História Fools in love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Colegial, Drama, Hentai, Homossexualidade, Kookv, Kpop, Lemon, Namjin, Romance, Suspense, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 49
Palavras 3.902
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, tudo bom?
Voltei com mais um capítulo e confesso que fiz muitos momentos Taekook pq eu simplesmente sou viciada neles.
Espero que gostem!
Boa leitura 😘

Capítulo 3 - O primeiro ensaio


Fanfic / Fanfiction Fools in love - Capítulo 3 - O primeiro ensaio

Estava estatístico.

Meus olhos estavam tão arregalados que poderiam sair do lugar. Abri a boca várias e várias vezes tentando proferir alguma palavra coerente, mas nada saía. JungKook segurou meu rosto em suas mãos e olhou no fundo dos meus olhos.

– Não surta, por favor...

Fechei os olhos por um momento para sentir o carinho que ele me fazia naquele local, e isso estranhamente me fez ficar mais calmo. Abri os olhos e me afastei levemente.

– Hyung, eu não sei dançar bem... – falei baixo. – Eu vou fazer vocês perderem e passar vergonha.

Eles estavam tão ansiosos com a competição que eu não poderia negar, pois estava tudo em minhas mãos. Estava surtando? sim! Sabia dançar? mais ou menos, lembrei que já havia feito umas aulas de dança, mas logo desisti. Se aquilo era tão importante, principalmente para JungKook, então eu ajudaria, mesmo estando relutante.

– Eu te ensino, Tae. A gente dá um jeito. Eu... – gaguejou. – Eu sinto muito por estar metendo você nisso, mas os meninos que tiveram a idéia...

Suspirei. Olhei para os meninos um pouco mais afastados e vi um olhar de súplica em cada rosto. Revirei os olhos. Agora sim eu não poderia negar.

– Tae, a gente precisa que você assine uns papéis... – o olhei confuso. – É pra inscrição. – explicou. Assenti e caminhei em direção aos meninos com JungKook ao meu lado. Cheguei perto o suficiente para ouvir o cara todo atuado conversando com Namjoon.

– ... para o Ben, então ele vai mostrar como tudo vai funcionar direitinho pra vocês. – entregou um papel para Namjoon. – Aqui estão as regras, horários e a data com o endereço. – mostrou vários pontos do papel enquanto Namjoon assentia. – Agora vocês precisam me entregar a inscrição com a assinatura de todos os participantes. – Namjoon olhou em minha direção e sorriu agradecido, por eu visivelmente ter "topado". Basicamente eles já haviam me inscrito no grupo, eu só precisava assinar.

Alcancei os dois e me apresentei para o desconhecido, me reverênciando em forma de respeito. Assinei os papéis da inscrição e ouvi Beak Sun – seu nome – falar muitas coisas referente a data da competição, horários e essas coisas, mas não estava prestando atenção. Tudo o que eu conseguia pensar era em não decepcionar os garotos, tentando inutilmente me convencer de que eu poderia fazer aquilo.

– ... Vocês vão saber a vez da entrada de vocês através de uma senha. Cada um com a sua numeração, entendeu? – terminou de explicar. – Tudo isso Ben explicará melhor pra vocês, não precisam se preocupar. – Ben era o organizador e diretor geral da competição. – Eu preciso ir cara, ainda preciso levar a inscrição de vocês. – deu leves tapinhas em suas costas. – Foi bom te ver. Até breve. – se despediu e se afastou até perdemos ele de vista.

Senti meu corpo ser prensado contra um corpo forte. Era Hoseok me abraçando. Me senti um pouco sufocado por causa da força exercida.

– Obrigado, Tae! você salvou nossa pele. Sério, muito obrigado mesmo! – me soltou bagunçando meus cabelos. O resto dos meninos também se aproximaram e assim começou uma bomba de elogios e discursos agradecidos.

– Não sei porque vocês estão me agradecendo, não é como se eu fosse ser útil em alguma coisa, já que não sei dançar muito bem... – falei enquanto senti Jimin me abraçar por trás.

– A gente vai te ensinar, TaeTae. – falou sorrindo. – Você aprende as coisas rápido, apesar de termos apenas um mês e meio para te ensinar antes da competição, tenho certeza que com esforço e trabalho duro, nós iremos fazer uma boa apresentação em conjunto. – me soltou ficando ao meu lado. Todos concordaram.

