História Fools ABO - Vkook - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jimin, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonseok
Exibições 62
Palavras 3.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeiramente, mil desculpas, eu tinha prometido que postaria ontem, e acabei por não conseguir passar para o PC a tempo, mas já está aqui e tem quase o dobro do anterior xD
Desculpem-me :(

Capítulo 3 - III - Primeiro dia, primeiras impressões


   A semana passou a correr, falava diariamente com Jimin e descobri que ele era meu vizinho (motivo de saber que eu era novo nesta zona) e ia diversas vezes encontrar-me com ele e com o Jin.

   Estava a tentar fazer pela quarta vez o nó da gravata quando o meu pai entra no quarto.

   - Tem cuidado com os Alfas, principalmente quando fores à casa-de-banho sozinho e quando vires algum com os olhos vermelhos, afasta-te. – pegou na minha mala e desceu. Será que não me podia dar as informações todas de uma vez?

   Desci as escadas num passo apressado e a minha mãe estava à minha espera no hall.

   - Porta-te bem, faz amigos e tem cuidado. – limpou discretamente os olhos e deu-me um beijo na testa – e não te zangues por o teu pai não te ter deixado levar a guitarra, na próxima semana levas.

   - Tu também e aproveita para descansar. Para a semana levo as duas guitarras, adoro-te. – disse-lhe, saí de casa e o meu pai já me esperava dentro do carro. Sento-me a seu lado.

   Durante a viagem ia olhando para as ruas e a imaginar o dia de cada pessoa por quem passávamos.

   Chegamos rapidamente e ele disse-me um breve adeus deixando-me especado à frente do portão enferrujado.

   Reviro os olhos e nesse momento sinto alguém a passar o braço por cima dos meus ombros. Fecho os olhos e rezo mentalmente para que não seja um Alfa Pedófilo, mas é o Jin.

   - Maknae, não devias estar aqui sozinho, acredita em mim.

   - Eu nunca estive aqui.. – murmuro, reparo agora que a gravata dele é de um tom rosa claro enquanto que a minha é mais para o azul ciano.

   - Então anda! – entramos e ele guia-me pelo pátio, entramos no grande edifício e ele leva-me a um balcão.

   - Bom dia, o que desejam? – pergunta uma mulher que está sentada atrás do mesmo.

   - Quarto para --

   - Jeon Jungkook! – digo interrompendo Jin.

A mulher entrega-me uma chave e Jin continua a guiar-me pelos corredores.

   - No piso de baixo, este, ficam a cantina, o pátio, a secretaria, o ginásio e os imensos campos de desportos que ficam atrás da escola, para além da floresta e pronto, no segundo piso ficam as salas de aula, os cacifos, os armários de limpeza, os perdidos e achados, a enfermaria e um mini café e no último andar ficam os quartos, as casas-de-banho e várias salas de convívio. – ele explica – Não é em vão que é um dos colégios semi-internos mais populares desta zona. Bom, tu vais partilhar o quarto ou com um Alfa ou com um Beta, são mistos, tentativa de nos porem a foder, tecnicamente. – solta uma risada – O teu quarto é 221, né? – pergunta, aceno e ele vira à esquerda. – Prontinho, depois vem ter ao ginásio daqui a meia hora, perto disso.

   Anuí e abri a porta, o quarto estava vazio. As paredes eram de um cinzento escuro, tinha um beliche, um armário e uma secretária, por cima desta havia uma janela que tinha vista para os campos de futebol, ténis, entre outros, e bem lá ao fundo podia jurar que via algo azul. Pus o portátil em cima da secretária vazia e ocupei o espaço do armário vazio, parece que o meu colega de quarto já passou por aqui, com as poucas roupas que tinha trazido. Arrumei a mala numa das gavetas e pousei a mochila que continha os livros e os cadernos encostada à parede. Sentei-me na cadeira giratória.

   O que é que eu faço? Sou diferente de todos, nem os sei distinguir enquanto que todos dão por mim só de lhes passar ao lado. Respira, Jungkook, o que é que pode acontecer de mal?

Eu já devia saber que essa frase não trás coisa da boa pois nesse momento entra um rapaz loiro aos beijos com uma rapariga. Encostou-a à parede pouco se importando se a porta estava aberta e começou a dar pequenas mordidas no pescoço dela. Rapidamente fechou a porta dando-lhe um pontapé. Será aquilo a Marca? Faz alguma coisa e não fiques aí especado a ver pornografia ao vivo!!

