História Flower Trap. - Capítulo 26


Escrita por: ~ e ~Vickssea

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bunnykook, Flower Trap, Insanedz, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mpreg
Exibições 1.183
Palavras 2.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bunnykook: POSTANDO DE MADRUGADA ESPECIALMENTE PRAS CHIMCESAS DO GRUPO, OMMA AMA VOCÊS <3333

Mas, sério, eu to muito feliz com esse capítulo, porque agora começa minha fase preferida da fic AAAAAAA, e acho que a de vocês também, seus loucos pervertidos impacientes UHAUHA EEE viram quem ta ali na capa? SENHOR JEON SIM, RISOS, so pensem na merda..

E, alias, quero morar na casa do Jungkook, risos.

//

Vickssea: Hello folks! Natal is coming, lalalala ~ Melhor festa, sim ou claro? Pra quem não sabe, o aniversário da minha gata tá chegando também, ela aceita sachês, hihi.

Capítulo veio mais cedo hoje né? Sobre pura e espontânea pressão hauahaha e também pq vou sair cedo amanhã, então enfim, esse capítulo tá TENSO, então relaxem aí e aproveitem, vcs vão se surpreender :D

Capítulo 26 - Sobre a prova do nosso amor


Fanfic / Fanfiction Flower Trap. - Capítulo 26 - Sobre a prova do nosso amor

 

Jeon se lembrou que a mãe de Jin era médica, e a mulher sempre o tratou como se fosse um filho, então se sentiria mais confortável com ela. Enquanto esperavam, não parava de balançar a perna, e sua mão apertava fortemente a de Jimin, até que finalmente foi chamado.

A mãe de Jin, Kim Sooyoung era uma mulher muito sorridente e simpática. Atendeu os dois com o maior carinho, logo perguntando qual era o problema de Jeongguk. A viu ficar meio receosa ao contar dos sintomas e há quanto tempo os tinha, e logo a mesma passou um exame de Beta HCG, que diria se Jeon estava realmente grávido ou não, e se sim, há quanto tempo.

Jeon logo fez os exames, ainda se sentindo uma pilha de nervos. Ficaria mais relaxado se não estivesse grávido, claro, porém, também ficaria um pouco decepcionado.

O exame não demorou muito a sair e assim voltaram para a médica. A viu analisar o exame com atenção e ao ver os dois apreensivos, sorriu tranquilamente. —Parabéns Jeongguk, você vai ter um bebê. Está com dois meses de gravidez, então deve ter sido pelo início, como você brevemente me contou. É um pouco cedo, mas eu tenho certeza que vai ficar tudo bem. —Disse a mesma, afagando sua mão. —Parabéns aos papais!

Jeon arregalou os olhos, não sabia o que dizer ou sentir, então olhou para Jimin, meio perdido, e então de volta para a médica.

—Dois meses?— Perguntou fraco. —Mas isso é muito...

—Sim. Estou me perguntando como vocês não notaram antes. —A mais velha riu. —Ter esquecido a camisinha foi muito irresponsável da parte de ambos, mas eu tenho certeza que vocês lidarão com isso sabiamente agora.

Ah, se ela soubesse como é o nível do nosso sexo...  Jimin pensou consigo mesmo.

Jeon assentiu, agradecendo à mulher e se despedindo da mesma. Jeon estava com fome, então chamou o mais velho para comer em algum lugar.

—O que a gente faz agora?— Murmurou, comendo a torta de frango que havia pedido.

—Eu não sei ainda. —Jimin mexia nas próprias mãos, um pouco nervoso. —Ainda tô me adaptando a ideia. Daqui há três dias é o vestibular, e eu preciso arranjar um emprego que pague mais... —Disse coçando a cabeça. —Você vem morar lá em casa?

Jeon suspirou, mordendo o lábio.

—Eu não sei.— Falou. —Eu não quero atrapalhar e se eu ficar com você, só vai ter mais despesas. Eu acho que... Precisamos falar com meu pai.

—Sim, isso eu sei mas... Você tem uma ideia de como ele vai reagir? Isso pode ser traumático pra você, Jeon e eu não quero que se machuque. —Falou preocupado, ainda brincando com as próprias mãos.

—Ele vai gritar...— Sussurrou. —Mas eu não acho que ele faria algo pra me machucar.— Suspirou. —Eu só temo por você.

