegava exausta pela corrida.

— Claro, me acompanhe, por favor, senhor Davies está a sua espera. – Concordo com a cabeça, sendo guiada pela senhorita de cabelos ruivos. – Senhor Davies, Charlottie Sullivan está aqui. – A mesma me anuncia, após bater na porta e sua entrada ser autorizada.

— Mande-a entrar. – Seu tom soa educado.

Adentro a sala, engolindo a seco. Um rapaz jovial e muito bonito estava logo à minha frente, sentado em uma poltrona. Então esse bonitão seria meu chefe? Nada, nada mal. Sorrio em pensamentos.

— Sente-se, por favor, senhorita Sullivan. – Solicita, indicando a cadeira em frente à mesa, e assim o faço. – Franco Werner, um velho amigo meu, me recomendou você, então creio que realmente seja uma profissional capacitada e com potencial, pois Franco jamais me indicaria qualquer pessoa. – Senhor Davies profere, me fazendo sorrir com autenticidade.

— Aqui está meu currículo, senhor Davies. – Estendo, entregando o mesmo.

Meu possível futuro chefe analisava meu currículo, parecendo surpreso, diria até que satisfeito.

— Me parece uma ótima profissional, tem boas recomendações, ainda que jovem. – Comenta, colocando meu currículo em sua mesa. – Então, vamos lá, senhorita Sullivan, diga porque eu deveria te contratar, se me convencer, o emprego é seu. – Seus olhos agora contém um brilho bem-humorado.

Me acomodo na cadeira, citando minhas qualidades e mencionando meus fortes. Entretanto, ele também questiona meus defeitos, mas eu já esperava por isso, prontamente o respondendo. Após um bom tempo de entrevista, enfim, ele pareceu convencido e satisfeito.

— Está contratada. – Ao ouvir suas palavras, eu sorrio largo, apertando sua mão.

— Quando eu começo? – Indago, entusiasmada.

— Amanhã mesmo.

E sua resposta soa como música para os meus ouvidos.

⊱✿⊰

— Que bom que conseguiu, minha menina. – Judy me abraça, contente.

— Eu sabia que conseguiria, princesa, estou muito feliz por isso! – Meu pai beija o topo da minha cabeça, orgulhoso. – Agora vou arrumar minhas coisas, parto para Washington amanhã. – Anuncia, se retirando.

Meu celular vibra, indicando uma ligação de Jessie.

— Oi, Jessie. – Atendo, alegremente.

— Oi, Lottie, parabéns pelo novo emprego. – Espera... Como ela sabia?

— Obrigada, Jess, mas como você sabe? Eu iria te contar hoje à noite, em um jantarzinho de comemoração aqui em casa. – Estou confusa, mas mesmo assim me mantenho contente.

— Meu querido chefe preparou mais um de seus presentes para você, e como sou sua secretária... – Deixa a frase no ar, me fazendo negar com a cabeça. Como ele sabe?

— O que ele preparou dessa vez? – Fecho a cara no mesmo instante.

— Uma garrafa de champagne caro, duas taças finíssimas e um bilhete te parabenizando. – Suspiro, aliviada por Justin não ter exagerado tanto desta vez.

— Certo, assim que chegar aqui em casa, eu agradeço a gentileza dele. – Reviro os olhos.

— Ah, e também tem um convite. – Diz, me fazendo franzir o cenho.

— Um convite para o que? – Indago, confusa.

— Para uma festa no resort dos pais dele, hoje à noite. A empresa toda foi convidada, até mesmo eu irei marcar presença. – Jessie parece animada.

— Nossa, faz tanto tempo que não vejo Pattie ou Jeremy, estou com saudade deles. – Confesso, tendo algumas recordações de ambos.

— Por favor, venha para essa festa e me faça companhia, Lottie. – Jessie pede e eu rio fraco.

— Seria uma péssima ideia eu aparecer nesse evento, Jess. – Mordo o lábio.

— Você quem sabe, amiga. Mas agora preciso desligar, hora de voltar ao trabalho. Até mais, beijo. – Se despede.

— Até, beijo. – E então, finalizo a ligação.

Minha campainha toca, e assim que abro a porta, o entregador me estende uma prancheta, onde eu deveria assinar nas linhas pontilhadas. O presente de Justin havia chegado.

— Obrigada. – Agradeço, vendo o entregador sorrir, fazendo um gesto com a cabeça e indo embora.

Fecho a porta, me sentando no sofá, abrindo o champagne e colocando o líquido na taça. Se tinha algo que Justin Bieber sabia escolher muito bem, eram bebidas. Ele tinha um gosto excelente, muito aprimorado para essas “decisões”.

Abro o bilhete, passando meus olhos pelo mesmo.

“Soube da sua contratação na Seattle Media, meus parabéns, estou orgulhoso. Aproveite bem, você merece.

Atenciosamente, Justin Bieber.”

Suspiro, não encontrando nenhum rastro de deboche ou ironia em seu bilhete. Beberico mais um pouco de champagne em minha taça, pegando o convite. Era deslumbrante, assim como com toda certeza, a festa também seria.

