História Flor de Cereja. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Naruto, Sasusaku
Visualizações 107
Palavras 1.915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Las Vegas


Sasuke Uchiha

Já havia passado uma semana que eu e Sarada estávamos em Nova York organizando nossas vidas, ela ia bem na escola e eu no trabalho ao lado de Sakura. Durante esses dias reparei em uma Sakura mais saudável e equilibrada, mas de acordo com Naruto ela ainda não tinha emocional suficiente para ficar na presença de crianças.

Neste momento estamos em sua sala, ela deitada no sofá e eu sentado na cadeira desenhando mais e mais idéias. 

Haja criatividade Sakura.

— Sasuke, teremos que fazer uma viagem.

— Quando?

— Amanhã a tarde. — Me ajeitei na cadeira e perguntei para onde. — Las Vegas.

— O que faremos?

— Será uma reunião com sócios, você precisa estar lá.

— E eu vou estar. — Ela se espreguiçou no sofá e meu celular tocou. — Se importa se eu...?

— Fique a vontade. — Me levantei e fui em direção a janela. Atendi a ligação e era minha mãe, falei rapidamente com ela – já que eu estava em meu ambiente de trabalho – e encerrei a ligação colocando o aparelho no mudo. — Sasuke. — Me virei e Sakura estava parada em pé me encarando. — Saí de perto da janela, por favor. — Fiz o que pediu e caminhei de volta para meu lugar. — Obrigada.

— Está tudo bem. — Ela se aproximou da cadeira e pegou meu caderno dando uma olhada em todas suas idéias já prontas. 

— Estou louca para apresentá-las, fez um ótimo trabalho. — Levantei a cabeça para encará-la da onde eu estava sentado. 

— Fizemos. — Minha voz saiu rouca e vi Sakura pressionar mais os dedos no caderno, logo coçou a garganta.

— Posso te fazer uma pergunta? — Assenti. — Você disse que é pai solteiro...

— Ela está viva fazendo algo que não convém ao crescimento da minha filha. — Meu sangue começa a ferver só de lembrar da cara daquela cretina. Fechei os olhos e suspirei fraco.

— Não precisa falar.

— Não, eu quero. 

— São 18:20. 

— O nome dela é Karin, nosso caso foi muito parecido com o de Naruto e Hinata não sei se você sabe,...— Ela assentiu. — Só que, assim que Sarada nasceu aquela ridícula chegou falando que precisava curtir a vida por que era nova demais. Eu parei a faculdade e fui morar com meus pais, fiquei tão envergonhado sei lá. 

— Ela sumiu?

— Ela tem dinheiro o suficiente para rodar o mundo, deve estar fazendo isso. — Sakura acenou com a cabeça. — E você? Foi casada?

— Não exatamente, morávamos juntos. Ele me traiu. — Ela riu soprado e cruzou os braços.

— Traiu você com quem? Ele deve ter rodado o mundo todo para conseguir achar uma mulher melhor que você, tsc. — Ficamos em silêncio e eu percebi o que havia falado. — Vou ser demetido? — Pela primeira vez escutei uma risada com vontade vindo de Sakura.

— Não. Obrigada por aumentar meu ego. 

— Ora só. — Ri soprado. 

Ainda com um sorriso no rosto ela me olhava, em questão de segundos uma tensão surgiu entre nós e era aquela que eu menos esperava: tensão sexual. 

Medi-a dos pés a cabeça olhando como aquele vestido realçava suas curvas e a deixava mais linda e atraente. 

Eu não fazia a mínima ideia do que se passava em sua cabeça, mas ela com certeza também sentiu essa tensão.

Sakura Haruno

Quando vi Sasuke se aproximar da janela um arrepio subiu por todo meu corpo.

Fiquei curiosa em saber sobre sua ex-esposa e ele se abriu para mim, nada mais justo do que eu fazer o mesmo já que ele pediu.

Após seu "elogio" senti o ar entre nós dois mudar completamente, os olhos de Sasuke já estavam mais escuros que o normal e eles percorriam todo meu corpo.

Aquele homem sabe quando é a hora de entrar em ação. Surpreendente.

Olhei cada movimento seu e logo olhei meu relógio no pulso. Dez para as sete da noite.

Depois de sentir essa tensão entre nós e ainda ser explorada pelo o olhar do Uchiha, aproveitei a situação para tocar seu ombro e o apertá-lo levemente.