   Ela pôs as mãos nas pontas da camisola e retirou a mesma. Nesse momento pus-me de pé e aclareei a garganta. Eles repararam em mim e o loiro que eu vi ser Taehyung ficou com a íris amarelada ao mesmo tempo que a rapariga tapava o peito com a camisola. O mais velho começou a rosnar e abriu a porta bruscamente.

   - Lin, vai indo. – a rapariga saiu e ele fechou a porta.

   - Tens noção da merda que fizeste? Acabaste de estragar a minha reserva para este mês! Provavelmente nem tiveste Cio portanto não sabes o quão angustiante e frustrante é, principalmente para nós, Alfas! – deu um murro na parede. Pisquei os olhos várias vezes e engoli em seco.

   - Não era a minha intenção..

   - Claro que não, mas sabes que mais? – disse enquanto se dirigia na minha direção – Estragaste as hipóteses todas de eu ter uma boa foda este mês, e sim, eu poderia muito bem ir atrás dela ou arranjar outra, mas dá muito trabalho ser fútil e patético para uma qualquer ser aceite para levar para a cama. – estava muito perto e eu já estava praticamente em cima da secretária, os seus olhos tomaram uma cor alaranjada e encostou-se a mim pondo um braço de cada lado das minhas ancas e meio que me prendendo – Portanto, vais ser tu a minha cobaia…. – lambeu o lóbulo da minha orelha, mordendo-a logo de seguida, empurrei-o bruscamente.

   - Estás parvo?! Não sou gay, ninguém consegue perceber isso?! E nem quero saber desse teu ritual estúpido de foder uma por mês e quem é que te manda andar à marmelada logo de manhã? Sabendo que o teu colega de quarto podia chegar a qualquer momento ou estar já no quarto?! Poupa-me! – disse irritado indo para a outra ponta do quarto.

   - Nunca ninguém me parou.. – ele murmurou mais para si próprio do que para mim, confuso.

   - E? Eu não sou ninguém, muito menos uma das tuas cobaias. E isso significa que és ignorante o suficiente para achares que tens essa aura de “Alfa todo poderoso” por conseguires descartar qualquer pessoa após a usares para os teus fins egoístas. No café, não me parecias uma má pessoa, mas já não quero saber, não conheço as vossas regras, mas niguém, ninguém mesmo me vai pôr a mão, especialmente rapazes! E agora, com licença! – disse saindo porta fora.

   Encostei-me à parede do corredor vazio e respirei fundo. Acho que acabei por descarregar nele todos os acontecimentos desta semana.. Mas mesmo assim, estúpidos Alfas, só porque são os mais fortes, aparentemente, não significa que temos de lhes obedecer..

   - Jungkook? – um rapaz de cabelos alaranjados perguntou, interrompendo os meus pensamentos.

   - Sim?

   - Oh, és tu mesmo, o Jimin mostrou-me uma foto mas não tinha a certeza.

   - Quem és tu? – perguntei, o rapaz riu-se e estendeu um braço por cima dos meus ombros e começou-me a guiar pelo corredor fora.

   - Eu, meu caro, sou o noivo do Suga. – ele disse dando um sorriso ao mesmo tempo que levantou a mão esquerda mostrando um anel dourado.

   - Eu já tinha ouvido falar, és o Hoseok, certo? Ah e como é ser Marcado?

   - Oh, tu sabes, ai espera, tu não sabes, afinal que história é essa de não teres instintos, não consegues Cheirar? É que o teu Cheiro faz qualquer pessoa reparar em ti, mas não digas ao meu Suga. Aliás, porque é que estás com o cheiro do Tae? Calculo que saibas quem ele é, não? – reviro os olhos.

   - Aquele convencido? Nem tenho muito interesse em conhecê-lo.. – estávamos a dirigir-nos para uma zona de árvores no pátio.

   - Não acredito.. toda a gente adora o Tae! Ele fica muito irritadiço quando o interrompem ou lhe roubam comia, mas tirando isso, é a pessoa mais adorável e carente! Principalmente agora que o pai.. – tapou a boca – Porque é que falaste Hoseok? Parvo, parvo, parvo! Não posso contar!

