História For All Stars - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Casamento Arranjado, Min Yoongi, Romance, Suga, Triste
Exibições 61
Palavras 2.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amores <3

Capítulo 7 - Casamento Pt1


Fanfic / Fanfiction For All Stars - Capítulo 7 - Casamento Pt1

Apos chegar ao quarto, me tranquei e me joguei na cama de barriga para cima. Fiquei aqui até de tarde, não saí para almoçar, não estou sentindo fome.

Me levantei e olhei em volta, o relógio marcava exatamente 18:35 fui para o banheiro lavei meu rosto e saí do quarto. Assim que cheguei no corredor dei de cara com a pessoa que eu menos queria ver hoje! Sim ele, Min Yoongi. Fiz o possível e o impossível para não olhar diretamente para ele e passei em silêncio para a sala, não ousei abrir a boca para dizer um oi. Suga era muito fechado percebi isso logo de cara, não que eu esteja o observando é só que... Ele é misterioso demais! 

Passei pela sala e fui direto para a piscina, eu gosto de ficar sentada na beirada e de passar os meus pequenos dedos na água azulzinha. Ouvi um barulho e olhei em volta, não havia ninguém então continuei o que eu estava fazendo. 

- Oi. - Escutei a Nana falar. 

- Oi Nana. - Respondi.

- O que você está fazendo aqui fora menina? - Perguntou. - Já está tarde, vai acabar pegando um resfriado! 

- É melhor, assim não vou precisar comparecer ao casamento. - Disse de cabeça baixa, só o fato de pensar nesse assunto me dava uma tristeza sabe? - Eu faria qualquer coisa para voltar para casa. 

- Não tem como correr Hyuna, daqui a três dias você pertencerá a ele e ele a você. - Nana disse passando a mão na minha cabeça. - Eu sei que deve ser difícil, e também sei que deve estar muito triste por as coisas terem que ser assim mais vai por mim o amor vem com o tempo. 

A palavra "Pertencer" Me fazia estremecer um pouco, só de imaginar estar amarrada a alguém que você não ama me dava uma vontade enorme de me atirar nessa piscina e deixar que a falta de ar me consuma e me mate de uma vez. Eu já desejei morrer muitas vezes porem, nunca tive coragem o suficiente para me matar. Não tanto quanto agora. 

- Eu não acredito no amor Nana. - Falei friamente. 

- Você já o sentiu? - Me perguntou. 

- Não. - Falei, era verdade. Eu nunca senti algo parecido por alguém, eu sempre evitei as pessoas. 

- Então pronto, agora entre para não correr o risco de ficar doente. - Falou me puxando. - Melhore essa carinha. 

- É a única que eu tenho. - Respondi seguindo Nana a mesma ficou em silêncio. 

Entrei e me sentei na mesa apoiando minha cabeça em minha mão e suspirando. O que Nana havia falado permaneceu em minha cabeça, esse lance de amor vem com o tempo. Será que ela está certa? - Claro que não! Eu jamais seria capaz de amar o Yoongi! 

- Boa noite Hyuna. - Falou Charlie ao entrar na cozinha com uma xícara de café. 

- Boa. - Disse com a voz um pouco triste. 

- Aconteceu algo? - Me perguntou. 

- Não. - Respondi rápido. 

Charlie não persistiu mais no assunto, graças a Deus! Não estou afim de dar explicações. - Pensei. 

- Boa noite Nana. - Ouvi uma voz grave ecoa pela cozinha e rapidamente acordei dos meus devaneios. 

Era ele, Suga! Tinha acabado de entrar na cozinha vestindo uma blusa preta e com uma jaqueta vermelha e preta por cima. Embaixo ele usava uma calça de couro preta também. Deu um beijo na bochecha de Nana e apenas fez um aceno de cabeça para o Charlie. 

- Boa noite meu menino. - Ela disse dando um abraço apertado nele. - Senti tanta sua falta. 

