História Follow my lead. - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Cat Grant, Kara Zor-El (Supergirl)
Tags Cat Grant, Drama, Kara Danvers, Romance, Supercat, Supergirl, Traição
Visualizações 147
Palavras 5.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite! <3
Temos um capítulo cheio de surpresas e novidades!
Um grande passo será dado e algo que muitos estavam esperando finalmente aconteceu, espero de coração que exceda a expectativa de vocês. <3

Relevem todo e qualquer erro, ok?
Um grande beijo!

Capítulo 27 - Capítulo 27.


O final de semana foi reservado por Kara e Cat para apenas que pudessem descansar e namorar. No domingo à tarde saíram para fazer uma pequena caminhada e tomar um suco no parque, posteriormente fizeram um passeio pela cidade já que Cat havia prometido isso há muito tempo para a namorada. Kara conheceu algum dos pontos turísticos de National City e adorou cada um.

A semana que se seguia seria de completa correria. Lucy havia se dado conta de que não estava preparada o suficiente para alguma das suas provas e isso a deixou apavorada nos quarenta e cinco minutos do segundo tempo fazendo Kara ficar preocupada com a situação.

– Eu sabia que isso ia acontecer, depois eu que sou a apavorada. – Kara tentou brincar para amenizar a tensão.

– Eu não estou entendendo o assunto! – Lucy andava de um lado para outro.

– De nervoso, Lu. Eu sei que é difícil pedir calma, mas hoje é terça-feira e você ainda tem tempo para estudar. Estou a disposição para te ajudar com a disciplina que tenho facilidade, porém as outras é com você já que eu não curso elas. – Disse séria.

As duas amigas estudaram até tarde da noite, especificadamente até dar o horário da biblioteca da faculdade fechar. Dessa vez, sabiamente, Lucy não quis saber de Jimmy, deixou o rapaz em casa de molho. Quando estavam saindo do prédio deram de cara com Cat que estava encostada em seu carro, Kara quase caiu pra trás quando a viu vestida em um terno preto, camisa da mesma cor, salto alto e o cabelo solto muito bem penteado.

– Uau! Que chique! O que ela está fazendo aqui? – Lucy perguntou para Kara que continuou muda.

Catherine se aproximou das duas com um sorriso encantador nos lábios.

– Boa noite! Estão perdidas há essa hora aqui no centro? – Perguntou simpática.

– Estávamos estudando. – Por fim Kara se pronunciou.

– Posso dar uma carona para vocês? – Indagou olhando diretamente para a namorada.

– Ah, não vamos ao mesmo lugar. Kara vai para a casa do Winn e eu vou para a minha. – Lucy falou um pouco desanimada.

– Não tem problema, eu deixo você em casa e a levo até lá. – Cat falou rapidamente.

– Por que você está aqui nesse horário? – Lucy indagou claramente desconfiada.

– Vim até o centro para uma reunião com alguns empresários e quando estava indo embora as vi saindo, achei que quisessem uma carona. – Inventou a primeira estória que veio a sua mente.

– Cara de pau! – Kara falou baixinho enquanto ria da namorada.

– Então vamos! – A morena falou animada.

Lucy saiu na frente, foi até o carro e logo entrou. Kara e Cat vieram depois rindo de algo que a morena não soube dizer, mas pelo visto tinha muita graça.

– Os dias estão corridos por causa das provas? – Cat puxou assunto.

– Não faz ideia do quanto! Estou completamente apavorada, mas a Kara não. Aliás, nem parece que está a um passo das provas finais. – Lucy falou rindo.

– Só estou me concentrando, mas no fundo eu estou bem nervosa sim. – Kara retrucou.

– Você estuda o dia inteiro, Ka. Ela é estudiosa demais, Cat. – Disse como se revelasse um segredo e levou um leve empurrão da amiga.

– Ela tem cara de ser estudiosa mesmo. – A empresária olhou para a namorada sorrindo. Kara não se atreveu a corresponder o olhar, sabia que não iria segurar o riso.

O caminho até o apartamento onde Lucy e Kara moravam não era longe, mas foi o suficiente para conversarem sobre os estudos. A morena comentou que iria se dedicar a noite toda em estudar as disciplinas que estava tendo mais dificuldade e foi reprovada pela melhor amiga que sabia que não adiantava estudar tudo de uma vez, não seria proveitoso para ela.

