História Flowers Before Boys - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS)
Tags 2ne1, Bangtan Boys, Boys Before Flowers, Bts, Dorama, Drama, Jikook, Romance, Yaoi, Yuri
Exibições 30
Palavras 3.785
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu demorei mais de um mês pra postar, como leitora eu entendo se me xingarem (eu me xingaria muito, muito mesmo), mas peço sinceras desculpas, vida pessoal ocupa tempo, as vezes até demais, boa leitura, prometo compensar vocês logo logo, beijinhos de luz :]

Capítulo 47 - Soon we'll be found (SIA)



   Minha mãe chamou minha atenção, posso até ser uma péssima filha mas não prestei atenção em tudo, na verdade em quase nada, sabia que não estava certa mas também sabia que não iria fazer mais, me desculpei com ela mas estava de castigo, sem sair para nenhum lugar por um mês, apenas continuei quieta, o que podia falar...?
   No dia seguinte eu cheguei atrasada na escola, era uma quinta, a primeira aula era com uma professora nova que estava substituindo um professor que estava frequentemente com dores de cabeça, finalmente deram um tempo de descanso para ele, estava na sala da Jenny e da Minji, mas não falei com elas e elas entenderam que eu não queria falar com elas, antes eu não queria mesmo, na verdade queria estar distante de todo mundo e de alguma forma havia conseguido, o problema era desfazer...
   - Com licença professora. – Alguém entrou na sala, era o representante das salas. Ela o deu licença e ele entrou e parou próximo a ela. – Senhorita Choi... Pode me acompanhar? – Me surpreendi.
   Demorei alguns segundos para despertar e arrumar o material, o guardei na mochila e levantei, sabia o que a grande maioria estava pensando: “O que querem com ela? Já estava metida em mais problemas? Pobre e problemática”.
   O segui até o corredor, ele me levou até a sala dos F7, entregou um papel ao professor e fez sinal para mim entrar, olhei para os F7, um a um e depois para o representante, estava confusa.
   - Mas... O diretor permitiu? – O professor queria confirmar, mas... O diretor permitiu o que?
   O garoto de óculos assentiu, o professor nos chamou para o corredor e explicou aos alunos que já voltava e que era para terminarem de ler o texto de uma página do livro.
   - A senhorita pediu esta transferência novamente? Por quê? – O professor perguntou.
   - Perdão... Que... Que transferência? – Disse confusa e curiosa.
   O representante e o professor se entreolharam.
   - Tudo bem, apenas entre. – O professor pareceu deixar algo quieto.
   - Entrar... Onde?
   - Na sala. – O representante respondeu.
   Dei dois passos em direção a minha atual sala quando o professor chamou.
   - Senhorita. 
   Me virei confusa e já me estressando mas contendo.
   - Sim?
   - Sua nova sala, ou antiga, como quiser chamar. – O professor disse.
   - Nova?
   O professor respirou fundo expondo seu cansaço.
   - Senhorita, por favor entre logo e sente-se em algum lugar. – Segui em direção a sala dos F7 e me virei para os dois e apontei.
   - Aqui?
   Eles assentiram já sem paciência e me pressionaram a entrar, o professor entrou em seguida e o representante foi embora pelo corredor, olhei ao redor da sala, o meu lugar havia permanecido vago, segui até ele e olhei para o Namjoon e me sentei, estava confusa, o que tinha acontecido? Tudo por conta do meu atraso?
   A aula se seguiu, quando o sinal bateu ninguém esperou o professor sair da sala, o silêncio foi desfeito, todos estavam sussurrando ou falando em tom normal sobre o mesmo assunto, eu.
   - Decidiu voltar? – Jin se virou me surpreendendo.
   Olhei em seus olhos.
   - Eu... Não fiz nada... 
   O professor passou pela frente do Jin e o chamei, ele parou e olhou para mim.
   - Sim?
   - Professor, o que houve?
   - Você foi transferida por alguém de volta a sala.