– Agora também vamos ter que alterar a parte que o Min Jo canta na música. – Yoongi se pronunciou pela primeira vez. – Mas tenho certeza que sua voz ficará bem melhor que a dele. Namjoon e eu vamos ajustar a música, então você terá que gravar uma pequena parte da música cantando. Não se preocupe, tudo dará certo.

– Espera um pouco. – indagei alto demais. – Eu vou ter que cantar também? Tipo, cantar? tipo, gravar minha voz na música e... – JungKook me interrompeu.

– É, Tae. Cantar! – pareceu humorado ao falar. – Sua voz é bonita, então tenho certeza que você se sairá muito bem cantando. E não se preocupe porque não vamos precisar cantar ao vivo, pois a música já vai estar gravada. Só vamos precisar dublar.

– Além de sua voz ser bem grave e grossa. – completou Jin. – Vai dar um ar selvagem e sexy à música.

Todos riram enquanto eu corava. Engoli em seco ao me imaginar cantando, ou melhor, dublando e dançando na frente de uma platéia. Aonde eu havia me metido?

Todos começaram a caminhar de volta para assistir o restante das aulas, Namjoon virou em minha direção.

– A propósito... – levantei meu olhar ao constatar que o mesmo se dirigia à mim. – Bem vindo ao Bangtan Boys!

🎆🎆🎆

O resto das aulas se passou com um Hoseok extremamente babão que me mimava a todo momento. Até mesmo Yoongi, que visivelmente ainda estava de mal-humor, tentava me agradar.

Quando me despedi deles para ir pra casa, todos me abraçaram apertado, se oferecendo para esperar minha mãe comigo lá fora. Eu disse que estava tudo bem e que ela já estava chegando. Me senti bem em saber que eles iam participar da competição, ou melhor, nós iríamos participar da competição. Aquilo realmente importava para eles. Todos foram embora enquanto eu esperava minha mãe me buscar, que não demorou muito para chegar.

Fomos à um restaurante almoçar, estávamos cantando bem alto no carro, acompanhando uma música qualquer que tocava no rádio. Quando chegamos em casa, minha mãe tomou um rápido banho e voltou para o trabalho.

🎆🎆🎆

Suspirei entediado enquanto me jogava no sofá da sala, após o banho tomado, enquanto apertava nos botões do controle remoto, passando pelos canais incessantemente à procura de algo que me entretesse. Olhei no relógio e constatei que ainda não estava na hora de JungKook chegar.

Lembrei novamente da loucura em que havia me metido hoje mais cedo, sentindo o peso da responsabilidade que seria ter que ensaiar todos os dias. Os meninos ensaiavam duas vezes por semana em um clube cujo outros grupos de dança também usavam. Era um prédio grande com várias salas repletas de espelhos – segundo Jin –, onde os grupos se revezam para usar.

O Bangtan boys – ou BTS –, usava uma dessas salas duas vezes por semana – terça e quinta –, e como hoje é quarta feira, não haveria ensaio, o que não os preocupa, já que eles estão com a coreografia em perfeita sicrônia. O problema era eu, que não sei nem o nome da música que iremos dançar.

Eu ensaiaria nas terças e quintas, junto com os meninos e também nos outros dias com um professor particular, que no caso seria JungKook, que se prontificou imediatamente com o argumento de ser um dos melhores dançarinos do grupo, e por sermos mais próximos. Não reclamei, afinal eu me sentia muito mais à vontade com ele.

Meu corpo sobressaltou quando ouvi a campainha tocar, me assustando. Levantei do sofá e caminhei até a porta, observando pelo olho mágico. Era JungKook. Abri a porta e o recebi com um sorriso no rosto.

– Chegou cedo. – Dei espaço pra ele entrar. – Ainda nem são três e meia... – JungKook deu de ombros, esperando-me fechar a porta.

– Quanto mais cedo começarmos, melhor. – disse enquanto olhava ao redor. Era a primeira vez que alguém vinha em minha casa.– Cadê sua mãe? – perguntou confuso.

– Nesse horário ela ainda está trabalhando, só vai chegar à noite.

– E você fica aqui sozinho? – caminhamos até minha sala.

– Sim, ué. – ri de sua pergunta. – Hyung, nós podemos ensaiar aqui. – apontei pra sala. – a gente pode arredar o sofá pra cá – apontei pro canto da sala. Ele concordou enquanto me ajudava a carregar, ou melhor, arrastar o grande sofá para a esquerda, deixando um espaço relativamente grande para praticar as coreografias que eram extremamente precisas e complicadas – segundo Hoseok.

