História Flawless - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, Lily Collins, Marcelo Vieira, Sergio Ramos
Personagens James Rodríguez, Lily Collins
Exibições 49
Palavras 3.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi , tudo bom ?

Vocês assistiram a homenagem que o atlético nacional fez para a chape ?

Foi a coisa mais linda....

Capítulo 6 - Six


Fanfic / Fanfiction Flawless - Capítulo 6 - Six

Acordei com James se mexendo sem parar, chamei seu nome, porém ele não me respondeu. Me levantei e acendi a luz. James  já estava sem as cobertas e por estar apenas com uma bermuda, podia ver que estava suado, me aproximei e ele apenas sussurrava "por favor, pare". 

- James - o chamei - acorda!

 Depois de tanto chamar ele, finalmente ele se sentou assustado. Nunca pensei que o veria assim, assustado, seus olhos estavam marejados, e ele não conseguia controlar sua respiração. James abaixou a cabeça, enquanto tentava respirar normalmente. 

 - tudo bem? - perguntei 

 Ele apenas assentiu, não queria vê-lo assim, e além de que estou totalmente curiosa pra saber com que de tão ruim ele pode ter sonhado pra ficar dessa forma. Me aproximei dele, e com um pouco de receio toquei seu ombro, depois de um tempo, ele me olhou. 

 - tem certeza que está tudo bem? - perguntei 

- tenho, Skyler, me deixa em paz - se levantou 

- tudo bem! só estava querendo te ajudar, ignorante - voltei a me deitar

 Depois de fechar meus olhos, pude notá-lo se aproximando. 

 - desculpa - ele disse baixo 

 Eu estava escutando certo? James está se desculpando? Abri lentamente meus olhos e olhei pra ele, dei um espaço para que ele se sentasse do meu lado e assim ele fez. 

 - com o que sonhou? 

- é complicado - desviou o olhar 

- não vou contar pra ninguém - me sentei - posso ser insuportável mas não contaria nada - voltou a me olhar 

- eu sonhei com meu tio - abaixou a cabeça - ele "cuidou" de mim dos meus 15 anos até 18 anos 

- e o que aconteceu no seu sonho 

- ele estava fazendo o que fazia nos 3 anos que cuidou de mim 

- que é... 

- você pergunta demais - suspirou 

- se não quiser falar, tudo bem

- meu tio me batia quase toda sexta feira, porque ele bebia muito - me encarou - depois me pedia desculpas no sábado 

- e você ficou nisso por 3 anos? 

- esse meu tio estava pagando meu colégio, na época meu pai estava quase falido, e eu não queria decepcioná-lo 

 Nem parecia real, então Rodríguez é uma pessoa que só procura aprovação do pai? Por algum motivo não queria nem pensar nele sofrendo de tal forma. 

 - esse sonho...pesadelo... foi uma lembrança na verdade, quando ele me espancou porque esqueci de comprar a cerveja dele, então eu descobri que ele não precisava estar bêbado pra me bater - suspirou - naquele dia ele me bateu até eu desmaiar foi... horrível 

- por isso você é assim? - perguntei 

- acho que pra ser tão horrível como eu sou, precisou disso e várias outras coisas 

- você não é tão horrível assim 

- ah não - ironizou - você mesma diz isso quase todos os dias - me encarou- não tente me consolar agora com suas palavras bonitas - revirou os olhos 

- você só é horrível quando quer, mas quando esquece de tudo, pode se tornar um cara legal, óbvio que irônico, você sempre é, mas as vezes consegue melhorar - sorri de canto 

- espero que esteja certa 

- onde seu tio está agora? 

- provavelmente no inferno 

- você não... 

- não o matei - riu - mas admito que se fosse eu que tivesse feito isso, não me sentiria culpado, ele começou usar drogas, e dever dinheiro, acabou morto, foi espancado até a morte 

- nossa 

 Então, notei que em seu ombro tinha uma cicatriz, toquei na mesma, e pude ver James me encarar. 

 - talvez até pessoas como você tem seus motivos pra ser assim - disse ainda olhando para sua cicatriz 

- eu tenho muitos motivos - se levantou 

- e seu pai? - perguntei 

- o que tem ele? 

- não o vê mais? 

- as vezes 

- m... 

- para de me encher de perguntas - me encarou - você quer saber demais 

- fiquei curiosa - ri baixo 

- vou fazer chá, se quiser - disse saindo do quarto 

 Ele havia me feito perder o sono então, acabei descendo as escadas, ao chegar, ele estava colocando a água pra ferver, depois se sentou na cadeira, me sentei de frente pra ele, mas mesmo assim não disse nada. 

 - tem horas? - perguntei 

- quase cinco horas 

- está melhor agora? - perguntei 

- sim - sorriu de canto - você é assim mesmo? 

