História Flor de Lótus(SeBaek) Em reforma - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Sehun
Tags Baekhyun, Exo, Flor, Fluffy, Lemon, Lótus, Sebaek, Sehun
Visualizações 65
Palavras 2.574
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


QUEM É VIVO SEMPRE APARECE NÃO É MESMO?!

Povo, eu sumi. EU SEI. PODEM ME ATIRAR BOLAS DE FOGO.
É culpa do Kpop Amino.
Ahh, se quiserem falar comigo ou fazer reclamações, deixarei o link no final.

ATENÇÃO BOMBA

Uma reviravolta na história. Rsrstsrs

O capítulo ficou um pouco maior que o normal, mas eu gostei, porque tem bastante conteúdo.

Capítulo 9 - Capítulo 9


O primeiro semestre havia passado extremamente rápido, pelo menos ao meu ver. Minseok tem mostrado-se um ótimo amigo; Companheirismo e fidelidade são as palavras indicadas para defini-lo.

Ele tem dedicado boa parte do seu tempo livre (Até hoje, não descobri o que ele faz da vida além de estudar.) a ajudar-me com as tarefas, passadas pelos professores, de casa.

Seis exatos meses se passaram desde o início do meu ano letivo e minhas notas estão incríveis.

 Em relação a amizade... Meu único amigo é o Kim. Nenhuma outra pessoa tentou vir falar comigo. Eu nem ligo tanto, sabe?!





"Estou na sua frente, bobo!" disse-me apressado, dando uma risada anasalada. "Baek, sorria! Estou tentando tirar uma foto sua." então o fiz, sorri. 


"Só estou fazendo isso pois é o seu aniversário!" fiz um bico involuntariamente, logo o desfiz e me pus a sorrir novamente. "Você sabe muito bem que odeio tirar fotos, afinal nem vou vê-las!"


"Você nem imagina quantas fotos eu tirei suas, Byun!" cruzei os braços e fiz uma careta. "Não faz essa cara!" ele solta uma risada muito gostosa de ouvir.


Estávamos eu e ele no meu jardim, sentados, apenas sentido a brisa leve de uma tarde de sábado. Tarde essa, muito especial, pois Minseok estava ficando mais velho.


"Seok, pedi para a noona fazer um bolo bem delicioso para comemorarmos seu aniversário!"


"Baek, eu já disse que não há necessidade disso!" levantei-me e sentei ao seu lado na cadeira, o abraçando de lado.


"Fica quietinho tá? Eu ja disse que eu iria pedir para ela fazer o bolo, em qualquer circunstância, você querendo ou não." fui surpreendido com um leve - bem rápido - selar na bochecha direta, quase ruborizando por completo.

 

"Baek, você é o melhor amigo do mundo!" suspiro brevemente, tirando minha bengala do bolso, já prestes responde-lo quando fomos interrompidos pela chegada do bolo.


"Byun, o bolo que pediu, meu filho. E a propósito, parabéns Minseok." reverencio e a agradeço.

Ela me entrega o bolo, e eu sento aonde estava antes.


"Obrigado!" dizemos em uníssimo, rindo logo em seguida. "Não me imite, Minseok" brinco. 


"Não me imite, Minseok" ele disse; tentando imitar minha voz.


"Ha ha, engraçadinho! Vamos bater parabéns logo!" 


"Baek, não precisa vamos comer logo, eu tô com fome!" 


"Tudo bem! Poxa, ela esqueceu de trazer os talheres e os pratos"

Ouço o som dos talheres chocando-se com os pratos de porcelana. "Ah ta... Corte seu bolo então!"



Aquela tarde de sábado foi uma das melhores da minha vida. Ela me lembrou das varias vezes que ia com o meu irmão ao parque, fazer piqueniques, lanchar ao ar livre. 

A noite havia chegado e a garoa também. Agarro-me nas cobertas e deito minha cabeça no seu ombro.


"Baek, agora a Elsa está fazendo um boneco de neve. O nome dele é Olaf." 

