História Fogo Encontra Gasolina e Tudo Explode - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Haechan, Jeno
Tags 628, Nctzinhos, Nohyuck, Novocaine Series
Visualizações 74
Palavras 575
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Shonen-Ai, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


It's like you're always there, like you're always on my mind, and I see your silhouette everytime I close my eyes.

Para Louis, a #1 Nohyuck shipper.

Capítulo 1 - Reação química entre fogo e gasolina


— O que um garotinho tão perfeito como você está fazendo nesse fim de mundo, hm? — Lee Donghyuck perguntou, a voz cheia de desdém, no que Lee Jeno, um novato, sentou-se ao seu lado após ser apresentado como novo membro do grupo — Você realmente não me parece o tipo de delinquente juvenil, boneca.

— E você não me parece do tipo babaca. Parece que estávamos ambos errados.

Donghyuck soltou uma risada ácida e abriu um sorriso ladino, os olhos fixos no rosto sério do garoto. Jeno era, sem sombra de dúvidas, o garoto mais bonito que Donghyuck já tinha visto. Simplesmente estonteante e etéreo, com seus cabelos platinados, corpo esbelto e qualquer existência de defeitos em toda a magnificência de seu ser.

— É realmente um prazer te conhecer, boneca. Aposto que vamos ser ótimos amigos.

Talvez fosse clichê demais dizer que Lee Donghyuck era a personificação de escolhas erradas, com seu cabelo ruivo, piercing no lábio inferior e jaqueta de couro, e talvez tenha sido por este mesmo motivo que Jeno e Donghyuck se deram tão bem. Jeno não era nenhum garotinho inocente. Jeno flertava com Donghyuck e ele flertava de volta, a mão firme na coxa do mais novo sob a mesa de jantar, o braço sempre serpenteando ao redor da cintura de Donghyuck com posse.

Deitados lado a lado, escondidos sob os lençóis brancos de Lee Jeno, os dois planejavam sua fuga daquele fim do mundo, os dedos entrelaçados no que discutiam planos e mais planos para escaparem daquele inferno. Donghyuck tinha encontrado refúgio de seu inferno particular nos braços de Jeno, que o embalava num sono sem pesadelos. O beijo de Jeno tinha gosto de sonhos roubados e meninos perdidos, mas seu abraço era o mais próximo que Donghyuck já teve de um lar.

Apesar de estar apaixonado por Jeno, a maior paixão de Donghyuck ainda era o fogo. Jeno ainda tinha um desejo incontrolável de roubar, tanto é que Jeno acumulou isqueiros e mais isqueiros para presentear Donghyuck. Passaram incontáveis madrugadas no terraço, sentados lado a lado, no que Donghyuck queimava bíblias e jornais, o olhar vidrado nas chamas que dançavam perante seus olhos. Jeno permitia-se observar, temeroso que um dia as labaredas fossem eventualmente consumir Donghyuck por inteiro.

Lee Donghyuck era apaixonado pelo fogo. Jeno era só uma paixonite temporária que eventualmente acabaria por devorar Donghyuck com suas ideias distorcidas de amor adolescente. A cama de Jeno continuaria sendo o esconderijo predileto de Donghyuck e seu abraço continuaria sendo seu lar, porque foi com Jeno que Donghyuck enfim conheceu sossego e juras de amor proferidas em sussurros praticamente inaudíveis.

— Eu amo você — Jeno confessou num murmúrio, o rosto enterrado na curva do pescoço de Donghyuck, as mãos possessas serpenteando pela cintura do mais novo — Eu não me importo com o que digam sobre nós, Donghyuck, eu ainda quero você.

— Foda-se o mundo, Jeno. Eu amo você.

— Você e eu não seguimos regras, Donghyuck, nós as quebramos, afinal, regras existem para serem quebradas. Somos os rebeldes, os encrenqueiros, aqueles que veem o mundo de uma forma diferente. E é por isso que somos tão perigosos.

— Somos eu e você contra o mundo, boneca. Tudo se resume a você e eu, porque no fim das contas, o mundo virou as costas para nós. Você é tudo que eu tenho, Jeno, e não preciso de mais ninguém.

— Você é tudo que eu preciso, Hyuck, e que se foda o mundo, eu continuo só querendo você.


Notas Finais


All I need is you, baby, fuck the world, as long as you're my man, I'm your girl,
'Cause you're my fella, my guy, so hand me your Stella and fly
By the time I'm by the door, you bring me down like Roger Moore



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...