Chegaram ao destino e Lucy se despediu de Catherine e da melhor amiga com quem combinou de estudarem um pouco mais no dia seguinte, assim que o carro arrancou Kara deu um beliscão na namorada fazendo-a sobressaltar do banco.

– Ai! O que é isso? – A empresária reclamou.

– Para você deixar de ser cara de pau! Passando por aqui e as vi? Ela tem cara de estudiosa? – Kara encenou a situação com a sua namorada e melhor amiga há pouco tempo.

– Ô amor, achei que ficaria feliz por eu ter ido te buscar. – Fingiu decepção.

– Eu estou, mas não precisava fazer aquele teatro todo. – A loirinha deu um beijo no local onde tinha dado o beliscão.

– Tem que disfarçar, não? – Cat falou um pouco séria fazendo a namorada a olhar e exibir um sorriso.

– Eu amo você, sabia? – Kara falou docemente.

– Sabia! – Fingiu desdém.

– Convencida! – A loirinha gargalhou com a ousadia da mulher.

– Sabia também! – Levou uma tapa no braço. – Ai! Você está me batendo muito hoje! Não vou ganhar nenhum beijo? – Fez bico.

– Ganha sim! – Kara aproveitou que estavam paradas no sinal para segurar o rosto da sua amada e lhe dar um beijo delicado.

– Eu não quero beijo assim, quero assim. – Catherine a puxou para mais perto e colocou os seus lábios no da loira em um beijo cheio de intenções.

Kara finalizou o beijo quando ouviu o carro de trás buzinando, logo apressou a sua namorada que reclamou um monte do motorista que nem ao menos conhecia. Pouco tempo depois chegaram em casa e Kara logo pediu por um banho já que estava se sentindo cansada e dolorida. Foi até a suíte com Cat que ouvia atentamente a namorada falar sobre o seu dia, de como havia sido alugada pela melhor amiga uma vez que a mesma tinha acordado para a vida em relação aos estudos. Não fazia ideia de que Lucy ficaria daquela maneira, pois a mesma já havia namorado antes, mas sempre priorizou os seus estudos.

A empresária abriu o chuveiro e entrou no box com a sua amada, a abraçou por trás enquanto sentia a água quente cair sobre as suas costas. Não foi propriamente um banho, mas sim verdadeiras trocas de carícias.

 

Nos poucos dias conseguintes Kara se dedicou ainda mais para estudar, mas principalmente a ajudar Lucy. Juntas repassaram todos os assuntos e depois tiveram uma última reunião com seus respectivos orientadores do projeto de pesquisa. Hank adiantou para Kara que no quesito teórico ela já havia passado para a próxima fase, só faltava mesmo a apresentação prática.

Era finalmente quinta-feira, Kara estava na frente do espelho que ficava no closet da namorada experimentando algumas roupas que possivelmente escolheria para a apresentação de mais tarde. Cat havia mandado uma mensagem mais cedo dizendo que iria direto do trabalho para o auditório da faculdade justificando que não iria terminar o trabalho a tempo. Kara desejou imensamente que a namorada estivesse com ela naquele momento, estava ansiosa e só a empresária tinha o poder de acalmá-la. Respirou fundo e continuou analisando o seu reflexo no espelho.

 

Catherine estava no shopping praticamente correndo entre uma loja e outra com algumas sacolas na mão e o telefone na outra.

– “Max, eu preciso correr! Ainda preciso passar na joalheria!” –

– “Até parece que é você que vai se apresentar. Não se preocupe que eu fecharei a sua sala.” – Tentou acalmar a amiga.

A empresária havia saído mais cedo de casa e deixou apenas um bilhete para Kara no quarto avisando que não almoçaria em casa, pois tinha muito trabalho para fazer naquele dia. Mais tarde enviou uma mensagem para sua amada falando do horário que iria encontrá-la, o que ela não sabia era que tudo não passava de uma surpresa. Catherine comprou uma roupa nova para a namorada para que ela pudesse usar na apresentação, além disso, passou na joalheria para mais uma das suas extravagâncias e talvez o passo mais importante da sua vida.

Aproveitou para também reservar uma mesa grande em um restaurante para que pudesse ir com Kara e com seus amigos para lá após a apresentação, queria comemorar com todos. Quando entrou no elevador que a levaria para o estacionamento do shopping percebeu o quão ofegante estava, olhava o relógio o tempo todo com medo de não dar tempo.

