História Fool - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Suho, Xiumin
Tags Sumin, Xiuho
Exibições 12
Palavras 2.809
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Fluffy
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu tinha ela a muito tempo na minha pasta de OS SuMin, dês que o novo álbum do Red Velvet foi lançado, mas só criei vergonha na cara parar terminar ela agora e.e

Mor, eu disse que seriam duas coisas, essa é uma agora não sei se vou conseguir fazer a outra, mesmo que ela já esteja em andamento, mas você disse que estava com saudades de ler SuMin, então peguei a mais fluffly e continuei ela >.<
O niver pode ser meu, mas quero lhe dar algo também u.u

Bem, a música usada foi "Fool" do Red Velvet, sim, não foi a o Troye Sivan e.e E onde tem " * " eu apenas mudei a palavra para o gênero masculino

Boa leitura meus marshmallows :3

Capítulo 1 - Lover Fool - Capítulo Único


Sinto que nos encaixamos bem
Através do olhar, através da nossa conversa
Nós ficamos bem juntos (Certo! Nada pode dar errado)
Assim como uma noite antes do aniversário
O sentimento do nervosismo, a célula do namoro despertou

 

- Hyung! Hyung! – Ouvi a voz do mais novo soar de longe e retirei um de meus fones o vendo sentado em minha frente segurando dois copos de café e sorrindo da maneira infantil que sempre sorria para mim.

- Bom dia, JunMyeonnie! – Sorri para o maior e peguei o copo que era estendido para mim bebericando a bebida quente, sorrindo ao notar que era um dos meus favoritos – Cappuccino de Caramelo, você nunca erra, como pode?

- Sou eu, Hyung! Eu conheço seus gostos peculiares – Disse com seu ar de superioridade me fazendo estalar minha língua no céu da boca.

- Não são peculiares, apenas não são sem graça igual aos seus, pegou o quê? Expresso sem açúcar novamente? – Beberiquei mais um pouco da bebida o olhando por cima do copo sua careta.

- Dessa vez eu segui uma recomendação sua, peguei Caramelo Macchiato... Até que é bom – Olhou sua bebida movendo o copo lentamente e me fitou- O que faz aqui há essa hora? Daqui a pouco será seu aniversario, Hyung!

 

Levantei minha cabeça do livro que havia voltado a ler com sua pergunta e sorri mínimo de canto, apenas queria estudar em paz, mas era quase impossível sendo que eu sabia que SuHo faria de tudo para ser o primeiro a me dar parabéns, era sempre assim, era fofo essa ocasião, por mais que ele não tivesse nada de fofo.

 

- Sim... Daqui há... – olhei no relógio de meu celular que estava em cima da mesa do refeitório- dez minutos, vai ficar aqui até dar o horário?

 

O maior suspirou e se levantou segurando e levando seu café consigo, deu a volta pela mesa e parou ao meu lado, fechando o livro me fazendo resmungar, mas apenas seu olhar de repressão me calou e assim se sentou ao meu lado, pegando em minha mão que segurava o café com a sua destra que antes também segurava o seu café, ela estava quente, aquela quentura apenas dele

 

- Hyung... Eu ficaria com você independente do aniversario ou não

 

Foi por isso que me tornei estranho*
Eu rolei por nada, não consigo dormir
Por que parece que estou voando?

 

Rolava pela cama relembrando da noite, por mais caótica que tenha sido eu apenas sentia o gosto de seus lábios, não me importava que havia sido um selar simples e acidental, sem propósito nenhum, apenas me dava uma sensação de leveza

 

- Ei! Hyung! Está se divertindo? – O maior perguntou passando seus braços ao redor de meu ombro, notei que o mais novo tinha um copo de cerveja em suas mãos e aparentava já estar meio alterado.

- Queria estar jogando vídeo-game

- Mas aqui tem vídeo-game também – Ele apontou com a garrafa para a direção da grande televisão onde em volta da mesma, sentados em várias almofadas que pareceram ter sido jogadas de qualquer jeito, se encontravam vários meninos surtando por uma pontuação que eu passaria facilmente.

- Corrigindo, queria estar no meu quarto jogando vídeo-game – Ouvi sua língua se estalar e lhe olhei de canto de olho, ele realmente parecia incomodado quanto ao meu contragosto de estar naquela festa.

- Vamos lá Hyung... Eu sei que pode se divertir é uma das melhores festas desse ano! – Ouvi sua voz soar ainda mais perto e quando me virei para lhe responder em um resmungo senti seus lábios nos meus, arregalei meus olhos e fiquei estático, e acho que esse não era o objetivo dele, porque da mesma forma ele ficou, suas bochechas ruborizadas eram fofas e seus lábios... É... Eles eram macios como havia pensado.