- como? - perguntei confusa 

- preocupada com as outras pessoas 

- ah, sim... chega até ser um defeito - revirei os olhos 

- eu gosto - sussurrou  

 Eu que até então não olhei diretamente pra ele, olhei em seus olhos, acho que ele não havia dito para que eu escutasse, porém eu escutei.  

 - Rodríguez ? 

 - sim? 

 - a água - ri 

 James se levantou rápido, ele simplesmente esqueceu? 

 Acabei rindo de novo, James pegou duas xícaras e preparou o chá, depois colocou na mesa, peguei uma da xícaras, e tenho que admitir, é ótimo, não é muito doce, nem chega ser amargo. 

 - até que você sabe fazer um chá, Rodríguez - sorri sinica  

 - nem seja sinica, chá é a melhor coisa que eu faço - se gabou  

 - ri - sou péssima, nunca sei quanto açúcar colocar, fica doce demais, ou amargo demais  

 - então deve ser uma das coisas que eu sou melhor que você - ironizou  

 - muito engraçado Rodríguez - disse no mesmo tom  

 - gosto da madrugada, fico calmo  

 - isso eu notei... Por quê? 

 - o dia está amanhecendo, ninguém pra me encher o saco, isso é ótimo  

 - infelizmente estou aqui pra te encher o saco  

 - é, mas as vezes da pra conversar com você  

 - você é orgulhoso, eu sempre te encho de perguntas, duvido que não queira saber nada de mim  

 - e não quero  

 - ah eu duvido, vamos lá Rodríguez , deixa de ser orgulhoso  - suspirou 

- okay, hum... A família Diamonds parece perfeita, é mesmo?  

 - hum... Não, minha mãe prefere minha irmã, e meu pai à mim, então um sempre fica tentando favorecer o preferido, isso é chato  

-deve ter sorte de ser a preferida do seu pai - ri 

- não, porque meu pai trabalha com diamantes etc, queria que eu seguisse os passos dele, isso não aconteceu  

 - o que quer fazer?  

 - teatro  

 - sério? - riu  

 - não da risada - ri - eu adoro, entro em qualquer papel, drama, comédia, tudo...

 Mas as vezes prefiro escrever, já escrevi uma peça  

- pensava que só tinha 18  

 - sorri - mas dei meu jeito -pisquei  

 - quando eu era mais novo queria ser Jogador - riu - eu era tão iludido  

 - olha, não fica se achando, mas você deve jogar bem , poderia ser jogador sim  

Finalmente achei algo que o deixasse com vergonha, afinal ele deu apenas um sorriso envergonhado, e tomou seu chá. Terminei o meu, e subi as escadas até o quarto, me deitei na cama, e depois de um tempo James apareceu, apagou a luz e se deitou. Eu estava de costas pra ele então só notava ele se mexer, mas antes de dizer qualquer coisa, estava cansada e dormi.  [...] 

Acordei e olhei para o relógio, já era 11 horas, acho que ficar aqui está me deixando uma preguiçosa... Me levantei, fui até o banheiro, fiz minhas higienes, e decidi colocar uma roupa minha, porém de ficar em casa, então, uma blusa e um shorts. Desci as escadas, e nenhum sinal do James, fui até a cozinha, peguei algumas coisas pra mim comer, e me sentei na cadeira, enquanto comia, notei alguém entrar na cozinha, porém não era o James, mas outro cara que eu não sei quem é.  

 - quem é você? - ele perguntou  

 - Skyler  

- sou Christopher, mas só Chris  

 - okay - sorri  

 - você é uma das garotas do James? - perguntou  - tipo.. Uma das garotas que ele pega etc  

 - revirei os olhos - não  

 - duvido - riu  

 - olha estou aqui porque sou obrigada- me levantei - e eu perdi a fome  

 - ei ei - me parou - se esta presa aqui, então é dele querendo ou não, meu chefe sabe bem o que faz  

 - não sabe, e você tira a mão de mim - bati em sua mão  

 - você não está na sua casa, deveria respeitar quem está aqui  

 - me obrigue  

 - se você continuar assim, eu obrigo sem problemas - segurou minhas mãos  

 - me solta!  

 - Chris te dou dois segundos pra se afastar dela  

 Ouvi a voz do James, e logo Chris se afastou. 

 - olha chefe ela que...  

 - eu não quero escutar, você esta aqui pra fazer seu trabalho, e não falar com quem está aqui 

 - mas eu sempre fiz isso 

 - não quero que encoste nela de novo, está claro? Ou quer um desenho? 

 - suspirou - sim senhor  

 - pode ir - fez um sinal pra porta - o que eu queria fala e com você, eu já disse 

 Chris me encarou uma vez, mas não fiquei assustada, tenho que admitir que é melhor James descontar sua raiva em outra pessoa.  

