História Flashback - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Beatrix, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Seiji Komori, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Tags Ayato, Diabolik Lovers, Escolar, Sakamaki Brothers, Shoujo, Sobrenatural, Vampiros, Yui
Visualizações 80
Palavras 1.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


WAH WAH WAHAHAHAH
ROMAH ROMAHMAAH
GAGAH UHLALAA
WANT YOUR BAD ROMENCE!!

SEI LÁ SE ESCREVE ASSIM, SÓ SEI DIZER QUE DECIDI ANTECIPAR A EXPLOSÃO NA CABEÇA DE VCS, XAU

Capítulo 8 - Mentir também não é uma boa ideia


 

 

 

 

A loira abriu os olhos levemente, o escuro do quarto tingia tudo num tom mais escuro. Seu corpo se sentia dormente por todo lado e sua boca tinha um gosto amargo.

Piscando algumas vezes, suas pupilas se acostumaram a falta de luz, definindo tudo ao redor, ela notou que estava em seu quarto. Suspirou. A segunda coisa que veio a ela foi o cheiro da pessoa que ela amava, fazendo-a virar-se para a origem do aroma, mas só encontrando uma poltrona que fora empurrada para o lado de sua cama. Ayato devia ter se sentado ali por um longo tempo para que seu cheiro impregnasse o tecido acolchoado. O pensamento a acertou como um trem.

Por quanto tempo havia dormido?

Rapidamente, ou o mais rápido que podia no momento, se sentou encostada na cabeceira da cama, sendo atingida por uma tontura lânguida no instante seguinte. Esfregou a testa, esperando que a sensação sumisse, mas só piorou. Algumas memórias voltaram a ela. Poucas e desordenadas, a única que fazia sentido explicitava seus últimos momentos. Nelas ela conversava com o ruivo na sala de jogos sobre um assunto do qual ela não se lembrava. Ela se lembrava de tentar jogar bilhar e de Ayato rindo dela quando errou a caçapa e depois... depois...

Preto.

Yui bufou quando chegou à conclusão de que havia desmaiado de novo. Ignorou a dor de cabeça e se levantou, fazendo o impossível para se manter de pé.

O telefone em sua mesa tocou e ela seguiu até ele, atendendo a chamada com uma voz calma.

― Miss Komori, como vai? ― A voz masculina do outro lado da linha era carinhosa, mas com uma diversão perigosa embutida ao tom. Ela ficou surpresa com quem falava.

― Tougo, que surpresa agradável. ― Yui sorriu, sua dor de cabeça sumindo aos poucos.

― Não mais agradável que seu sorriso, vale relembrar. ― Galanteou. ― Como está sua saúde, querida nora?

― Ah... ― Yui suspirou. ― Como sempre, acredito.... Acabo de acordar e não faço ideia de quantos dias fiquei em coma.... De qualquer forma, precisa de algo?

― Sim, mas entenderei se seu estado não permitir. Não quero que se esforce como da última vez. Você se lembra do que aconteceu, não?

A loira mordeu a bochecha por dentro.

― Claro. Irei respeitar meus limites. O que é?

Conforme Karheinz explicava a situação, Yui se sentia cada vez mais irritada.

― Claro, vou dar uma olhada. ― Respondeu por fim, passando a mão pelo cabelo loiro. ― Estarei esperando.

Um barulho alto e um grito agudo que fez seu cenho franzir. A voz enraivecida de Subaru se seguiu aos sons e a loira decidiu que ele estava um pouco mais irado que o comum. Colocou o telefone no gancho e se dirigiu para a porta.

Mais que depressa alcançou o hobby preto que estava jogado sobre a cadeira da penteadeira e saiu do quarto escuro.

Conforme se aproximava da escadaria principal o barulho aumentava e sua audição sensível pode reconhecer vozes femininas em todos os tons, desde irritadas até amedrontadas. O vinco em sua testa se aprofundou quando ela se encontrou descendo a escadaria do hall. De cima, a cena a chocou: Cinco meninas humanas desconhecidas a ela foram encurraladas pelos irmãos de diferentes formas.