Eu já tinha visitado o resort anteriormente, a um bom tempo atrás, quando eu ainda era muito apegada à família Bieber. Contragosto ou não, bons tempos aqueles...

Logo me vem à cabeça como Jazzy e Jaxon devem estar. Ambos ainda eram tão pequenininhos quando parti para Vancouver, os dois devem estar enormes, talvez se lembrem muito pouco de mim.

Por mais que eu quisesse muito, eu não poderia sequer cogitar ir à essa festa. Justin, na certa, estaria com sua namorada, seria uma desconfortável e terrível saia justa.

Merda, porque não consigo ficar longe? Por que esse bastardo nunca saiu da minha mente, em nenhum momento, mesmo quando eu estava o mais longe de Seattle?

Decido ligar para Justin, a fim de agradecer sua cortesia. Afinal, um pouco de educação sempre cai bem, ainda que no final fôssemos acabar discutindo.

— Lottie? – Minha ligação é atendida com prontidão.

— Oi, Justin. Só estou ligando para agradecer o que me enviou, e dizer que... Bem, obrigada pelo convite, mas eu não poderei ir. – Minha voz soa não muito feliz. Droga, eu realmente gostaria de comparecer.

— De nada, e por que não vai? Minha família está cheia de saudade você. – Sua entonação é calma, o que me surpreende.

— Eu não me sentiria bem. – Admito. – Também sinto saudade, mas quem sabe outra dia, não é? – Tento soar otimista.

— E por que não? Conhece o resort, conhece meus pais, minha família, alguns membros da empresa, eu. – Profere, em uma tentativa de me convencer.

Por enquanto, estávamos tendo uma conversa normal, como dois adultos, o que certamente me deixava surpresa.

— Se estiver apreensiva em relação à Aubrey, não se preocupe, terminamos ontem. – Assim que ele termina sua frase, minha boca se abre em choque. – Eu tentei te dizer isso antes, também tentei te comunicar sobre a festa com antecedência, mas alguém simplesmente resolveu ignorar minhas mensagens e ligações, não é? – Ele riu fraco, ainda se mantendo bastante pacífico, diria até que bem-humorado.

— Por que... Ah, deixa pra lá. – Mordo meu lábio inferior, reprimindo minha vontade de questionar o porquê de seu término com Aubrey.

— Por conta de uma cena no restaurante. – Ele esclarece, respondendo minha pergunta não feita. Céus, ele me conhecia tão bem. – Depois que foi embora, eu retornei ao restaurante e então uma das atendentes me deu mole, Aubrey viu e prontamente armou um escândalo, fez um verdadeiro escarcéu, na frente de todos os clientes, deve imaginar que isso me deixou bastante furioso. – Justin explica, e eu assinto, mesmo sabendo que ele não poderia ver.

— Que pena. – É tudo o que eu consigo formular em minha mente e dizer a ele.

— Nem tanto. – Ele confessa, arrancando uma risada fraca da minha parte e logo ouço a sua me acompanhar.

Estávamos mesmo tendo uma conversa civilizada? Isso era estranho, algo novo para mim.

— Venha, será uma noite agradável. – Justin refaz seu convite.

— Prometo pensar. – Digo, soltando um leve sorriso.

— Convidamos seu pai, mas ele não pôde vir, pois estará em Washington, estou certo?

— Sim, viagem de negócios. – Solto um riso abafado.

— E também chamamos Judy, mas ao que parece, esta noite ela vai visitar a família dela.

— Está sabendo mais que eu, uau. – Brinco, admirada, ouvindo sua risada rouca do outro lado da linha.

— Eu posso passar pra te buscar, se quiser. – Ele enfatiza o “se quiser”, deixando claro que não estava me forçando a nada.

— Eu posso ir sozinha, mas mesmo assim, obrigada. – Agradeço, negando.

— Certo, nos vemos mais tarde? – Questiona.

— Sim. – Confirmo. – Até lá.

— Até.

E, assim, finalizamos a ligação.

Eu tinha algumas boas horas de vantagem até a festa, então... Mãos à obra. Precisava encontrar um vestido, um salto, produzir uma maquiagem e arrumar meu cabelo.

⊱✿⊰

Assim que estacionei o carro, adentrei o enorme resort, informando meu nome a um dos seguranças. Para minha surpresa, nem tão surpresa assim, meu nome estava na lista VIP.

Caminho pelo enorme salão, admirando o que vejo. Estava tudo tão fantástico. Eles arrasaram na decoração, meus olhos estavam deslumbrados, contemplando toda a visão.

— Lottie? – Saio do transe, me deparando com Pattie.

Os olhos azuis da minha ex-sogra brilham ao posarem em mim. Sem pensar duas vezes, a abraço fortemente, sentindo a mesma retribuir, com seu habitual carinho.

— Quanto tempo, minha querida. – Separamos o abraço, e ela segura minhas mãos, me analisando. – Você está tão linda! – Pattie parece realmente feliz em me ver, e eu me encontro idem.

— Você também está maravilhosa, senti saudade. – Sorrio docemente para a mesma.

— Sentimos saudade também. – Ela se derrete.