Não demorou muito para estar em casa uma vez que tinha pisado fundo no acelerador. Abriu a porta do seu apartamento e procurou por algum sinal de Kara, nada dela por ali. Subiu correndo em direção ao seu quarto e deu de cara com a namorada que ao que parecia tentava montar um look para vestir sobre a sua cama.

– Oi amor! – Kara olhou para a porta e viu a empresária com a aparência cansada. – Achei que íamos nos encontrar na faculdade. – A olhou com mais minúcia. – Nossa, que cara é essa? Correu de alguém? – Brincou quando a mulher adentrou o quarto.

– Corri pra cá, isso sim. Ainda bem que cheguei a tempo! – Respirou fundo. – Queria chegar com você, aliás, te levar até lá. – Sorriu se acalmando. – E ficar do seu lado. – Kara achou a atitude dela linda em se preocupar por levá-la até o auditório.

– Então tome um banho, meu amor. Eu já tomei o meu, estou aqui procurando uma roupa. – Deu um selinho na mulher.

– Comprei para você. – Cat pegou a sacola e entregou para ela. – É um presente pela etapa concluída, sei o quanto estudou e se esforçou para isso. – Sorriu orgulhosa da sua amada.

– Outro presente? – Kara a olhou séria.

– Você merece, meu amor. – Se aproximou novamente para beijá-la.

– Obrigada, amor. Sem você ao meu lado eu não faria da mesma força, se estou tranquila agora é porque você está comigo. – Beijou a empresária com carinho.

 

Cat correu para o banho e em tempo recorde, para a sua pessoa, saiu e se arrumou. Kara já estava pronta e se olhando no espelho como de costume, o vestido era verde escuro muito bem acinturado por causa do cinto preto e que acentuava as suas curvas, mas não de maneira vulgar. Fez uma trança lateral e amarrou seu cabelo atrás a deixando ainda mais bonita.

– Uau! – Cat parecia uma predadora observando a sua caça.

– Nem pense nisso agora! – Kara advertiu seriamente.

– Quero um beijo pelo menos. – Se aproximou e a pegou pela cintura.

Saíram de casa depois de muitos beijos. Dentro do carro o celular de Kara tocou, era Lucy querendo saber dela. A loirinha avisou que já estava no caminho e pediu que a melhor amiga a esperasse na porta do auditório, a mesma concordou após repetir mil vezes que estava apavorada porque ao se dedicar mais as provas, acabou deixando a base de pesquisa de lado.

– Lucy está nervosa, nunca a vi assim. – Comentou com Cat assim que a chamada foi encerrada.

– Isso vai passar, daqui a pouco todos estaremos comemorando. – Disse sorrindo. – Ah! Leslie pediu que eu te mandasse um beijo e te desejou muita sorte, ela praticamente me ameaçou me mandando tirar fotos para mostrá-la depois. – Contou revirando os olhos.

– Bem gentil ela. – Deu uma gargalhada imaginando a cena. – Depois vou agradecê-la. A minha mãe me ligou mais cedo e disse que assim que terminasse a apresentação era para eu ligar para ela. Está torcendo por mim de lá. – Contou sorridente.

– Está vendo? Protegida de todos os lados. – Pegou a mão da menina e a beijou.

O trânsito estava fluindo naquela noite, logo chegaram ao campus e pararam próximo ao prédio da faculdade de psicologia onde ficava o auditório que iria sediar as apresentações da base de pesquisa. Tinham alguns carros no estacionamento, mas felizmente Catherine conseguiu uma boa vaga mais próxima do prédio. Kara já estava preparada para descer do carro quando sentiu a namorada segurar a sua mão chamando a sua atenção para ela.

– Espera, meu amor. – Pediu ansiosa. – Quero te desejar boa sorte. Fique calma, certo? Tenho certeza que tudo dará certo porque você se preparou para isso e agora só precisa colher o fruto do seu esforço. Eu estarei na plateia te aplaudindo de pé quando terminar, não só por ser uma excelente aluna, mas também por eu te amar demais. – Declarou com toda sinceridade que existia em seu coração comovendo Kara.

– Ai meu amor, saber que você está ao meu lado é mais importante do que qualquer coisa. – Disse com os olhos marejados.

