História Flame Heart - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Gabriel "MrPoladoful", Gabriela "Gabbie" Fadel, Guilherme "Mano Coelho" Coelho, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Gabriel Tenório Dantas, Gabriela "Gabbie" Fadel, Guilherme Coelho, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Mike, Pac, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango"
Tags Cellke, Cellmitw, Cellps, Escolhas, Jvtista, L3ddy, Lemon, Lubbie, Mikethelink, Mitw, Pactw, Tazercraft, Tazercraft!girls, Yaoi
Exibições 39
Palavras 1.709
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Harem, Hentai, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 04


FH - 04

Fazia muito tempo que acordava fora de casa sem ter feito algo à mais pela noite. Saiu de cima de Tarik e bocejou, esfregando os olhos. O vaso de pipoca estava no chão e o filme se repetia pela décima vez. Sem perceber Felps roncando numa poltrona, levanta e pega a bolsa, deixando um bilhete e saindo do apartamento após beijar Tarik suavemente nos lábios. Achou o carro e dirigiu rápido de volta para casa, sem música dessa vez. Entrou e foi se arrumar, ficando de moletom e calcinha, largada na cama e encarando o teto. Não parava de pensar no outro. Ele era diferente de um jeito bom, algo que a encantava com rapidez. Mas tinha que parar de pensar desse jeito; não queria sofrer de novo por causa de um romance. Por mais que Tarik fosse diferente, que já soubesse de sua escolha, que gostasse dela do jeito que ela é, ainda existe um trauma do passado. Estava no meio de um dilema interno.
****
  - Você gosta dela?
  - Claro, ela é uma ótima amiga.
  - Nem venha com essa de amiga, você entendeu muito bem o que eu quis perguntar.
  - Eu...
Felps nem precisou de resposta, a cara do amigo dizia tudo. Suspirou, revirou os olhos e deu um tapa na própria testa, juntando tudo o que queria falar numa frase só.
  - Você tem que ganhar a confiança dela se quiser mesmo fazer isso.
  - Confiança?
  - Jesus, se você fosse mais burro teria rabo. Olha, Rafael me disse que ela sofreu uma decepção amorosa daquelas que podem te deixar com uma depressão fodida. Por isso ela virou puta de bar e nunca mais se relacionou com alguém por mais de dois dias.
  - Ei, não chama ela assim!
  - To mentindo, por acaso? Se quiser ficar com ela daquele jeito todo grudento e fofinho de namoradinhos adoráveis, consiga a confiança dela. Caso contrário, você vira só mais um na lista.
  - E porque Rafael te diria isso?
  - A gente espiou vocês dois ontem o dia inteiro, ele ta preocupado com a garota. Nem adianta ficar vermelhinho, eu não me arrependo, foi a coisa mais engraçada do mundo.
  - Eu te mato...
  - Que mata nada, cê me ama. Agora levanta esse traseiro frouxo daí e prepare um plano que não envolva sexo. Lembre-se: confiança. E prepara um sanduíche também, to com fome.
****
Rafael ficou encarando a cena durante dois minutos inteiros até começar a espancar Calango com o travesseiro, sem um pingo de pena. O garoto berrou e protegeu a cabeça, rolando para fora da cama. Ia levantar, mas o travesseiro o mandou de volta para o chão.
  - PORRA CELLBITO!! - gritou, mandando o travesseiro de volta
  - Não me chama disso - murmurou, fechando a cara - O que você tá fazendo aqui?
  - Mika me chamou ué, e incrivelmente foi só pra conversar. Que que você andou aprontando, em?, ela parecia meio triste.
  - Calem a boca, sacos de merda... - Mikhaela puxou o lençol para cima - Quero dormir.
  - Desculpe, querida. - Rafa a beijou no rosto, pegou Calango pela blusa e o arrastou para fora do quarto
Depois de um café e uma breve explicação, os dois se sentaram no sofá e se encararam, ambos sem querer começar a conversar. Se rendendo, Rafa respirou fundo e esfregou o rosto.