 

O mais novo se afastou depois de um tempo daquele modo, ainda tínhamos nossas bochechas vermelhas e nossos olhos levemente arregalados, sem jeito nos afastamos, mas enquanto me afastava não conseguia desviar meu olhar de si, e ele parecia não conseguir desviar o seu também.

 

Por que estou assim de novo
Sorrindo sozinho* igual a um* tolo, tolo?
Por que meus pés estão criando passos de dança
Sozinhos como se fossem tolos, tolos?

 

 

Entrei na vasta sala de ensaio que havia naquela grande escola, era um lugar que me sentia bem, gostava de relaxar lá, mas naquele momento eu me sentia estupidamente inspirado.

Inspirado não era bem a palavra certa, meus pés simplesmente faziam o passo que queriam, criando uma sequência que nem eu mesmo entendia, mas sabia que estava  dançar um pouco de balé, mas nem música tinha para acompanhar, por um bom tempo eles ficaram se mexendo do jeito que queriam, parecia uma dança boba, mas cheia de sentimento, talvez algum que estivesse a esconder.

Ao fim, quando repousei meus pés normalmente no chão, sem estar na ponta ou em algum passo consegui ouvir sons de palmas, ao olhar através do espelho consegui ver ele, com um sorriso caloroso, enquanto se aproximava batendo palmas.

 

- Não sabia que você dançava, Hyung! – O mais novo exclamou em surpresa, deixando-me sem jeito, ao tempo que pegava minha toalha que estava no chão, perto do local que se encontrava e com isso se aproximou de mim.

 

Nunca havia notado até então, mas SuHo estava bem mais alto que eu, antes eu era dois dedos mais alto que si, mas agora minha cabeça bate em seu peito, tive que levantar minha cabe quando o mais novo segurou em meu queixo e ergueu ele, passando a toalha por meu rosto de forma delicada

 

- Mas eu não danço, Jun – Lhe expliquei e sorri internamente ao ver seu bico infantil em seus lábios.

- Não, você só é muito melhor que varias pessoas da escola e ainda dá um show nelas tudo – Empinou seu nariz e levei minha destra, apertando o mesmo, ouvindo seu resmungo pra que parasse – Ai Hyung, para que a agressividade?

- Fraco – mostrei a língua para si- Nem foi tão forte assim – Virei meu rosto e o mais novo por ainda estar com sua mão em meu queixo virou ele novamente, fazendo-me o encarar, enquanto ainda limpava meu rosto com a toalha, seu rosto estava sem expressão, mas passava-me tranquilidade.

 

O mais novo virou meu rosto após secar ele e beijou minha bochecha demoradamente, provavelmente a deixando mais ruborizada do que já se encontrava pelo esforço anterior.

 

- Hyung... – O mais novo me chamou e murmurei “uhn?”, tendo meu pescoço arrepiado, por ele falar perto de meu ouvido- Eu já te contei o quanto te acho lindo?

 

 

Como se eu estivesse em uma gangorra sozinho*, me sinto animado*
Eu caio no meu próprio mundo.
Deve ser um sonho, até belisco minhas bochechas
Ser tolo dói

 

- Hyung~ - O mais novo me chamou novamente com sua voz manhosa, mas nem lhe dava atenção, continuava de costas para si, com meus braços cruzados.

- O que houve dessa vez? – Ouvi a voz de Kris soar e me encolhi, não tinha uma relação boa com ele, alguns me diziam ser ciúmes o que sentia, porque Kris era realmente próximo de JunMyeon e mesmo que evitasse ele, o mesmo sempre era amigável comigo.

- O Hyung está me evitando dês de quarta – JunMyeon respondeu com a voz cansada e frustada, mas mesmo com a culpa me consumindo aos poucos continuei de costas para si.

- Quarta não foi o dia que você o contou que o acha bonito? – Um silencio reinou entre todos, mas apenas eu e JunMyeon parecíamos incomodados- Tsc, admitam logo que vocês se amam, todos já estão cansados desse modo meloso de vocês – O mais novo esbravejou e nos deixou a sós, mas eu apenas não queria tocar naquele assunto, mas deveria ter tocado, mesmo que eu só falasse uma sílaba, tudo teria sido uma opção melhor do que escutar o suspiro cansado de SuHo e ele me deixar naquele corredor.