– Eu não sei se agora é o momento certo para isso, mas eu acho que preciso seguir o meu coração e aproveitar que estamos a sós... – Cat falou ainda mais ansiosa fazendo Kara arquear a sobrancelha por não entender o que ela estava querendo dizer com aquilo. – Por mim eu faria em público, mas essa é a minha primeira vez e última fazendo isso e eu quero respeitar a sua opinião e privacidade. – Soltou a mão de Kara e a levou até o compartimento da porta do seu carro, retirou uma pequena caixa preta de veludo e a abriu sob o olhar da namorada. Eram duas alianças. – Kara Danvers, o seu amor me transformou. Eu quero dividir a minha vida com você e para isso preciso te fazer uma pergunta que, Deus, espero que te traga tanta alegria quanto me traz. Você aceita se casar comigo? – Sorriu emocionada ao perguntar.

– Eu... Nossa... – Kara ficou atônita, seus olhos marejaram no momento em que viu aquelas alianças e tomou noção do seu significado. – Mas você já é... – Foi impossível não se lembrar daquele maldito detalhe que a sua namorada ainda era uma mulher casada.

– Eu sou sua, Danvers. – Cat retirou o papel do divórcio de sua bolsa. – Sempre fui e sempre serei sua. – Kara olhou aquele pedaço de papel com o coração acelerado. – Eu... É claro que aceito, meu amor. – Uma lágrima teimosa caiu. – Eu prometo fazer o possível para corresponder todas as suas expectativas.

– Você já corresponde todas elas. – Algumas lágrimas também caíram dos olhos da empresária que sorria como uma boba.

– Eu aceito me casar com você, Catherine Grant. – Repetiu beijando-a como se fosse a primeira vez.

Estavam felizes no sentido mais amplo e intenso da palavra, era como se um flash passasse pela mente das duas mostrando tudo o que tinham vivido em tão pouco tempo de relacionamento, não sabiam como ou quando aquela relação havia ficado tão séria, mas o que realmente importava para ambas era que se amavam e que queriam compartilhar suas vidas uma com a outra.

Trocaram as alianças com um sorriso lindo nos lábios, cada uma beijou a aliança posta no dedo anelar direito da outra em um gesto de carinho mútuo.

– Eu te amo, meu amor. – Cat disse emocionada passando a mão nos cabelos loiros e amarrados da sua amada. – Isso poderia ter sido mais romântico, mas não consegui resistir. – Riu um pouco sem graça.

– Não importaria quando ou onde você poderia ter feito isso, o importante para mim é você. – Sorriu olhando-a nos olhos.

 

Saíram do carro após retocarem a maquiagem aos risos e foram diretamente para a entrada do auditório. Winn e Max chegaram logo em seguida e minutos depois Lucy apareceu com o namorado. Barry chegou depois acompanhado de uma mulher que todos entenderam ser uma namorada.

– Está mais tranquila, Lu? – Kara perguntou para a amiga.

– Agora sim. Fiquei nervosa antes, mas quando chega a hora eu vou me acalmando. – Disse rindo.

– Ainda bem, nervosismo atrapalha muito. – Abraçou a morena amigavelmente.

– Você está linda! Adorei o vestido! – Lucy elogiou após o abraço. – Tenho certeza que nós vamos arrasar. – Animou-se.

– Só tem aluna linda nessa universidade. – Max se aproximou das duas brincando.

– Porque acha que escolhi fazer a minha pós aqui? – Winn entrou na brincadeira do namorado, também se aproximou das amigas. – Estão prontas? – Perguntou amigavelmente.

– Basicamente. A Kara é mestre, ela quase não fica nervosa mais. – Lucy brincou fazendo todos rirem.

– Que aliança é essa? – Max indagou no ouvido de Kara que ficou imediatamente desconsertada. – Quando foi? – Estava curioso e até se divertindo com a cara que a amiga fazia.

– Alguns minutos atrás no carro. – Disse sorrindo timidamente.

– Que original! – Ele revirou os olhos. – Catherine já foi mais criativa. – Riu debochadamente.

– Para de pegar no pé dela, Max. Eu adorei! – Retrucou o amigo.

– Como tudo o que ela faz. Amor é fogo mesmo! – Implicou novamente.

Felizmente as pessoas começaram a chegar e o movimento consequentemente aumentou fazendo com que todos fossem procurar um lugar estratégico para se sentar. Os alunos sentaram em cadeiras reservadas nas primeiras fileiras e os convidados nas mais de trás, antes de se afastar Kara olhou para Catherine e lhe sorriu recebendo um piscar de olho e um boa sorte inaudível.

Lucy estava tão nervosa e concentrada na sua apresentação que não percebeu a aliança no dedo da melhor amiga, o que deixou Kara aliviada por ora.

