História Flechados em 168 horas. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jaemin, Jisung, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Winwin, Xiumin, Yuta
Tags Amendoim, Ao Nct, Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Cupido, Danone, Deem Muito Amor Ao Exo, Dêem Views Em Kokobop, Exo, Hunhan, Jaemin Bebê Da Nação, Jisung Bebê Da Nação, Kaisoo, Kristao, Leite Azul, Nct, Romance, Sulay, Val3ntinacup, Valentina É Gente Boa, Yuwin
Visualizações 192
Palavras 4.896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Magia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi oi oi!! deixa eu avisar um coiso antes aqui, algumas partes em itálicos são alguns pensamentos pessoais do Baekhyun já que quem narra a maioria é a V. Acho que é só!

Boa leitura!!!

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Poxa!


Quando você pensa que sua vida esta sendo uma belezinha, flores e coxinha vem algo que faz você pensar completamente ao contrario e em um tempo tão mínimo que por um momento você acha quem nem pensou, mas você pensou porque todo mundo pensa, e Baekhyun descobriu isso de uma forma constrangedora e na frente dos seus coleguinhas de quarto ano. E sua vida estava indo de coxinha, pastel de feira, torta de chocolate e lasanha com Coca-Cola para um prato cheio de verduras e legumes com suco de beterraba com uma fatia de cebola roxa pra fixar mais a cor. Se estava ruim pro guri, imagina para mim.

Seu inferno começou quando acordou, porque se você pensar bem, a vida é como aqueles lenções de cama, sabe? Que você arruma em uma ponta e solta em outra? Então, recapitulando, quando acordou com a voz da sua mãe seu cu trancou em sete chaves, até tentou dormir de novo porque só poderia ser um sonho ou até mesmo um pesadelo. Que nossa senhora do brioco o livre de lembrar-se dos seus dias desgraçados de ensino médio. Porque acordar com a mãe gritando já poderia sentir as lágrimas caindo e as lembranças dos três piores anos da sua vida na qual conviveu com animais esfomeados e barulhentos mais conhecidos como as pessoas que dividiam um cubículo em um hospício, que dizer uma sala de aula e uma escola, nesse caso um cubículo já um pouco maiorzinho.

Abriu os olhos com cautela porque vai que aparece seu irmão e seu coração é fraco pra assombração, o quarto se encontrava todo escuro e com as cortinas fechadas, misericórdia tá de sacanagem que é antes das seis pensou passando as mãos no rosto para tentar ignorar o sono. Começou a passar a mão por debaixo das cobertas atrás do celular que tinha a absoluta certeza que dormiu em cima dele e meu santo GD onde seu filho foi parar? Já começou a ficar desesperado, é um pai preocupado né, mesmo que ele tivesse perdido e comprasse outro iria demorar uma eternidade para sair do luto.

Quando viu que seu bebê não estava em lugar nenhum jogou o foda-se e o chão gelado e pulou da cama parecendo um louco porque se não for procurar sua cria sem parecer um louco ele nem procurava. A sorte foi o carpete no chão porque já imaginava o pipoco de madrugada quando seu precioso bichinho caiu. E como esperado era antes das seis e uma coisa que ele ainda não tinha a absoluta certeza: o ensino médio o esperava.

Eu poderia ter aparecido e explicado tudo, mas quis mesmo vê-lo desesperado e confuso. O conheço bem, bom, ele estava confuso. Não o culpo, é confuso sim.

- BYUN BAEKHYUN SE VOCÊ NÃO APARECER AQUI EM DOIS MINUTOS EU NÃO RESPONDO PELOS MEUS ATOS – ouviu a voz da sua Omma e sentiu seu corpo tremer só de imaginar a possibilidade de ter o quarto invadido por uma Omma gritando – BAEKBEOM ISSO VALE PARA VOCÊ TAMBÉM!

O bom de ter irmão é que ás vezes se for pra se ferrar você não se ferra sozinho, ou tu se ferra sozinho enquanto o desgraçado fica rindo da tua cara de bunda. Como já estava em pé saiu como bêbado com miopia no escuro atrás de uma luz e quando a luz finalmente apareceu lhe veio junto o arrependimento e uma dor de cabeça mais insuportável que o Luhan fazendo drama. Se ele desistiu? Lógico que não, Byun Baekhyun nunca desiste e bom, poderia conviver com essa dorzinha de cabeça, né? Ele convive com o Luhan, então...

