História Flame and whater - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama
Exibições 4
Palavras 1.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


EAI GALERA O/
ninguem curtiu a fanfic ainda mas eu tenho esperanças e.e
efim, qualquer duvida retirar nos comentarios

Capítulo 2 - Capitulo 2- inimigos


- Se você nasce Whiter você será automaticamente um inimigo natural de todos que nasceram Flame ou Nate,da mesma forma que todos que nascerem  Flame seriam inimigos naturais de todos que nascerem Whiter ou Jin,entendeu?-Minha mãe dizia calmamente.

Apertei a almofada em meus braços e mais uma lagrima escorreu de meus olhos.

Papai observava tudo no sofá ao lado.Ele alternava seu olhar entre seu jornal amassado e a nossa conversa, parecia estar com raiva e principalmente decepcionado. Talvez ele quisesse um filho melhor,um que não fizesse amigos com os “inimigos”.

Como o Kao poderia ser mau ? Como alguém com um sorriso tão lindo poderia ser uma ameaça, ele era a primeira pessoa que se aproximava de mim a semanas. Como eu havia dito eu não tenho muitos amigos, na verdade não tenho nenhum.

Minha mãe suspira ao meu lado e me faz voltar o meu olhar para si.

-Tente entender Yuuki.Ele era um Flame, o que o seu pai fez foi por você. Ele se preocupa com a sua segurança.

 

- Mas mamãe ele era meu amigo .- Vacilo , olho para meu pai que por sua vez me encara com o olhar por cima de seu jornal . – Eu queria ter amigos.

- E você pode querido ,os vozinhos tem filhos Jin’s que são da sua idade. - Ela explica com a sua típica voz calma e confortável que só uma mãe consegue fazer.

- Eles são maus porque ? – Acabo falando em voz alta, digo isso mais para mim como se me perguntasse o motivo de tanta raiva.

- Eu já te expliquei antes Yuuki. – Ela fala em tom cansado e antes que conseguisse me explicar a historia toda novamente, meu pai guarda o seu jornal e se endireita no sofá ao nosso lado.

Puxa o ar inflando os seus pulmões e consequentemente seu peito e se prepara para falar.

- A décadas os Flames lutavam contra os Whinters derramando sangue de vários inocentes pelos campos de batalha, Whinter’s com sua habilidade de água e Flame com sua habilidade de manipular o fogo. Dois inimigos tão opostos quanto o fogo e a água lutaram por anos e então os Flames se uniram com os Nates, manipuladores de terra e quase extinguiram a nossa espécie . Vendo isso o Coronel Jin que era amigo do coronel Whiter da época se aliou a especie Whiter , dividindo assim as quatro espécies.- Sua voz saia rouca e autoritária .

Ele se levantou do sofá ficando de pé a minha frente com seu jornal amassado na sua mão direita.

-Esse coronel Whiter era o seu avô. Ele deu a vida pela nossa espécie , ele deu a vida por mim e a sua avó e foi morto por um Nate.

 

Ele ia se retirar da sala mas eu o interrompo.

 

 

-Mas...- Eu falo cabisbaixo e ele se vira para mim e me olha.

- Mas...?

- Se existisse algum Flame que não fosse mal ?

Meu pai me acertou um tapa que fez com que meu rosto ficasse vermelho.

-Você não entende garoto?!

O seu sorriso , as suas palavras me dizendo que ia ficar tudo bem . Porque ele disse isso? Ele sabia que não ia ficar bem,talvez ele tenha falado somente para me reconfortar. Meu pai não admitiu mas eu sabia o que ele tinha feito, sabia que não veria aquele sorriso novamente .

- Eu te criei para ser meu filho... você deveria me substituir... seguir o meu cargo no exército... não ficar contra mim você já tem dez anos... E ainda temos que ficar passando por essa bobagem de ''ele não é do mal'' toda semana!- Ele gritava em meio aos repetidos tapas que dava no rosto .

-Se você quer ter um filho assim então eu prefiro não ser o seu filho!- Meu rosto molhado por lagrimas e vermelho por causa dos tapas,se inclinou para frente de maneira que eu gritasse cara a com meu pai.

Ele parou de me agredir e me encarou por alguns instantes antes de largar a gola da camiseta que me puxava.

-Chega... vamos comer fora hoje.-Ele disse calmo,pensei ter ouvido ele dizer isso num tom triste.

Não sei como eu conseguia me importar tanto com a morte de alguém que eu mal conheci.

Mas nos últimos três anos tenho brigado constantemente discutindo com meu pai,basta eu me lembrar de seu sorriso e seus lábios formulando a frase ''vai ficar tudo bem'' que eu começo a chorar,o que irrita meu pai,o que entristece a minha mãe,o que me faz discutir com ele.Isso acontece constantemente nos últimos anos.

Toda vez que meu pai levanta a sua mão,com seus dedos ossudos e me acerta no rosto com força.É como se tudo passasse em câmera lenta e eu escuto a voz de Hikaoro.''mal''.

Ele estava certo meu pai não era um herói,ele era mau.

                         

                               -:-

-Não entendo o motivo disso.- Reclamo me ajeitando no banco de traz do carro.

-Eu não gosto de brigar com você Yuuki.-Meu pai olhava serio para a estrada a sua frente.

-Vamos isso é para descontrair a tenção dessa família.- Minha mãe disse animada no banco do passageiro.

Não queria aceitar isso,não ia ser uma porção de batatas fritas que ia fazer com que o meu rosto doe-se menos.

