História Flowers have unique smells (GTOP) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, CL (Chaelin Lee), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lee Chaelin "CL", Lisa, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Sehun, Seungri, Suga, Suho, T.O.P, Taeyang, Tao, V, Xiumin
Visualizações 12
Palavras 857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia ❤
Tive uns probleminhas básicos e não consegui postar ontem
Obs: Seung tá lindão nessa foto

Capítulo 6 - Secret meeting


Fanfic / Fanfiction Flowers have unique smells (GTOP) - Capítulo 6 - Secret meeting

A beleza é algo procurado por todos, porém no final, é oque menos importa.



Após várias perguntas, Ji-Yong foi liberado -- com um olhar desconfiado do advogado --, ele realmente se cansou das perguntas e achou algumas desnecessárias. 

Ele precisava de ar.

Saiu de lá e ligou para sua mãe, avisando que iria respirar um pouco e que ocorreu tudo certo. Sua mãe era um dos refúgios de Ji, mas ele não queria ficar no ambiente sufocante de casa. 

Caminhou até sua antiga casa, a observou alguns minutos e ele sentia falta daquele lugar. As lembranças eram boas, principalmente quando ele aguardava que seus pais saíssem para encontrar Seung.

Ji-Yong e Seung-hyun mantinham sua amizade as escondidas pois os pais de Ji-Yong -- apesar de serem boas pessoas -- não iriam entender oque seu filho iria querer em um garoto que morava na floresta, e logo depois os afastaria. O plano de Ji-Yong de manter Seung-hyun escondido de seus pais deu certo, pelo menos até seus oito anos.

-- Achei que não viria -- a voz grossa de Seung assustou Ji, que deu um pulo. Os motivos de ter vindo para cá se passavam pela cabeça de Ji-Yong e ele já se arrependia disso.

-- Meu Deus Seung, avisa quando chegar -- Bufou -- vou embora depois dessa -- Ji-Yong virou seu corpo para ir embora, mas foi empedido pelas mãos de Seung em seus braços.

-- Você não vai embora -- sorriu -- precisamos conversar algo -- Ji se sentiu curioso e resolveu ficar, além do mais, oque ele iria perder ficando ali?

-- então diga -- Ji se sentou -- você me deixou curioso -- sorriu 

Seung se sentou a frente de Ji-Yong e suspirou, buscando coragem. -- Eu... Ah, Ji-Yong, nós sempre nos encontramos assim, as escondidas -- engoliu seco -- E nesses encontros, o meu coração batia mais forte...-- parou e observou Ji-Yong, que estava totalmente chocado -- Bem.... Você quer namorar comigo? 

O ruivo nada disse, deixando Seung ainda mais nervoso, por outro lado, Ji-Yong soava frio, ele queria gritar um 'sim' bem alto, mas se sentia confuso.

-- Seung...-- planejava o melhor jeito de dizer sim, mas foi interrompido pelo loiro 

-- Se não quiser, eu vou entender...-- disse em tom baixo 

"é claro que eu quero seu idiota". Pensou.

-- Seung, eu quero! -- disse sorrindo, finalmente encontrara um jeito de dizer. Seung não esperou nem cinco minutos, colou seus lábios aos do ruivo e iniciou um beijo "apaixonado".

Seung queria fazer isso no dia do aniversário de Ji-Yong, mas nunca mais o viu. Pensou várias coisas, entre elas, que Ji-Yong havia desistido de si e indo embora.

Sim, ambos sabiam, aquilo seria um segredo, caso contrário, não daria certo. Se separaram e Seung lhe entregou uma flor, uma flor vermelha, Ji achava adorável o jeito que Seung lhe tratava e pretendia levá-lo consigo até sua morte.

Ji querendo repetir um ato carinhoso, se levantou e foi até uma arvore, fazendo um coração, e dentro dele, escrevendo: Seung Ji.

O loiro sorriu com a atitude do mais novo e agradecia mentalmente por tudo ter dado certo, Ji era o primeiro amor de Seung, e vice-versa -- Não, Chae estava longe de ser seu primeiro amor --.

Eles passaram o resto do dia juntos, conversando sobre bobagnes e se divertindo. Logo Ji-Yong se lembrou que deveria voltar para casa, se despediu de Seung -- com um selinho demorado -- e partiu para casa.

Depois de alguns minutos, chegou em sua casa, observou tudo oque seus olhos tinham em alcance e parecia tudo normal, sua mãe fazendo janta, seu pai lendo um jornal, enquanto conversava com a mesma. Ji sorriu e entrou, conversou com seus pais e subiu para o quarto. Se despiu e tomou um banho rápido, desceu as escadas com o plano de ajudar sua mãe, após terminar de lava e enxugar as vasilhas, resolveu jantar e descansar um pouco.


-- Seung, sabe que é ruim você ficar o dia inteiro fora? -- a garota de cabelos negros lhe chamou a atenção.

-- Não posso mais me divertir, Jisoo? -- bufou -- você passeia por aí todos os dias e eu nunca reclamei -- a garota apenas sorriu boba, lembrando dos momentos bons que passava com suas três -- únicas -- amigas : Jennie, Lisa e Rosé. Mas se lembrava mais de Jennie.

-- eu aviso -- revirou os olhos -- é complicado ver você com aquele ruivo e não poder ir lá -- murmurou para si mesma, mas Seung lhe escutou.

-- Você é tão complicada...-- disse desapontado, Seung amava aquela garota, mas as vezes ela passava dos limites --- Vamos dormir, talvez eu ganhe mais.

Ji já havia se deitado á mais de uma hora, e não conseguia se dormir, se virava para direjta, esquerda, bruço e até de barriga para cima, apenas para encontrar uma posição confortável para dormir, mas não conseguia. Ji não tirava os beijos de Seung da cabeça, o ruivo sempre foi apaixonado pelo mais velho mas foi obrigado a esquece-lo, e foi desta forma que ele encontrou seu segundo amor, Lee Chae-rin. A cabeça de Ji-Yong estava uma baderna, não sabia bem oque fazia e nem oque iria fazer, porém se sentia feliz.




Notas Finais


Boa tarde 💙
Até mais tarde docinhos 🐙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...