—Ah claro. —Jimin revirou os olhos. —Eu tô entre ele me dar um tiro na bunda ou me prender, no que você aposta? —Perguntou sarcástico, mas no fundo só estava nervoso.

Jeon suspirou novamente, indo até o mais velho e o abraçando. —Eu não vou deixar ele fazer nada com você, eu prometo.— Beijou a bochecha do outro. —Ele pode ficar bravo, mas eu sei que ele vai me escutar.

Jimin suspirou resignado mas não disse nada. —Vamos passar um tempo lá em casa, depois vamos lá enfrentar isso. —Falou, já levantando com Jeongguk para sair dali.

Jeon assentiu, e seguiram até a casa do mais velho, indo direto para o quarto do mesmo e se deitaram na cama de Jimin, abraçados.

—Isso é tão estranho.— Murmurou, levantando seu olhar para Park. —Até ontem eu achei que estava morrendo e hoje eu descubro que tem uma pessoinha dentro de mim.

Jimin não se conteu em rir, balançando negativamente a cabeça, e acariciando a barriga de Jeon. —Como vamos cuidar desse bebê, amor? Não sabemos cuidar nem dos nossos bichos direito, aliás e se ele me odiar como o Hércules odeia? —Perguntou Jimin preocupado.

Jeon riu, mordendo a bochecha do outro, e colocando sua mão por cima da de Jimin.

—Shh, ele não vai te odiar, não diga isso.— Sorriu. —A gente vai dar um jeito, certo?

—Certo, eu acho. —Disse Jimin incerto. Acabou beijando a bochecha de Jeon e mordendo o local, um tanto pensativo. —Quando você acha que o neném foi concebido? —Perguntou curioso.

Jeon franziu o cenho, rindo. —Eu não sei.— Falou pensativo. —Dois meses.. Talvez quando eu te cavalguei pela primeira vez?— Mordeu o lábio do outro.

—Nah, isso é quase recente. —Disse Jimin com o olhar pensativo. —Talvez... Na nossa primeira vez? Pode ter sido.

Jeon riu. —Nossa e esse tempo todo tínhamos alguém nos acompanhando..— Falou e de repente arregalou os olhos. —Merda Jimin, ele fumou maconha.

—E bebeu também. Mas nós não sabíamos. —Disse o ruivo um pouco afobado. —Quem mandou? Meu Deus, Jeon, será que eu machuquei ele também? —Disse nervoso.

Jeon suspirou, afagando a barriga. —Eu não sei...— Mordeu o lábio. —Acho que só vamos saber na ultrassom.

—É melhor a gente não fazer sexo até ele sair aí de dentro. Nunca se sabe. —Dizia Jimin nervoso.

Jeon revirou os olhos. —Não fale besteiras, Park Jimin, nós dois sabemos que não conseguiríamos ficar sem sexo por tanto tempo.

—Diga por você! —Disse Jimin ofendido. —Quer dizer... Hm, talvez... A gente podia se virar com o que temos. —Disse dando de ombros.

Jeon riu, espalhando alguns beijinhos pelo peito de Jimin, até sentir o celular vibrando com uma mensagem de seu pai.

''Onde você está?''

—Aish.— Resmungou.

Jimin ficou tenso, mas não disse nada, começando a pegar seu casaco. —Vamos lá então. —Disse tentando manter a naturalidade.

Jeon assentiu, segurando a mão de Jimin e saindo da casa.

—Só... Relaxa, tá?— Falou para Jimin, embora achasse que valesse mais para si mesmo. —Vai dar tudo certo, vai dar tuuudo certo..

—Sim, eu sei. —Disse Jimin, mesmo que não tivesse certeza nenhuma. Andaram em silêncio e numa tensão no ar que fazia Jimin sentir dificuldade para respirar.

Não demoraram a chegar na casa dos Jeon e Jimin olhou de soslaio para o namorado.

—Vai ficar tudo bem.

Jeon assentiu, entrando com Jimin em sua casa, e já ouvindo seus pais conversando, então foi até a sala, onde os dois estavam sentados.

—Appa? Omma?— Chamou, vendo os dois se virarem para si e seu pai arregalou os olhos ao ver Jimin ali.

