História Fools - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bts, By Loey, Fluffy, Jeongguk, Kookv, Menção Yoonmin, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 50
Palavras 2.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi, tudo bom rs?
o capítulo não foi betado (e a novidade, cadê?), então depois eu dou uma revisada, ok? ok
hmmm sem mais enrolações, boa leitura 💙

Capítulo 3 - .capítulo três


Fools — Capítulo Três.

 

• • • • • • • •

 

Era real ou era falso?

Foi tudo um erro?

Garoto, eu preciso saber, foi tudo na minha cabeça?

Você, alguma vez, sentiu o mesmo?

Foi só a minha mente brincando?

 

• • • • • • • •

 

[…]

 

Kyoto, Japão.

 

Um suspiro alto ecoou pelo quarto.

E, mais uma vez, Taehyung estava sentindo a falta de Jeongguk.

E, mais uma vez, culpava-se por isso.

Depois da conversa que tivera com Jeongguk antes de viajar para o Japão, decidiu colocar de uma vez por todas um ponto final naquilo que teve com o moreno. Iria esquecê-lo definitivamente. O mandaria para o cantinho mais escuro e isolado da sua mente. Iria obrigar-se a deixá-lo para trás, no passado, e fazer com que ele permanecesse lá para sempre.

Entretanto, as coisas não estavam indo muito bem como havia planejado.

Por mais que tentasse, se esforçasse e até mesmo se obrigasse, não conseguia deixar de pensar no moreno. O sorriso, os olhos, a voz… tudo continuava vindo à sua mente. Sempre que fechava os olhos, lembranças tomavam-lhe de conta e traziam à tona flashbacks de todos os momentos que passaram juntos, desde os ruins até os bons. De fato, Jeongguk havia errado — e feio — consigo, havia lhe machucado e até decepcionado seu frágil coração, porém, não podia negar que, antes de tudo virar de ponta cabeça, o mais novo havia agido como alguém legal e, até mesmo, como alguém que se importava de verdade consigo. Mesmo sabendo que nada daquilo que havia acontecido era culpa sua, uma pequena parte de sua mente fértil insistia em dizer que, sim, ele era culpado por tudo acabar daquele jeito.

Talvez, em algum momento, houvesse feito — ou, até mesmo, dito — algo errado; algo que tenha feito com que Jeongguk se irritasse e, por isso, tenha resolvido dar-lhe o troco daquela maneira tão cruel. Talvez tenha sido o seu jeito de ser, de agir; não se sabe.

Talvez, apenas talvez, ele não tenha sido bom o suficiente.

Choramingou pelo que deveria ser a trigésima vez somente naquele dia e agarrou-se à uma de suas várias pelúcias, resmungando o quanto a vida estava sendo bem filha da puta consigo.

— Cara, você 'tá horrível — foi a primeira coisa que Hoseok disse, assim que adentrou o quarto de Taehyung. — Por que você não supera isso?

— Nossa, eu não sei como ainda não tinha pensado nisso — resmungou, tendo sua voz abafada pelo ursinho.

Hoseok deu de ombros, mesmo que o outro não pudesse ver, e jogou-se na cama, puxando a pelúcia de Taehyung — este que murmurou algo incompreensível e criou um bico emburrado.

— O que você quer? — perguntou, estreitando os olhos em sua direção.

— Te tirar desse quarto — disse, como se fosse óbvio. — Qual é! É final de semana, precisamos aproveitar.

— Hm, legal… Mas eu não 'tô a fim.

— Ah, poxa. — Fingiu tristeza. — Pena que não é uma opção.

— Mas…

O Kim teve sua fala interrompida ao sentir-se ser puxado da cama por Jimin — que nem sequer o havia visto chegar — e ser empurrado para dentro do banheiro, ouvindo apenas a voz de Hoseok dizendo que não era para demorar no banho e que ele e Jimin escolheriam uma roupa que — segundo suas palavras — seria perfeita.

 

[...]

 

Seul, Coréia do Sul.

 

Os corpos orvalhados pelo suor se chocavam um contra o outro, mesclando os sons com os gemidos baixos e manhosos que ecoavam, fazendo com que uma melodia erótica e agradável soasse pelo cômodo que, naquele instante, parecia mais quente do que o normal.

Os arranhões nas costas e ombros largos de Jeongguk apenas denunciavam o prazer sentido pelos dois ali, e, nem mesmo o ardor causado pelo suor que escorria pelos pequenos machucados causados pelas unhas de Taehyung, diminuíram o tesão entre eles. Os gemidos dengosos emitidos por ambos deixavam claro que estavam gostando daquilo e que, se dependesse deles, não acabariam com aquele momento tão cedo.

— Eu quero tentar uma coisa… — disse um tanto quanto tímido e com o receio de fazer algo errado bem perceptível em sua voz.

— Quer sentar em mim, Taehyung-ah? — perguntou retórico, com um sorriso malicioso estampado nos lábios assim que viu o castanho o empurrar devagar sobre o colchão macio e ajeitar-se por cima de si.