  - Como assim, ela parecia triste? - resmungou
  - Triste, triste, só tem uma definição pra isso. Estava fazendo uma carinha de dar dó, mas não quis me contar nada. Vocês brigaram de novo?
  - Não. Eu sei o que é. - puxou o telefone e ligou para Felps
  - Que é, loirinho? - atendeu com voz de sono
  - Ela tá afim dele, confirmado.
  - Você me acordou pra isso, sério? Mas olha, já conversei com Pac, ele vai dar um jeito.
  - Espera aí, ela ta afim de quem? - Calango perguntou, confuso
  - Não quero que ele dê um jeito, quero que ele suma! - colocou a mão na boca de Calango
  - Ah, então fodeu, ele é daqueles que não desiste fácil. E não me ligue mais nesse horário, gatinho, ou te pego de jeito da próxima vez - desligou
  - ...Merda! - jogou o telefone no sofá
  - Eu gostaria de saber o que que tá acontecendo, POR FAVOOOOR!
  - Mikhaela tá apaixonada.
  - FODEEEEU!
  - É, eu sei.
  - O cara ao menos sabe que ela tem uma beringela no meio das pernas? Tipo, isso é algo importante.
  - Sabe, ele sabe... Lembra de um moleque que Mika salvou da morte a uns anos atrás? O da caçamba? É o mesmo moleque.
  - Oh, a vida e suas ironias. - fez pose dramática, se jogando no amigo - Se ele sabe e tá de boa com isso, não tem porque se preocupar! Aquela vadia só fez escândalo porque não sabia-- e porque era uma vadia também. Pra quê separar os dois?, todo mundo precisa de um pouco de amor na vida. Deixa de ser rabugento, tá parecendo um adolescente cheio de escrotisse! Se ela ta afim dele, se ele ta afim dela, se os dois querem ficar de namorinho frufru, não vai ser você quem vai impedir. Deixa. - deu um murrinho na testa do loiro - De ser. - e outro - Rabugento. - e mais um. - Eles são adultos, sabem o que tão fazendo. Agora licença, saí de casa sem avisar e meu mozi deve estar infartando.
  - Ainda com o Pk?
  - Ele me pediu em casamento. - levanta e busca o casaco, sapateando até a porta - Resolvi aquietar o cu.
  - Agora eu acredito em milagres. Você, casado? Com aquele cara?
  - Pois é. Se eu consegui arranjar um casamento, Mikhaela consegue amar de novo. Dá uma chance, Cleberino.
Ele saiu da casa, deixando o loiro bem pensativo. Mikhaela desceu pouco depois, esfregando os olhos e bocejando. Passou reto para a cozinha, perguntando se Rafa queria um café. Ele concordou, ainda bem fora de órbita, massageando a testa. Ela chegou com a caneca de café e sentou ao seu lado, olhando-o preocupada. Rafa deu uma desculpa qualquer e inventou uma dor de cabeça, sem querer que ela descobrisse o que pensava e planejava. Ficaram se mimando durante o resto da tarde, cada um perdido nos próprios pensamentos.
****
Ela encarou o próprio corpo nu de diversos ângulos, fazendo caretas para o espelho. Tinha algumas cicatrizes leves no tronco, onde fez cirurgia para tirar um par de costelas e adicionar silicone nos peitos. Mesmo assim, o corpo ainda era deveras másculo: coxas fartas de atleta, bíceps delineados, pomo de Adão e, claro, a genitália masculina. Alisou a lombar, empinando um pouco. As nádegas nunca precisaram de uma adição de silicone; eram bem firmes e redondinhas. Passou a mão pelo peito, ombros, pescoço, procurando por algum "defeito", o olhar sempre questionador. Suspirou desistindo, enrolando a toalha no corpo e saindo do banheiro em passos curtos. Chegou ao quarto e vestiu a camisola, deitando ao lado de Rafael. Ele a beijou rapidamente e voltou a digitar no telefone.