—Mas puta que pariu, Jeon Jeongguk!— Falou se levantando. —Eu não falei que não te queria perto desse garoto? Deu pra me desobedecer agora?!

Jimin colocou as mãos nos bolsos, tentando se manter neutro. —Boa noite, senhor e senhora Jeon. Acho que precisamos conversar. —Disse tomando as rédeas da situação, ao ver Jeongguk um pouco pálido.

A mãe de Jeon se levantou, sorrindo para o garoto.

—É claro, por que não se senta?

—Sentar? Ninguém vai sentar aqui.— O Sr. Jeon murmurou. —Olha, eu já sei o que você quer, garoto e minha resposta é não. Eu não vou deixar você namorar meu filho, e não vou deixar você tirar a pureza dele.

—Appa!— Jeon bufou.

—Na verdade...—Jimin pigarreou. —O caso é mais grave do que o senhor pensa, seu Jeon. Então eu vou sentar sim. —Jimin deu um sorriso amarelo, puxando Jeongguk para sentar ao seu lado no sofá. —Não estou sendo pago pra fazer enrolações, então... Seu filho tá grávido. De mim.

Um silêncio pesou na sala e Jeon quase podia tocar aquela atmosfera estranha, mas permaneceu quieto, observando os pais. Sua mãe foi a primeira a demonstrar uma reação, tampando a boca com a mão, mas ela não parecia irritada, só em choque. Seu pai ainda os encarava de forma estranha e Jeon viu que o mesmo tinha os punhos fechados.

—É o que, garoto? Meu filho está o que?— Falou calmo demais. —Isso é verdade, Jeongguk?

—Appa...— Murmurou, mas foi o bastante para o mais velho, que bufou alto, e passou as mãos pelo rosto em irritação.

—Puta que pariu.— O mais velho sussurrou. —Puta que pariu!— Falou um pouco mais alto. —Isso é a porra de uma brincadeira? Vocês estão de brincadeira comigo? Um filho? Mas que merd- Você só tem 16 anos, Jeongguk!

—Simplesmente aconteceu. —Disse Jimin de maneira séria.—Eu e o seu filho estamos apaixonados, então não pense que ele iria se manter puro pra sempre. Ele se sentiu confortável com isso, então aconteceu. E antes de o senhor falar qualquer coisa, saiba que eu não sou um vagabundo, muito menos canalha, e irei assumir toda a minha responsabilidade nisso. Eu já trabalho, apesar de estar procurando algo melhor e vou prestar vestibular em breve, já que terminei o ensino médio. Então eu não sei realmente o que o senhor quer disso, mas eu sei o que Jeongguk quer, ficar comigo, assim como eu quero ficar com ele. Então, devido a todas essas circunstâncias, essa proibição ridícula tem que acabar. Eu sei que é muita informação e o senhor pode ter o tempo que quiser pra pensar, mas o Jeongguk não vai mais se afastar de mim. Aliás, nós vamos morar juntos.

Jeon sentiu Jimin segurar sua mão e logo apertou a do mais velho, entrelaçando seus dedos.

O pai de Jeon tinha o cenho franzido e ficou quieto por alguns segundos, antes de soltar uma risada seca. —Espera, espera...— Olhou incrédulo para a mulher e então para os garotos novamente. —Meu filho não vai morar fora dessa casa.

Jimin franziu o cenho, confuso. —O senhor ouviu o que eu acabei de falar? O Jeongguk está grávido, senhor Jeon, de mim. O senhor acha mesmo que eu vou deixá-lo morando longe nessas condições? Nem pensar. —Jimin suspirou resignado. —Olha, o senhor tem que cortar esse cordão umbilical, Jeongguk não iria ficar aqui pra sempre de qualquer forma. Ele vai embora comigo.

—O meu filho não vai sair daqui.— Falou decidido. —Garoto, o que você pode prover ao meu filho? Você mesmo disse que não tem um emprego bom o bastante. Aqui pelo menos ele vai ser bem cuidado e não vai faltar nada.

Jeon suspirou, observando a discussão dos dois.

—Appa, eu não quero ficar longe do Jimin.

—Jeongguk, eu já disse, você é nossa responsabilidade.— Disse apontando para a Sra. Jeon. —E você não vai sair daqui.

—Então... O Jimin podia ficar aqui.— Sussurrou.

—O que? —Disseram os dois em uníssono.