   - O quê? Agora fiquei curioso e não é como se fosse já contar a qualquer um.. – disse. Estava mesmo curioso e também, não devia ter descarregado nele daquela forma..

- Oh, está bem. Mas não digas a ninguém!! Isto é mesmo triste. Bom, a mãe do Tae é uma Alfa, e o pai um Omêga, e o Tae é um Alfa e teve uma irmã Beta, eles eram gémeos e claro, inseparáveis. No 11º aniversário dos dois, eles levaram um bolo e sabes, as coisas típicas de festinhas, e quando saíram já estava de noite, mas a irmã do Tae quis ir à casa-de-banho, bom ela foi, mas uns rapazes que gostavam de vandalizar a área dos mais novos, depararam com ela, sozinha e tal e tu sabes o quão o Tae é giro então imagina a irmã dele, os gajos deviam ter uns 16 e provavelmente estavam no Cio, daí acho que já consegues imaginar o que aconteceu, ah e eram Alfas, ou seja, quando o Tae, momentos depois, encontrou a irmã nos balneários masculinos, despida, cheia de mordidas e arranhões, foi como se lhe tivessem arrancado metade da alma. Ela estava extremamente danificada, fisicamente como psicologicamente, não dormia, não comia, não fazia nada, estava traumatizada. Uma semana depois morreu e no fundo o Tae nunca voltou a ser o mesmo. – engoli em seco, e sentei-me ao lado de Hoseok encostando-me a uma árvore – Então, à cerca de 1 mês, a mãe do Tae teve de sair numa viagem de negócios e acabou por demorar mais do que o esperado e o pai dele entrou no Cio, e deves saber o quão difícil é não ter ninguém e ele acabou por a traír, mas como não aguentou o peso na consciência, matou-se, à frente do Tae. Há cerca de uma semana.. Eu sou um dos melhores amigos dele e estou mesmo preocupado, ele não revela nada, é como se nada tivesse acontecido, não sei o que fazer.. – ele escondeu a cara com as mãos.

 

   Julguei-o e disse-lhe tanta merda, não que ele não merecesse, mas só me apetece pedir-lhe desculpa.

 

   - Eu sinto-me tão estúpido.. – soltei.

   - Porquê? – ele virou-se na minha direção. Contei-lhe o episódio de momentos atrás e ele riu-se.

   - Sem dúvida que o apanhaste num mau momento, não ligues, mas é frustrante.

   - Nunca tive, não sei como é..

   - Tu o quê? Que sorte, quer dizer, depende, se tiveres alguém então nem é mau, aliás é bom, muito bom.. – ele disse rindo-se.

   Nesse momento Suga e Jin apareceram diante de nós.

   - Amor! – Hoseok saltou para o colo do Suga beijando-o de seguida, o que deixou o moreno envergonhado.

   - Então, Kook? Já viste o Jimin? – o de cabelo rosa perguntou.

   - Não, e as esperanças de ficarmos no mesmo quarto foram pelo cano abaixo..

   - Com quem ficaste? – ele pergunta curioso e Hoseok, que estava no colo de Suga, ri-se.

   - Com o nosso Tae.

   Jin e Suga riem-se e limito-me a pôr a língua de fora.

   - Bom, vamos indo lá para dentro, daqui a 5 minutos começa a Reunião de Início do Ano.. – disse Hoseok.

   Levantamo-nos e fomos em direção do ginásio, atrás de uma fila enorme de alunos que tinha tido a mesma ideia. Estávamos a arranjar lugares quando alguém me tapa os olhos. Oiço um risinho e já sei quem é.

   - Jiminie! – viro-me e abraço o de cabelo acizentado.

   - Onde é que estavas? Procurei-te por todo o lado e até fui perguntar ao balcão qual era o número do teu quarto, fui lá e encontrei o Tae e trouxe-o. – pôs a mão no peito e respirou fundo por ter falado muito depressa, ele faz isso muitas vezes, e aí é que reparo no “loiro” que se encontra atrás dele.

   Ía-lhe pedir desculpa nesse instante quando se ouve um som de um apito que na verdade não fazia barulho mas fazia imensa impressão. Apito para cães. O barulho cessou e um homem subiu a um palco improvisado.