Assim, ele não se lembrava de nada que aconteceu na noite passada, né? Achou que era por isso que tinha acordado na casa dos seus pais, talvez tenha passado dos limites e tenha perdido a chave do apartamento como aconteceu semana passada ou teve um daqueles pesadelos chatos e correu de madrugada com o rabo entre as pernas até o colo da mãe. Chegou a pensar que se tivesse bebido, não teria bebido tanto, até porque não sentia sede e a dor de cabeça só foi por causa da luz mesmo, já até sentia que estava passando. Olha, sinceramente, ele achava que não tinha nascido pra acordar cedo. Se fosse feito pra acordar cedo tinha nascido um galo. Adentrou no banheiro minúsculo do quarto indo até a pia para escovar os dentes. Como sempre era uma pessoa muito delicada, cuidadosa e sortuda o creme dental caiu na pia de vez de permanecer na escova, quando finalmente o creme dental resolveu ficar intacto na sua linda escovinha começou a cantarolar uma música qualquer e rebolar a raba, um dos motivos para se atrasar para onde quer que fosse ou qualquer compromisso. Sabe aquele momento que você se acha a diva da porra toda quando está escovando os dentes ou lavando os cabelos e aí vem o choque de realidade quando o shampoo cai no olho ou quando você olha no espelho com a expectativa de parecer lindo e maravilhoso como aqueles atores de dorama escovando os dentes quando na verdade você parece mais um cachorro com raiva? Então, parecia um cachorro com raiva, mas um cachorro com raiva bonito. Tenho que admitir, até com a boca cheia de espuma e os cabelos completamente sem rumo, Byun Baekhyun ainda é uma perfeita replica original e menor de Apolo.

O celular começou a tocar como louco e a vibrar em cima da pia e como ele estava na pontinha do mármore acabou caindo no chão, sempre sentia uma pontada de arrependimento por vacilar em deixar o celular em um lugar considerado perigoso, mas nunca admitia isso, sempre colocava culpa em algo. Puta sacanagem essa, pagou o olho da cara no seu filho pra uma desgraça dessas ligar ás 05h50minh MA fazendo o celular cair. Sinceramente, que vida cu. Pegou seu bebê que graças á santa CL, não tinha quebrado ou rachado ou arranhado nada e viu que quem ligava era o Luhan. Olha, não dá, sério mesmo, tinha vontade de desistir dessa vida, iria vender suas artes na praia e dividir os back to me com o Lay. Claro que amava o melhor amigo, mas poxa, achava que se fosse para ligar de manhã fosse apenas para dizer se estava morrendo.

- Você está morrendo? – perguntou com a boca ainda cheia de espuma, Luhan choramingou do outro lado da linha o fazendo revirar os olhos. – Se não, é bom me dá uma boa justificativa. Vêm cá, o que nós fizermos ontem à noite? Tipo acordei na casa dos meus pais. E porra, que merda!

- Não sei, não quero saber e tenho raiva de quem sabe. Estou vivíssimo e lindo! - disse com uma voz de choro, deixou o celular em alta voz na pia de mármore enquanto enxaguava a boca. Sentiu o estômago gritar e chegou à conclusão de que deveria descer logo, o cheiro bom de comida caseira tomando conta dos cômodos de cima o fazendo parecer pinto no lixo - olha, eu não sei o que fizemos ontem e nem quero saber, mas porra, tem uma puta espinha no meio da minha testa e no meio do meu nariz. Tipo, elas já estão tão grandes que dá pra te trocar por elas. Eu as olho, elas me olham e já dizem oi. Baek, elas estão cheias de pus!

Fez careta com a última informação e seguiu em frente.

- Boa sorte. – disse por fim.

- Boa sorte? - ele repetiu indignado, o fazendo soltar um risinho, o que poderia fazer? Era apenas uma espinha - boa sorte? É só isso que você me fala? BAEKHYUN EU SOU UM PUTA MODELO LINDO PRA PORRA E NÃO POSSO DESFILAR NO PALCO DA VIDA COM ESSAS ESPINHAS!