—Ah, mas nem pensar. —Disse seu Jeon com um bufar que parecia uma risada.

—Amor, a gente não combinou isso exatamente. Tá louco? —Murmurou baixo para o mais novo.

—Mas ele não vai me deixar ir.— Murmurou de volta, com um suspiro.

—Querido, eu acho uma boa ideia.— A sra. Jeon se pronunciou, acariciando o braço do marido. —Assim o Gukkie fica aqui e o Jimin fica com ele. Ele é o pai do bebê, a gente não pode separar eles.

Jimin e Jeon Jiwon se encararam estranhamente. —Eu vou pensar sobre isso. —Disse o mesmo com um suspiro resignado.

—Eu tô indo embora. —Disse Jimin começando a levantar. —Se cuida amor, a gente se vê amanhã. —Disse dando um beijo na testa do mais novo.

Jeon se levantou, acompanhando Jimin até a porta.

—Me desculpe por isso.— Suspirou. —Eu não queria fazer nada sem falar com você primeiro, eu só... Eu entrei em pânico.

—Tá tudo bem. —Jimin sorriu fraco. —Eu só não quero mais ficar longe de você. —Disse beijando a testa do mais novo. —Se cuide e qualquer coisa, me liga.

Jeon assentiu, beijando os lábios do outro. —Certo, toma cuidado.— Pediu.

Quando voltou para dentro de casa, sua mãe o abraçou forte, enchendo seu rosto de beijos, e dizendo que faria de tudo para ajudá-los. Seu pai já havia se retirado para o quarto, então Jeon respirou aliviado, indo para o próprio quarto, e pegou Elvis, o levando para cama consigo. Levantou a blusa, sorrindo com a pequena protuberância que tinha ali e tirou uma foto do coelho com as duas patinhas em cima de sua barriga.

''Ele já ama o bebê''

Jimin chegou em casa pronto pra começar uma sessão como torturar seu saco de areia quando recebeu a mensagem do Jeon. Sorriu bobo com aquilo. "E o hércules vai amar também" mandou, logo depois tirando uma selca sua ao lado do saco de areia. "Desopilando". Disse, sabendo que Jeongguk provavelmente surtaria pelo seu abs.

Jeon estava quase adormecendo quando recebeu a mensagem do outro e sorriu, mordendo o lábio. ''Eu quero dormir nesse abs'' mandou de volta, rindo.

"Você já deveria estar aqui." Jimin respondeu, retornando a lembrar da sua frustração e mordeu os lábios, chateado, deixando o celular de lado e começando uma sequência qualquer.

Jeon suspirou com a mensagem do outro, mas não respondeu, estava cansado e precisava dormir.

//

Na manhã seguinte não foi pra escola, não se sentia disposto o suficiente e quase chorou de frustração, querendo Jimin ao seu lado.

Enquanto isso, Jimin distribuía currículos pela cidade tentando achar um emprego melhor. Além disso, faria vestibular em dois dias, então estava revisando bastante matérias com Yoongi e alguns amigos. Só veio pegar no celular um pouco depois do almoço, ligando assim para Jeongguk.

Quando Jimin o ligou, ainda estava na cama e acabou acordando com o toque do celular, vendo que era Park.

—Oi, Chim.— Falou manhoso.

—Oi bebê. Como você está? —Perguntou enquanto lia uma questão.

Jeon suspirou, se revirando na cama. —Chateado. E cansado também. Eu queria tanto você aqui.

—Vem pra cá neném. Eu te faço carinho... —Disse Jimin sorrindo bobo só de imaginar o mais novo ali no meio das suas pernas.

—Tá..— Jeon concordou. —Se meu corpo me permitir.— Suspirou.

—O que você tem? —Perguntou preocupado, franzindo o cenho.

—Não é nada.. Só um pouco cansado.— Falou, se levantando da cama. —Eu vou tomar um banho e vou aí, tá?— Disse, já desligando o celular, e indo tomar um banho quente. Depois vestiu um short e a camiseta dos beatles de Jimin, pedindo um táxi e seguindo até a casa do namorado.

//

Jimin suspirou, vendo que todo mundo estava realmente concentrado nos estudos e depois de explicar duas questões para seu amigo ali do lado, Jeongguk chegou.

