História Fools - Namjin e Vkook (Temp. 1° e 2°) - Capítulo 39


Escrita por: ~ e ~TTPudding1230

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, J-hope, Jimim, Jin, Jungkook, Nanjoom, Rap Monster, Suga
Visualizações 76
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá minhas garotas. Não sei se já avisei isso antes, mas fools está com os capítulos contados para acabar. Espero que gostem do que preparei para vocês. Beijinhos. Até qualquer hora.

Capítulo 39 - 2 - Eu não quero mais ouvir isso!!!


Fanfic / Fanfiction Fools - Namjin e Vkook (Temp. 1° e 2°) - Capítulo 39 - 2 - Eu não quero mais ouvir isso!!!

(Leia Notas A Cima Por Favor)

 

 

 

Quando a manhã do dia seguinte chegou eu mal podia esperar para tomar café da manhã, eu estava tão ansioso, era impressionante. Então sem demora levantei-me da cama, tomei um banho e fui me arrumar. O cheiro de perfume exalava pelo quarto, quando Jin repentinamente brotou no quarto. 

-Oi - Sorri para ele. 

-O café esta pronto, só vim avisar vocês - Olhei de mim para o Namjoon que ainda estava deitado na cama. 

-Ok - Sorri para ele. 

-Ok - Ele estava prestes a sair quando o Namjoon disse: 

-Espera - Nós dois olhamos para ele surpresos - Posso falar com você? - Perguntou a Jin. 

-Hã... pode, claro - Ele claramente havia estranhado aquilo. 

-JK pode nos dar licença, preciso falar com ele a sós - Pediu. 

-Claro - Disse meio animado, pois aquele era o meu objetivo desdo o inicio. 

---------------------------------------------

 

Jungkook On

Uma semana atrás...

Tudo estava indo bem, eu estava animado, queria correr para ver o Tae logo no café da manhã. Queria poder sentar perto dele e poder faze-lo rir. 

-Bom dia - Cumprimentei todos que estavam na cozinha. Olhei em volta e logo vi o Tae sentado entre Hoseok e Suga. Droga! Eu queria poder sentar ao lado dele!

-Bom dia - Disseram separadamente com uma voz arrastada de quem não estava muito afim de ter acordado tão cedo.

Eu com poucos passos me sentei ao lado de Suga, ele estava com uma cara seria de quem mal conseguiu dormir. Deve ter passado a noite acordado novamente, tenho a teoria de que essa seja a motivação de seu grande mal humor.

Peguei um pouco de bolo de chocolate e um copo de suco de laranja, mas logo que comecei a atacar o bolo senti um olhar cair sobre mim, olhei para frente e vi a cara péssima com a qual Jimin me olhava. Ele estava com os olhos inchados e levemente escuros, com olheiras e me encarava sem sequer disfarçar. Será que fiz alguma coisa?

Hoseok logo que olhou para nós, como quem não quer nada, acabou por chamar a atenção de Jimin o fazendo desviar o olhar. O que será que aconteceu para ele ficar me encarando assim?

Mordi meu bolo que estava coberto por um pouco de uma cauda doce e branca que eu não fazia ideia de como se chavama, só sabia que era deliciosamente deliciosa e magnifica. Adoro quando Jin faz esse bolo, é até melhor do que o industrializado.

Depois de dois pedaços senti uma mão se aproximar do meu rosto com algo que segurava. Olhei para o lado e vi que era alguém me oferecendo um guardanapo de papel.

-Hmm... - Peguei o guardanapo por educação e olhei para a extensão do braço da pessoa que estava me oferecendo o guardanapo dando de cara com o Tae que encarava o seu próprio pedaço de bolo - Obri... - Engoli o que estava mastigando - ... gada -  Comecei a limpar minha boca, eu nem mesmo sabia aonde estava sujo, não conseguia sentir, muito menos enxegar.

-Hmmm... - Resmungou de volta enquanto eu travava uma batalha comigo mesmo, ou melhor dizendo, com a parte suja que eu não conseguia encontrar.

-Ah - Tae soltou o ar pesadamente e aproximando a mão mais uma vez de mim acabando por encosta-la no meu rosto. Seu toque. Seu doce toque. Estremeci. Com o dedão ele acabou por passar sobre o lugar que estava sujo, bem sobre a minha bochecha, mas seu toque era tão bom que parecia uma doce caricia. Ele passou seu dedo algumas vezes ali, enquanto eu tentava não olha-lo e sabia que ele estava me olhando com aqueles olhos castanhos. 