— Hora de ir. — Ele afastou a cadeira e levantou. 

— Passaremos quanto tempo em Vegas?

— Um dia é suficiente, voltamos na sexta de manhã. Não precisa vim trabalhar, pois também irei descansar.

Saímos de minha sala e pegamos o elevador junto, de lá Sasuke foi embora em um táxi.

No dia seguinte a tarde eu e Sasuke fomos juntos para o aeroporto, soube por Naruto que o mesmo deixou Sarada com eles.

O trajeto até Vegas não demorou muito, então seguimos para um dos meus hotéis e eu escolhi os quartos da copa.

— A reunião será amanhã de manhã. 

— Ok, boa noite Sakura. — Entrei em meu quarto e me joguei na cama, depois de um tempo fui tomar um banho e voltei para a mesma para dormir.

Sasuke Uchiha

Deixei Sarada na casa de Naruto com algumas roupas e seu material da escola, ele a recebeu muito bem.

— Volto sexta, ok? Vai se comportar?

— Te amo papai. — Selou meu rosto. 

— Também querida. Obrigado. — Falei com Naruto que assentiu.

— Boruto irá ajudar. — Disse com um sorriso sínico e eu o abracei.

— Se considere um pai morto. — Rosnei e ele riu escândalosamente. — Até.

— Tchau papai!

Ao chegar em Vegas fui para meu quarto que era em um dos hotéis de Sakura, tenho que admitir que ela fez um ótimo trabalho ali.

No outro dia acordei cedo e tomei um banho, coloquei uma camisa social branca e uma calça escura com botas da mesma cor. Peguei meu material e saí do quarto esperando Sakura, a mesma não demorou muito e surgiu com um de seus vestidos; mas esse era um vermelho sangue acompanhado de saltos escuros.

— Hm, eu achei que teria que te ligar.

— Sou pontual senhorita. — Caminhamos até o elevador e ele estava um pouco cheio, a porta se fechou e reparei que havia um rapaz atrás de Sakura olhando-a descaradamente enquanto lambia os lábios. Revirei os olhos e suspirei, ela pareceu perceber e me olhou de soslaio. 

O elevador parou em outro andar, um casal de idosos – mas nem tanto assim – entrou fazendo com que eu e Sakura déssemos um passo para trás, o que acabou com ela colada em mim.

— Oh, me desculpe. — A moça disse e eu sorri fraco. — Machuquei sua namorada?

— Nani?! — Soltei em outra língua e a mulher não se mexeu por que com certeza não entendeu. Cocei a garganta. — Não, tudo bem.

— Sasuke não precisa tocar assim em mim. — Sakura disse baixo.

— Eu não estou fazendo nada. — Realmente não estava. Olhei para trás e aquele cara nojento tocava a cintura dela.

— Sakura, chuta pra trás com força. — Sussurrei em seu ouvido e rapidamente ela fez atingindo em cheio o saco daquele cara que gemeu de dor.

— Sasuke...— Sorri sapeca e chegamos ao hall. — Perdão moço, não vi você. — A puxei pelo pulso e apressamos o passo até o estacionamento. — Você é louco! Se ele soubesse que sou a dona do hotel...

— Ele estava tocando em você, foi em legítima defesa. — Falei e dei com os ombros.

Ela dirigiu até onde seria a reunião. Todo processo com aqueles sócios duraram a tarde inteira, eu tive que arrumar algumas ideias para que chegasse no gosto de todo mundo.

No final das contas Sakura conseguiu o que queria e fechou mais um contrato, saímos de lá esgotados mas também satisfeitos.

— Que tal comermos? 

— Sakura, não sei onde você arruma tanto pique. Estou exausto, você se importa?

— Sim. Quero comemorar nossa vitória e você está com preguiça. Pois bem, vamos pedir comida no quarto então. — Ela abriu a porta do seu quarto. — Te dou 10 minutos. É uma ordem Uchiha. — Entrou.

— Ai pai. — Suspirei e fui ao meu quarto apenas para tomar banho e trocar de roupa.

Bati na porta dela e mesma abriu também já trocada de roupa, ela havia pedido comida e arrumado a mesa que havia na sacada. Sorri fraco e nos sentamos lá fora apreciando a vista de Las Vegas.

— Sakura, obrigado pelo o emprego. Queria conquistar minha independência para poder viver com Sarada.