   Imaginei que pudesse ter sido o Namjoon então apenas agradeci a informação e ele partiu, me virei para o Namjoon.
   - Me trouxe de volta? – Perguntei.
   - Não, realmente voltou para essa sala? – Ele disse começando a parecer mais animado.
   - Acho que sim... – Sorri e perguntei aos outros F7 e nenhum deles era o responsável, no intervalo quando ia sair para o refeitório, a Minji, a Dara e a Jenny me encurralaram na parede do corredor.
   Elas me encaram seriamente com os olhos estreitos.
   Olhei para cada uma com os olhos arregalados.
   - O-O que...? – Disse assustada.
   Elas sorriram e me abraçaram, ainda estava confusa, elas se afastaram um pouco.
   - Já te demos espaço e tempo o suficiente. – Minji liberou.
   Eu me senti aliviada por dentro, elas tinham permitido a minha distância e compreendido que precisava disso.
   - Sabemos que não gosta que a defendamos como nos defende, e o que te afeta é apoio quando se sente fraca, então lhe demos espaço apesar de ter sido difícil... De toda forma, gostou do presente de comeback? – Jenny disse animada.
   - “Comeback”? Que presente?
   - Pedimos transferência para você de volta já que você e o Namjoon fizeram as pazes! – Jenny disse agora empolgada, Dara e Minji foram contagiadas e abriram um grande sorriso com um brilho perverso no olhar.
   - FI-FIZEMOS AS PAZES? – Disse com vergonha.
   Namjoon saiu da sala e a Jenny o puxou e o pressionou do meu lado e voltou a fechar a roda, o que estava acontecendo? Logo a Jenny que era a mais contida?
   Olhei para o Namjoon que parecia um pouco assustado, ele olhou para mim.
   - O que... É isso? – Ele disse em tom normal.
   - Eu não... – Dara me interrompeu.
   Ela sorriu retirou o celular do bolso mexendo nele, até que o virou e nos mostrou.
   - “The Choi”? – Disse confusa ao ler onde deveria ser o título do site.
   - Criaram um site para você, não tem muita coisa, na verdade adicionaram nessa madrugada fotos da festa na casa do Namjoon.
   - Fotos da festa? – Namjoon pareceu se interessar mais do que o normal e puxou sem força a mão da Dara com o celular e deslizou o dedo sobre a tela e olhou para elas e depois para mim.
   Tomei a mão da Dara com o celular da mão dele e deslizei o dedo pela tela para ver as fotos, em uma delas eu estava em cima de alguém o beijando, arregalei os olhos involuntariamente.
   Olhei para as meninas.
   - Essa foto... ? – Dara virou e olhou para ela, as outras olharam parecendo confusas e olharam para mim.
   - É de alguma garota sem juízo com alguém, mas tem uma foto que você aparece. 
   Elas não... Me reconheceram?
   Olhei para o Namjoon, ele não demonstrava se tinha percebido ou não, mas ele havia olhado para mim assim que viu as fotos... Que confuso.
   Ela achou a foto e me mostrou, era de quando eu tinha acabado de chegar na festa, estava ao lado do HyunWoo.
   - Aquela foto de antes... Não reconhecem a garota? – Testei.
   - Não... Você reconhece? Podemos achar ela, é só comentar quem será e... – Jenny disse já digitando na tela do celular, fechei o celular dela cuidadosamente e olhei para elas.
   - Peçam para apagar, e se fosse vocês? Exporem alguém assim...? Que coisa mais feia.
   - Não fomos nós que publicamos. – Dara disse um pouco sentida.
   - Eu sei, não fariam nada tão horrível.
   Elas se entreolharam como se pensassem na possibilidade de uma ou outra fazer realmente, o que foi estranho, então de imediato elas voltaram a olhar para mim.
   - Já fizeram alguma coisa constrangedora para você? – Eunk disse baixinho sem jeito.
   Olhei para o Namjoon, ele estava prestando atenção em mim, fiquei com um pouco de vergonha e olhei para elas.