Não demorou muito para que chegássemos no restaurante,uma pizzaria sem nada de especial.

Seu interior era simples assim como a entrada,ninguém de terno na porta nos esperava para nos levar ate nossos assentos. Diferente dos ''jantares em família'' que eu fui até hoje,eles todos não passavam de reuniões em que os coronéis se reuniam.

 

Sentamo-nos em uma mesa perto da janela e eu fiquei quieto enquanto meus pais escolhiam o sabor da pizza. Estava ocupado pensando,me perguntando,refletindo,imaginando.

Não percebi quando a pizza chegou e meu pai me tirou de meus pensamentos perguntando se eu não ia comer.

Encarei a pizza em minha frente parecia suculenta,mas estava sem apetite.

-Jantar com assassinos me deixa sem apetite.-Falei encarando meu pai que congelou com minhas palavras.

Eu não me referia ao Kao,tanto eu quanto ele sabíamos que o Kao não era a sua única vitima. Ele já havia matado muitos Nates e Flames inocentes.

Meu pai se levantou da cadeira.

-Com licença, vou tomar uma ar.-Ele caminhou até a porta da saída.

-Yuuki olha o que você fez.- Disse minha mãe manhosa.- Seu pai não aparenta mais ele se preocupa com você.

-Não acho.- Retruquei cutucando o pedaço de pizza com o garfo.

-Vá atrás dele ! Vocês tem que conversar um pouco.- Ela ordena.Minha mãe é uma mulher bonita e seus cabelos são negros como os meus. Na maior parte do tempo seu rosto assim como sua voz doce,era calma. Mas em certas ocasiões, quando fica com raiva , sua voz mudava para um tom serio um tanto quanto assustador. E se existe uma coisa que deixa minha mãe irritada são brigas familiares.

Eu entendo imediatamente o recado e me levanto de minha cadeira.

Do lado de fora , meu pai se escorava na parede perto de uma esquina.

Assim que me viu ele dobrou a esquina e eu o perdi de vista. Apressei o meu passo e fui até ele,dobrando a esquina pude perceber que estávamos num beco mal iluminado pelo sol.

-Desculpa pelo o que eu te disse papai.- Falo me aproximando de meu pai que sorri irônico .

-Foi sua mãe que te enviou aqui né?

Confirmo positivamente com a cabeça para meu pai.

-Filho você é muito novo ainda mas algum dia ira entender que os Flames são... - Uma enorme labareda surgi entre nós e eu dou um passo para traz.

-Yuuki!- A voz de meu pai vem de traz da parede de chamas.

Por conta de o beco ser muito estreito a parede de chamas me impedia de passar.

-Papai!- Gritei na esperança de ouvir meu pai.

-Yuuki afaste-se do fogo vai ficar tudo bem !

Congelo,o medo toma conta de meu corpo. Me impedindo de mexer qualquer músculo a única coisa que eu consigo fazer é chorar. Algumas gotas de lagrima caem sobre as chamas fazendo com que se apaguem e uma pequena fumaça surja no local. Mas por pouco tempo, logo elas voltavam.

Cada gota que caia fazia com que as chamas recuassem e eu pude-se ver o rosto de meu pai.

Vai ficar tudo bem.

Mentira , mentira , mentira . 

-V-você!- Escuto meu pai gaguejar atrás das chamas.

- Se afastem de mim.

Mais uma gota cai nas chamas e elas se afastam por um pequeno tempo. Tempo o suficiente de ver dois homens

segurando os braços de meu pai e um terceiro na frente com uma faca na mão.

Não penso , nunca penso. Mas dessa vez não pensei mesmo não tinha tempo e frações de segundos me atiro para frente em direção as chamas quando elas se abrem.

Como das outras vezes,desta elas também se fecharam rapidamente,atrás de mim.

Eu estava dentro do circulo de fogo,com mais quatro homens alem de meu pai.

Eu olhei em volta ,de todas as idéias que eu já tive essa com certeza foi sem duvida a pior. Um dos homens, que não estava segurando o meu pai, se aproximou de mim e me deu um soco fazendo com que eu caísse no chão tonto.

-Não ele não!- Escuto uma voz estranha, familiar, conhecida.Que por eu estar tonto não consigo reconhecer de que lado vinha. O homem estica seu braço em minha direção e então fecha sua mão.

Um calor imenso percorre meu corpo instantaneamente , cada músculo de meu corpo ardia como se estivesse em chamas me fazendo urrar de dor.

Meu pai cai ao meu lado no chão ,seus olhos assustados estavam abertos como se me encarassem.

Um dos homem ri e fala.

-Esta morto,nosso trabalho aqui acabou.- Ele anda em direção as chamas e elas abrem caminho para sua passagem. Com muita dificuldade levanto meu pescoço e deixo que uma lagrima caia nas chamas. Elas recuam e me permitem ver todos os homens atrás da chamas por alguns segundos.

Em meio aqueles rostos sorridentes, um rosto familiar me encara assustado. Ele se afasta lentamente junto com os outros rostos e eu sou abandonado em meio aquelas chamas e dor ao lado de meu pai caído no chão.

Mas antes de perder aquele rosto de vista, antes de desmaiar no chão.

Eu junto todas as minhas forças e as uno num único grito.

Eu vou te matar Hikaori! - Eu exterminarei sua raça!- Um baque enorme de dor consome meu corpo.- Eu exterminarei... sua... raça.- Cochicho antes de desmaiar.


Notas Finais


eai, gostou? não deixe de favoritar a fanfic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...