– Ótimo. – falei. – Vamos começar. – comecei a dar pulinhos tentando me aquecer.

– Como assim "vamos começar"? – fez aspas, rindo da minha cara confusa. – Não é assim, Tae. Você não pode simplesmente achar que vai conseguir dançar sem se preparar.

– Como assim? – continuei confuso.

– Vem aqui. – me chamou para o seu lado. – A gente precisa se alongar primeiro, se não depois vamos ficar com dores musculares. – me explicou.

Concordei e começamos a fazer vários exercícios de alongamento, os praticando por mais ou menos meia hora. Meu corpo começava a transpirar, devido ao esforço que eu não estava acostumado a fazer.

– Ai, JungKook! – reclamei por causa da dor que era ter que fazer a posição que ele me mostrava. – Eu já estou alongado. Hyung... vamos começar logo. – pedi manhoso.

– Tae, você vai ficar com dor no corpo. – me olhou feio. – Depois não vem dizer que eu não avisei.

– Não se preocupe comigo. – falei tentando soar firme. – Vamos logo, quero aprender a coreografia! – me aproximei segurando seus braços enquanto o fazia levantar. – Por favor, Hyung...

JungKook cedeu ao meu pedido e resolveu finalmente me ensinar os passos, sem música, apenas a coreografia. Seus movimentos eram leves e precisos, ele levava bastante jeito pra dançar, já que dançava tão apaixonadamente. Por um momento meu olhar se perdeu em seu corpo, observando seus braços e pernas que tinham leves músculos; seu cabelo voando enquanto se movia, caindo graciosamente em seus olhos; sua boca carnuda e rosada fazendo movimentos enquanto ele cantarolava baixinho, criando a melodia da dança em sua cabeça. Quando a dança acabou, tive que lhe parabenizar. A coreografia era realmente espetacular.

O que me deixou surpreso, foi o fato de eu conseguir memorizar boa parte dela, enquanto apenas observava.

– Como se chama a música? – ele me encarou ofegante. – A música que vamos dançar no festival. – perguntei novamente. – Ela precisa ter um ritmo muito bom pra essas coreografias serem encaixadas.

– Dope. – falou de repente.

– O quê?

– A música, Tae. – riu. – A música se chama Dope. – Ri com a minha lerdesa. – Neste exato instante o resto dos meninos estão na casa do Namjoon, o ajudando nos ajustes e alterações necessárias para a música.

– Quem compõe as músicas? – perguntei.

– Namjoon e Yoongi são os responsáveis em compôr e produzir as músicas, enquanto Hoseok e eu criamos as coreografias. Claro que os outros também contribuiem, eles geralmente opinam e nos ajudam com ajustes. – passou as mãos pelo cabelo. – Vem, Tae. – me chamou. – Deixa eu te mostrar o passo a passo.

Ficamos durante um tempo praticando, eu precisava admitir que levava jeito pra dançar. Claro que não estava perfeito, mas estava ótimo pra quem acabara de começar. JungKook se sentou no chão e ficou observando o modo como eu executava a coreografia. Ele pareceu orgulhoso, visto que eu já havia memorizado toda a primeira parte da coreografia.

Quando ele começou a me mostrar a segunda parte, tive um pouco de dificuldade nos pés, já que essa sequência exigia muito deles.

– Tae, tá fazendo errado. – me advertiu. – Você não vai mexer seu quadril, só os pés. Presta atenção em como eu vou fazer. – JungKook fez a sequência perfeitamente e me perguntei como ele conseguia fazer tão facilmente. – Agora tenta você. – mandou.

Tentei fazer a coreografia e falhei novamente. Bufei frustrado. Tentei mais uma vez e enquanto executava, senti mãos apertando minha cintura. JungKook me segurava. Me senti estranho, apesar do toque quente ser bom. JungKook se posicionou na minha frente e me encarou perto demais.

– Faça de novo. – fiquei parado. – A coreografia, Tae. Faça de novo. – Pediu novamente. Desviei o olhar para baixo e fiz a coreografia enquanto suas mãos prenssavam minha cintura. – Mantenha o tronco rígido. – disse e se afastou. – novamente fiz a coreografia, fazendo certo dessa vez.

