História Flower for sale - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Itasaku
Visualizações 551
Palavras 3.213
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Por enquanto...

Capítulo 26 - Cap XXVI


Fanfic / Fanfiction Flower for sale - Capítulo 26 - Cap XXVI

A bordo de um jatinho de luxo, Itachi Uchiha tomou um longo gole de seu uísque 12 anos. Ele respirou o aroma. Em sua opinião, este era o seu favorito. Ele lembrou-se do cheiro doce de uma certa garota que povoada seus pensamentos. Sakura era a única que tinha esse privilegio. Estava cada vez mais entregue a ela. A seus beijos, caricias e prazer. Como chegou a esse ponto? Não sabia distinguir como a relação foi do sexo a obsessão. Essa era a palavra certa que descrevia sua realidade. Necessitando uma mulher como nunca pensou. O que ela tinha que o deixava louco? Ela não passava de uma colegial tímida que enveredou pelo caminho da prostituição. Mais quando ela estava em seus braços, satisfazia todos os seus desejos, como poucas mulheres conseguia. Não era a adolescente, era uma mulher. Aliás isso era até engraçado, pra ele. Sempre foi exigente com amantes, e agora ansiava por uma cujo corpo era franzino, mais era suficiente para saciar seu desejo. A forma como seu corpo encaixava no dele, até parecia que tinha sido feito sob medida.

Mas sabia também que esse situação não poderia continuar, não como estava. Não confiava nos dois que ''cuidavam'' dela, e também queria ter algo mais sólido. Garantir que só ele tocasse seu corpo, que só ele a possuísse. Ela seria sua de vez. Não tinha como ela morar em seu apartamento. Explicar parar sua família um relacionamento com uma garota da idade dela seria complicado. Então os encontros continuaria na clandestinidade, mais queria a menina mais perto. A solução mais prática seria um apartamento próximo ao seu, talvez até no mesmo prédio, que sabe! Mais com certeza o casal não estaria incluso nos planos. Ela poderia muito bem morar sozinha e assim ele teria total acesso a ela. Era um bom plano, algo a ser maturado....

Voltando à realidade, Itachi pegou o copo e saboreou a bebida. Ele procurou em sua memória o último beijo deles, o doce sabor da boca dela. Como ele precisava dela neste momento!

De repente, Kisame comentou. "Este é dos bons!''

"... Eu não me lembrava de você gostar de álcool, Kisame." Itachi perguntou, colocando o copo em cima da mesa.

Kisame respondeu: "Ninguém é de ferro!" Quando terminou, nenhum vestígio de liquido foi deixado no copo.

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Sakura pegou uma maçã e uma faca e caminhou para quarto. Os acontecimentos recentes, o caos que o Uchiha provocava; era um fardo para ela. Ela só queria paz.

Chegando no quarto ela jogou-se na cama, com cuidado devido a faca em sua mão. Mais seus olhos logo foram capturados por um bolo de notas em cima da mesa. O dinheiro que ele tinha dado. Se surpreendeu de sua tia não ter pegado. Indagou-se, o deveria fazer com a quantia, não queria usufruir de um dinheiro sujo, conseguido através de sua dor. Mais também entregar para Myan era mais injusto ainda. Sakura mordeu o lábio confusa.

Caminhou até a mesa, recolhendo as notas em sua mão, fastou-se para trás até sentar-se na cama. Contou as cédulas, se surpreendeu com o valor. Porque ele deu tudo isso? Pensou. Sua testa franziu em confusão. Não importava, esse dinheiro era sujo, e de nenhuma maneira tiraria proveito. Enrolou as notas e guardo numa caixa, colocando na gaveta da mesa de cabeceira. Depois daria um jeito de devolver.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Mais uma manhã, mais uma manhã em Tóquio.

Sakura levantou-se, quera sair mais cedo para a escola. Aproveitaria e pegaria o ônibus mais vazio.

Tinha se passado dois dias desde que Itachi viajou, ficou até mais leve quando Sasuke confirmou. Desde então, ela continuava sua rotina.