Respirei fundo, bem fundo e coloquei um bocado de pipoca na boca, mastiguei lentamente e engoli.

"Eu sei, eu estou escutando."


"Quanta ignorância BaekHyun!" 


Até o momento estava indo tudo bem, tirando os momentos que ele descrevia-me cenas óbvias do filme, mas fora isso na medida do possível estava tudo bem.

Uma cena bem cliche - e bem constrangedora - aconteceu, nossaa mãos se encostaram no balde de pipoca. Na mesma da hora, eu travei. 

Tiro minha mão rapidamente, soltando uma risada nervosa.


ㅡ Desculpe! ㅡ falamos em uníssimo, rindo logo em seguida. ㅡ Eu que digo! ㅡ dessa vez, eu falei sozinho.


ㅡ Tudo bem Baek! ㅡ sinto seu toque em meu rosto, mais precisamente na bochecha e eu sorrio de forma boba. Eu sempre sorria assim na sua presença.



A animação chegou ao fim e levantei-me pegando o balde de pipoca lógicamemte vazio.


ㅡ Bora dormir pois amanhã o dia é curto, então acordaremos cedo! ㅡ ouço um resmungo por parte do mais velho, que logo tratei de ignorar. ㅡ Vamos logo Kim! ㅡ seguro no seu pulso e com a outra mão pego a bengala. Nos guio até a cozinha, colocando o pote de material plástico dentro da pia.


Faz mais ou menos duas semanas que o MinSeok estava dormindo na minha casa, eu não estava me importando muito, na verdade estava sendo bem divertido.




ㅡ Baek, eu descobri que família comprou a casa ao lado... ㅡ eu estava despindo me para dormir e ele me disse com uma fala mansa. 


ㅡ Quando descobriu? ㅡ perguntei sem interesse algum.


ㅡ Ontem....


ㅡ E por que não me contou? ㅡ um biquinho formou-se em meus lábios.


ㅡ Família Oh... ㅡ Se eu não tivesse uma boa audição, com certeza não teria escutado.


ㅡ O que tem a família do embu- ESPERA. Não me diga que... ㅡ Fiz uma pequena pausa. ㅡ A. FAMILIA. OH. QUE. SE. MUDOU. PARA. CA? 


ㅡ Infelizmente seu novo vizinho é nada mais nada menos que Oh SeHun!


No exato momento que ele terminou a sua fala, eu entrei em choque.


IMPOSSIVEL!


"A vida é muito injusta comigo!" pensei irritado e bufei, jogando meu corpo leve na cama.




Quando o dia amanheceu, eu levantei da minha cama, indo direto para o banheiro, ouvindo um certo murmuro na casa ao lado.

Pela janela, eu olhei, porém nada vi. 

Faço minhas higienes básicas, escovar oa dentes, lavar o rosto e desembaraçar o meu cabelo. Tomo uma banho rápido, mais conhecido como ducha.

Com o auxílio da minha bengala, desço as escadas tateando o corrimão.


Meu café da manhã sempre estava pronto antes de eu chegar na cozinha.

Sentei-me-ei na cadeira confortável bebiriquei meu café; que continha poucas gotas de leite. 

Já no andar de baixo, onde eu estava, os murmuro, que eu descobri que na verdade é uma música muito chata, estavam bem mais altos.

Continuo a comer calmamente, porém com um grande incomodo causado pela música alta.


Minseok ainda dormia tranquilo -como uma pedra-, então resolvi ir por conta própria reclamar.

Finalizo meu café, seguindo para o causador do meu incomodo.




Toco em sua campanha duas vezes, esperando uma resposta. 


ㅡ Se ele não me atend-... ㅡFui interrompidos pelo estúpido, idiota, chato e muitos outros adjetivos negativos.


ㅡ Oh, você por aqui Baek?


ㅡ Hm. Hm. Poderia abaixar o volume por favor. ㅡ digo de maneira educada.