Quando deu por si, a porta foi aberta sem nenhuma delicadeza, desligou o celular sem dar explicações ao Luhan e mais uma vez seu cu trancou, imaginou sua mãe com toda a delicadeza dela vir lhe tirar dá cama. Ficou na alerta, mas foi em vão porque era só o Kyungsoo todo de preto parecendo à morte, cruz credo. Quem aparece todo trevoso ás seis e pouca dá madrugada na casa do amigo? Exatamente, D.o Kyungsoo. Ele entrou no quarto e sentou-se na cama em posição de índio, a coisa mais fofa que iria ver hoje, mas não ousou apertar aquelas bochechas vai que ele tire um machado da mochila e ameace tacar em si? Não, não, é melhor deixar ele bem quietinho no seu mundinho que sabia que tem unicórnios e algodão doce espelhado por todo lugar. Sabia que ele tinha lhe visto ainda de pijama escovando os dentes, então tirou os sapatos e se deitou na sua cama ficando encolhidinho parecendo um bebê.

- Quando já tiver pronto me chama – disse manhoso ainda encolhidinho, tentou não soltar um "awnn" com a forma fofinha que o amigo deitou – vou ter que ir pra escola com você, não quero ir sozinho. Eu poderia ir com o Chanyeol, mas ele ainda estar dormindo.

- Chanyeol?

Ao ouvir o nome do maior e escola na mesma frase, ficou nervoso do nada, ele nunca me falou o porquê e nesse momento não captei seus sentimentos. Deixo vocês tirarem as conclusões.

E foi nesse exato momento que quase morreu engasgado com a espuma da boca. Não sabia o que porra aconteceu mais vou te contar da sua última semana na qual pensou que iria ser preso por assassinado ou ia levar terra na cara por suicídio.

UMA SEMANA ANTES

- VOCÊ NÃO PODE COLOCAR ESSAS PAPELADAS TUDO PRA XEROCAR DE UMA VEZ SÓ! – disse gritando, sentindo sua garganta chorar. Pegou aquela pilha de papéis de cima da mesa e abraçou – NÃO VAI TER TINTAS SUFICIENTE E NEM PAPEL E VOCÊ NÃO REVISOU A SUA PARTE! COMO VAI DESTRIBUIR PARA O PESSOAL? NÃO ESTAMOS NO COLEGIAL PARK! ESTAMOS EM NOSSA REVISTA E DEVEMOS SER O EXEMPLO DESSE LUGAR!

- VAI TER SIM, E EU REVISEI SIM TODAS AS LINHAS. E EU SOU UM GRANDE EXEMPLO, VOCÊ QUE NÃO DEVE SER! – o maior dentre os dois gritou ainda mais alto puxando os papéis dos seus braços e colocando novamente na mesinha, ligando a impressora e colocando o primeiro papel, depois se virou pra o menor e deu aquele sorrisinho desgraçado de lindo. – Você vai ver se não dá-

Idiota filho de uma mãe, eu juro que tive vontade de lhe dar uma voadora! Pensou passando as mãos nos cabelos, mas não o fez. Não lhe deu uma voadora por vários motivos, e um deles é tudo pelo bem dos seus lindos cabelos sedosos que sabia que iria ficar todo cheio de nós então foi até á maquina de café e preparou um bem levinho só pra ver se lhe dava um pouco de calma porque só Deus sabia, e eu claro, da vontade de dar um chute naquela bunda do Park. Mas sabe o que é isso lindos unicórnios? Amor. Mas abafa, vocês ainda não sabem se essa porra toda vai dar certo, então prestem atenção no que a tia V vai contar.

O fato de viverem brigando é praticamente "normal" para os dois porque deste que se conhecem vivem assim, claro que já tentei reverter isso como jogando um em cima do outro como fazemos com nossas amiguinhas e amiguinhos na escola ou na rua, mas claro que sempre teve discussão como o Byun culpando as longas pernas do Park, ou o Chanyeol culpava o nariz empinado do Baekhyun e várias outras acusações desnecessárias. É normal, tem hora que não conseguem olhar um na cara do outro e tem hora que conversam de boas até alguma coisa acontecer e um de dele arrumar algum motivo pra brigar.

Encostou-se na mesinha da pequena sala e observou o grandalhão ficar todo enrolado com as papeladas. Sabe que ele não vai conseguir fazer tudo direitinho porque tinha razão quando falou que não teria folhas e tintas suficientes, mas poxa, o que custava o Park lhe ouvir um minutinho? É por isso que vivem brigando, pelo menos um dos motivos. Sabia que iria sobrar pra si quando a tinta e as folhas se acabarem e o pior é que aquele era o projeto de ambos e Baekhyun não posso ficar jogando praga. Chanyeol parou por um momento e olhou para a máquina preta, se abaixou ficando na mesma altura e olhou bem para a impressora que até o momento tinha parado de fazer o barulhinho.