   - Olá, meus queridos Alfas, Betas e Omêgas! Eu espero do fundo do coração que aproveitem bem este ano letivo! Estudem, divirtam-se, mas criem laços. Sabem que maior parte de vós vai suceder um parente numa empresa importante, por isso estudem com afinco mas sem se perderem. Agora, os avisos: não se esqueçam dos preservativos e não Atem; Alfas, controlem as feromonas e nada de usar Omêgas e Betas para algo que eles não queiram; Omêgas, se algum Alfa vos pressionar, falem com alguém e Betas, vocês são os mais maduros, mantenham a rédea curta. Vá, tenham um resto de um bom dia e até amanhã! – o homem, que calculo que fosse o diretor, desce e vai de encontro a alguns adultos que imagino serem os professores.

   Todos gritaram e aos poucos o ginásio foi ficando vazio.

   - Não há aulas? – viro-me para o Jimin.

   - No primeiro dia nunca há. – disse ele sorrindo. Pôs o braço por cima dos meus ombros e guiou-me atrás dos outros.

   Que escola tão estranha, a Reunião só demorou 5 minutos e não temos aulas?

 

 

///////////////////QUEBRA DE TEMPO///////////////////

 

 

   O dia passou depressa, andávamos os 6 de um lado para o outro, o Suga e o Hoseok desapareciam algumas vezes, o Jin estava sempre a tagarelar com o Taehyung, que estava constantemente com uma cara de desinteresse, e eu e Jimin estávamos sempre a metermo-nos um com o outro. Jimin tinha trazido uma cesta cheia de comida da cantina e no fim da tarde deitamo-nos todos na relva ao lado do campo de futebol. A certa altura Taehyung foi-se embora alegando que ia ter com uma Omêga e então eu, Jin e Jimin colamo-nos. Eles contaram-me fofoquices e coisas das suas infâncias, como por exemplo que o Taehyung já tinha namorado com o Hoseok, com o Suga e com o Jimin e nenhum deles guardava ressentimentos, que Jin nos anos anteriores dava aulas de cozinha às cozinheiras do colégio, que o Hoseok antes de namorar com Suga estava sempre a mandar nudes a todos, que Suga compunha músicas, isso interessou-me bastante, e que no primeiro Cio de Jimin, ele se descontrolou e quase violou todos os Omêgas por quem passou no corredor. O ambiente estava bom, os 2 pombinhos estavam sempre a trocar carícias, umas mais discretas que outras, o Jin tinha adormecido e Jimin enumerava-me os seus ex’s. Rapidamente o tempo de irmos para o dormitório chegou.

   E aqui estava eu, a lavar os dentes na casa-de-banho mista com vários rapazes a olharem-me de alto abaixo. Cuspi a pasta, apressei-me a lavar a cara e corri para o quarto. Taehyung ainda não tinha chegado então atirei o meu saco de higiene para uma das camas e despi as calças vestindo as do pijama logo de seguida. Estava a tirar a camisola quando o meu telemóvel começa a tocar, dispo-a e pego no telemóvel.

 

 

   « - Estou? Kookinhoo!!

      - Olá, mãe. – pego na t-shirt do pijama que estava em cima da cadeira e tento vesti-la com uma mão. Abro a janela e debruço-me sobre ela.

      - Desculpa, meu querido, isto tudo de repente, sei que digo sempre isto, mas desculpa..

      - Não faz mal, mãe...

      - Sabes que eu e o teu pai te amamos!

      - Eu sei, é que…. Simplesmente, quero saber o motivo de só me terem contado à tão pouco tempo..

      - É uma longa história..

      - Diz-me por favor, eu mereço saber isso pelo menos..