Quando Jeon chegou e viu os outros garotos ali, suspirou, achando que ficaria sozinho com Jimin, mas entendia que o namorado precisava estudar.

—Eu acho que vou deitar um pouco no seu quarto..— Murmurou para o mais velho.

—Não amor, vem aqui. —Disse trazendo o menor para o meio das suas pernas. —Já tô acabando okay? Então a gente fica lá no quarto. —Disse sorrindo para o menor.

Jeon se encostou no peito de Jimin, virando o rosto para o lado e cheirando o pescoço do mais velho. Sentia os olhos pesados, mesmo tendo dormindo a manhã inteira.

—O que é isso?— Perguntou, tentando não adormecer. —O que estão estudando?

—Matemática. —Disse batendo nos papéis. Continuou a fazer uns cálculos inacabados e logo sentiu Jeon adormecer em seu colo. Deixou o menor ali enquanto estudava.

 

Quando acordou já estava na cama de Jimin, e o garoto estava ao seu lado mexendo no celular. Suspirou.

—Eu não aguento mais dormir.

—São os sintomas amor. —Jimin riu, beijando os lábios do menor. —Lembra do que a médica disse?

Jeon assentiu, mas fez um biquinho, suspirando.

—Isso é um saco, e o pior é que está só no começo.— Resmungou. —Hmm, sabe o que eu queria agora?

—Comida. Provavelmente. —Jimin riu. —Diga, tenho até uma ideia do que seja. —Disse beijando o queixo do menor.

Jeon revirou os olhos. —É, é comida.— Falou. —Eu queria coxinhas de frango com calda de caramelo.

Jimin fez uma careta pra aquilo, mas não disse nada, começando a levantar. —Só... Espera um pouco então.—Disse um tanto enjoado com aqueles pedidos esquisitos do namorado.

—Nãaaao.— Falou, puxando Jimin de volta. —Fica aqui. A gente pode comer bimbimpap no seu amigo mais tarde, é isso que eu quero agora, mas a calda de caramelo ainda é sério.

—Tá bem. Vou pedir pra ele adiantar dois pra gente. —Jimin riu da palavra e mandou um texto pro amigo, logo agarrando Jeongguk pela cintura e beijando o menor carinhosamente.

Jeon sentou em cima de Jimin, espalhando beijos pelo rosto do namorado. Segurou as mãos do outro e as depositou em sua barriga.

—Essa é a maior prova do nosso amor.— Sorriu de canto. —Espero que meu pai entenda um dia.

—Eu também. —Jimin suspirou, alisando o local e beijando a clavícula de Jeon. —Vai ficar tudo bem.

—Contanto que eu tenha você, vai sim.— Sorriu, beijando a testa de Jimin e apertando a mão do outro em sua barriga.

Acabaram ficando ali mesmo até chegar a hora de levar Jeongguk em casa. Jimin o levou até lá sem problemas, mas ao ver que o pai do mesmo estava enfurecido pelo menor ter saído sem avisar, se viu sem escolhas. —Trago minhas coisas amanhã.—Disse num tom ameno. —E preciso falar com o Suga sobre isso.

Jeon assentiu, abraçando o namorado e lhe dando um beijinho no nariz.

—Certo.— Suspirou. —Se o Suga reclamar muito, a gente pode esconder ele debaixo da minha cama.— Riu baixinho.

—Ele vai adorar o novo lar.—Brincou cínico e riu, beijando o mais novo. —Prepare o terreno com seu pai. Até depois, amor. —Deu um beijinho no nariz do mesmo e começou a se afastar.

Jeon suspirou ao ver Jimin se afastar, e voltou para dentro, encontrando o pai na cozinha.

—Hm, ei..— Falou incerto. —O Jimin trás as coisas dele amanhã.

O mais velho não disse nada, apenas assentiu, batendo o copo de água que bebia com força na pia e saindo do lugar.


Notas Finais


Bunnykook: AS VEZES EU NÃO AGUENTO COM ESSA FOFURA JIKOOK NÃO, GENTE

//

Vickssea: E aí? Jimin morando com o Sr. Jeon (esse pai gato do crlh) vai dar merda sim ou claro? E o Suga? Vai embaçar? Não perca nos próximos capítulos da novela Flower Trap hauahaushau

Te aminho vocês, até quarta <3
P.S: Comentemmmmm


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...