— Em momentos como esse, esses tipos de comentários são completamente desnecessários, Gukkie, você sabe. — Sorriu, observando os traços que surgiam na expressão banhada de prazer feita pelo outro, enquanto colocava dentro de si o sexo duro de Jeongguk novamente.

Ainda um tanto quanto receoso, Taehyung iniciou os movimentos de sobe e desce lentamente, vez ou outra alternando-os por reboladas singelas — mas precisas —, apreciando cada centímetro da extensão do pênis saindo e entrando. Aos poucos, quando sentiu-se um pouco mais seguro, aumentou o ritmo, logo sentindo as mãos fortes de Jeongguk apertar-lhe a cintura, segurando-a e fazendo com que cessasse os seus movimentos, assim, podendo penetrar-lhe do jeito que queria: forte e rápido.

As contrações que a entrada de Taehyung fazia denunciavam que este já estava próximo de seu ápice, e Jeongguk, que não estava tão longe dele também, aproveitou e passou a arremeter com mais força e precisão, acertando-lhe a próstata repetidas vezes, logo sentindo o líquido morno molhar-lhe o abdômen.

Observar as feições que o Kim fazia enquanto as sensações do orgasmo lhe atingiam, passou a ser a cena mais perfeita que Jeongguk já havia visto em toda a sua vida, e, se dependesse de si, a presenciaria mais vezes. Sem aguentar mais, acabou desfazendo-se dentro de Taehyung, expelindo todo meu sêmen no preservativo.

— Gukkie? — chamou manhoso, apoiando a cabeça em cima do tronco nu do moreno, tendo apenas um resmungo como resposta. — Eu não disse antes, mas… — Respirou fundo, levantando minimamente o rosto até a altura do alheio, logo selando os lábios em um beijo calmo e cheio de sentimentos. — Eu também 'tô apaixonado por você.



 

O som de notificação de seu celular ecoou pela sala, acordando-lhe — outra vez — de seus devaneios sobre a noite em que esteve com Taehyung.

De quando o teve apenas para si.

Seis meses após a ida do castanho para outro país já haviam se passado, porém, para Jeongguk, não parecia sequer uma semana. A saudade que tinha era tanta que poderia sentir facilmente seu peito apertar, doer.

 

 

Yoongi:

Namjoon tá chamando a galera pra sair hoje

 

Jeongguk:

Não to muito a fim de sair de casa hoje não, hyung

 

Yoongi:

Beleza

Chego aí em quinze minutos



Revirou os olhos e jogou o celular em algum lugar aleatório do sofá.

Já estava ficando farto do jeito que seu amigo lhe tratava. Sabia que Yoongi não fazia por mal e que tudo aquilo era apenas para vê-lo feliz e não abatido pelos cantos por conta da ida de Taehyung para outro país. Porém, em certos momentos, tudo o que mais gostaria era de somente ficar em casa assistindo à algum filme qualquer ou simplesmente sem fazer nada o dia inteiro.

Em passos lentos e preguiçosos, levantou-se do sofá e dirigiu-se até o banheiro. Após ter tirado todas as peças de roupa do corpo, ligou o chuveiro e logo sentiu a água morna escorrer por seus ombros, aliviando todos os nós de seus músculos.

Lembrar-se dos momentos em que esteve junto de Taehyung já estava se tornando algo comum para Jeongguk. Tornando-se uma rotina dolorosa. Os olhos cor de amêndoas que brilhavam a cada vez que via algo que gostava. O sorriso que ele dava para cada ocasião — porque, sim, o Kim tinha um sorriso para cada momento, e Jeongguk aprendeu a amar cada um deles — se tornou o melhor e mais bonito de todos que já havia visto em toda a sua vida.

— Ah, mas que porra, Taehyung! — choramingou para si mesmo. — Sai da minha cabeça, por favor…

 

[…]

 

— Quando você disse que estaria no meu apartamento em quinze minutos, eu achei que já estivesse pronto — reclamou.

— Ah, para de resmungar. Você parece aqueles velhos rabugentos.

— Você é um idiota.

— E você é um trouxa. 

— Ah, claro. Até mesmo porque fui eu quem ficou porre e saiu gritando aos quatro cantos do mundo que queria o Jimin de volta, né?

— Tem certeza que quer começar com isso? — Olhou desafiador e  sorriu vitorioso ao ver o mais novo apenas revirar os olhos e resmungar algo incompreensível. — Babaca.

— Cala a boca e vamos logo. Os hyungs já devem estar impacientes com a nossa demora.

— Mas a graça é chegar atrasado, Guk. Assim chamaremos a atenção quando chegarmos. — Deu uma piscadela e rodou em frente ao amigo. — E então? 'Tô muito gato, né não?

— Vai se foder.

 

[…]

 

Jeongguk nunca havia se sentido tão deslocado em toda a sua vida. Nem mesmo a companhia de seus melhores amigos lhe ajudava a se sentir bem e alegre por estar ali, aparentemente, se divertindo.

Bom, pelo menos, era para estar.