   - Eu já vi fazerem coisas ruins a alguém quando cheguei na escola anterior a essa, eu defendi a pessoa e ia ser um alvo se a... Uma... Garota popular não tivesse me ajudado.
   A atenção foi toda para o Kook que saiu com tudo da sala e fechou aa porta com força fazendo um alto estrondo, em seguida saiu o Jimin, sem os dois parecerem notar a presença do nosso grupo lá.
   - É? É ISSO O QUE PENSA? EU ESTOU DECEPCIONADO COM VOCÊ. – Jimin disse nervoso.
   - NÃO MAIS DO QUE EU. – Kook disse sem sentimentos caminhando em direção a saída de emergência, sem olhar para trás.
   Jimin se virou e olhou para todos sem parar de caminhar, depois se virou para frente e virou a direita para ir ao refeitório.
   Virei para eles.
   - Eu falo com vocês daqui a pouco. – Disse sem esperar uma resposta.
   Corri em direção ao Kook, entrei na porta da saída de emergência, Kook estava sentado na parte em que se deve virar a direita, no último degrau. Cheguei até ele mas me mantive em pé.
   Mantive o silêncio por um tempo até que ele ergueu mais a cabeça olhando para o céu mais distante.
   - Definitivamente é o fim.
   Me sentei ao lado dele.
   - Por quê?
   - Choi... O que acha da vida?
   Olhei para ele confusa, me senti agitada, alguma coisa em pensar na vida fazia isso comigo.
   - A vida é estranha... As vezes tudo vai bem e há dias que não deveríamos ter saído do quarto.
   Ele olhou para mim rindo.
   - Parece uma velha falando.
   Estreitei os olhos e mostrei a língua para ele, o que o fez rir mais e por consequência me fez rir.
   - Quanto a antes... 
   Ele diminuiu o sorriso.
   - Ele reclamou de eu olhar para ele e começamos a discutir.
   - Você sabe que ele só quer atenção. A sua atenção, Kook.
   Ele olhou para mim, olho no olho.
   - “Kook”?
   - Opa, acho que peguei o costume de te chamar assim...
   Ele sorriu.
   - Todo mundo já te chama de Choi... Então... O quer ser, Choi?
   Estava confusa.
   - Acho que... Dançarina, coreografa... O que for relacionado a dança.
   - Vou te chamar de stripper.
   Bati nele não com muita força, ele riu e se levantou tentando não apanhar mas eu levantei e continuei o batendo.
   - Ai! AI! Tá bom, parei! Parei! Parei! – Parei de o bater.
   - Bobão! – Disse segurando a risada.
   Ele voltou a rir forte.
   - Vou te chamar de Streeter.
   - “Streeter”? Seria uma gíria e um trocadilho? 
   - Quando ouço dança penso em street dance, ou seja, dança de rua. Seria um trocadilho para isso e também... Por que soa parecido com “Stripper”. – Ele voltou a rir forte e saiu correndo um pouco, eu fui atrás dele mas não o alcancei. No final das contas eu acertei meu sapato nele de longe.
   Fui até ele e peguei meu sapato, paramos um de frente para o outro próximos a árvore, sérios.
   - Kook... Tem que ir atrás do Jimin.
   - Por que? Por que eu que sempre tenho que ir atrás dele toda vez que inicia uma briga?
   - Por que ele é mais sensível.
   - E eu também não sou? Ah, esquece. Olha irmãzinha, amanhã eu vou sair para comprar um presente para a sua mãe, pode vir comigo? Já que conhece os gostos dela...?
   - Irmãzinha? Que garoto ousado... Presente?
   - Puxar o saco dela vai fazer com que o meu pai fique mais calmo em casa.
   - Eu não imagino o quão difícil é...
   - Se refere a ter um pai homofóbico e um namorado frescurento? É, acho que faz parte, se a vida fosse perfeita, qual a graça ou a diferença entre as coisas?
   Eu sorri, ele estava certo.