  - Rafa, o que você acha de mim? - não forçou a voz dessa vez. Era Mike quem falava
  - Como assim? - já escutara isso diversas vezes e já sabia como iria acabar, mas sempre se divertia com o assunto, por mais sério que fosse
  - Meu corpo é esquisito.
  - Se fosse esquisito, eu não te chamaria de linda. - desligou a tela do celular e encarou o amigo - Ou lindo. Que seja. Você é uma pessoa maravilhosa.
  - Mas...
  - Mike é o melhor amigo que eu poderia ter nessa vida. Ele é bonito, uma fera na cama, cozinha muito bem e é o melhor barman da cidade. Nas horas vagas, ele ajuda crianças órfãs e/ou crianças hospitalizadas com todo seu carisma e encantamento. E, olha só que irônico, ele está deitado ao meu lado fazendo o bico de choro mais fofo do mundo.
  - S-Seu retardado... - ele realmente estava se roendo para segurar as lágrimas
  - Minha opinião sobre você só vai mudar se você fizer uma cirurgia plástica nesse seu narizinho perfeito. Aí sim eu vou ficar puto.
  - Hah, não pretendo fazer isso. - soltou uma gargalhada, engolindo o choro e abraçando o amigo com força - Obrigado.
  - Ah, isso não foi nada. - beijou a testa dele - Mike, Mikhaela, seja lá quem você quer ser em corpo, eu te amo. Só não mude o seu pensamento. E o nariz. - levou um tapinha no ombro - Okaay, desculpa!
  - Retardado. - ficou vários minutos em silêncio e estava quase dormindo com o cafuné quando perguntou num sussurro tremido: - Você acha que ele pensa assim que nem você?
  - Eu... - foi repentino demais para Rafael - Eu acredito que sim. Ele gosta bastante de você.
  - Sério?
  - É, aquele amigo retardado dele fica me contando tudo, sabe. Pac tá todo purpurinado por você.
  - Eu quero retribuir, mas... Os pesadelos com aquela puta idiota me xingando no meio do Colégio inteiro voltaram e minha cabeça tá um caos. - massageou a testa, respirando fundo
  - Ele nunca faria isso com você. - Rafa sussurrou com emoção, apertando mais a amiga - Você salvou a vida dele, Mika. Ele vai fazer de tudo o melhor para você, tentando retribuir. Eu também estou um pouco preocupado com isso, mas é só juntar as peças para descobrir que Tarik nunca, nunca, te trataria do mesmo jeito que aquela garota te tratou. Pensa assim.
Os dois se encararam sorrindo, Mika ao ponto de quase chorar de novo, Rafa tentando passar toda a sensação de segurança possível para ela. Alisou seu rosto e depositou um beijo suave em seus lábios, só então percebendo uma coisa.
  - Espera aí, eu não vou poder mais transar com você?! - quase gritou
  - ...Cê tá brincando, né? - a emoção inteira do momento foi pro ralo
  - É lógico que não estou! Vou entrar num consenso com Tarik, você é minha nos fins de semana e quarta-feira, e nos outros dias ele pode ficar com você. AI, NÃO ME BATE!


Notas Finais


Yeeeeey!!!
Esse foi o capitulo "confessamento, brotamento de Calango e Cleberino sendo um lerdo". Melhor nome de capitulo, melhor q os caps do rick ryordan.
Felps melhor amigo q um ser humano poderia querer. Acho q botei mt de mim nele e olha no que deu, o migo tendo umas crises amorosas e ele pedindo um sanduíche. Muito eu, mds.
VAI NESSA TÉRIQUE, GANHA TUA MUIÉR!
O nariz do Mike é mt lindinho, n sei pq eu adoro o nariz dele, quero morder o nariz dele mds o nariz dele
Cleberino
Espero q tenham gostado, ate o próximo q é lemon cellps uhul, e FALOU!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...