 - licença  

 Eu iria sair, porém James segurou em minha cintura me parando, o encarei. 

 - ele não fez nada, não é?  

 - não, ele só disse 

 - o quê?  

 - vai perguntar pra ele, Rodríguez 

- não sei porque ainda te ajudo 

- se está tão nervoso, pode me soltar 

- ainda não - riu - eu escutei o que ele disse, só queria saber se tinha ficado nervosinha 

- não fiquei nervosinha, idiota 

- não fica com ciúmes Sky, você é minha preferida - sorriu malicioso

  Como ele pode mudar da água pro vinho? O que ele me falou com certeza me tirou do sério. 

 - ciúmes? Rodríguez, o único sentimento que eu tenho por você é ódio 

- pode me dar um motivo? 

- por... você agir assim, ser péssimo sem mais nem menos, ser bom sem mais nem menos - riu 

- queria ser pior ainda com você, mas não consigo 

- por que? - perguntei 

- e como sempre... você já está querendo saber demais - me soltou e se afastou 

- ou você que explica de menos - eu disse ríspida 

- revirou os olhos - vai ficar brava por uma besteira? - riu  

 - para de rir, porque agora não é nenhuma brincadeira, não me trate como uma vagabunda, porque eu não sou, e não admito que ninguém fale assim comigo 

- eu falo do jeito que eu quiser com quem eu quiser 

- comigo não

 Ele me encarou com o maxilar trincado, e uma cara de nervoso, continuei com um olhar desafiador, e saí da cozinha.

 James Rodríguez P.O.V.

 Por que essa garota tem que ser assim? sempre pensei que eu odiava garotas atiradas, mas complicadas feito ela, nunca vi igual. Parece que ela nasceu pra me tirar do sério, em poucos palavras, já estou fervendo de raiva. Porém ao mesmo tempo, quero essa garota, sou possessivo e não escondo isso de ninguém, quando quero algo, eu consigo, mas não me lembro de querer tanto assim algo, igual quero à ela. Estou ficando louco, e com certeza posso culpá-la, mas tenho que admitir que é um tanto divertido pra mim vê-la totalmente nervosa. Fui até o meu escritório, tenho que trabalhar, mas desde que ela chegou aqui minha mente fica apenas nela, e isso me deixa com mais raiva. Como uma garota complicada assim não sai da minha mente? Ela é como um daqueles desafios muito complicados, que você quer muito resolver. E eu vou resolver de algum jeito. (...) Saí do escritório depois de algumas horas, andei pela casa, e não demorou muito para que eu avistasse Skyler na borda da piscina, estava sentada apenas com os pés brincando com a água, até parecia uma criança. Me aproximei e ela notou minha presença, logo olhou pra mim. 

 - o que foi? - ela perguntou 

- nada, só estou andando pela minha casa - respondi em tom óbvio 

 Ela revirou os olhos e voltou a atenção para a piscina, me aproximei mais e me sentei ao seu lado, desconheço o motivo mas agora me sentia um pouco mais calmo. 

 - e como sempre seu humor mudou do nada - disse sem olhar diretamente pra mim 

- você nem está tanto tempo assim na minha casa - a encarei - não é muito difícil de te conhecer 

- digo o mesmo 

- ah é? - ironizou 

- você complica tudo, e faz questão de fazer isso todos os dias - riu 

- as vezes nem parece que você é mais velho que eu 

- está me chamando de infantil? - a encarei - sorriu 

- talvez  

 - é mesmo, devo ser um garoto ainda, melhor, adolescente - me encarou 

- esta admitindo Rodríguez? 

- sim, por ser ainda um garoto, faço coisas de garoto, tipo bem infantis mesmo 

- tipo... 

- derrubar as garotas chatas na piscina 

Quando ela iria se levantar a empurrei na piscina, não demorou muito para que ela me puxasse e eu caísse junto com ela, até consigo ficar parado na piscina, mas nadar? de jeito nenhum. 

 - idiota - jogou água em mim 

- você provocou 

 Ela me olhou no olhos, aproveitei que estávamos encostados na borda, a deixei colada na mesma. 

 - não deveria deixar você nem encostar em mim - ela disse 

- mas deixa, por quê? 

- infelizmente essa pergunta eu não sei responder 

- talvez você saiba, mas não quer admitir - sorri 

- revirou os olhos 

 O tempo que já estava fechado, piorou,e  começou a chover. Tenho que sair logo dessa piscina, porque já disse, não é muito meu forte. 

 - melhor eu sair daqui 

 Apoiei minhas mãos na borda,e saí da mesma, enquanto a chuva piorava ainda mais, olhei para ela, que com um pouco de dificuldade, conseguiu sair da piscina. Em vez de sair correndo da chuva, ela ficou parada olhando para o céu. 