   - De toda forma, vai falar com ele, beije ele intensamente e mostre que ame ele e só ele. As vezes a insegurança ataca, sabe?
   Ele olhou para mim com uma expressão pervertida.
   - Sempre que você e o Namjoon brigavam era assim que resolviam?
   Senti meu rosto esquentar, provavelmente estava ficando corada. Peguei a orelha dele e ia o arrastar até o Jimin quando vi o próprio na beira da escada de emergência olhando para nós, aquela expressão me indicava que ele estava confuso, algo o incomodava e ao mesmo tempo não fazia sentido, soltei o Kook quando ele viu o Jimin e se ajeitou ficando sério.
   - Jimin. – Disse sem saber bem o que dizer.
   - Choi.
   - Eu vou... Erm... – Rapidamente fui até onde o Jimin estava e parei próxima a ele, ele se virou e olhou para mim ainda sem reação. – Eu vou deixar vocês sozinhos.
   - Como vocês estavam? O que eu faço? Pego a orelha dele e digo o como supostamente sou sensível?
   - Você está aqui a quanto tempo? Como conseguiu ouvir dessa distancia?
   - Meus ouvidos são sensíveis.
   Ele estava ironizando a situação mesmo sem achar graça.
   - Ouviu tudo, tudo mesmo?
   - Não.
   - Jimin? Não houve nada demais, qual o problema?
   - Por que de repente são tão amigos? Ontem estava respondendo mal todo mundo.
   - Eu agi como uma idiota, não retribua na mesma moeda, você não é como eu.
   - Posso não ser melhor que você mas com toda a certeza não sou você, até por que cinco minutos com ele riu mais do que comigo na última semana.
   Dei um tapa nele.
   - Se continuar a ficar assim, e principalmente com esses complexos, ninguém vai rir perto de você. – Não disse por mal, apenas queria que eles se resolvessem, os dois são ótimos, melhores ainda juntos.
   Ele colocou a mão na bochecha onde tinha o estapeado e virou o rosto de volta para mim surpreso.
   - VOU FICAR SOZINHO? É ISSO O QUE ACHA?
   - ACHO QUE SÃO PERFEITOS UM PARA O OUTRO E QUE VOCÊ SÓ ESTÁ SOBRECARREGADO!
   Kook parou do meu lado, os dois se encararam.
   - Vai reclamar que estou o encarando outra vez?
   - Cala a boca... – Ele diminuiu o tom e voz e desviou o olhar para o lado abaixando o braço parecendo um pouco sem paciência.
   Eu dei alguns passos para trás.
   - Posso até ficar quieto, se me prometer permanecer para aí, para mim poder o admirar mais. Uma obra de arte assim... Quem sabe quanto tempo vou demorar para o apreciar assim inteiro? – Ele disse em tom mais baixo.
   Não sei o que dizer, meu corpo estava hiperativo e eu estava contendo, meu deus, não sabia que o Kook era capaz de falar algo tão... Cativante, fofo, romântico, tããão...? Mexedor de ovários? Não sei se k defino assim já que o Jimin não tem ovários, mas eu tenho e ele mexeu com eles, acho que tinha o que minha irmã havia comentado uma vez. “Estava shippando”. Com toda a certeza.
   Jimin imediatamente olhou para ele surpreso, ele se aproximou do Jimin lentamente, foi ai que corri para sair, eles iriam começar a parte melada e fofa da relação deles, precisavam de privacidade. Foi aí que caí e bati o rosto nos degraus, ainda bem que não sangrou ou danificou de fato algo mas tenho certeza que os dois olharam e riram, aquilo havia quebrado completamente o clima.
   Saí correndo constrangida até o refeitório, não achei os outros F7, fui me sentar com as F4.
   - Como foi? – Dara perguntou.
   - Eles são amigos próximos, a amizade não vai acabar. – Disse garantindo a mim mesma.
   - Choi, a Jenny tá namorando! – Minji disse brincando.
   Olhei para a Jenny sorrindo surpresa mesmo com dor na face.