Hoje, no entanto, queria ir a sorveteria com Hinata. Queria desfrutar da liberdade. Fazer coisas de uma garota normal. Caminhou para o banheiro na casa silenciosa e tomou um banho rápido. Voltou pro quarto, deixou a toalha cair, ficando nua diante do espelho. Olhando sua imagem. Levou as mãos as seios, eles aparentavam está maiores, não era de se estranhar, a quantidade de vezes que o Uchiha chupou-os, com certeza tinha influencia no crescimento. Olhando mais pra baixo, percorrendo a silhueta magra, parou em sua intimidante. Como podia ter nojo de seu próprio corpo? Como sentia isso? Levantou seu rosto para encarar seu reflexo. Seus olhos de jade. Voltou a explorar seu corpo. Tocando em sua intimidade, não sentiu o mesmo que sentia quando era tocada por ele. Abriu os lábios inferiores, vendo o quão rosado era. Parecia piada, mais Itachi conhecia mais seu corpo do que ela mesmo. Virou-se, olhando a bunda. A forma como ele... ainda sentia-se dolorida nessa região. Mais uma coisa era certa, seu corpo estava florescendo. Parando sua observação, ela pegou seu uniforme e vestiu-se rápido.

O dia já começava a dá seus primeiros sinais de normalidade, o sol surgindo entre os prédios, as crianças indo pra escola com sua mães. Hoje ela demostrava felicidade, depois de tantos tempo sendo sufocada pelo medo e abusos. Finalmente teve liberdade para andar na rua sem preocupações, pelo menos por enquanto. Andava quase pulando de alegria, queria gritar. Ela finalmente chegou ao ponto de ônibus, esperando o ônibus ansiosa.

Quando chegou na escola, ela olhou em volta procurando algum sinal da Hyuuga. Então uma vez comprovado que ela não tinha chegado, Sakura achou mais prudente esperá-la na sala.

Quando Hinata entrou na sala de aula seus olhos rapidamente caiu sobre a menina de cabelo rosa. Sakura de um sorriso e um aceno tímido. Chamando-a para junto dela.

"Oi Hinata," ela sussurrou.

"Olá Sakura!." Ela gaguejou, acomodando-se na cadeira ao lado da rosada.

" Eu quero saber, se, você quer tomar um sorvete?" A Haruno sussurrou no ouvido da colega.

"Sim..." Ela começou, mais foi interrompida pela professora que entrou na sala. Exigindo atenção da classe.

" Depois da aula, no Shopping!" Assim que ela disse, a professora olhou para as duas, com um olhar repreensivo. As meninas entenderam o recado.

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

 

"Hinata, vamos!" disse uma Sakura animada, sorrindo de forma esplendorosa.

"Hum! Oh, ok Sakura, vamos!" disse uma Hinata nervosa.

"Hinata, podemos ir na do Shopping perto do metrô?." Sakura perguntou.

''Sim! Mais vamos logo!'' a morena falou, pegando na mão da Haruno e saindo correndo pelo corredor lotado.

Sakura e Hinata sentou-se em frente um a outra na mesa, ambas com um copo de sorvete gigantes. Sakura lambeu os lábios imaginando o gosto, logo ela experimentou a bola cremosa. Hinata apenas olhava a menina de cabelos rosas degustar o sorvete. A morena aproveitou para fazer uma pergunta intima.

''Sakura?'' Ela começou receosa, mais prosseguiu. ''Posso fazer uma pergunta?''

''Claro!'' Sakura disse ainda concentrada na bola de sorvete.

''Você já beijou...?'' A voz dela era baixa, quase em sussurros.

Sakura parou quando ouviu a pergunta. A mandíbula caiu, com os olhos arregalados de choque. Hinata corou, olhou para ela em expectativa. Seus olhos se encontraram, e a expressão de Sakura era de pânico. Por que ela queria saber disso? Será que...? Não, era impossível, deve ser só uma curiosidade de adolescente, concluiu.

" Não... eu... nunca...beijei!" Ela falou com dificuldade. Não era uma mentira de fato, tecnicamente o Uchiha sempre tinha obrigado-a a beijá-lo, sempre coagida, forçada. Nunca um beijo de amor.

"Você...? Nunca!" O Hyuuga sorriu, rindo baixinho.

"Você já? " Sakura perguntou, inclinando-se sobre a mesa.

"Bem, não, mais eu achei que você e Sasuke!", falou timidamente, sem contato visual com a menina em sua frente.

"Não, só somos amigos... que dizer eu acho, ele é sempre tão fechado! ", Sakura falou voltando a degustar o sorvete.

"Ele é lindo, mais o Naruto é mais! ."Hinata disse olhando pro copo, corando com o comentário.