– Não sei como não viram aquela aliança, ela parece tão larga que parece um cinto. – Max brincou.

– Demorei muito para escolhê-la e você ainda me fala uma coisa dessas? – Cat falou chateada.

– É linda, mas nada discreta. Ouro branco e um diamante daquele crava no meio... Só Lucy mesmo para não notá-la, mas assim que ela fizer fará um comentário sobre e eu quero ver o que Kara vai dizer. – Cat ficou em silêncio, pois o comentário do amigo havia lhe incomodado.

As apresentações foram iniciadas pelo reitor da universidade, logo depois subiu ao palco o coordenador do departamento de psicologia. Conseguinte um a um os alunos foram subindo ao palco e seus respectivos orientadores que só faziam se apresentar para o público em geral e apresentar os seus orientandos falando um pouco sobre como foi feita a parte teórica e metodológica da pesquisa.

O nome de Kara foi anunciado e a mesma caminhou até o palco, quando começou a sua apresentação o silêncio imperou no lugar. Tudo fora dito e explicado de forma singular arrancando um sorriso orgulhoso do seu orientador e também de Catherine que tirava fotos initerruptamente com o seu celular. Quando finalizou foi aplaudida de pé e até recebeu alguns gritos dos seus amigos, isso a deixou um pouco sem graça visto que não estava acostumada com tal coisa.

Lucy se apresentou logo depois e claro que também arrasou com toda a sua postura e segurança, Kara torceu por ela em todos os momentos sentada na primeira fileira. Terminou sendo aplaudida de pé principalmente pela melhor amiga que a recebeu com um abraço carinhoso. Quando o último aluno se apresentou e desceu do palco, os orientadores se reuniram para cumprimentar a todos e os elogiarem. Pouco tempo Max se aproximou com Cat, Jimmy, Winn, Barry e sua namorada.

– Você é fantástica, Danvers! Parabéns! – Hank abraçou a aluna e depois a entregou um certificado que afirmava que ela havia passado para a segunda fase da pesquisa.

– Muito obrigada, professor. – Agradeceu feliz e depois o viu se afastar para falar com outro aluno.

– Passamos! – Lucy praticamente pulou na melhor amiga feliz por também ter recebido o certificado de aprovação.

– Que venha a segunda fase agora. – A loirinha sorriu animada.

Catherine aproveitou para se aproximar da namorada no momento que Lucy se afastou dela para falar com Jimmy.

– Foi perfeita! – Deu um abraço apertado na sua noiva. – Eu te amo. – Sussurrou em seu ouvido fazendo-a abrir mais o sorriso.

– Significa muito para mim saber que você gostou, meu amor. E eu também te amo e muito. – Disse ainda abraçada a ela.

O abraço findou sendo mais longo do que um simples cumprimento amigável, mas naquele momento nenhuma das duas ligavam para aquele detalhe, só queriam aproveitar a presença uma da outra. Depois que Kara abraçou os outros amigos, Catherine convidou a todos para irem ao restaurante em que havia reservado a mesa.

– Quanta gentileza! – Lucy disse para a empresária.

– Vocês merecem, mas devo admitir que a ideia foi do Max. – Piscou o olho para o amigo.

 

Chegaram ao restaurante minutos depois, o garçom os recebeu educadamente e levou todos para a mesa reservada. Catherine tratou logo de sentar ao lado de Kara já que Winn havia ocupado o outro seguido de Max. Jimmy e Lucy estavam de frente para eles na mesa, de fato eram três casais.

– Acho que vou dormir por uma semana agora que um peso foi tirado das minhas costas. – Kara desabafou.

– Na segunda fase você já estará mais acostumada com esse ritmo. – Winn comentou deixando mais aliviada.

– Eu estou relaxa, afinal agora só penso nas férias! – Lucy disse animada.

– E eu terei a minha namorada de volta. – Jimmy abraçou Lucy que lhe deu um selinho rápido em resposta.

– Ih, tinham dado um tempo, mas agora voltaram ao agarramento com tudo Ka. – Max brincou levando todos a gargalhar.

– Ainda bem que eu vou para a minha casa. Aliás, vamos não é? – Perguntou para a morena.

– Então... Eu não tinha te falado, mas eu pensei em ir apenas na segunda quinzena. – Respondeu um pouco sem graça.

– Por quê? Avisou aos seus pais? – Quis saber mais séria.

