História Fly — Aprendendo a Amar - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Amor, Bambam, Bts, Comedia, Conflito, Coréia, Crossover, Drama, Got7, Hoseok, Jackson, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Namjoon, Romance, Taehyung, Yoongi, Youngjae, Yugyeom
Exibições 40
Palavras 1.852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Seinen, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Noona


Fanfic / Fanfiction Fly — Aprendendo a Amar - Capítulo 4 - Noona

Mais três dias de trabalho. Era sexta finalmente! Eu adorava sextas-feiras, meu dia favorito em toda a semana. Fui para o trabalho até mais feliz, mesmo sabendo que eu também trabalharia aos sábados...

A parte boa era que eu não tive que lidar tanto com o Jackson naqueles dias, pois eles tiveram sessões de fotos e eu só fiquei observando de longe enquanto o Sr. Yang cuidava de alguns detalhes do conceito com os fotógrafos. A parte boa era que o Jaebum estava tão: AAAHHHH. Bem, todos estavam lindos e maravilhosos — menos o Jackson... ah, ok, ele até estava interessante para quem não sabia quão idiota ele era. Mas, pra mim, não era lá grandes coisas... quer dizer, até era se eu ignorasse a parte idiota dele, ou seja: TUDO.

Na hora do almoço, o Sr. Yang e eu fomos almoçar com eles no dormitório. Levamos o almoço e quando chegamos, fomos atendidos pelo Junior.

— Oi! Podem entrar — ele diz sorrindo.

— Trouxemos o almoço — o Sr. Yang diz mostrando as bolsas.
E entramos.

— Appa! — Jackson, Yugyeom e Bambam exclamam quase ao mesmo tempo.

— Comida! — Junior diz apontando para as sacolas.

— Comida! — Todos dizem rindo.

— Essas crianças interesseiras... — Sr. Yang diz pra mim rindo e eu também rio.

Vamos para a cozinha e eles se sentam à mesa, eu ajudo a distribuir a comida entre todos e o Youngjae me ajuda com os talheres.

— Eu estou morto de fome mesmo... — Jackson diz, pegando seu prato.

— Quando você não está morto de fome? — JB pergunta e todos riem.

— Quando eu estou dormindo — ele responde com aquela expressão falsa de sério e eles riem, tento não rir, mas acabo não conseguindo disfarçar muito bem. Droga...

Quando termino de servir, vejo que o único lugar que sobrou pra eu sentar foi entre o Jackson e o JB. Penso no lado bom apenas e me sento feliz, pulando por dentro, mas com cara de quem não liga por fora.

— Você não consegue ficar longe de mim, não é mesmo? — Jackson sussurra, se inclinando na minha direção.

Reviro os olhos pra ele e olho pro outro lado. Enquanto comemos o Sr. Yang conversa com eles sobre trabalho e outras coisas.

— Ryu, você gosta de dançar? — Youngjae me pergunta de repente.
— Sim, mas eu não sou tão boa quanto vocês, claro — digo sorrindo.

— É que a gente quer ir em Gangnam amanhã — Yugyeom diz. — Dar uma escapadinha do trabalho... o appa deixou.

Olho para o Sr. Yang, surpresa.

— Bem, eu ainda não acho uma boa ideia, tendo o comeback tão perto — o Sr. Yang diz após pigarrear. — Vocês não devem ser vistos por aí com o novo visual, vocês sabem... então, terão que ser extremamente discretos.

— Nós sabemos, appa — JB diz.

— Eu só permiti isso porque depois de todo o trabalho duro, acho que vocês merecem se divertir um pouco — o Sr. Yang diz.

— Appa é tão bom pra gente! — Bambam diz sorrindo e os outros concordam.

— Então, Ryu — Junior retoma a conversa. — Você quer ir dançar com a gente?

Fico surpresa com o convite e bebo um pouco de água antes de responder.

— Claro, eu devo passar vergonha dançando, mas... deve ser legal — digo lançando um olha pra JB que sorri.

— A gente te ajuda — Bambam diz.

— Sim, podemos te ensinar uns passos — JB diz e bebe um gole de água.

— Seria ótimo — sorrio para ele e coloco o cabelo pra trás da orelha.
Jackson começa a tossir exageradamente e esbarra em mim, olho pra ele furiosamente, sabia que ele estava fingindo.