Havia uma morena à frente de Subaru, dotada de um olhar tão irritado quanto o dele. Olhando para ela estava uma outra menina, de cabelos curtos e descoloridos com um remanescente de tintura azul. Esta aprecia impressionada pela reação da amiga e era encarada por um Kanato nada feliz. Reiji observava a cena mais afastado, porém encarava uma garota de olhos verdes e cabelos pretos como se quisesse derrete-la. Uma ruiva de olhos jade estava de pé ao lado da morena, segurando sua mão, porém encarando Shuu, que inacreditavelmente estava em pé e bem alerta. Por fim Laito sorria divertido para uma garota loira como ela, porém de olhos azuis, e havia uma arma no chão. Ela tinha os braços mantidos para trás por um Ayato que estava muito perto.

Ela estreitou os olhos.

Ele estava perto demais.

Ela limpou a garganta e todos os olhares foram dirigidos à ela com surpresa gravada em suas íris. Yui cruzou os braços e passou os olhos por toda a cena novamente, dessa vez notando um buraco de bala em uma das paredes. O desgosto gravado em seu rosto.

― Posso saber o que está acontecendo aqui? ― Sua voz estava firme e até ela se impressionou com a escuridão do tom.

O primeiro a se mudar foi Ayato, soltou a garota que perdeu o equilíbrio e caiu no chão, e deu alguns passos à frente, passando por Laito.

― Você acordou... ― Ele murmurou, a encarando como se ela fosse um fantasma ou algo do tipo.

A vampira levantou uma sobrancelha com ciúme demais nublando seus sentidos para analisar o contexto da frase. Ao contrário, ela respondeu a ele com um claro olhar mortal de “Cale a boca, eu não quero ouvir sua voz”. Ayato, por sua vez, pareceu compreender a mensagem e levantou as sobrancelhas numa expressão confusa. Por que ela estava tão irritada afinal?

― Veja bem, Bitch-chan, estávamos apenas nos divertindo com nossas amigas.... ― Dessa vez o foco de seu olhar foi o ruivo de chapeu.

― Ah, claro, já imagino quanta diversão. Até atiraram em alguém, não é? ― Ironizou. Seu humor estava péssimo. ― Imagino também que Tougo saiba dessas suas amigas e como elas estão se divertindo, certo?

― Miss Komori, não é o que parec- ― Foi a vez de Reiji tentar explicar. Yui estava irritad o suficiente para não notar como o moreno, que sempre teve resposta para tudo, se embolar nas próprias palavras.

― Eu sei bem o que parece, Reiji. ― O rosto do moreno se fechou perante a interrupção. ― E, se fala a verdade, se explique. ― Ele franziu mais o cenho perante à ordem.

― Eu não lhe devo explicações. ― O tom finalmente caiu, se tornando sombrio para com ela. Revirou os olhos internamente, ela já esperava isso de Reiji. Ele nunca gostou dela, de qualquer forma.

Irônico como o destino é, decidiu abrir a porta naquele instante. O ranger da madeira fez com que todos se virassem para a nova figura que adentrava a sala.

― Quem não deve explicações?

Imponente em um terno caro era o político Sakamki Tougo, mais conhecido no mundo demoníaco como Karheinz, Rei vampiro.

 

 

 

 

 

Eu não acredito em você

Eu não acredito em suas mentiras

 

A máscara sempre cai

A verdade sempre aparece

Não há como voltar atrás

Um dia você vai cair”

― The Mask Always Fall, Error

 


Notas Finais


Capítulo curto, mas bombástico, vcs tem que adimitir kkkkk
Vcs sacaram néah? A Yui tem uns problemas de saúde (que serão explicados, para quem não acompanhava antes, jájá) e a coitada desmaiou durante um tempo aí e nisso aconteceram coisas que vocês não sabem hehehehehe

MAS NADA DE PÂNICO
Eu apenas decidi experimentar um jeito novo de escrever. Eu explico o que tá acontecendo!
Como vocês podem notar, a treta ta armada pro lado dos Sakamaki e as meninas já estão bem envolvidas com eles (A Aya até tentou matar alguém ali). Eu fiz assim por que aí vocês não vão estar cientes da relação entre eles e terão que especular e remoer as informações meia-boca que eu irei fornecer e tentar sacar o que aconteceu nesse meio tempo sozinhos.

Sou má, né?

Mas vai ser divertido, pode crer. (Pelo menos para mim ¬u¬)

E olha, vai ser divertido, mas não vai ser fácil, não, viu? Tio Karl apareceu e o clima vai mudar....... MUAHAHHAHAHA

Até a próxima (:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...