"Hinata!" A Hyuuga virou-se lentamente quando ouviu alguém chamando seu nome, seu foco foi em direção a duas meninas caminhando em direção a elas. "Hinata!"

"Olá". Ela respondeu educadamente. Sakura só observava, conhecia elas do colégio e não gosta nenhum pouco.

"Hinata." Uma delas sorriu. "Nós estávamos pensando em ir na loja da mãe da Kara, você que ir?"

" Sim... Sakura po..." Hinata começou mais foi cortada pela a outra. '' Só você!'' disse olhando Sakura, a menina de cabelos rosa notou o recado, mas não disse nada.

Sakura não queria que Hinata ficasse dividida, então achou melhor interver. "Pode ir, eu vou já vou pra casa mesmo!" Sakura exclamou, sorrindo.

Hinata olhou para as duas meninas. E depois para a Haruno. ''Então tá!'', levantou-se pegando a bolsa e tirando o dinheiro.

''Não... eu pago, não se preocupe!'' Sakura disse solicita.

''Nossa! ela tem dinheiro!" a garota disse, arrancando uma risada da outra.

"Tem certeza?" Hinata perguntou.

"Sim!" Sakura falou, mais antes de dá um beijo de despedida na morena, uma das meninas agarrou a mão de Hinata e começou a puxá-la em direção a saída da sorveteria.

"Até mais!" Ela gaguejou, sem ser ouvida por elas.

Voltou a sentar-se na mesa, agora sozinha, olhando as bolas de sorvete que Hinata não tinha tomado. Seu plano tinha sido arruinado, nem um tempo de lazer com uma garota legal era capaz de ter. Olhou tristemente para a porta notando um grupo de garotas entrando no estabelecimento. Todas aparentavam ter a mesma idade que dela, o uniforme era de uma escola pública. Sakura reconheceu o nome. Se não estivesse em sua escola atual, provavelmente, estudaria lá.

Continuou observando as garotas, elas pareciam felizes. Eram bonitas, algumas tinham os cabelos coloridos, as saias eram mais curtas. Elas riam de algo, mais logo pararam quando três de homens de meia idade, vestidos elegantemente de ternos entraram no estabelecimento, caminhando para a mesa delas, que por sinal ficava num local discreto. Sakura só olhava, duas delas se levantaram para dá seus lugares a eles. Os homens ficaram no meio das meninas. Ela viu quando um deles apertou a coxa de uma delas. Se assustou com a falta de vergonha, como podiam ter esse tipo de comportamento em público?

Depois de um tempo viu eles entregando dinheiro pra elas, Sakura ficou ainda mais assustada. Então elas eram...? Deduziu. Quando eles caminharam para a saída, passando por ela. Viu que um deles olhou-a de forma malicioso. Ela encolheu-se timidamente na cadeira, até eles sumirem de seu olhar.

"Eu acho que ele gostou de você!" Sakura assustou-se com a voz, virou-se, olhando uma das meninas em pé próximo a ela.

Os olhos de Sakura se arregalaram de medo ao perceber o comentário. ''O que?... não...eu!''

A garota pegou o olhar dela e imediatamente tranquilizou-a. "Calma, é brincadeira!", disse mordendo o lábio ''Gostei de seu cabelo!" ela falou e saiu logo em seguida junto com as outras.

Sakura observava as garotas saírem da sorveteria, quando um garço parou ao lado dela, também olhando em direção as jovens. ''Tudo puta!'' disse balançado a cabeça. Sakura olhou pra ele e logo levantou-se da mesa indo em direção ao caixa...

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Itachi deu uma tragada profunda no cigarro, deixando a fumaça entrar em seus pulmões. Ele segurou-a por um segundo, gostando da sensação de plenitude. Quando ele lançou-o, sua garganta foi preenchido com uma sensação de queimação. Ele observou como a fumaça saiu de boca e pairava no ar.

Tinha sido um dia cansativo. Itachi estava apático na varando, apreciando a atmosfera da noite de Shanghai. Ele tinha que se preparar para participar de uma série de reuniões, tinha que descansar um pouco. Por isso, ele não podia fazer nada, só olhar a cidade iluminada, a fim de dar o seu corpo algum tempo merecido para descansar. Isso, no entanto, mostrou-se bastante difícil, considerando sua mente pensativa.

