História Fleeing a Destination - Capítulo 133


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Drama, Fanfic, Fantasia, Magia, Mistério, Originais, Reinos, Sally-yagami, Shounen, Tita, Tommysan, Vanessabr
Exibições 16
Palavras 1.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shounen, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi pessoal!

Aqui é novamente a Tita, trazendo mais uum capítulo de Fleeing para vocês!

Boa leitura❣

Capítulo 133 - Súplica


Fanfic / Fanfiction Fleeing a Destination - Capítulo 133 - Súplica

Thalia soluça de tanto chorar, enquanto vê seu pai completamente indefeso, com a espada de Daithi encostada em seu pescoço. Se pai não pode morrer...! Não pode...! Não seu pai...! Completamente desesperada, sente mais e mais suas forças se esvaindo de seu corpo, já não tem mais forças para permanecer de joelhos e seu corpo está completamente estirado naquele maldito cristal, enquanto continua a socar inutilmente aquele cristal.

Cada golpe que dá ali é mais fraco, e faz apenas com que sinta suas forças sendo mais e mais drenadas. Não aguenta mais...! Está se sentindo sufocada...! E a visão de seu pai ali, prestes a ser assassinado por Daithi é demasiado cruel para ela...!

− Papai...! Papai...! – balbucia em seu desespero.

Vê Daithi apontar a espada com mais força para o pescoço de seu pai, e, uma pequena gosta de sangue escorrer do pescoço de Landon, enquanto ele continua em completa desvantagem.

Grita...! Grita em desespero e, seus gritos só servem para fazer com que Daithi ria mais e mais! Seu pai não pode morrer...! Não ele...! Seu pai é a pessoa que mais ama no mundo e vê-lo assim só faz o seu desespero aumentar mais e mais.

Reúne a pouca força que possui e bate mais uma vez aquele cristal, ao mesmo tempo em que sua voz ecoa de forma totalmente desesperada:

− DAITHI...!!! ME MATA...!!!! ME MATA...!!! MAS O PAPAI NÃO...! NÃO MATA ELE...! ME MATA...! MAS NÃO MATA O PAPAI...!!! NÃO MATA O PAPAI...!!!

Ouvir os gritos desesperados de Thalia faz com que Daithi gargalhe de prazer ante a este maravilhoso espetáculo que tem a alegria de protagonizar.

− Está vendo, Landon? – o alkavampiano pressiona a espada com mais força contra o zardreniano – Que lindo, a inútil da sua filhinha está implorando pela sua vida? Que acha de eu realizar o desejo dela e trocar a sua vida pela dela?

Os olhos de Landon recaem sobre sua filhinha, desesperada e, as lágrimas dela, lágrimas que ela derrama neste momento por ele, fazem com que se lembre do porquê está lutando, reforçando em seu coração que precisa salvá-la custe o que custar.

Em um movimento super rápido, o rei zardreniano rola para o lado, pegando Daithi completamente desprevenido e se livrando da situação em que sua vida estava em jogo. Sem pensar duas vezes, se levanta e corre até sua espada, pegando-a e, mais uma vez, se lança ao ataque contra Daithi, que continua com seu joguinho irritante de lutar só com a mão esquerda.

Landon dá golpes e mais golpes contra o rei alkavampiano, disposto a tudo para tirar o maldito cristal de suas mãos e libertar sua filhinha. Daithi não sente dificuldade nenhuma em bloquear os golpes de Landon com a espada que segura com a mão esquerda, enquanto, com a direita, exibe propositalmente o cristal que tem em mãos.

Outro grito desesperado de Thalia faz o ódio de Landon aumentar e, com a mão esquerda, ele lança várias e várias rajadas de energia luminosa contra Daithi, enquanto com a direita tentar acertar a mão direita do rei alkavampiano e fazer com que ele solte o maldito cristal.

Vendo que os movimentos de Landon estão mais rápidos e furiosos, Daithi decide provoca-lo mais um pouco e, lança uma esfera negra contra o cristal, apenas para que o choque faça a princesinha gritar mais um pouco.

Ouvir os gritos de sua filha faz com que Landon desvie o seu foco para Thalia e, isso é tempo mais do que suficiente para que Daithi tome distância e reassuma o controle da situação.

 

 

*****

 

 

Theydren e Bennett continuam seu combate acirrado, em uma luta em que o descuido de uma das partes pode ser fatal. O Lorde do Trovão desembainha a sua espada e, se lança contra o Príncipe Regente, que, também desembainha sua espada para atacar o inimigo, sem qualquer vestígio de medo.

Seus olhos são de puro ódio, por todos os alkavampianos e, especialmente por Daithi e Lenon, que estão fazendo sua irmãzinha sofrer de forma tão cruel. Os gritos desesperados de sua irmã, que pede por socorro, não cessam nem por um segundo.

As súplicas de Thalia fazem apenas com que a raiva de Theydren aumentem e, ele não tira seus olhos dos movimentos de Bennett, que o ataca com sua espada sem parar, tendo todos os seus golpes defendidos com maestria por Theydren.

− Você melhorou um pouco desde a última vez que nós nos enfrentamos, principezinho! – zomba o Lorde do Trovão.

− Eu melhorei mais do que você é capaz de imaginar, Bennett! – fala Theydren ao mesmo tempo em que bloqueia um golpe de seu adversário.

− Veremos o quanto, principezinho!

O Lorde do Trovão toma distância e cria em sua mão esquerda cinco raios, lançando-os ao mesmo tempo contra o Príncipe Regente de Zardren. Sem se deixar intimidar, Theydren cria uma espada de luz em sua mão esquerda, e, com a mão direita, continua a segurar sua espada. Faz seu corpo girar em uma grande velocidade em porte das duas espadas e, com este movimento, consegue bloquear os cinco raios mandados pelo Lorde do Trovão.

 

 

******

 

 

Landon e Daithi continuam o seu combate, que é assistido por Thalia, cada vez mais fraca e desesperada, mas que mesmo assim não para de pedir por socorro.

O rei alkavampiano continua sua brincadeira, usando apenas o seu braço esquerdo para atacar o rei zardreniano que está mais e mais furioso. Landon começa a lançar várias esferas luminosas contra Daithi a uma grande velocidade, esferas essas que o rei alkavampiano desvia usando a espada que tem na mão esquerda, enquanto, com a direita, exibe o cristal com um sorriso que é a mais pura provocação e zombaria.

E, ao mesmo tempo em que o rei alkavampiano vai bloqueando as esferas mandadas pelo rei zardreniano, vai se aproximando e, aproveita um descuido de Landon, que olha para a filha por um único segundo, para desferir um chute em seu adversário, fazendo com que Landon voe longe e caia no chão, para piorar ainda mais o desespero de Thalia, que sente a dor do golpe sofrido pelo pai.

Landon se levanta e não perde tempo, usa sua velocidade para surgir na frente de Daithi, começando a ataca-lo com sua espada em uma sucessão de golpes que, de tão rápidos, quase chegam a velocidade da luz.

Daithi bloqueia todos os golpes de Landon com a mão esquerda, que ainda segura a espada. Landon tenta se aproximar e roubar o cristal, porém, Daithi salta para trás e lança uma esfera negra contra o rei zardreniano ao mesmo tempo em que mais um grito de Thalia se faz ouvir, sentindo a mesma dor que seu pai, e, Landon é atingido pelo ataque de seu inimigo.


Notas Finais


CONTINUA...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...