— Veja se não é a nossa Lottie. – Olho para cima, sorrindo ao ver Jeremy.

— Jeremy. – Vou até ele, o abraçando e sendo correspondida calorosamente.

— Seja bem-vinda de volta, Lottie. Sentimos sua falta. – Jeremy profere, me entregando uma taça de champagne.

Ryan passa reto por nós, parecendo não me notar, mas antes que eu pudesse chamá-lo, o loiro dá meia volta, parando à minha frente.

— Estou vendo coisas? – Ele brinca, sorrindo abertamente para mim. ‒ Ou estaria eu de fato frente à frente com a desaparecida Charlottie Sullivan? – Caçoa, arrancando algumas risadas nossas.

— Como vai, Ryan? Quanto tempo, os anos te fizeram bem, meu caro. – Zombo, estendendo minha taça para ele.

— Igualmente, gracinha. – Solta uma piscadela, ironizando.

— Precisamos recepcionar alguns convidados que acabaram de chegar, com licença. – Pattie diz, com seu usual tom polido.

— Aproveitem a noite, nos vemos daqui a pouco. – Esta é a vez de Jeremy, que beberica o líquido em seu copo.

— Sinta-se à vontade, você está em casa, Lottie. – Pattie é cordial, pegando em minhas mãos e em seguida se retirando, sendo acompanhada por Jeremy.

Damos algumas risadas, e logo Butler me encara.

— Falando sério, sentimos mesmo saudade de você. – Concordo com a cabeça, abraçando o mesmo.

— Também senti de vocês. – Admito, sorri de lado. – E onde estão os meninos? – Pergunto, correndo meus olhos pelo salão.

— Estão para lá, eles não vão acreditar quando te virem. – Ryan parece ansioso.

O loiro dá um assobio alto, utilizando seus dedos, como se estivesse chamando alguém e, de fato ele estava, devido ao gesto que fez com as mãos. Em questão de segundos, Chaz vem até nós, olhando para o amigo.

— Me chamou, viado? – Somers questiona, ainda sem me olhar. Ryan concorda, apontando para mim.

Chaz me fita de cima a baixo, desacreditado.

— Lottie? Caralho, quanto tempo, você sumiu. – Ele sorri, me abraçando.

— Vou tentar não sumir mais. – Brinco, e então nos desvencilhamos.

— Com todo respeito, mas ficou um mulherão. – Elogia, me fazendo rir, agradecendo.

— Deixa o Drew te ouvir falando isso. – Ryan caçoa.

— Eu já ouvi. – Ouço sua voz logo atrás de mim, me fazendo virar para si.

— Justin. – Aceno com a cabeça, vendo-o fazer o mesmo. – Chris. – Repito o gesto.

— Caramba, é você mesmo, Lottie? – Chris, tal como os outros, também parece feliz em me ver.

— Em carne e osso. – Brinco. – Não vai me dar um abraço? – Abro os braços, e assim ele o faz, me envolvendo em um abraço receptivo.

— Está extraordinariamente linda. – Justin comenta, bebericando um pouco de sua taça.

— Obrigada, digo o mesmo. – Sorrio, em agradecimento.

— Oh, minha nossa! – Posso ver Eva empurrando Justin e Chris de leve, focando seu olhar em mim. – Você veio! – Contempla, alegremente.

— Com toda certeza. – Afirmo, sentindo a mesma me abraçar.

— Mal pudemos conversar àquele dia, venha comigo, precisamos colocar nosso papo em dia! – Eva bate palminhas, eufórica.

— Com licença, meninos. – Peço, me distanciando deles e acompanhando Eva por todo o salão, que enganchou seu braço ao meu.

Nós duas conversávamos animadamente, conforme íamos andando, algumas pessoas nos paravam, incrédulas em me ver, após anos. Por fim, Eva e eu repousamos em uma mesa, iniciando uma conversa animada, engatando diversos assuntos.

⊱✿⊰

Quando Jessie chegou, eu mais que imediatamente me uni à ela. Pude notar o olhar confuso de Justin sobre nós, quando me viu indo abraçá-la.

Por agora, Jess e eu estávamos na varanda, tomando algumas doses de licor.

Repentinamente, músicas lentas começaram, então pressupomos que era hora de todos irmos até a pista.

Eu estava apenas observando as pessoas dançarem em pares, até ele se aproximar, estendendo sua mão para mim.

— Me concede a honra desta dança, senhorita Sullivan? – Meu olhar intercalava entre sua mão e ele, enquanto vagava completamente confuso e surpreso com seu convite.

“Diga-me o que quer ouvir, algo que agradará os seus ouvidos, cansado de toda esta insinceridade, então abrirei mão de todos os meus segredos. Dessa vez, não preciso de outra mentira perfeita, não me preocupo se as críticas nunca aparecem de uma só vez”

Secrets – OneRepublic.


Notas Finais


Por hoje é só, mozis. ♥

>> ESTOU EM UMA FANFIC NOVA, VEM GENTE! Comecei ela hoje, se alguém se interessar em ler... Espero vocês lá, bjão. ♥
link: https://spiritfanfics.com/historia/sting-6714031


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...