   - N-Não é bem assim... – Ela disse com vergonha.
   - Namorando é? Pena que temos a mesma idade. – O Yoongi disse colocando uma cadeira ao lado da dela, nos surpreendendo.
   Taehyung se sentou ao lado da Eunk, Hoseok se sentou ao lado da Minji e o Namjoon foi o último, ele se sentou ao meu lado, contive um sorriso de canto e olhei para as meninas, antigamente eles não se davam bem, elas iriam sair, brigar ou permanecer ali?
   - Você não presta. – Minji disse a ele.
   - Se você quiser, posso prestar.
   Ela abriu um sorriso irônico.
   - Inacreditável! – Ela disse.
   O Yoongi era sem cura mesmo, sempre cachorrão, mas cachorrão do bem, penso nisso contendo a forte risada.
   Olhei para o Tae que pegou o cabelo comprido da Jenny, já que estava entre a Eunk e a Jenny, e colocou em sua cabeça fazendo graça como se fosse uma peruca, pegou o da Eunk e usou como bigode, a Dara e o Hoseok riram.
   As risadas eram como se elas tivessem aceitado a presença deles ali, olhei para o Namjoon que estava rindo do Tae. Tinha um sorriso tão bonito, como não havia reparado antes? Faria de tudo para sempre ver esse mesmo sorriso.
   Com a mão que ele havia colocado sobre a frente do rosto enquanto ria, ele o abaixou e pegou a minha mão que estava apoiada na ponta da cadeira, olhei para as nossas mãos e depois para ele, ele continuava sorrindo e olhando para o Tae que agora estava apanhando de leve das meninas, mesmo o Yoongi e a Minji estavam rindo.
   Não vi o Jin, estranhei ele não estar ali, eles estavam juntos na noite anterior, então por que na escola estavam afastados?
   Me aproximei um pouco do Namjoon, ia sussurrar a pergunta em seu ouvido para não chamar atenção quando ele soltou minha mão e me puxou pela cintura para mais próxima dele.
   Yoongi, Dara e Hoseok olharam bem na hora, os outros olharam em seguida. Senti meu coração acelerar e meu rosto enrubescer.
   Não deu tempo de ficar com vergonha ou mesmo constrangida com o que eles pudessem dizer, aquilo tinha deixado óbvio que estávamos juntos.
   Senti alguém cutucar meu ombro, me virei para olhar e o Namjoon também, tenho certeza que todos desfocaram em mim para se focar nele, Namjoon retirou o braço da minha cintura.
   - Choi? Poderia me acompanhar...? – Ele disse baixinho.
   - Hein? – Disse confusa.
   - Eu sou o representante, e o diretor precisa de você na sala dele. – Não sei expressar a reação dele, não era de irritação ou incomodo por me ver com o Namjoon, era como se estivesse esperando para ver minha reação, fiquei um pouco nervosa mas me levantei e o segui sem olhar para trás e ver os olhares curiosos que provavelmente estavam me julgando, não me refiro apenas a mesa das F4 mas os alunos ao redor que haviam ouvido ou que apenas eram enxeridos.
   Na frente da porta do diretor ele bateu na porta e me disse para esperar, ele entrou chamando o diretor calmamente mas ninguém respondeu, achei que ele ia me falar para entrar mas ele apenas saiu e fechou a porta.
   Ele se virou para mim ainda me analisando.
   - Depois do intervalo ele vai falar com a escola, ele deve estar na quadra.
   Na quadra? Eu estranhei mas o segui, estava com uma sensação ruim, muito mesmo, como se... Assim que aparecesse lá, fosse ser o último momento da minha vida mas ignorei, Choi não havia se tornado um assassino louco ou um psicopata. Acredito eu.
   Pelas escadas de emergência chegamos rapidamente lá, ouvi gritos e não pensei duas vezes, corri até o vestiário feminino de onde achei que vinham os gritos, tinha acertado, era dali mesmo o som, Choi chegou logo depois de mim e ficou como eu, paralisado ao ver a cena. O diretor estava em cima da Angel, ela se debatendo e ele tentando a enforcar com uma mão enquanto mexia em seu zíper da calça com a outra, eu tentei o empurrar mas não tinha força.