" Sr. Uchiha gostaria de mais alguma coisa?"

Sem alterar a sua posição contemplativa, Itachi jogou os olhos para a mulher e olhou. Levara menos de três segundos para concluir que ela era bonita. Mais no momento não tinha interesse em outras mulheres, só na garota que ocupava sua mente.

"Não!'' Kisame hesitou, mais notou a cara irritada de Itachi. "Pelo menos, agora não, mais se precisar eu chamo!" ele tratou de dispensar a mulher do quarto.

"Como queira, Senhor!" ela cruzou os braços e lentamente se curvou, num pedido de licença. Saindo do quarto luxuoso, deixando os dois homens a sós.

"Eu acho que ela estava flertado com você!", ponderou Kisame, indo até bar e pegando uma bebida.

"Se você diz!" Itachi disse, fechando os olhos por um momento, imaginando o que Sakura estaria fazendo.

"Eu acho que você deveria convidá-la para fazer companhia!" Kisame riu maliciosamente com a voz aguda.

"Por que você não convida?" Ele falou lentamente. ''Parece que é você quem ficou interessado!''

Kisame prontamente concordou. "Mais você sabe, quando se trata de mulheres, o chefe tem preferencia!"

"Kisame se você tem interesse em uma mulher. Chegue nela, e dane-se os outros!"

"Nossa?" Kisame coçou o nariz admirado, nunca imaginou que o sempre estoico Uchiha fosse capaz desse tipo de comportamento. Ele tomou um gole de bebida.

Itachi se acomodou no sofá puxando a gravata. "Lembre-se, amanhã temos reunião!" ele estreitou os olhos. "Divirta-se!" Itachi fechou os olhos, inclinando-se para trás de modo que sua cabeça repousava sobre os travesseiros macios do sofá. "Essa conversa acabou."

Kisame obedeceu o comando e saiu da quarto deixando o chefe pensativo.

Itachi pegou o celular e olhou as fotos da jovem nua, um sorriso formou no canto de seus lábios. Itachi sorriu, lambendo os lábios. A única que conseguia tal feito sobre ele era a rosada.

Não sabia ao certo de que maneira deixou que ela atravessasse a barreira que construiu em volta de si. Aos poucos ela o conquistou, e ele permitiu-se ser conquistado pela garota tímida.

Ela era uma joia rara, de inestimável valor. Nunca pensou que pudesse sentir-se tão próximo de uma mulher, sentia uma necessidade de tê-la só pra si. A única coisa da qual tinha certeza era que um laço muito forte criou-se entre eles, pelo menos de sua parte, e isso nada nem ninguém poderia quebrar.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Sakura se revirou na cama, tentando ler um livro, mas o silêncio da casa irritou-a. Ela amarrou o cabelo em um coque deixando mechas de cabelo fino soltas.

Olhando a cama sentiu-se desconfortável. Ela tinha um profundo sentimento de tristeza revestindo-a como uma névoa, nem dormir direito conseguia, se bem que não poderia chamar o que ela faz de dormir. Ela se perguntou se conseguiria ter uma vida normal.

Toda vez que seus olhos sonolentos tentou focar em palavras na página diante dela, sua mente viajava para outro lugar. Ela suspirou e jogou o livro no chão. Raiva e tristeza rodava através dela, deixando um gosto amargo na boca.

Sua vida era um pesadelo, mais nunca deixou de manter os pés no chão. A esperança ainda habitava seu coração, apesar de andar duvidando ultimamente. Ela não sabia o por quê dela? O Uchiha era um homem de boa aparência, não tinha necessidade de pagar pra ter uma mulher. Ainda mais uma tão sem graça, então porque ele não enjoou dela ainda. Pelo o contrario, parecia mais faminto.

Sakura olhou-se no espelho. "Eu sou tão feia." pensou enquanto olhava seu corpo. A camisola cobria seu corpo, observou sua silhueta magra.

 

Sakura girou uma mecha solta de cabelo rosa instável. Seus olhos verdes não eram algo que ela gostava tanto. Eles eram grandes. Não conseguia virar a cabeça de ninguém, provavelmente poderia andar pela rua sem ser notada.

Uma vez ouviu que Deus nunca dá uma cruz a alguém mais pesado do que ela possa suportar. Mais ter relações sexuais com o Uchiha estava sufocando-a. Ela era grata que ele não tinha doenças ou o seu sofrimento poderia ter sido muito pior.