Byun se segurou para não ri, sempre tinha razão. O pior foi quando o mestre yoda, como Baekhyun tinha carinhosamente apelidado, foi dar um de sabidão e foi olhar debaixo da mesinha para ver se a impressora estava realmente ligada e quando levantou meteu a cabeça na mesa fazendo o café cair e molhar tanto o chão como metade dos papéis, o que deixou o menor bem puto porque foi mesmo na sua parte do trabalho. Mas como desgraça sempre vem de balde cheio, Chanyeol no desespero pegou todos os papéis com intensão de salvar do café e acabou jogando tudo no triturador de papel. Olha, foi ai que sua vontade de cometer um homicídio apareceu. E ISSO FOI SÓ NA SEGUNDA!

Na terça o elevador parou no último andar e não queria pegar mais e advinha quem estava junto com o Byun nessa puta sacanagem do destino? Exatamente, Park Chanyeol ao vivo e com suas pernas e orelhas grandes para acompanhar de sua beleza dos Deuses. O elevador era de vidro fazendo Baekhyun ficar enjoado com aquela altura absurda e a única coisa que o Chanyeol fez foi ri de sua cara, riu com espeito, claro. E ai ele foi todo fofo lhe dar um abraço o que fez o outro aceitar de boas, depois o Park continuou a ri então Baekhyun se soltou do abraço porque, segundo ele próprio, não era obrigado a presenciar aquela palhaçada.

Na quarta brigaram assim como na quinta e na sexta e no sábado... Bom, eu não lembro direito, mas acho que foi o sábado que o pessoal todo se reuniu para ir a uma festa e como o Luhan não queria ir sozinho é lógico que ele ficou no pé do Kyungsoo e do Baekhyun para irem e como já estava ficando insuportável ficar mais dois minutos com o Luhan tentando fazer suas cabeças então acabaram aceitando.

- Ainda acho que deveríamos passar em casa para trocar de roupa – D.o comentou saindo do carro do chinês acompanhado pelo um dos chefes da revista Just Fly logo atrás – ficar com essa roupa social é ruim. Aliás eu nem sei o que estamos fazendo aqui.

Pararam os três frente ao pub que parecia estar lotado, no começo ele nem queria ir mais ao chegar á porta e ouvir os hinos que estava tocando não pensou duas vezes antes de começar a andar até a porta do estabelecimento pagando a taxa determinada e vendo os meninos o acompanharem. O Kyungsoo ainda reclamava e o Luhan parecia pinto no lixo.

Aquele lugar estava lotado e o calor humano já era nítido, a sorte era que tinham acabado por deixar seus paletós e gravatas dentro do carro.

- Olha, eu vou curtir a festa – Luhan gritou por causa do som alto e os meninos tiveram que fazer mais um esfocinho para poder ouvi-lo. Era uma pessoa calma, mas o embuste do Park o faz perder toda a calma. Luhan tirou a chave do bolso e lhe entregou. - VOU LOGO DIZENDO QUE NÃO VOU SER O MOTORISTA DA NOITE!

Ele já estava longe quando Kyungsoo e Baekhyun se olharam vendo o amigo fazer aquela carinha de "o que eu estou fazendo da minha vida?" só queria abraçar aquele bichinho fofinho, mas como era um medroso e morre de medo de levar uma cacetada dele no meio de todo mundo ali, apenas colocou uma mão no ombro do tinhoso e suspirou.

Viado do céu olha quem está ali! Destino desgraçado destruidor de noites entre amigos. Imagina só tu tá lá de boas tentando achar uma maneira de alegra o bf quando vira e da de cara com o Park e o Jongin, pra algumas pessoas é tipo uma maravilha até porque são dois homão da porra, mas pra mim é motivo de lágrimas, não pelo Kai mais sim pelo Chanyeol que tinha aquele absurdo de sorriso lindo estampado na cara. Eu tenho que conviver com aquele tabacudo a semana toda e até no sábado eu tenho que vê-lo? Dama da noite que deu a Luz, viu?