As luzes coloridas, o gelo seco, as bebidas variadas, as pessoas — algumas que até lhe davam mole — que esbarravam em si, propositalmente ou não, nada ali, naquele lugar, não lhe chamava mais a atenção. Sua cabeça doía, seu corpo implorava por um descanso, afinal, já eram quase quatro horas da manhã e ainda estavam ali, em uma das boates mais badaladas de toda a Seul. Talvez, tivesse se desacostumado a sair e virar toda a noite fora de casa — fosse apenas para transar com a primeira pessoa que lhe chamasse a atenção ou apenas para beber e espairecer com os amigos em um barzinho.

— Jeongguk? — Seokjin chamou. — Você está bem?

— Sim, hyung — disse com um sorriso pequeno —, eu 'tô bem.

— Tem certeza? — insistiu. — Você não me parece estar muito feliz. 

— Eu 'tô um pouco cansado, só isso. — Bebericou de sua bebida quase intocada. — Acho que me desacostumei com isso tudo. — Apontou para a boate em si e franziu o nariz em uma careta engraçada de desgosto.

— É. — O mais velho riu. — Quando você tava tentando conquistar o Taehyung, se distanciou "dessa vida" — disse, ainda rindo de leve, fazendo aspas com os dedos. Jeongguk nada respondeu, apenas permitiu-se dar um sorriso amarelo e tristonho. — Ah, desculpa, cara...

— Não, tudo bem, sério. — Deu um longo suspiro e bagunçou os fios de cabelos da nuca. — Eu já vou indo, hyung. Pode avisar aos outros que eu não estou me sentindo muito bem e que, por isso, precisei ir embora?

— Claro — respondeu e observou o moreno levantar-se e caminhar até a saída. Antes que o mais novo se afastasse tanto, chamou-o: — Jeongguk, desculpa de novo. Não fiz por mal.

Jeongguk apenas sorriu e sussurrou um "está tudo bem, não se preocupe", e foi embora.

Depois de chegar ao seu apartamento, Jeongguk tomou um banho demorado e vestiu-se apenas com uma calça moletom folgada. Afinal, morava sozinho, não era como se precisasse usar roupas mais decentes. Pegou seu notebook e colocou em alguma série qualquer que acompanhava, logo em seguida, ajeitou-se dentre os cobertores de sua cama.

Conforme o tempo passava, o moreno sentia-se mais sonolento, não demorando muito para pegar no sono.


 

Kyoto, Japão.

 

— Espero que você tenha se divertido, Tae.

Após terem ido à um fliperama que havia perto da Universidade, os três voltaram para os dormitórios. Hoseok logo se despediu e foi embora. Jimin, como sempre, acompanhou Taehyung até seu próprio quarto.

— Eu me diverti sim, Jimminie, obrigado por hoje — agradeceu, sorrindo.

— Você precisava espairecer um pouco. Ultimamente você anda muito abatido por aí. Até o Hoseok já notou isso. — Encostou-se no batente da porta, bem na entrada, logo após o Kim tê-la aberto.

— Eu 'tô tentando, hyung… — sussurrou, desviando os olhos para os próprios pés. — Eu juro que 'tô tentando, mas não consigo…

— Shh, não chora — pediu, indo rapidamente até onde o outro estava, abraçando-o fortemente e afagando-lhe os cabelos.

Ficaram daquele jeito por incontáveis minutos até que Jimin percebesse que Taehyung havia melhorado e cessado um pouco mais o choro. Levantou o rosto alheio com o indicador e o polegar, secou-lhe os resíduos de lágrimas que haviam em suas bochechas e, por último, encarou-lhe intensamente. Fitou-lhe cada pedacinho do rosto, cada detalhe, aproximando-se devagar e umedeceu os lábios com a língua. Ao Taehyung notar o quão próximo estavam, prendeu a respiração e, conforme o Park se aproximava mais, fechou os olhos, apenas esperando e não demorando a sentir o próximo passo que o outro daria.

Jimin havia lhe beijado.


Notas Finais


os flashbacks eu não vou colocar aquilo de "on" e "off", tá? acho brega demais e eu não gosto muito, mas se tiver ruim pra entender, avisem, certo?
sobre esse capítulo hmmmm eu amo muito vmin aaa <333 ele nem iria existir, mas eu dei umas modificadas e achei que ficaria legal (me perdoem se não ficou) e o que antes era o capítulo três, agora vai ser o quatro keke ~

TEVE BEIJAÇO VMIN AAAAAA VOCÊS TÃO OUVINDO OS MEUS GRITOS????? AAAAA <3333
comentem o que acharam do capítulo e sobre essa interação vmin <3 JK tá bem na merda né migxs? to quase me arrependendo de fazer o coitado sofrer tanto ospdjdk

agora a panfletagem pq eu sem panfletar não sou eu qq:

Voice Message (chanbaek, draminha): https://spiritfanfics.com/historia/voice-message-9773163

Corações de Papel (chanbaek, fluffy): https://spiritfanfics.com/historia/coracoes-de-papel-9809739

socorro que notas grandes aaaaa

então é isso, amo vocês <3

xoxo 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...