História Flor de Cerejeira


Escrita por: ~


Sinopse:
Às vezes gosto de fechar os olhos e respirar fundo, só para tentar lembrar qual o tom de carmim que acompanharam tuas bochechas quando te roubei aquele beijo.
[angst!au / broken!namjin / drabbles]
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Angst, Drabble, Drama, Fluffy, Jin, Namjin, Rapmon, Seokjin
Exibições 328
Comentários 9
Palavras 1.671
Terminada Sim

Fanfic / Fanfiction Flor de Cerejeira
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Fluffy, Lírica, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Perdão
1
117
307
 
2.
Cliché
2
75
268
 
3.
Dor
2
52
201
 
4.
Mentiras
1
39
522
 
5.
Metaforicamente
3
45
373

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~SolarFlicker
Capítulo 3 - Dor
Usuário: ~SolarFlicker
Usuário
Eu vim aqui por dandellion

Não me arrependo

Eu me encantei com o quão singelamente você vai contando a história dos dois através dos capítulos, e por meio de memórias

Eu amei muito isso tudo, eu senti muita falta de uma drabble como essa 💙
Postado por ~LenyJaggerjack
Capítulo 2 - Cliché
Usuário: ~LenyJaggerjack
Usuário
Hey, como vai? Espero que bem.
Eu tenho algo contra comentar em primeiros capítulos, perdoe-me. Mas deixarei aqui minhas impressões sobre a delicadeza da escrita desta obra.
Não há muito que se prever ou comentar sobre as palavras que, mais uma vez, organizaste tão bem neste enredo sensível e coberto por um véu suave de mistério e, por que não?, inocência.
Ah! Esta história é, ao meu ver, uma poesia em prosa. Pois a sensação de viajar em sentimentos que somente os mais belos poemas proporcionam vieram acompanhados de parágrafos bem articulados e colocados a disposição de quem quisesse parar para ler e se sensibilizar.
Essa história funcionou como uma xícara de chá de camomila no meu dia. Calmante; revigorante. Apaziguou uma alma e um corpo cansado das mazelas da vida.
Muito obrigada por esta pequena dose de calma em forma de poesia.
Beijinhos e brigadeiros e até mais ver o/