JungKook sorriu orgulhoso e pediu uma pausa para que nós pudéssemos nos hidratar. Apontei a cozinha e o deixei à vontade para que bebesse água. Meu coração batia tão rápido e forte que parecia querer sair do peito. Deduzi que fosse por causa do esforço físico.

Ensaiamos durante mais algumas horas e quando meu corpo se jogou no chão totalmente suado e exausto, JungKook resolveu encerrar por hoje. O mesmo se deitou ao meu lado deixando nossas cabeças próximas enquanto encaravamos o teto.

– Estou tão exausto que poderia ficar assim até o dia do festival. – falei fechando os meus olhos.

– Para de exagerar, Taehyung. – senti que estava rindo. – Hoje só foi o primeiro ensaio. – Gemi arrastado.

– Se eu continuar nesse ritmo pelos próximos dias, em pouco tempo estarei em um caixão. – o encarei, tentando transmitir seriedade na minha fala.

Ele me encarou e começamos a rir.

– Você vai se acostumar, vai ver. – me assegurou. Ficamos calados descansando assim por um curto período de tempo. Seu celular começou a tocar, quebrando o clima silêncioso. Ele se sentou e apalpou seu bolso, retirando o aparelho dali.

– Alô? – sua expressão se tornou entediada. – Hum... Eu não estou em casa. – o ser do outro lado da linha parecia fazer muitas perguntas irritantes para JungKook. – Estou na casa de um amigo. – me olhou, flagrando-me alheio a sua conversa. Pigarriei e me sentei ereto. – Hoje não vai dar, Suran... – suspirou revirando os olhos. – Não estou no clima, além de estar ocupadíssimo. Me liga depois. – desligou o celular e o guardou no bolso da sua calça.

– Quem era? – ousei perguntar.

– Lembra da garota de cabelos rosa do terceiro ano que eu ando conversando? – Assenti. Era uma das garotas que JungKook havia beijado na frente de Hyuna. – Nós ficamos algumas vezes nas duas últimas semanas, e ela acha que desenvolvemos algum tipo de compromisso... – revirou os olhos e bufou.

– Ah... bem. – olhei pra baixo. – Ela é bonita... – admiti me sentindo estranho.

– É, ela é bem bonita. – concordou. –Mas é muito grudenta, está sempre me olhando no colégio e fica me ligando toda hora. – o olhei de soslaio. – Eu ando evitando ela... Acho que vou dar um fim nesse nosso... "compromisso". – falou irônico enquanto fazia aspas com os dedos. Era inacreditável como JungKook se enjoava e cansava das garotas tão facilmente.

Não falei nada, apenas balancei a cabeça positivamente, apesar de não saber com o que estava concordando.

– Ah. – resmungou. – preciso de um banho urgente, além de trocar essas roupas suadas. – fez uma careta, apontando para o próprio corpo.

– Você pode tomar banho aqui em casa, no banheiro do meu quarto. – me levantei. – Vem. Eu te empresto uma roupa. – estiquei a mão para ajudá-lo a levantar. O mesmo segurou com força enquanto se punha de pé ao meu lado. Caminhamos em direção ao meu quarto.

Ao entrarmos, me dirigi ao guarda roupa a procura de uma muda de roupa que servisse nele; Peguei um short e uma camisa grande. Me virei em sua direção e o vi parado em frente a minha prateleira de livros com diversos gêneros. Ele parecia observar cada canto do meu quarto – desde a cama de casal até o teto branco.

– Aqui. – lhe entreguei as roupas.

– Seu quarto é bonito e fofo. – me encarou. – Combina com você. – fiquei sem graça com o comentário. Lhe entreguei uma toalha limpa enquanto ele agradecia e se direcionava ao banheiro que ficava em meu quarto.

Resolvi ir pra cozinha e fazer sanduíches com suco para comermos. Estávamos famintos. Ouvi o chuveiro sendo ligado assim que comecei a preparar os lanches e colocar em uma bandeja.

Voltei pro quarto com a bandeja em mãos e a deixei em cima da escrivaninha enquanto procurava uma roupa confortável pra mim vestir. Ouvi a porta do banheiro sento aberta e JungKook sair todo vestido, secando seus fios emaranhados e molhados com a toalha.