 

 

Algo parece que deu errado
(Não, não pode ser)
Não consigo me controlar, não consigo me concentrar
Porque estou pensando em você
Mas eu fiquei estranho* novamente
Sorrio com o seu telefone
Acho que estou profundamente apaixonado* por você

 

 

Já era a décima vez que ligava para o celular de SuHo, e era a décima vez que o mesmo não atendia minha ligação, mas foi quando o primeiro toque da décima primeira soou que pude ouvir sua voz grossa e cansada, eu o acordei... Ops!

 

- Minnie? O que aconteceu? Por que está me ligando tanto? – O mais novo perguntou tudo de forma apressada, e sua voz me causava certos arrepios.

- No jardim, enfrente ao banco perto das flores de lírio, daqui a sete minutos! – Fui rápido em lhe explicar, sem ao menos responder suas perguntas ou esperar uma resposta sua.

 

 

>>yyy<<

 

 

Batia meu pé consecutivamente, ansioso para ver o mais novo, estávamos estranhos e não sei bem o motivo, mas algo me dizia que não podia ficar assim consigo... Talvez fosse a saudade que tinha de ver seu sorriso.

Levantei meu olhar e em como uma cena programada ou super romantizada, consegui ver JunMyeon andar até mim, parecia um tanto envergonhado, mas ainda conseguia sorrir com o canto de seus lábios, enquanto estava com suas mãos nos bolsos de trás da calça jeans de lavagem escura, seus cabelos pretos estavam em um quase topete, um tanto despojado.

Quando notei o mais novo estava a minha frente, chamando por mim, enquanto estralava seus dedos a frente de meu rosto.

 

- Ah... Desculpa – Respondi simplista, corando com meu pequeno desligamento com o que acontecia ao redor.

- bem... Para que me chamou aqui? – O maior se inclinou um pouco para frente, e pude sentir com mais intensidade seu perfume, tem como se apaixonar por um cheiro?

- Ah, sobre isso... – Passei minha destra por minha nuca, sem graça, virando meu rosto e desviando meu olhar, focando minha atenção em algo que não fosse ele, mas era uma missão impossível.

- Vamos lá, Hyung! Conte-me logo, eu odeio quando você fica de mistério, você já é misterioso o suficiente – Voltei meu olhar, apenas pelo canto de meu olho para si, vendo seu nariz empinado e seu bico emburrado.

- Aish... Você é apressado! Eu queria lhe confessar uma coisa... – Voltei meu rosto para o seu, e o mesmo parecia tenso, mas continuava perto e com seu olhar fixo no meu- O dia que você me chamou de lindo... Eu fiquei envergonhado, um tanto sem jeito, mas eu gostei... Gostei de ser elogiado por você, e eu queria lhe contar que... Eu também te acho lindo – Sussurrei para si, vendo seu corpo relaxar, mas por um momento sua expressão se tornar confusa.

- Era apenas para me falar isso? – O encarei confuso e assenti, ouvindo seu suspiro e minha atenção foi para seus lábios, me perdendo entre ele novamente- Hyung! – O mais novo me chamou alto- preste atenção no que estou falando... Espera estava vidrado nos meus lábios? – Me perguntou e eu corei, desviando meu olhar, mas assentindo quase que minimamente.- Você tem que parar de ser fofo... Ou apenas notar logo.

 

 

Meus sentimentos continuam repetindo
Como uma idiota prestes a hesitar
Até mesmo meu coração parece confuso quando você sorri.

 

 

- Hyung – Ouvi um sussurro perto de meu ouvido e me arrepiei, encolhendo meus ombros e me afastando da pessoa que reconhecia muito bem a voz, agora ele começou com essa frecura de me deixar arrepiado e às vezes fazer carinhos em mim.

- Aish, eu já disse para parar com isso, sabe que não gosto de ficar arrepiado – Lhe repreendi, ouvindo sua risada breve, me virei para si, com meus braços cruzados, esperando ele prosseguir- Fale logo o que quer! – Falei alto e o mai novo se assustou, arregalando seus olhos e dando um pequeno pulo de surpresa.

- Aish, Hyung! Como sabe que vim pedir algo? Só quero ficar aqui do teu lado – Ele sorriu simplista e deu de ombros e maldito coração que não conseguia ficar quieto e bater em um ritmo aceitável pela medicina.

- Você só sabe encher meu saco, não tem nada melhor para fazer? – O mais novo tombou sua cabeça para trás, rindo alto, cessando sua risada ao poucos e assim que voltou a postura normal desarrumou meus fios, bati em sua mão e resmunguei alto.

- Devo ter, mas minha prioridade nunca são essas outras coisas, gosto de lhe ver nervoso, bravo e... – Segurou em minha mão e me trouxe para mais perto, deixou um beijo rápido em minha bochecha e se afastou rindo fraco- te ver corado.