- Nana, você está me sufocando. - Falou ele com a cabeça "enfiada" nos seios dela. 

- Desculpe. - Pediu dando um sorriso gentil. 

Depois de toda essa demonstração de afeto. Suga veio em minha direção e se sentou de frente para mim, o mesmo não disse nada e eu permaneci com a cabeça baixa. Começamos a comer em silêncio até que Charlie se pronunciou. 

- Então, estão se dando bem? - Perguntou se referindo a mim e ao Suga.

Levantei os olhos encontrando os dele fixos em mim. Estremeci, confesso que o olhar dele me causava arrepios. Nem eu e nem ele respondemos, apenas voltamos a comer.

- Tudo bem. - Charlie disse suspirando. 

Terminei de comer e me levante, não sem antes me despedir da Nana é claro, confesso que ela é muito legal. Entrei no quarto peguei uma toalha e fui para o banheiro, precisava de um banho gostoso e relaxante. Entrei na banheira e senti meus músculos relaxarem, ensaboei meu corpo inteiro com diversos tipos de essências. Me sequei ao sair do banho, uma coisa que eu havia observado na Coréia faz muito frio a noite! 

Saí do banheiro e me esbarrei com o Suga, o mesmo me olhou com uma cara tipo " Você não olha por anda garota?" Sorte que eu já estava vestida, já pensou se ele me ver pelada? Que vergonha! 

Vi ele pegar outra toalha e entrar no banheiro. - Suspirei. - Ficar no mesmo local que ele me deixa totalmente desconfortável! Parece que ele sempre está me comendo com os olhos, ele realmente é um homem estranho. Suga saiu do banheiro minutos depois vestido e de banho tomado, os cabelos estavam colados em sua testa sinal de que estavam molhados. 

Percebi que fiquei tempo demais o olhando pois o mesmo começou a ficar sem ação. 

- Olha, eu sei que eu sou lindo mais você podia disfarçar as vezes. - Disse coçando a nunca, ele estava envergonhado? 

- Idiota. - Senti meu rosto esquentar com o seu comentário. Escutei uma risadinha baixa vinda dele. 

Ele se dirigiu até a cama e se jogou em cima dela, eu havia me esquecido que teria que dormir na mesma cama que ele! Céus e se ele me agarrar a força? - Pensei sentindo um frio na barriga, apertei os olhos com força e tentei me desfazer desses pensamentos. 

- Você não vai dormir? - Ele me perguntou, percebendo o meu nervosismo fez questão de explicar algo que estava me intrigando. - Não vou lhe agarrar, não se preocupe. 

Aquelas palavras de algum modo me confortaram um pouco, me dirigi até a cama e me sentei ao seu lado, vejo ele dá um sorriso de canto e apagar a luz. 

Dormir, isso foi algo que eu não consegui fazer de jeito nenhum, saber que ele estava bem ali dormindo do meu lado era assustador! Qual é, eu nunca dormir na mesma cama que um homem! Acordei com uma dor de pescoço horrível, consequências de uma noite mal dormida que eu nem dormi na verdade. 

Me levantei e fui fazer minhas higienes matinais depois fui tomar café, Suga permaneceu dormindo ou melhor dizendo "morto" Porque ele tem um sono muito pesado. 

- Bom dia Nana. - Falei. 

- Bom, dormiu bem? - Perguntou me lançando um olhar malicioso. Me poupe, se ela acha que eu vou transar com ele está muito enganada! 

- Não, não pense que eu transei com ele. - Falei seca. 

- Ok, eu não disse nada. - Falou levantando as mãos em sinal de rendição. 

Depois do café eu fui para o lado de fora da casa e fiquei sentada perto da piscina, o sol estava bem agradável! 

Horas depois... 

Entrei em casa e fui para o quarto, ainda não era a hora do almoço. Cheguei lá e encontrei Suga se arrumando acho que ele vai sair! 

- Bom dia. - Disse sem me olhar. 

- Bom... - Respondi baixo. 