– Hyung, você pode usar essa sacola pra guardar a roupa suja. – apontei pra sacola que estava em cima da bandeja. Ele a pegou e entrou no banheiro, guardando suas roupas sujas dentro dela. – Hyung... – o chamei. – Eu fiz um lanche pra gente, você pode comer enquanto eu tomo banho. – assentiu e se sentou na minha cama.

Entrei no banheiro e tomei meu banho rapidamente, sem esquecer de passar bastante shampoo e sabonete pra lavar e tirar bem todo o suor que me empreguinava. Me sequei e vesti uma calça de moletom, junto a uma camisa de algodão com mangas compridas.

Saí do banheiro e o encontrei abraçando meu travesseiro, cantarolando uma música baixinho para passar o tempo. Olhei pra bandeja ao seu lado e percebi o lanche que eu havia trazido completamente intacto.

– Hyung, você pode comer. – falei apontando para os lanches. – Eu fiz pra gente. – me sentei ao seu lado na cama.

– Eu tava esperando você para comermos juntos. – sorri com seu gesto fofo. Pegamos os lanches e começamos a comer.

Estávamos tão famintos que devoramos o lanche em poucos minutos. JungKook pegou seu celular e constatou as horas.

– São oito e pouco... – desligou a tela do celular. – Ensaiamos bastante. Estou feliz que você tenha pegado os passos tão rapidamente. Você leva jeito, Tae. – indagou orgulhoso. – Amanhã vamos ensaiar no clube, ok? – balancei minha cabeça positivamente. – No mesmo horário de hoje. – completou.

Me levantei para deixar a bandeja com os copos na cozinha, e quando voltei JungKook estava em pé em frente a minha prateleira de livros, folheando algum conto. Me joguei na cama preguiçosamente.

– Você gosta de ler, pelo o que eu tô vendo. – rodei na cama e virei em sua direção, deitando-me de peito pra cima, olhando-o de cabeça para baixo. – Não sei como você consegue. Só de ler o título, já fico com sono. – fechou o livro e o colocou de volta na prateleira, vindo em minha direção e sentando na beira da cama.

– Ler é tão bom, Hyung. Você viaja em diversos mundos sem sair do lugar. – ele pareceu não me compreender, apenas dando de ombros. Ele olhou as horas de novo no celular.

– Acho que já vou indo. Você deve estar cansado e sua mãe já está chegando. – senti um leve aperto ao ouvir ele falar. Gostava da sua companhia. Me sentei subitamente e me pus ao se lado.

– Não vai ainda, Hyung... – pedi manhoso, enquanto segurava seu braço. – Fica mais um pouco... A gente pode assistir um filme no meu Notebook. – pedi dando a idéia.

– Você precisa descansar, Taehyung. – fiz uma carinha pidona fazendo-o revirar os olhos e sorrir. – Tá bem, só mais um pouco. – pulei feliz e peguei meu Notebook.

Resolvemos assistir um anime que gostávamos. Sentamos no chão, escorando nossas costas na cama e apoiando o Notebook em cima de uma mesinha baixa. Dei play no episódio e começamos a assistir. Abracei seu braço direito enquanto deitava minha cabeça em seu ombro, sentindo seu cheiro doce invadir minhas narinas. JungKook pareceu um pouco tenso e trêmulo com nossa aproximação, o que me deixou levemente surpreso e confuso. Aos poucos foi relaxando quando começamos a rir compulsivamente das cenas do anime, que era realmente engraçado.

Assistimos três episódios seguidos, quando percebemos o horário tarde. Ele resolveu ir embora porque seria perigoso voltar muito tarde e sua mãe ficaria preocupada com sua demora. Resolvemos arrumar a sala, deixando o sofá no lugar certo.

Estávamos nos despedindo quando minha mãe chegou. Ela ficou um pouco surpresa por eu ter levado algum amigo em casa, mas abriu um grande sorriso e o cumprimentou gentilmente.

– Oh, você é amigo do meu bebê? – droga, minha mãe estava me tratando com uma criança na frente dele. JungKook disfarçou uma risada enquanto balançava a cabeça positivamente. – Prazer em conhecer você. – JungKook fez um cumprimento e sorriu.

– O prazer é meu, senhora. – minha mãe ficou encantada com a beleza de JungKook. Se eu deixasse, minha mãe o convidaria para o jantar – o que não seria uma idéia ruim – mas ele realmente precisava voltar pra casa. Eles se despediram e eu o acompanhei até a calçada em frente a minha casa.