Ele não queria ficar perto dele, iria é encher a cara porque merecia, né? Tinha que aproveitar Lady Gaga cantando lindamente antes que acabasse. Tirou a chave do carro do chinês do bolso e colocou na mão do outro coreano e sorriu.

- Teu crush tá ali, ó – segurou a cabeça da pequena coruja e virou um pouco para a direita e viu que ele ficou petrificado e riu alto. Se não for para impactar vidas, Kim Jongin nem levanta da cama. – Boa sorte!

Empurrou o amigo mais para frente e viu que o mesmo voltou até o lugar de antes.

- Fala com ele!

- Não! – ele disse.

- Sim!

- Já falei que não!

- Vai lá, só um oizinho.

- Não. Sou. Obrigado! – disse lhe puxando para longe. Ele é obrigado sim – não vou falar com ele. Vamos pegar um suco de laranja pra você porque sei que tu és fraco com bebidas.

D.o o levou para longe de onde os outros meninos estavam. Quando os dois chegaram até o barzinho ele pediu dois sucos de laranjas e o fez prometer que não iria tocar em nada alcoólico, mas Byun, que não perde uma, fez figuinha então sua promessa, teoricamente, não valeu. Voltou a olhar para trás e viu que Kai e Chanyeol ainda conversavam no mesmo lugar e como é um amigo ele esperou o D.o se distrair com alguma coisinha e o puxou com tudo correndo feito um idiota para uma distância consideravelmente perto do Kai e o empurrou, mas antes gritou o nome do crush do melhor amigo bem alto pra ele ouvir. EU SÓ PODIA TER SIDO UM CUPIDO NA OUTRA VIDA, PORQUE NÃO É POSSÍVEL, OBRIGADA DEUS! Mas ele só fala isso porque não sabe como é ser um cupido. E como imaginado o peixe caiu na rede! Bom, ele sabia o quanto seu amigo era apaixonado pelo estagiário dançarino e só queria seu bem.

Foi para o meio do povão e começou a dançar e conversar com as pessoas porque é desses sim de fazer amizades com o primeiro que ver, tinha puxado a mãe, toda vez que ela sai ela faz unas trezentas amizades. E ela reconhece as amizades do mesmo jeito que o Luhan reconhece os crushs dele; é o colega que fez no ônibus que pegou no centro, a colega da fila do banco, a dona da lojinha da esquina que ela pegou uma briga e agora já viraram amiguinhas e tal. E foi assim que começou a noite, na verdade à noite nem estava na parte boa, faltava o liquidozinho colorido que tem unas purpurinas no fundo do copo que é fosforescente.

Pois pense um negócio gostoso! Era docinho sabe? Chegou a penar que finalmente tinha descoberto o amor da sua vida! Já estava fora de si quando subiu em uma mesa e começou a canta junto com a Hyuna e com Girls' Generation e foi com Deja Vu da Sonamoo que todo seu líquido caiu e pegou outra de um ser humano que ia passando por perto da mesa. Já tinha rebolado tanto raba que nem viu as horas passando e o pessoal que tinha bebido demais jogados por cima de mesa e escorados em paredes. Ai era a parte boa: o karaokê.

E porque o Karaokê era a melhor parte da noite? Porque o pessoal já estava jogando o foda-se e nem ligava para a música que tocava. Olhou ao redor pra ver se encontrava suas crianças e viu que o Luhan não tinha dado sinal de vida até o momento e o Kyungsoo estava conversando com o Jongin, sorriu vencedor por ter feito a conversa fluir. Já sentia as coisas tudo girando e já ria feito doido, serião o fato de você beber até cair era legal, ruim mesmo era a ressaca e a bronca que o Kyung iria lhe dá. Desceu de cima da mesa ainda cantando todo embaraçada a música abafada que ecoava no local, até esbarrar em alguma coisa, nem ficou surpreso quando viu que era o Chanyeol, o mesmo ainda parecia sóbrio e tinha suco na mão, esse deveria ser o exemplo que deveria seguir, por um momento sentia-se um lixo, mas um lixo bonito e inteligente.

Tentou desviar do maior até ele lhe chamar e segurar nos seus ombros, como se tentasse chamar sua atenção por um momento. Chanyeol sabia o quanto elétrico Baekhyun poderia ser, afinal, tinham crescido juntos e apesar de todas as brigas viviam colados um no outro. Se vacilar, sabiam mais um do outro do que si mesmo.