– Eu a chamei para passar alguns dias na casa da minha família no interior. – Quem respondeu foi Jimmy.

– Seu pai vai ficar bem chateado e eu não serei a pessoa que vai avisá-lo disso. – Kara informou a amiga.

– Não se preocupe, eu irei falar. Já tenho até o discurso pronto. – Disse sorrindo.

– Doida! – A loirinha revirou os olhos.

– Sou doida, mas eu te amo. – Lucy riu. – Ka, obrigada por ter me ajudado nessa semana, se não fosse você eu teria surtado na hora. – Agradeceu pegando na mão da amiga. A esquerda, por sorte.

– Eu sei que faria o mesmo por mim se eu precisasse. – Kara sorriu.

– Juntas até o fim! – A morena levantou o copo de cerveja para um brinde.

– Um brinde as mais futuras psicólogas da cidade! – Winn também levantou o seu copo, acabaram que todos brindaram juntos.

– Estou pensando em ir com você. O que acha? – Catherine perguntou baixinho para Kara enquanto os outros conversavam.

– O quê? – A menina se engasgou chamando a atenção dos demais. – Não foi nada. – Disse sem graça e voltou a olhar para a noiva. – Para Riverside? – Indagou também em um sussurro.

– Sim, amor. Podemos ir de avião. – A empresária disse simplesmente notando a feição da amada mudar ao mencionar o meio de transporte. – Tem medo de avião, amor? – Sorriu.

– Aquele negócio faz um belo estrago quando cai. – Explicou dando uma tapa na coxa da mulher por ela estar rindo daquilo.

– De acordo com as estatísticas acontecem mais acidentes de carro do que de aviões. – Fingiu seriedade.

– E iríamos só nós duas? – Questionou aceitando a ideia de ter a sua noiva por perto durante as férias.

– Pensei em levarmos Max e o Winn, assim poderíamos disfarçar mais. – Sugeriu pensativa.

– Estava pensando em algo enquanto estávamos vindo para cá, mas depois conversamos sobre isso. De qualquer forma, eu não sei amor, será que Lucy não vai desconfiar? – A insegurança de Kara tinha lhe deixado confusa agora.

– Ficamos em um hotel. – Cat insistiu.

– Claro que não! Vocês podem ficar na minha casa, eu só preciso conversar com a minha mãe primeiro. – Respondeu rapidamente para não dar margem a dúvida de que ela queria a noiva por perto. – Amanhã de manhã ligarei e conversarei com ela sobre isso. – Disse sorrindo.

– Isso! – A empresária se empolgou.

– Por falar em mãe, preciso ligar para ela para avisar que tudo terminou bem. – Riu.

Retirou o celular da bolsa e discou o contato da sua mãe, mas como a conversa dos seus amigos estava atrapalhando a sua com Eliza Danvers, decidiu se levantar e se afastar o suficiente para conseguir ouvir a voz da matriarca.

– “Pronto mãe, agora te escuto direito.” – Informou rindo.

– “Onde você está, meu amor?” – Perguntou preocupada.

– “Estou em um restaurante comemorando com meus amigos.” –

– “Ah sim! Então, me conte, como foi?” –

– “Foi incrível, mãe. Eu e Lucy passamos, agora estamos na segunda fase da pesquisa e finalmente de férias. A Lu apresentação da Lu foi ótima também, ela é muito segura quando o assunto é esse.” – Contou animada.

– “Fico feliz, minha princesa. Agora vá se divertir com seus amigos, mas não volte tarde, ok?” –

– “Não irei, não se preocupe com isso. Amanhã eu te ligo e conto mais detalhes.” –

Enquanto Kara conversava com sua mãe ao telefone, Kara a observava orgulhosa, estava ainda mais linda naquele vestido e até o seu andar de um lado para outro era perfeitamente gracioso.

– Limpa a baba. – Winn brincou com ela.

– Você está pegando a mania do seu namorado. – Catherine sorriu para o amigo.

– É a convivência. – Deu de ombros.

– Kara está falando com quem? – Lucy se meteu na conversa deles, a pergunta foi direcionada a Cat.

– Com a mãe. – Respondeu desviando o seu olhar para a noiva novamente.

– Ah sim! Amanhã eu ligarei para os meus pais, principalmente para o meu pai que só falta ter um enfarte de tanto que torce por mim. – Ela comentou rindo.

– Então ligue para ele logo, oras. – Max retrucou.