Seus pensamentos foram interrompidos por uma batida na porta, o que era estranho considerando que estava sozinha em casa. Suspirou preguiçosamente e arrastou-se até a porta.

"Quem é?" Ela falou com o ouvido na porta.

"É sua tia favorita." Uma voz familiar respondeu a partir do outro lado da porta.

As sobrancelhas de Sakura franziu e ela abriu a porta, de frente para a mulher com um sorriso relaxado em seu rosto. Ela cruzou os braços e ofereceu-lhe um olhar azedo, "Eu pensei que você fosse passar a noite fora?"

''Não sabia que tinha que pedir autorização para ficar em casa?'' Myan disse com ironia. '' Isso não importa!'' a mulher balanço a cabeça com um sorriso pidão, ''Eu quero que você faça uma comidinha pra nós!''

"Não!" foi curta ao falar, mais quando ia fechar a porta, sentiu una mão impedi-la.

''O que você pensa que está fazendo?'' a mulher falou brava.

Sakura, franziu a testa e olhou pro chão.

''Vai fazer logo a droga dessa comida!'' sua voz saiu ameaçadoramente.

Sakura fechou os olhos pensativa. Ela já não suportava mais os abusos de sua tia. Estava em ponto de ebulição. ''NÃO! EU NÃO VOU!'' gritou com um olhar furioso. Não ia deixar mais Myan tratá-la como sua empregada.

Myan olhou pra ela sem acreditar. Como ela tinha essa audácia de desafiá-la? Num certo ponto Dan tinha razão, ela estava ficando folgada. ''O que você pensa que é?''

''Eu não sou sua empregada, se quiser comida, faça!'' Sakura disse mirando nos olhos da tia, desafiadoramente.

''Você vai apreender a me respeitar cadela!'' a mulher falou, antes de praticamente voar em cima da rosada.

''Para!'' Sakura gritou, tentado impedi-la de puxar seu cabelo. Mais era em vão. Myan dava tapas no rosto da menina, segurando-a pelos cabelos.

''Não era você a corajosa!'' Myan disse debochadamente, continuando com as agressões.

'' PARA! Tá me machucando!'' Ela apertou os olhos com força para impedir as lágrimas de escapar, tentando escapar das mãos dela.

"PORRA!" O homem exclamou, quando viu a cena.'' Myan! O que você está fazendo?''

''Não se meta, Dan!'' a mulher deu um aviso.

''Vai machucar ela!'' Ele disse chegando próximo as duas.

''É pra machucar mesmo!'' Ela disse ainda com o cabelo da menina preso, Sakura fazia careta de dor, com os olhos marejados.

''O Uchiha pode não gosta!'' Dan tentava soltar a mão da mulher do cabelo da jovem.

''Ele nem tá no país!'' Ela finalmente soltou.

Sakura deu passos para trás desorientada, ficando acuada.

''Eu sei, mais é melhor não arriscar!'' Dan falou no ouvido dela, segurando-a pela cintura.

''Pensa que eu não sei que você está protegendo essa cobra!'' Myan bufou de ódio. Tentando se soltar dos braços do namorado.

''Já chegar!'' Dan arrastou ela do quarto, Myan se debatia furiosamente.

Sakura sentou no chão, abraçando-se enquanto chorava. Sentia-se tão fraca e inútil, as lágrimas corriam pela dos seus olhos. Sua respiração saia com dificuldade. Um soluço repentino deixou sua garganta. Ela chorou.

Chorando em silêncio, lágrimas de desespero em seus olhos. Ela não queria ser submetida a esta realidade cruel; isso fez seu coração doer tão dolorosamente. Ela pegou o porta-retrato e levou contra o peito, abraçando forte. Queria de alguma forma se sentir protegida.

Depois de um tempo chorando, Sakura respirou fundo. "Eu ... eu não vou aceitar... Eu não posso …" disse entre soluços. ''Eu não vou mais deixar essa vadia me maltratar...!'' fungou, ''Eu não vou...!'' Ela limpou o rosto para se livrar de quaisquer lágrimas perdidas. Seus olhos verdes exibiam uma determinação ameaçadora. Ela tentou resistir passivamente, mais não ganhou muito com isso, agora não, queria que ela pagasse, e sabia muito bem quem poderia ajudar, mesmo que indiretamente...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...