— Ei! — Reclamo quando ele pega a minha água e vira toda na boca, mas já era tarde.

— Eu engasguei — ele diz com a cara mais deslavada do mundo.

— Poderia ter pegado a SUA água — digo, o encarando.

— A minha acabou — diz e eu respiro fundo tentando ter paciência.

— Pode pegar a minha água, se quiser — JB oferece.

— Obrigada — digo pra ele, sorrindo e depois me viro pra Jackson e lhe lanço um olhar que significava: OBSERVE E APRENDA. Em néon.

Ele faz sinal de ânsia de vômito, então enche a boca de comida e sorri de forma estúpida pra mim e para os outros que riem. Youngjae soca o braço dele e ele grita exageradamente, apenas reviro os olhos.

— Jackson, se comporte — Sr. Yang diz tentando disfarçar o riso e Jackson baixa a cabeça fingindo ter vergonha na cara. Coisa que sabemos que ele não tem e nunca teve...

 

Fomos todos para a JYP uma hora após o almoço, pois os garotos tinham treino e o Sr. Yang e eu tínhamos trabalho a fazer. Acompanhei o Sr. Yang por algumas horas e depois ele me mandou para a sala de treino.

Quando chego lá, os garotos estavam começando uma das músicas e eu espero eles terminarem, sentada no chão. Enquanto os observava, principalmente o Jaebum — ÓBVIO —, vejo o Jackson fazer caretas pra mim sempre que nossos olhos se encontravam. Afinal, qual era o problema dele? IDIOTA!

Decido ir buscar lanches e água no meio da música pra quando eles terminassem e saio da sala em direção a copa.

— Idiota... adora me irritar — pego a água resmungando e umas barras de cereais, ia pegar apenas seis garrafas, mas como eu sou um amor de pessoa, pego sete porque não queria que o Mark ficasse com sede por partilhar sua água com aquele imbecil do Jackson. — Estúpido... babaca.
Quando eu ia dar um jeito de abrir a porta pra sair da copa com uma bolsa cheia de garrafas e várias barrinhas e biscoitos no colo, a porta se abre e bate em mim.

— POOLTA MERDA! — Exclamo quando uma das garrafas cai no meu pé, junto com algumas barrinhas.

— Desculpe! — Uma garota diz, se curvando pra mim.

Esfrego meu pé que estava latejando com a dor e olho pra ela com uma careta.

— Desculpe, eu estava distraída... não te vi atrás da porta — ela diz, parecendo preocupada. — Você se machucou? Precisa de ajuda?

— Não... foi só uma garrafa que caiu no meu pé — digo, tentando soar mais educadamente enquanto me recomponho. — Eu vou ficar bem.

— Tem certeza?

— Huhum — digo me abaixando novamente pra pegar as coisas.
Ela se abaixa pra me ajudar também. Catamos tudo e ela me entrega o que ela tinha pegado.

— Obrigada.

— De nada — ela diz quando eu estava saindo.

— Ei... você falou português? — Ela pergunta com uma expressão curiosa.

Penso um pouco tentando me lembrar do que ela estava falando.

— Ah, sim! — Me lembro do xingamento e rio. — Eu falo sim.

— Você é brasileira também? — Ela sorri.

— Não, não — digo em português balançando a cabeça. — Mas, eu morei lá por três anos e tenho família lá também.

— Que legal! — Ela mostra um sorriso radiante falando em português também. — Eu sou de lá! É tão bom encontrar gente que usa expressões como as minhas... Prazer em te conhecer, me chamo Yang Heesun.

Me surpreendo com o nome.

— Perae... você é parente do Sr. Yang? — Pergunto.

— Sou sim, ele é meu tio — ela estreita as sobrancelhas, surpresa também.

— Ah, então você é a nova trainee que eles falam tanto! — Digo sorrindo. — Prazer em te conhecer, sou trainee também... quer dizer, não com a mesma finalidade que você, mas sou trainee do Sr. Yang... estagiária, pra ser mais exata. Meu nome é Ryu Minji.

Ela vê que eu estou impossibilitada de apertar a mão dela e então, ela só se curva em cumprimento como eu fiz.