– Eles devem estar dormindo agora. Kara que é a filhinha da mamãe e liga toda hora se deixar. – Debochou da amiga.

– Ela está certíssima, é importante manter a família informada já que mora longe. – Winn a defendeu.

O silêncio se fez presente por pouco tempo, foi quebrado por algo que temiam que fosse acontecer, só não esperavam que fosse agora, naquele exato momento. Lucy olhava para a amiga, logo seu olhar caiu sobre a aliança em seu dedo.

– Não sabia que Kara tinha comprado um anel e um perfeito, por sinal. Eu estava nervosa mesmo para não ter reparado, principalmente porque ela não usa anéis. – A morena comentou chamando a atenção de todos para ela, principalmente a de Catherine.

– Não? – A empresária se surpreendeu.

– Ela não gosta muito. – Disse dando de ombros.

– Ah... – Cat pareceu decepcionada ao ouvir aquilo.

– Kara mudou um pouco, ela parece mais madura até mesmo no jeito de se vestir, de falar... – Max observou.

– São os ares de National City. – Jimmy brincou.

O olhar de Catherine estava na noiva novamente, quando Kara finalmente encerrou a ligação o seu coração bateu mais forte, estava curiosa e ao mesmo tempo tensa pelo o que viria depois. A loirinha retornou para a mesa sorridente, foi só o tempo de sentar ao lado da noiva para Lucy se manifestar.

– Amiga, que anel lindo! Aonde você comprou? Deixa-me ver! – Pegou a mão direita da melhor amiga e analisou aquela preciosidade.

Kara foi pega de surpresa por aquele comentário, desviou o olhar da amiga que ainda analisava a sua aliança para a sua noiva que a olhava de maneira indecifrável, talvez arriscaria julgar que havia medo dentro daquelas íris que tanto amava. Mesmo não tendo conversado com Catherine a respeito, resolveu dar um fim aquela situação que a incomodava tanto.

– É uma aliança. – A corrigiu em alto e bom som e de imediato Catherine sentiu um frio na espinha.

– Aliança? – Lucy demorou um pouco para entender a sequência daquelas palavras vindas da amiga.

– Sim, a ganhei hoje para tornar concreto o pedido mais lindo que já me fizeram na vida. – Lucy a olhou surpresa esperando que a amiga continuasse a falar, mas a loirinha fez melhor, simplesmente pegou a mão direita de Catherine e a colocou em cima da mesa entrelaçando os seus dedos. – Pode-se dizer que estamos... – Olhou para a empresária e sorriu.

– Noivas! – Cat completou dando um beijo carinhoso em sua cabeça.

– Mas? – A morena estava perdida com toda aquela avalanche de informações. – Desde quando? – Gaguejou. – Por quê? – Kara olhou para a noiva pedindo ajuda, logo a mesma se prontificou.

– Não sei se isso lhe parece absurdo ou inaceitável, mas o fato é que eu amo a sua amiga desde o nosso primeiro contato. E por insistência minha, apenas minha, fui aos poucos conhecendo a pessoa incrível que ela é e aconteceu que nos apaixonamos e estamos namorando desde então. – A empresária explicou séria.

– Mas você não é casada? Co-como? – Lucy tentava entender enquanto desviava o olhar da amiga para a empresária.

– Eu era, finalizei o casamento antes de começarmos algo sério. – Se limitou.

– Quanto tempo? – Dessa vez a pergunta foi feita diretamente para Kara.

– Quase cinco meses. – Respondeu sincera.

– Por isso que ela te pegou na faculdade algumas vezes e você dormiu no apartamento dela, viajou... – A morena parecia encaixar os fatos. – Por que não me contou? – O silêncio imperava na mesa.

– Tive medo que ficasse chateada ou simplesmente não aceitasse, nós já conversamos sobre assuntos relacionados, não foi? – Lucy assentiu e abaixou a cabeça. – Eu tentei mentir falando que sentia algo por Winn, mas vi que mentir não estava sendo legal. Você sempre foi a minha melhor amiga, vivemos juntas desde criança e a sua amizade é muito importante para mim. – Kara declarava de forma doce. – Eu não aguentava mais esconder isso de ti, ia conversar hoje com Catherine sobre isso, mas já que você viu a minha aliança eu decidi antecipar. – Confessou sorrindo.

– Vocês vão morar juntas? – Lucy perguntou preocupada.