      - Bom, eu nasci de uma humana e de um Alfa e por estranho que pareça nasci Omêga. Depois conehci o teu pai e etc, e nasceste, e desde pequeno que nunca mostraste ser nada, ou seja, não tinhas Cheiro, feromonas, a cor dos teus olhos não mudava e nunca achaste estranho nós termos Cheiros intensos, sou seja, não sentias os nossos Cheiros. Mas à cerca de um mês começaste a ter Cheiro, começou muito leve mas agora é bem mais forte que o meu e o do teu pai, e apesar de não reparares, os teus olhos mudam de cor e como deves estar perto do Cio, eu e o teu pai chegámos à conclusão de que os teus instintos só vão acordar quando tiveres o Cio, e deve estar bem perto. Então decidimo-nos mudar para um sítio em que podias aprender mais sobre ti e interagires com aqueles que são iguais a ti, e arranjares um Alfa! Precisas de arranjar um Alfa urgentemente.. Isso alegrou-nos muito, e além do mais, o amor entre um Alfa e um Omêga é a coisa mais intensa que pode haver, nenhum humano com um humano, Beta com Beta, Beta com Omêga, Beta com Alfa, podem jamais sentir uma união tão grande como um Alfa e um Omêga. E se tu arranjasses um agora, nós ficávamos mais descansados pois já tínhamos mais alguém que pudesse cuidar de ti..

      - …

      - Filho, estás aí?

      - Sim.

      - Está tudo bem?

      - Sim, só nunca pensei que fosse um motivo como esse..

      - Como podes ver, não era nada demais, ah e lembrei-me agora, esta é a tua cidade natal, vivemos aqui até aos teus cinco anos, nunca te passou pela cabeça isto te ser familiar?

      Continuo a achar que ela me está a esconder alguma coisa..

      - A sério? Por acaso não, se bem que há um rio que me trás uma estranha sensação..

      - Quando voltares mostras-me esse tal rio, agora vai dormir, amo-te muito!

      - Também te amo, mãe, até amanhã.. »

 

 

   Desligo o telemóvel e quando me viro percebo a presença do loiro, o que me faz dar um salto.

   - Estás aí desde quando?

   - Desde que tiraste a camisola.. – ele disse tirando o meu uniforme amarrotado de cima do beliche de baixo. Corei e tirei-lhe as roupas das mãos.

   - Dormes no de baixo?

   - Sim..

   - Está bem..

   Pousei as roupas em cima da secretária e dobrei-as pondo logo de seguida no armário. Voltei-me para ele e já estava dentro da cama a digitar no telemóvel.

   Liguei o PC e comecei a ver Naruto.

   Quando estava a cair para o lado de tanto sono, parei de ver e guardei-o (PC) dentro da mala. Subi as escadas do beliche e deitei-me na cama. Durante o pequeno percurso do chão até aqui em cima perdi o sono. Virei-me e revirei-me.

   - Taehyung?

   - Sim? – a voz dele estava mais rouca e grossa que o normal.

   - Desculpa hoje de manhã, descarreguei em ti e interrompi o teu momento..

   - Tudo bem..

   - Hum, ouviste a minha chamada?

   - Não é como se não conseguisse ouvir, tinhas em altifalante..

   - Ah, ok……. boa noite.

   - Boa noite..

 

 

/////////////QUEBRA DE TEMPO/////////////

 

 

   Acordo durante a noite a ouvir gritos e gemidos de dor. Desço rapidamente do beliche um pouco tonto e olho para Taehyung, ele chorava, gritava e suava.

   Fecho rapidamente a janela que tinha aberto ontem e agacho-me ao lado dele.

   - Sook! Sook, anda caralho, pai! Não vão!! Foda-se, não vão! – ele gritava desesperado e começou a chorar compulsivamente.

Tentei acordá-lo enquanto lhe dava abanões, mas tudo em vão. Abanei-o mais, mas ele pareceu ficar assustado e começou a tremer, suspirei e chamei-o, ele apenas se retorcia. Inspirei fundo e levantei o lençol fino dele, deitando-me timidamente a seu lado, ele soltava pequenos murmuros e as lágrimas continuavam a descer-lhe pela cara silenciosamente. Limpei-lhe as lágrimas com as mãos a tremer e ele sentindo a minha presença, abraçou-me rapidamente, abracei-o de volta com uma mão e comecei a afagar-lhe o cabelo com a outra. Ele estava um pouco pegajoso devido às lágrimas e ao suor, mas ignorei isso. Aos poucos a sua respiração foi voltando ao normal e ele apenas soluçava. Abraçou-me mais e adormeci logo depois.

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Bom, foi isto xD
Provavelmente só postarei ou no fim-de-semana ou na terça, se não postar no fim-de-semana então sim, será na terça.
Obrigada por lerem até aqui, e agradeço novamente pelos favoritos!! E nunca pensei ter tantas visualizações só com 2 capítulos, portanto, obrigada outra vez!!
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...