 

E mais uma vez meu coração disparou, eu só prestei atenção em seu sorriso, o que foi uma péssima idéia já que a bola de futebol veio diretamente em minha cabeça, parabéns MinSeok!

 

 

Mas parece que você também é estranho
Quando você me vê, continua sorrindo
Assim como eu

 

 

Olhei para o céu escuro naquele final de tarde de uma quinta-feira perturbada, minha cabeça ainda latejava por conta da bola que havia acertado ela poucos minutos atrás, suspirei e decidi ir logo antes que começasse a chover, mas é só você falar em desgraça que ela acontece.

Os pingos começaram a cair em minha cabeça, a cada segundo com mais frequência, enquanto apresava meu passo, até ser barrado por um guarda chuva aberto, a minha frente, barrando meus passos de serem conduzidos, segui com meu olhar o apoio de mental usado para segurar o guarda chuva e quando olhei por cima de meu ombro com meu olhar elevado, meus olhos e focaram na face serena do mais alto e em seu sorriso de canto, ele estava sorrindo com muito mais frequência esses dias.

 

- Acho melhor eu te acompanhar até sua casa – Voltou o gaurda chuva ao normal, sem barrar minha passagem e puxou minha bolsa, me levando junto, fazendo-me parar ao eu lado, senti sua mão entrelaçar seus dedos aos meus e o mesmo começar a me conduzir.

- Por que segurou minha mão? – Perguntei em um sussurro, vendo seu olhar ainda para frente, mas um sorriso contido ainda estava em seus lábios, mesmo que mal fosse perceptivo.

- Gosto como a sua mão esquenta a minha – franzi meu cenho, até porque estava frio e o toque de minha mão estava um tanto gelado, não estava ao ponto de fazer as mesmas congelarem, mas não o suficiente para esquentar a do mais novo- Você não vai entender o motivo... Mas não é sua pele que me esquenta, talvez seja o sentimento... Porque eu te amo, Hyung – Pisquei meus olhos e sorri de forma infantil.

- E também te amo, Jun – Disse de forma fofa e ouvi seu suspiro risonho e em seguida negar em uma manear fraco, em um contexto negativo.

- Não Hyung, eu amo você, da mesma forma que você me ama, mas não consegue perceber... Droga de inocência – sussurrou após virar seu rosto para o lado contrario que se encontrava meu corpo, mas ainda consegui lhe ouvir, só notando agora como estávamos próximos.

 

Neguei com minha cabeça, rindo fraco e sem humor, parei eu corpo e me virei para si, sem soltar sua mão.

 

- Eu sei, e eu lhe amo dessa forma, eu acabei percebendo a três meses atrás, mas é legal ver suas provocações e crises de ciúmes – Ri de sua expressão indignada e soltei sua mão, notando que a chuva já havia parado, essas chuvas de verão que mudam tudo.

- Ei! Hyung, me espere! – O mais novo pediu, após notar meu afastamento, olhei por cima de meu ombro para si e me virei de costas, parando de andar, lhe mostrei a língua.

- Não, agora você vai ter que me alcançar, está achando o quê? Seu Hyung é alguém exigente e difícil – Fiz uma pose com meus dedos da destra em um “V” perto de meu rosto, vi o mais novo parar e suspirar.

- Eu poderia tirar uma foto de você assim, deveria ser menos lindo, MinSeok! – O mais novo me alertou e em resposta revirei meus olhos rindo.

- Se continuar com essas cantadas é meio caminho andado.

 

Ri alto e voltei a andar, conseguia ouvir seus passos rápidos e já sabia que ele estava tramando algo, então surpresa não foi ao sentir minha mão ser segurada por si e meu corpo puxado, indo de encontro ao seu e assim fazendo uma poça embaixo de nós respingar, reclamei alto, olhando para nossos pés molhados e parte da calça também, mas minha atenção foi ao seu rosto quando meu queixo foi erguido por seus dígitos.

 

- Então eu já te ganhei – Virou meu rosto e deixou um beijo em minha bochecha, voltando a me conduzir, mas a única verdade que ocultaria por muito tempo para o mais velho, era que talvez, ela já tivesse me ganhado no primeiro sorriso de muitos.


Notas Finais


Eu e meu mal com finais que não saem bons >.>

Acho que não tenho nada a falar aqui, foi um final aberto, para imaginarem, acho que faço isso com mais frequência do que imagino >.<

Bye <3 até uma próxima -que vai ser logo-


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...