ㅡ Você veio sozinho? ㅡ Seu tom, parecia mais preocupado, porém ignorei a hipótese dele estar preocupado comigo.


ㅡ SeHun, eu só vim pedir para abaixar o som! Pode abaixar un pouco? Por favor! ㅡ Peço novamente, dessa vez com um pouco menos de paciência.


SeHun era o único que me fazia levantar o tom ao falar. Ele me irrita profundamente, em qualquer coisa que ele faça.


ㅡ Baek, você não deve vir aqui sozinho, é muito perigoso! ㅡ Do nada, ele segura em meu pulso, puxando-me para dentro da sua casa e eu ouço o barulho do portão sendo fechado. ㅡ Baek... ㅡ Sinto o seu hálito frio com cheiro de hortelã, bem próximo do meu rosto. ㅡ Me perdoe? ㅡ Minhas costas encostaram em algo que parecia ser a parede do muro.

Naquele momento eu congelei. Ele estava muito próximo, eu estava nervoso. ㅡ Me perdoe por ser um babaca esse tempo todo com você, me perdoe por aquilo... Por tudo! 


ㅡ O qu-... ㅡ Por ele estar próximo demais, quando eu avancei minha cabeça levemente para frente, meus lábios acabaram roçando com os seus. Eca. ㅡ Oh SeHun do que está falando? E se afaste um pouco, agradeço.


Ao contrário que eu pedi, ele encostou-se mais em mim, deixando seu corpo colado ao meu.


ㅡ Sabe aquele dia que você apanhou... Bom, eu... Eu que mandei. Lembra aquele dia da briga na rua, que eu achei desacordado - por pouco tem, mas fiquei-, lembra? Sabe... Foi tudo armado. Eu apanhei de verdade, mas era parte do plano e... Eu me envergonho muito disso tudo que eu fiz... Você me perdoa? ㅡ Ouvir aquilo era doloroso. Por mais que eu o odiasse, ainda tinha esperança de que era um pouquinho bom, que existiam pessoas boas no mundo. Mas não.

Idiota. Idiota. Mil vezes idiota.


Então eu ri alto. Muito alto. Uma risada forçada e irônica. Como eu nunca tinha rido antes.


ㅡ Você é patético! ㅡ Solto mais uma vez uma risada forçada. ㅡ Sabe o que você merece?


Antes de espera-lo responder eu dou um chute bem forte no meio das sua pernas e tento ir embora o mais rápido possível, porém ele mesmo deitado no chão, com muita dor, segura na minha canela me fazendo cair. Logo após, sinto um peso sobre minha área pélvica.


Ele sentou em cima de mim?


ㅡ Byun, mesmo me batendo e me maltratando assim, eu não vou desistir... Me perdoe por favor! ㅡ O toque quente da sua mão em meu rosto, segurando meu queixo.


ㅡ Eu tenho pena de você! ㅡ O empurro com força para tirar o peso que havia sobre o meu corpo.

Levanto-me-ei rapidamente, seguindo meu caminho para a minha casa, que era ao lado. ㅡ VAI PRO INFERNO! ㅡ Grito enquanto sigo para a minha casa.


Como eu havia contado os passos, eu sabia quantos faltavam. Eram poucos.


ㅡ BAEKHYUN TOMA CUID-... ㅡ Depois dessa frase, que foi gritada pelo meu novo vizinho, eu não ouvia mais nada. 




Acordei e não senti meu travesseiro de penas ao meu lado. Estranhei, óbvio.


 Levanto de supetão, sendo impedido por mãos macias e pequenas.

MinSeok.


ㅡ MinSeok onde eu estou? ㅡ Segueo forte em sua mão. 


ㅡ Você sofreu um acidente ontem tarde e estava desacordo. Respondendo sua pergunta...; Esta em um hospital. 

E aproveitando o assunto, lembra de algo que aconteceu ontem?


Ao ouvir suas palavras as cenas de antes do acidente passaram na minha cabeça e eu lembrei de quase tudo.