– Não! – Kara achou graça da preocupação da melhor amiga. – Esse é um passo muito importante e não poderia ser feito de repente, além disso, eu não te deixaria morando sozinha. – Respondeu sincera.

– Devo admitir que convite não faltou já que eu disse várias vezes que ela poderia morar comigo, mas ela prefere você. – Cat fingiu ciúme fazendo os meninos rirem.

– Amor, a concorrência é forte! Lucy é minha amiga há anos. – Kara também brincou abraçando sorridente a sua noiva.

– Desde os seis anos de idade. – Lucy se permitiu sorrir também, mas por pouco tempo. – Confesso que já desconfiava, mas não acreditava. As pessoas estão comentando e... – Disse sério olhando para as duas.

– Eu sei. – Kara concordou.

– Você está feliz? – Perguntou séria para Kara.

– Muito! – Respondeu sorridente.

– Então tudo o que eu tenho que fazer é respeitar a sua felicidade. Eu não entendo, achava que... Bom, você é uma mulher adulta e sabe o que quer da vida, até mais do que eu até. Só quero que seja feliz. E você... – Se voltou para Catherine. – Trate-a bem ou terá problemas comigo e com toda a cidade de Riverside, ok? – Advertiu a empresária.

– Sim senhora, não se preocupe que ela está em boas mãos. – Catherine afirmou fazendo continência.

– Assim espero! – Lucy sorriu para a mulher.

– “Também espero!” – Max pensou olhando para o namorado que no momento parecia compartilhar do mesmo pensamento.

– Eu sempre te admirei e te respeitei, não será diferente agora. – Lucy esticou os braços sobre a mesa e pegou as duas mãos da amiga.

– Obrigada por isso e por ficar ao meu lado. – A loirinha sorriu emocionada.

– Sempre! – Lucy enfatizou.

– Então mais um brinde! – Novamente Winn levantou o copo.

Todos brindaram satisfeitos, Kara e Catherine estavam mais aliviadas agora que todos que estavam presentes sabiam do seu amor. A empresária passou o braço em volta do corpo da noiva e a abraçou, Kara estava sorrindo a toa, aproveitou para repousar a sua cabeça no ombro dela.

Jantaram e depois pediram sobremesa, no fundo queriam estender aquela comemoração. Na saída do restaurante Max e Winn se despediram e coube a Catherine e Kara levarem Lucy e Jimmy para casa. Durante o trajeto até o apartamento da noiva, Cat pôs a mão automaticamente na perna esquerda de Kara como fazia normalmente. A loirinha olhou receosa para aquele ato já que não sabia qual seria a reação da amiga.

– Ka, quando você vai para Riverside? – Lucy perguntou normalmente.

– Devo ir na segunda-feira. – Respondeu virando um pouco o seu corpo para ver a amiga.

– Estou pensando em ir também. – Cat comentou.

– Para Riverside? O que você vai fazer lá? – A morena indagou sem entender.

– Quero conhecer a minha sogra. – Brincou arrancando uma risada da noiva. – Falando sério agora, eu pensei em ir com Kara para passear mesmo. – Respondeu mais séria.

– Você não trabalho não? – A pergunta soou quase como um deboche.

– Trabalho e muito, mas posso tirar folga já que a empresa é minha e eu decido quando preciso de um tempo. – Retrucou orgulhosa.

– E nós escolhemos ser psicólogas. – Revirou os olhos fazendo todos rirem. – Bom, eu acho que pode levantar suspeitas, mas... –

– Winn e Max podem ir para disfarçar. – Kara a interrompeu.

– É uma ajuda. – Concordou.

Chegaram na frente do apartamento onde Kara e Lucy moravam, Catherine encostou o carro perto da portaria para que a morena e o namorado não precisassem andar muito.

– Ainda conversaremos sobre tudo isso, não é? – Lucy perguntou para Kara antes de sair do carro.

– Com certeza, passarei aqui antes de viajar. – Afirmou.

O casal se despediu das duas mulheres e saiu do carro, foram de mãos dadas até a entrada do prédio onde sumiram na visão de Kara e Catherine. Elas por fim se olharam e sorriram uma para outra, aquele sorriso carregado de sentimentos bons e puros. Estavam livres. 


Notas Finais


Eu sei, eu sei, eu sei.... Noivas! <3
Me contem tudo! Estão todos vivos?
O que acharam do pedido? E da revelação para Lucy?

Até cansei depois desse capítulo. Urfa!
Um beijo e até o próximo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...