 Tumtum... Tumtum... Tumtum... - Meu coração bate forte no peito e eu sei que estou prestes a começar a esquentar, por que é assim que o Tae me deixa... QUENTE.

-Vocês querem que eu saia do meio? - Suga falou friamente enquanto olhava de um para o outro.

-Hmmm... - Fingi limpar a garganta - Desculpe - Virei para frente quando Tae, rapidamente, retirou sua mão de meu rosto e voltou a ficar na sua posição anterior, só que desta vez parecendo estar mais rígido.

-Bom dia... - Jin disse entrando na cozinha e Namjoon entrou logo após dele, os dois entraram tão de repente que fizeram com que eu sentisse uma sensação de "fui pego". Os fitei de onde estava. Ainda não acredito que fui expulso do quarto, mas eu sabia que aquela conversa entre eles era importante somente pela cara de Namjoom e eu também queria correr para ver o Tae. 

Olhei de canto de olho para Tae e sorri disfarçadamente. O Tae era um cara doce e gentil como sempre, mas desta vez era diferente, era diferente porque eu sabia o sabor que seu beijo tinha, sabia como o seu toque podia me controlar e me esquentar, sabia como era tê-lo bem ali nos meus braços.

Atualmente...

Então eu não entendo, não entendo o que ele está falando agora, pois suas palavras parecem apanas como barulho para mim, com balas que ferem, que machucam.

-Jungkook - Deu um passo a frente.

-Não - Dei dois para trás.

-Eu sei que... - Tentou completar sua frase mas pareceu não conseguir termina-la.

Em pensar que essa dor começou a menos de dois minutos atrás, somente com as palavras "precisamos conversar" vindas logo em seguida de um "eu não posso mais fazer isso com você" e "preciso que a gente volte a ser como antes, que a gente volte a ser como dois velhos amigos". Por que eu disse "sim" quando ele pediu para conversar? Talvez fosse porque eu acreditava que ele iria falar outra coisa como palavras gentis, um "quero ficar com você para sempre" seria ótimo agora, principalmente para essa dor insuportável parar.

-Não, eu não quero ser apenas seu amigo - Neguei com a cabeça.

-E eu não consigo ser nada além de um amigo - Arrebatou rapidamente.

-O que? - O olhei descrente. Eu juro, estou quase ao ponto de chorar, por que essa dor no peito nunca para de crescer?

-Acho melhor nós pararmos de nos encontrar as escondidas por ai, acho melhor nós pararmos de acreditar que tudo isso vai dar certo - Deu mais um passo a frente no mesmo instante em que uma maldita lágrima caiu - Jungkook - Deu mais um passo a frente acabando com a pouco distancia entre nós.

-Não - Neguei mais uma vez com a cabeça - Eu não posso aceitar isso - O olhei nos olhos. Eu não podia suportar mais aqui.

-É melhor aceitar, porque tudo aquilo não passou de uma pequena confusão de sentimentos e de uma brincadeira de crianças - Disse friamente. Suas palavras fazem meu coração sangrar, fazem meu meu coração doer e despedaçar.

-Brincadeira? Acho que tudo isso foi uma brincadeira para mim? - Tomei distancia dele.

Ele não respondeu, ficou parado por segundos me olhando.

-Não, não foi uma brincadeira. Mas já que é assim, antes que a gente termine de vez o que mal começou, eu vou te dizer a única coisa que eu posso te dizer... Kim Taehyung... Eu Te Amo - Desabei bem na sua frente feito uma criança, feito um prédio demolido. Eu não consigo suportar, meu coração dói tanto.

-Jung... - Antes que ele pudesse se aproximar ainda mais eu levantei com toda a força que ainda me restava.

-Hyung... acho melhor eu ir embora... - Forcei um sorriso e sai andado em direção a porta.

Ele não correu atrás de mim, nem mesmo me perseguiu e mesmo depois de eu ter ido para meu quarto, me trancando no banheiro, ele não me procurou, nem mesmo tentou conversar sobre isso durante todo o tempo que se passou depois disso. Eu me iludi muito, porque eu o amava muito. Eu tinha esperanças de que ele fosse vir se resolver comigo, mas depois de um tempo eu percebi que isso nunca iria acontecer.

Eu o amo tanto, o amo tanto que até dói, mas não de um jeito bom, desta vez é uma dor agonizante, uma dor que somente a morte poderia curar, mas quanto tempo mais eu poderia suporta-la?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...