— Prazer, Ryu Minji — ela diz sorrindo.

— Seu tio fala muito de você — digo sorrindo também. — Ele parece muito orgulhoso.

— Sim... — Ela cora. — Ele é um tio muito bom pra mim, não estaria aqui se não fosse por ele.
Um pausa.

— Bem, a gente se fala melhor depois — digo sorrindo. — Agora tenho que levar essas coisas aqui para os garotos.

— Quer ajuda? — Ela oferece.

— Não, obrigada — digo. — Eu consigo levar sozinha.

— Ok. Então... até mais — ela acena.

— Até mais — me curvo rapidamente sorrindo e me viro em direção ao corredor.

Quando chego, bato na porta com o cotovelo pra abrirem e vejo Bambam se arrastando pelo chão na direção da porta, igual soldado em treinamento.

— Comida! — Ele diz sorrindo quando se senta pra abrir a porta.

— Comida! — Aquela palavra é dita como um eco por eles.

E em poucos segundos, eles se reúnem à minha volta e cada um pega algo me agradecendo. Eles pegam as garrafas também e na vez do Jackson, ele sorri forçado pra mim e eu faço careta pra ele, então a gente se senta no chão pra comer.

— Ei, Ryu — Jackson chama.

— Hum? — Me concentro mais em abrir meu choco pie.

— A gente estava se perguntando... — Ele continua. — Quantos anos você tem?

Interrompo o movimento de abrir a embalagem e o fuzilo com os olhos. Não gosto de falar sobre a minha idade.

— Não seja rude! — Youngjae bate no braço de Jackson e ele grita.

— Você tem que diminuir essa sua agressividade — ele diz com aquela sua expressão pseudoséria e Youngjae ri de boca fechada, cheia de biscoito. — Olha meu braço, está com marcas suas.

Jackson levanta um pouco a manga da camisa pra ele e todos riem, principalmente Youngjae.

— Mas, enfim... — Jackson se volta pra mim, esperando a minha resposta. — Pode dizer, Ryu.

Termino de mastigar metade do choco pie.

— 22 — digo.

— Faz aniversário quando? — Ele pergunta.

— 26 de março.

— Você faz aniversário dois dias antes de mim... então, você é uma noona! — Jackson diz. — Eu ganhei!

— Você não parece ter 22 — Junior se espanta como os outros.

— Obrigada — digo sorrindo, mas logo me volto pro Jackson com expressão confusa. — Como assim você acertou?

— Vocês me devem! — Ele aponta pra Yugyeom, Junior e Bambam sorrindo.

— Quê?! — Exclamo sem entender nada.

— É que eles fizeram uma aposta pra saber se você era uma noona ou não — Jaebum explica. — E parece que o Jackson ganhou.

— Quantos anos você pensou que eu tinha? — Pergunto pro Jackson de olhos estreitos.

— 23.

— 23? Por que? — Pergunto tentando me controlar pra não voar no pescoço dele.

— Por causa do cabelo — Bambam diz.

— Que que tem meu cabelo?

— É curto... — Jackson diz. — Parece cabelo de noona.

— Que cabelo de noona o que! — Digo irritada. — O nome disso é corte moderno, querido. E eu ainda sou mais nova que o Jaebum e o Mark e nem sou tão mais velha que você... — Olho pro Jackson — Tenho só dois dias de diferença. O que são dois dias?

— Não são muita coisa mesmo — Yugyeom diz.

— Também acho — Junior concorda.

Mark e Bambam assentem em concordância.

— Mesmo assim, você é uma noona — Jackson ri satisfeito e eu fecho a cara pra ele. Então, ele se vira para os outros. — E vocês me devem um jantar.

— Ok... — Mark diz.

Quis matar o Jackson naquele momento. Não gostava de ser uma noona e tive que me levantar pra não cometer um homicídio.

— Agora eu achei um apelido pra você — ele diz antes de eu sair. — Noona Minji!

— Nem ouse — digo entredentes.

— Noona Min — ele diz rindo. — Noona Ji... ou só noona, eu gostei.

Ignoro ele e saio levando as embalagens vazias para o lixo. Lugar onde eu queria enfiar ele de cabeça pra baixo. Que mané, noona o quê?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...