   Ele se surpreendeu ao me ver, foi ai que o Choi o puxou com tudo pelo paletó, a parte das costas e o jogou para o lado, a Angel se sentou tossindo, estava vermelha e desesperada, eu apoiei uma mão em um de seus ombros e a balancei um pouco como se desse força.
   - Você esta bem?! – Disse nervosa e ainda em pânico por ela.
   Ela olhou para mim e desviou o olhar de modo estranho e em seguida seus olhos se encheram de água mas ela não chorou. Olhei para o diretor que estava se levantando e dando passos para trás.
   - Eu... Ela... Eu...! – Ele estava tão nervoso que não podia terminar uma frase com sentido.
   Angel se levantou se apoiando nos armários e seguiu até um banco de madeira se sentando para retomar as forças, ouvi um gemido depois de virar as costas e a seguir me assegurando de que ela estava bem. Me virei para o diretor e vi ele cair no chão inconsciente, olhei para o Choi assustada e vi em sua mão um pedaço grande de madeira, ele havia batido no diretor com isso. Como havia me abaixado para olhar para o rosto da Angel, me levantei e fui até a frente do Choi para o cobrar, foi  ai que senti uma dor aguda entre a nuca e um pouco mais acima mas ainda atrás da cabeça. Tudo começou a escurecer, e eu caí inconsciente.


   Amy havia usado uma madeira da reconstrução da quadra que estava no canto, igual a madeira do Choi para bater na cabeça da Choi para a deixar inconsciente, ela se ajoelhou fazendo carinho no rosto da Choi.
   - Ah! Pelo amor de deus... Não sou obrigada a ver isso... – Angel se levantou virando de costas para a Amy e a Choi.
   - Feche os olhos se está incomodada. – Amy retrucou.
   - Vocês são loucos... Eu não achei que o diretor viria para cima de mim mesmo... E não achei que esse plano iria para frente... O que vem agora? Vão simplesmente sequestrar ela? – Angel questionou ainda recuperando o folego.
   - Eu não achei que ele fosse tentar te enforcar, achei que ia ser mais lento. – Choi se defendeu.
    - Eu quase morri graças a sua lerdeza! – Angel reclamou.
   - Calem a boca. Americano, você pega ela no colo e leva rapidamente até a van que está estacionada no gramado atrás da quadra. Angel ou seja lá qual seja seu nome, você me ajuda a colocar ele em um armário feminino, disse que depois do intervalo ira ter aulas aqui na quadra, não é? Se alguém o vir no armário vão o considerar um tarado. Vamos, rápido.
   Após ouvirem as ordens da Amy, eles obedeceram, mas antes do Choi conseguir colocar o corpo inconsciente da Choi em cima do colchão na van que era especifico para ela, ele viu alguém, duas pessoas, Hoseok e Taehyung na árvore de cerejeira que ficava ali no centro do jardim.
   Ele correu e colocou o corpo dela lá, dois caras, um era o motorista e o outro era o ajudante, estavam resmungando sobre ir logo, Choi correu para chamar a Amy e a Angel, elas terminaram o que estavam fazendo e correram,  no exato momento após a Amy entrar na van e eles saírem, Taehyung chegou tirando satisfação com ele.
   - Já faz um tempo que a Choi saiu com você e não tem ninguém na sala dos professores, uma van na escola? O que está acontecendo?
   Angel se aproximou jogando charme.
   - Tae Tae! Saudades de você, como vai? – Ela disse tentando enrolar.
   Tae a ignorou e se manteve focado no Choi.
   - Cadê a Choi? 
   Choi colocou as mãos nos bolsos e saiu andando, Tae foi atrás dele.


Notas Finais


O.O será que o Tae vai salvar a Choi...? O.O


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...