 - eu adoro a chuva - sorriu Me perguntava como ela podia parecer tão inocente as vezes, mas só as vezes. 

 - vamos ficar gripados - eu disse 

- pode entrar - me encarou 

- se você vai ficar - dei de ombros - também fico, um Rodríguez não vai ter medo de uma chuva 

- riu - tudo bem, Rodríguez 

 Me aproximei dela, e a chuva, diminuiu apenas um pouco, mas não parou. Seus olhos estavam ainda mais verdes, e seu olhar estava fixado ao meu. 

 - Eu sei porque você ainda deixa eu encostar em você 

- sério? - ironizou - então diga, James 

 - porque você gosta quando toco em você 

- não se cansa de se gabar 

- e você não se cansa de mentir pra si mesma? 

- eu não estou mentindo, eu tenho todos os motivos pra te odiar 

- então por que não se afasta? porque não consegue... não é mesmo? 

- J... James, essa conversa não está mais fazendo sentido 

- está, e você sabe que sim 

- mesmo estando, por favor para 

- por quê? 

- eu não quero ter nada com você, isso... vai deixar minha família nervosa, e... eu nervosa comigo mesma, você só me causa problemas 

- ninguém pode te salvar de mim agora, Skyler 

 Já estava próximo dela, e meu olhar foi direto para seus lábios. Skyler continuou ali parada na minha frente. Rocei meus lábios nos seus, e aos poucos ela fechou seus olhos, então selei nossos lábios, a beijei da forma mais intensa que se pode imaginar, nos beijamos até o folego faltar. Ela voltou a me encarar, pensava que iria dizer alguma coisa, mas dessa vez ela me beijou, não esperava por isso, mas correspondi ao seu beijo, e a empurrei para dentro de casa, quando entramos, rompi o beijo, e tirei sua blusa, que estava completamente molhada, e ela me ajudou a tirar minha camiseta. Voltei a beijá-la, coloquei-a em meu colo, e subi até meu quarto, ao chegar, a coloquei na cama. Skyler ficou por cima de mim, eu fiquei sentado, e ela no meu colo. Me beijou, cravou suas unhas na minha nuca, e eu segurei em sua cintura, deslizei minhas mãos até sua bunda, e desci até suas coxas, apertando com força, ela soltou um suspiro entre o beijo,e  eu sorri.  

 Fiquei por cima dela novamente, tirei seu shorts, e passei meus lábios até sua barriga, ao chegar em seus seios, me livrei do seu sutiã, distribui beijos pelos seus seios, e cheguei ao seu pescoço, mordi de leve, e ela sussurrou meu nome.  

 Tirei minha calça com sua ajuda, e estiquei minha mão, para pegar uma camisinha na gaveta mais próxima. Cheguei na sua calcinha, e tirei com os dentes, olhei para seu rosto, e ela me puxou para beijá-la. Coloquei a camisinha, e olhei para seus olhos. 

 - Rodríguez, não brinque com isso - ela disse 

- sorri - diga o que você quer que eu faço, Skyler

 Ela se aproximou do meu ouvido e sussurrou "me fode", e simplesmente isso, me enlouqueceu. A penetrei, e ela praticamente gritou, acelerei os movimentos cada vez mais, Sky arranhou minhas costas, e disse meu nome com todas as letras, e dessa vez, eu parecia não me cansar.  Depois de chegar a ápice, voltei a penetrá-la, e pude notar o suar correr pelo seu rosto, mas até ela parecia não se cansar, passei minha mão pelo seu corpo, que por um acaso, é lindo. E voltei a beijá-la. Depois disso, novamente cheguei a ápice, e ela também, minha respiração assim como a dela estava completamente descompensada, deixei meu corpo cair cansado sobre o dela, fechei meus olhos e depois cai ao seu lado na cama, pude notar que ela se cobriu, e agora só se escutava os trovões lá fora junto com nossas respiração aceleradas. A encarei, que estava com os olhos fechados, me cobri junto com ela, e era estranho como agora não é como na maioria das vezes, na maioria das vezes, não sinto mais nada pela garota, me canso, mas agora, parecia que eu a queria de novo, de novo, e de novo. Finalmente ela abriu os olhos e me olhou. Levei minhas mão até seu rosto, e tirei seus cabelos da frente. Pensava que ela se afastaria ou algo do tipo, porém ela se aproximou de mim, se aconchegou perto do meu peito e eu por impulso, abracei sua cintura, fechei meus olhos e assim como acho que ela fez, dormi.   

Continua?


Notas Finais


Gente eu estou vendo muitas pessoas lendo a fic e eu gostaria muito que vocês comentassem e tão bom Ler seus comentários. Obrigada pela a atenção 😃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...