- Baek, vamos pra casa, você precisa de um banho frio, um copo d'água e uma cama quentinha – disse lhe puxando devagarinho pelo pulso até a saída, passou um dos braços ao redor dos ombros do menor, quase num abraço e caminhou até o seu carro. – sei que a gente vivi brigando e que você provavelmente me odeia, porém, mas tarde você me agradecerá.

Chanyeol certificou-se se o Byun ainda estava bem preso no sinto de segurança e finalmente deu a partida. Era normal o fato suas vidas serem movidas a açúcar e a músicas, por isso nem se surpreendeu quando o moço embriagado ao seu lado abriu seu porta luvas e tirou de lá um pacotinho de jujubas e ligou a rádio.

Com certeza precisava de tudo aquilo que o grandalhão tinha citado, mas precisava cantar no Karaokê se não nem teria graça. Chanyeol estava sendo gentil e tudo mais, por isso decidiu que também seria gentil, mas eu queria seu karaokê.

- Eu quero cantar, Yeol! – comentou com sua melhor voz de choro, claro que sabia que se fizesse manha, Chanyeol voltaria e deixaria o mesmo cantar pelo menos uma música – eu tenho que cantar uma música!

- Você precisa descansar, isso sim. – disse virando uma esquina – e você pode cantar aqui no carro mesmo.

- Eu vou descansar, eu juro, mas me deixar cantar!

O olhou com aquele olhar preocupado como ele fazia quando estava escrevendo um artigo novo para a revista e tinha se perdido no meio do processo. Olhou para os lados do mesmo modo que fazia quando estava procurando respostas e finalmente deixou cair seus olhos no baixinho com grande quantidade de álcool no organismo, o olhou com aquele olhar que ele dá sempre que ganha um livro novo. Talvez no fundo eu não o odeie e nem nada do tipo. Não sabia o que estava acontecendo porque o álcool já me dominava.

- Tudo bem – ele disse, dando a volta e dirigindo novamente ao bar. No fundo, Chanyeol gostaria de ouvir a voz doce do baixinho e vê-lo sorrir alegre – mas prometa que depois de uma música vai deixar eu te levar para casa. Você promete?

- Prometo!

Caminharam lado a lado, Chanyeol o ajudou a subir no pequeno palco e cruzou os braços quando viu o mesmo sentar em um banquinho pegando o violão e dedilhando as cordas todo desastrado.

- Vou cantar uma música mais lenta porque quanto mais a madrugada se aproxima, mas a bad fica mais forte – disse risonho pedindo mais um copo da bebida brilhosa a um moço qualquer dali perto. – KAI E D.O ESSA É PRA VOCÊS!

Mas quem estava tentando enganar?

니가 있는 곳에 나도 함께 할게

Onde você estiver, eu vou estar também.

니가 가는 곳에 나도 함께 갈게

Pra onde você for, eu vou também.

Dedilhou falho, e cantou. Sentiu o olhar do Chanyeol queimar em sua pele e o encarou novamente, logo depois voltando sua atenção para o instrumento em seus braços.

널 위해서 매일 웃고 널 위해서 기도하고

Eu sorrio por você todos os dias, eu rezo por você

니 생각에 잠들고 널 부르며 눈을 

Pensando em você eu adormeço, abro meus olhos como se algo me chamasse até você.

- Sobe aqui, Channie! – chamou rindo – canta comigo...

Ele negou com um sorriso nos lábios e Baekhyun sentiu um frio na barriga, o mesmo frio que sentiu quando passou na faculdade. Sentiu um impacto foi bem pior do que fotos HD do Bias sendo destruidor de vidas.

내 옆에서 지켜주고 내 옆에서 감싸주는

Me sinto protegido quando você está ao meu lado e me abraça.

Chanyeol esticou a mão para o ajudar a descer e alegou que estava tarde.

넌 나의 천국인걸

Você é meu paraíso.

Cantou a última parte da música em um sussurro e deixou o violão para trás, pegando na mão do maior e seguindo até o carro em silêncio. Lógico que Baekhyun reclamou o caminho todo de enjoou e Chanyeol parou duas vezes no meio do caminho para o mesmo poder vomitar.

Stop aqui! Quem canta músicas românticas em um bar ás cinco da madrugada? Tudo bem, não vou julgar, só que, ah deixa pra lá!