— Agradeça ao Naruto.

— Também, mas você é mais importante. — Ela me olhou e sorriu fraco. Sakura limpou a boca e suspirou.

— Naquele dia que nos conhecemos, você disse que eu devia fazer por onde. No mesmo dia eu entrei no quarto da Kiko depois de tanto tempo fechado, eu estou conseguindo Sasuke. Também devo agradecer. — Seus olhos brilharam e eu sorri satisfeito.

Terminamos de comer em silêncio. Ajudei-a a retirar a mesa e arrumar tudo, uma camareira veio e levou as coisas embora. Meu celular tocou e era uma chamada de vídeo, na tela estava Naruto roendo uma unha aguardando que eu atendesse. Ri daquilo.

— Ohayo Teme!

— Aqui é quase noite.

— Eu falei para a Sarada, mas quem disse que ela me escutou? — Rimos. — Espera, aquela ali atrás é a Sakura-chan? — Me virei e a mesma escovava o cabelo. 

— Parece que sim.

— Vocês estão no mesmo quarto?! 

— É o Naruto? — Ela perguntou e se sentou na cama me puxando para sentar ao seu lado. Mostrei ele para a mesma. — Olá.

— Meu Deus, vocês dois no mesmo quarto não vai dar certo.

— Só jantamos juntos, ok?

— E eu sou o bozo.

— Pense o que quiser, agora cadê minha filha?

— Aqui do meu lado emburrada porque não deixo você falar com ela. — Riu.

— Você tem dois segundos para virar essa câmera para minha filha. — Falei e ele me olhou assustado. — Tudo bem? — Perguntei a Sakura e a mesma assentiu enquanto colocava uma mão em meu ombro. 

— Papai! — Falou animada.

— Aiê! Sasuke ela me deu um chute! — Naruto gritou do outro lado.

— Como está? Foi para escola?

— Sim, eu fui. Pai, quem é ela?

— Ah, essa é a Sakura. — A mesma acenou.

— Sua namorada papai?

— Não, ela é minha chefe.

— Oh, Sarada tudo o que falar do seu pai pode ser usado contra ele. — A voz de Boruto surgiu no fundo fazendo nós dois rirmos.

— Jamais faria isso.

— Sakura, seu cabelo é rosa de verdade?

— Eu pintei ele, gostou? 

— Sim!

Percebi Sakura ficar mais a vontade em falar com Sarada e Boruto, mas vez ou outra sentia ela apertar meu ombro.

— Papai você volta amanhã?

— Sim querida.

— Deixa eu conhecer a tia Sakura? — Pediu e eu olhei para a mesma.

— Hm, não sei ela é bem ocupada.

— Podemos nos conhecer quando seu pai for te buscar, aí eu irei junto.

— Sakura-chan...— Naruto apareceu. — Fico muito feliz.

— É, eu também. — Sussurrei.

— Eba! Vou conhecer a Sakura e você não Boruto.

— Eu vou também! 

— Filha briga com ele depois, eu tenho que ir. — Falei e Sakura riu.

— Ah, beijo papai. — Mandou um beijo. — Beijo Sakura.

Terminamos de nos despedir de todos e eu guardei o celular.

— Ela é linda. — Nos encaramos.

— Sakura, porque não consegue ficar perto de crianças? 

— Medo de machucá-las Sasuke.

— Quantas vezes será preciso dizer para que você perceba que a culpa não foi sua? — Perguntei e seus olhos brilharam. 

— Obrigada. — Sussurrou, e a mão que estava em meu ombro subiu lentamente para minha nuca. Fechei os olhos quando ela adentrou entre meu cabelo e começou a acariciá-lo. 

Levei minha mão até sua cintura fina e apertei a mesma, escutei-a suspirar e sem delongas juntei nossos lábios. Foi um beijo calmo e tranquilo, queríamos aquilo, mas ao mesmo tempo era errado já que não fazia nem um mês que trabalhávamos juntos.

Ela me deu um selinho e terminamos aquele momento. Olhei em seus olhos e ela pareceu ter percebido o que havíamos feito, cocei a garganta e me levantei de sua cama.

— Acho melhor eu ir, sairemos cedo amanhã.

— Ok. — Sua voz saiu num sussurro.

— Boa noite Sakura.


Notas Finais


Rolou beijo!
O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...