Uma rajada de ventos bagunçou meu cabelo fazendo-me bufar. JungKook riu e se aproximou, me ajudando a arruma-los. Seus dedos passeavam por meus fios caramelados, fazendo um leve carinho não intencional. Adorava sentir as mãos de JungKook acariciando meus cabelos, me fazia relaxar. Agradeci pela ajuda e o mesmo cutucou minha bochecha com o dedo indicador, como sempre fazia quando nos despedíamos. Sorri com o gesto e acenei, vendo-o se afastar.

Olhei na direção de minha casa e vi minha mãe na janela nos espiando, tentando não ser notada, mas falhando miseravelmente. Ela percebeu que eu a observava, e de repente sumiu. Entrei em casa e a vi sentada – tentando disfarçar – no sofá assistindo algum dorama gay que ela adorava. Ela fingia prestar atenção enquanto eu revirava os olhos.

– Não adianta, mãe. Eu vi você. – minha mãe se fez de desentendida, me olhando com uma falsa cara de confusa. – Você não me engana, senhora Kim Sun Dae. – falei tentando-a desmascarar.

– Taehyung, ele é tão charmoso. – se entregou. – Vocês ficam tão bem juntos! – seus olhos brilhavam. –Aquela cena lá fora me fez shippar vocês. – engasguei com o que ela disse. Ela provavelmente nunca mais iria querer esquecer do nosso momento casual de afeto que presenciou.

– Somos só amigos, mãe. – minha mãe revirou os olhos rindo debochada.

– Amigos não se olham assim... – rebateu levando uma sombrancelha enquanto esperava uma resposta.

– Assim... – gaguejei. Droga! – Assim como? – minha mãe resmungou e riu.

Minha mãe não era como qualquer outra mãe da Coréia do sul. Ela apoiava abertamente os homossexuais e toda a comunidade LGBT, além de adorar ler fanfictions e assistir doramas com essa temática; acho que devido ao fato dela ter morado um tempo nos E.U.A e ter participado de vários grupos e protestos que defendiam essa causa, fez ela ter a mente muito aberta.

Foi em um desses grupos – inclusive – que ela conheceu meu pai. Eu nunca o conheci, e minha mãe também não gosta de falar sobre ele, e admito que nunca tive curiosidade em saber ou perguntar. Se ele não vivia com a gente por escolha própria, não seria eu que moveria um dedo pra tentar conhecê-lo. Estava acostumado a ser só minha mãe e eu, e pra mim já era suficiente.

Minha mãe não parava de falar em como somos fofos e perfeitos um para o outro. Ela gostaria que eu vivesse um romance igual esses que ela geralmente adora assistir e ler, pouco se importando com o que os outros vão pensar e ignorando o julgamento da sociedade.

– Mãe, nós dois somos héteros. – indagei enquanto bebia um copo com água. – sem contar que ele é o maior pegador da escola. – completei fazendo uma leve careta ao lembrar disso.

– Héteros até a página dois. – piscou pra mim.

– Como assim? – indagei confuso.

– Um dia você vai entender... – Fiz bico por ela não me explicar e aproveitei para contar sobre o grupo que eu havia entrado.

Ela ficou surpresa, mas gostou da idéia, disse que seria bom para me distrair, além de ter surtado de felicidade quando soube que JungKook também fazia parte. Lembrei de uma vez quando ela disse que meu pai adorava música. Ignorei a lembrança e caminhei em direção ao meu quarto para dormir, sem fome para jantar.

Entrei no banheiro e comecei a escovar os dentes, pensando no dia cheio que tive, e desejando profundamente que se acostumasse. Cuspi a espuma e enxaguei a boca, me olhando no espelho. Meus cabelos estavam levemente caídos nos olhos, meu rosto corado e com cara de cu. Estou tão cansado que poderia dormir no banheiro.

Me joguei na cama exausto e fechei os olhos enquanto abraçava meu travesseiro, pronto para dormir. Senti um cheiro diferente no travesseiro. Era o cheiro doce de JungKook. Lembrei dele abraçado com o mesmo enquanto me esperava tomar banho.

Apertei o travesseiro com força, enquanto sentia seu cheiro empreginar meus sentidos. Peguei no sono sonhando que aquele travesseiro era ele.


Notas Finais


E aí? Gostaram?
Comentem suas opiniões hehehe
O cap 4 vai sair lá pela terça ou quarta feira hehe
Até o próximo:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...