Pesado essa vida de sofrer por Park Chanyeol. Poxa Chanyeol! Pensou enquanto volta para dentro do carro com um Chanyeol visivelmente preocupado com o mesmo.

...

Caminharam até o carro e Chanyeol colocou novamente o sinto de segurança no Byun que vez ou outra cochilava um pouco no banco, deixou a rádio tocar suas músicas calmas da madrugada. Já tinha passado das quatro da madrugada e as ruas estavam começando a ganhar movimentos. Não falaram nada o caminho todo, até porque o silêncio era gostoso e o soninho do Byun também. O silêncio é uma das melhores formas de comunicação, é nele que os sentimentos transbordam.

Quando finalmente chegaram ao apartamento do menor, Chanyeol procurou uma roupa confortável o mandando para o banho enquanto fazia um chá para ajudar a passar o seu enjoou que mesmo depois de vomitar, ainda era presente. Depois do banho e do chá, Chanyeol o pôs na cama colocando um comprimido e um copo de água no criado mudo, falou que iria fechar a porta do apartamento e iria deixar a chave debaixo da porta. Baekhyun tinha seus olhos fixos nos do maior, prestando atenção em tudo que falava, mas ai seu cu trancou quando viu uma garota parada na porta do seu quarto com uma flecha na mão, parecia até uma versão do mal da Katniss morta e foi ai que soltou o famoso grito da pantera asiática fazendo o Chanyeol se assustar e suas lágrimas descendo quando viu que a menina não estava mais lá, era medroso poxa, o que poderia fazer?

E agora eu lhes pergunto caro leitor: eu sou tão feia assim? Porque a visível cara de espanto do coreano me surpreendeu. Acho que passar esse tempo todo sendo empregada de cupidos estúpidos enquanto pagava meu castigo segundo o regulamento daquele chefe filho da puta, acho que fiquei acabadinha, sim.

Chanyeol afirmava que não tinha ninguém em casa quando Baekhyun falava que tinha alguém, sim. Park levantou para ir embora quando sentiu seu braço sendo puxado, fazendo o mesmo se sentar.

     - Fica comigo aqui? – perguntou sentindo o pânico correndo em minhas veias. Estava com medo das suas paranoias, vai que aquela assombração voltasse e lhe decapitasse com aquela flecha? Pois era bem isso o que eu estava querendo fazer, mas tinha que os flechar primeiro. – por favor, fica comigo. E-eu estou com medo.

Falou a última frase num fio de voz abaixando a cabeça, se estivesse sóbrio teria se estapeado por ser tão medroso, mas como estava bêbado, foda-se. Ele só queria que o Park ficasse ao seu lado agora, queria abraça-lo como abraçou quando descia do carro e subia as escadas já que o elevador estava com defeitos.

- Tudo bem – ele falou por fim. – eu fico, mas não chora, tá?

Ele deitou ao seu lado o abraçando falando que estava tudo bem. E foi bom. Seu cheiro, seu toque suave, suas palavras doces. Como e porque é que vivem como gato e rato, mesmo? Como passaram toda a vida juntos e nunca admitiram nada um pro outro e nunca abriram seus corações, não um para o outro, até porque isso era o de menos agora, o mais importante é: porque nunca abriram seus corações para si mesmo?

Como alegavam ódio um ao outro se moram em uma distância de duas quadras de um para o outro e sempre confiavam seus maiores segredos, até mesmo os mais obscuros, pois eram isso que faziam quando se juntavam apara maratonar algo, eles conversavam entre si e a prova disso era que sabiam tudo sobre o outro em apenas um olhar.

A questão é: eles eram confusos sim, suas cabeças são confusas. Mas seus corações não.

...

E agora estava sendo socorrido pelo Kyungsoo por ter se engasgado com espuma de creme dental. E agora vem a parte que ele toma no cu, e no sentindo ruim da coisa. Porque é agora meus cupidinhos, que eu, rainha da porra toda, vou lhes contar o começo de minha jornada tentando flechar esses dois moços. 


Notas Finais


Hehehe primeiro capítulo oficialmente postado meus unicórnios! Espero que tenham gostado, críticas construtivas serão sempre bem vidas e se tiver algum errinho podem falar porque sempre passa algum despercebido. Irei fazer capítulos grandes assim, e essa é a primeira vez que faço isso porque se você vê nas minhas antigas fanfics, os capítulos são pequenos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...