ㅡ Lembro! ㅡ disse alguns poucos segundos depois.


ㅡ Me diga então.


ㅡ Bom... Eu fui até a casa dele, pedi-lo para abaixar um pouco o som, pois estava altíssimo.

Porém ele simplesmente ignorou meu pedido e me puxou pafa dentro da sua casa. Confesso que eu estranhei bastante.

Depois ele veio me pedir perdão por ter feito "aquilo" comigo. De início, eu não entendi bulhufas, mas depois que ele terminou de falar eu chutei suas partes baixas e tentei sair dali. Ai... Eu não lembro o resto.


ㅡ O que foi "aquilo" que ele fez a você? ㅡ seu tom de voz estava um pouco alterado.


Resolvi "omitir" essa parte, pois se não, com toda a certeza, Sehun seria um homem morto.


ㅡ Aish hyung, eu não lembro... Em falar nele, onde ele está? Ele deveria ter vindo pelo menos aqui me visitar.


ㅡ Tudo bem. ㅡ Minseok fez uma pausa. Longa. Longa demais. ㅡ Pelo o que eu fiquei sabendo, ele entrou na frente do carro que iria te atingir em cheio... Ele está em estado grave. Quebrou quatro costelas, o braço direito, e fraturou o crânio.


Naquele momento, acho que a minha mandíbula desencaixou do resto do crânio. Meu queixo foi ni chão.


Eu passei a me sentir mal, por estarfalando coisas ruins sobre ele a poucos instantes atrás.


ㅡ Oh my God! ㅡ Coloco a mão no peito, mostrando a minha surpresa.


Eu fiquei realmente impressionado com essa atitude por parte dele. 


ㅡ Se ele não tivesse entrado na frente do carro... Você teria... ㅡ Sim, eu sabia que morreria. ㅡ Baek eu ainda estou preocupado... Como você está?


ㅡ Estou bem, na medida do possível. Mas eu quero saber como o Oh está. Pode ver isso para mim?


ㅡ Claro. ㅡ Concluiu de forma fria, saindo da sala.



 MinSeok muda seu jeito de um segundo para o outro, que estranho. Só porquê eu pedi para que ele fosse verificar o estado do meu novo vizinho. Para falar a verdade, sempre que eu citava Oh Sehun, ele ficava dessa forma.


Permaneço parado, com os olhos vidrados em uma direção qualquer, porém a mente estava a mil, preocupado com o mais novo.

Mesmo eu não gostando nenhum pouco dele, mesmo depois de tudo que ele fez para mim, ainda assim estou muito aflito. 


Quando o Kim retornou ao meu quarto, eu ouvi seus passos mais pesados. 


ㅡ E ai? Como ele está? ㅡ Perguntei, de maneira afobada.


ㅡ Tirando as fraturas, ele está melhor. Bem melhor de como deu entrada aqui no hospital. 


Eu acho que eu nunca tinha suspirado tão fundo assim.

Mese senti bem melhor, mas ainda assim estava preocupado.


ㅡ Eu quero v... Sentir como ele está... Eu quero ouvi-lo. ㅡ Decepcionei-me. Que por conta de um problema da visão, me limitasse a ver de perto seu estado.


ㅡ Baek, você não pode fazer esforço por enquanto. Repouse ai, quietinho na cama. ㅡ Fiz um bico maior que nunca, cruzando os braços.


ㅡ Ya! Claro que poss... ㅡ Arregalo os olhos sentindo algo semelhante aos seus lábios, encostarem nos meus. ㅡ Mi-in... Seok! Me beijou?


ㅡ Só assim você para de falar besteiras.



Como assim não sou mais BV?



Então eu sorri, um sorrio ladino e quase imperceptível aos olhos normais, mas não o dele.


ㅡ Eu vi esse sorrisinho Baekkie! ㅡ Com a ponta dos dedos, ele toca em meus lábios e solta uma risada.


Com toda a certeza, a sua era a minha favorita.




O dia, frio e chuvoso do lado de fora, passou rápido. Para falar a verdade quando eu estava com ele, sempre passava rápido.

Brincamos e nos divertimos, eu deitado na cama do hospital e ele sentado na poltrona confortável que havia em todos os quartos para os acompanhantes.



Eu ganharia alta no final da tarde. Apenas algumas horinhas tomando soro.

Eu acordei e o Min já estava acordado, pois não senti o peso do seu corpo nas minhas pernas.


ㅡ A princesa acordou. ㅡ Ouço o barulho da porta do banheiro sendo aberta.


ㅡ Você vai ver quem é princesa!


ㅡ Baekkie eu tenho novidades... Boas, talvez. ㅡ Ele riu, e logo após sua voz se tornou séria.


ㅡ Diga! Diga!


ㅡ Você poderá sair mais cedo hoje... Tipo... Agora.


Se eu não tivesse com a agulha de soro na veia, com certeza teria pulado no colo dele.


ㅡ Chama a enfermeira para tirar esse troços do meu braço. 


ㅡ Tá, tá, senhor Byun.


Assim que eu ouço ele sair, sorrio. Finalmente eu sai.

Falando assim parece que estou aqui a anos, mas foi apenas um dia mesmo.


A enfermeira chegou e tirou as agulhas, me dando um baita sermão, pois ambas as cinco agulhas estavam em um lugar indevido da veia. Isso acontece quando o paciente não para quieto.

A recomendação foi: Ficar em casa durante sete dias, sem fazer esforço.

E quem disse que vou cumprir?! 

Estou de férias, dois dias está de bom tamanho.


.•°•.◇.•°•.


Tive que ficar os sete dias em casa, com o Xiumin tentando me divertir.

Antigamente, eu amava xadrez, porém agora que não enxergo, é uma chatice só.

Aquela semana passou de maneira lenta. Eu ia todos os dias visitar o Oh no hospital. 

Ele estava ficando melhor. Logo, ele ganharia logo.


Esses sete dias, também ajudaram a me aproximar ainda mais do Kim. Eu conheci muito mais sobre ele.



Os meses qur passaram, minha "família", não veio mais me visitar. Eu achei ótimo. Maravilhoso.

E ja fazia uns dois meses que eles não telefonavam para perturbar.


ㅡ Como assim? Você fez curso de corte e costura? ㅡ Rio alto, debatendo-me na cama.


Eu estava sentado sobre a cama, com as pernas cruzadas e os pés sob o colchão.

Ele estava na minha frente.

Conversavamos sobre qualquer assunto.


ㅡ Pois é... ㅡ Ele parecia constrangido.


Já era tarde, madrugada talvez, e estavamos jogando conversa fora.


ㅡ Baek... Preciso te dizer uma coisa... 


ㅡ Diga...


Quando ele estava prestes a dizer, ele é interrompido pela porta, que abriu de repente, mostrando atrás dela uma noona assustada.


ㅡ Baek... Seus... Pais... ㅡ Ela dizia ofegante. Provavelmente subiu as escadas depressa. Estava com os olhos vermelhos.


ㅡ O que aconteceu com eles?


ㅡ Morreram...


Meu mundo caiu naquele momento. Mesmo eu os odiando, eles eram meus pais.


Levantei da cama, e fui até ela fechando a porta.

De dentro do quarto eu consegui escutar.


ㅡ Baek... O que eu queria dizer é que eu estou apaixonado por você...







Notas Finais


Ok. Ficou o dobro dos meu capítulos, mas eu acho que assim é melhor.

Povo, eu não tenho previsão de voltar novamente. ;-; MASSSSSS EU VOU TENTAR ATUALIZAR TODAS AS MINHAS FANFICS.
Eu tinha escrito um capítulo super fodastico da "ChanYeol nera gay?", mas a porra do bagulho excluiu.
Ai eu fiquei puta e taquei o foda-se.

Mas aqui estou eu de volta com essa bomba. Ai ai


E ai o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...