- Eu tenho algo para você. - Falou pegando uma bolsa preta e tirando um livro de dentro. 

- Eu não quero nada de você. - Respondi seca. 

- Não seja mal agradecida e aceite. - Falou colocando o livro em minha mão. Atirei o livro na cara dele o deixando furioso. 

- Já disse que não quero nada de você! - Esbravejei correndo para o banheiro e me trancando em seguida, escutei ele dá um suspiro cansado e bater a porta do quarto com certa força. - Ele não vai me comprar com presentes! - Pensei. 

.

.

.

Depois daquele ocorrido, Suga passou o resto do dia sem aparecer em casa. É melhor assim, pelo menos eu não vou vê-lo mais andando pela casa. 

Dois dias haviam se passado e nada dele aparecer! Não que me fizesse falta, na verdade isso era muito bom! Hoje é o dia do maldito casamento, não estou nem um pouco animada! Será que dá tempo de eu me afogar nessa banheira? - Esse era meu maior e tentador pensamento! 

Depois de um tempo na cama eu fui tomar banho, a mãe do Suga insistiu que o casamento deveria ser a noite. Para mim ele deveria ser cancelado! Saí para tomar café, a casa estava uma loucura outra vez! Eram milhares de pessoas andando para lá e para cá! Isso é realmente muito chato. 

Cheguei na cozinha e encontrei o Charlie sentando lendo um jornal e a Nana fazendo o café. 

- Bom dia! - Charlie disse empolgado. 

Não respondi, afinal, não era um bom dia para mim! 

- O que foi Hyuna? - Perguntou. 

- Nada Charlie, nada. - Falei, peguei uma xícara de café e voltei para o quarto. Hoje eu não sairia de lá tão cedo! 

Não desci para almoçar, fiquei observando a decoração do casamento pela janela do quarto. A senhora Yoona optou por casar eu e o Suga no jardim da casa, bom... Lá tinha espaço o suficiente mesmo.

A tarde hoje não demorou para chegar, Nana foi ao meu quarto me arrumar junto com outras pessoas. Eu tinha que admitir o vestido era o sonho de qualquer garota, menos o meu.

Entrei no banheiro e tranquei a porta. Olhei-me no espelho e pude ver meu reflexo, eu parecia uma idiota pronta para estragar a vida  usando esse vestido branco e apertado e com esse véu enorme. - Suspirei, olhei para baixo e senti meus olhos marejarem. Era isso mesmo que eu estava prestes a fazer? Estragar a minha tão fodida vida me casando apenas por dinheiro? Eu me sinto uma completa puta, por mais que eu tente eu não consigo aceitar, não dá para aceitar! 

Não queria ter que fazer isso de novo, mas era mais forte do que eu! Busquei por uma lâmina dentro do banheiro, encontrei minutos depois. Fiquei a olhando enquanto segurava ela entre meus dedos, a sensação de ter minha pele rasgada não era desconfortante muito pelo contrario, era prazerosa. Eu já estava acostumada com o ardor e as marcas já não me importavam mais! Sem pensar duas vezes me sentei no chão frio do banheiro encostei minha cabeça na porta e fiz um pequeno corte próximo ao pulso, o sangue não tardou de aparecer e a dor? Bom, a dor era o de menos. 

Depois de algum tempo "Brincando" de me cortar, ouvi batidas na porta e a voz da Nana me chamando. 

- Hyuna, você está pronta? - Ela perguntou com a voz calma. 

- S-sim. - Gaguejei um pouco, minha voz saiu tremula. Tentei segurar o choro mais era impossível ele já havia chegado e me tomado, eu estava em prantos! Minhas lágrimas desciam descontroladamente pelo meu rosto.

- Você está bem Hyuna? - Perguntou ela com a voz preocupada. 

- Sim, eu estou ótima. - Menti passando as mãos pelo meu rosto tentando enxugar as lágrimas. 

- Todos estão a sua espera menina, o Suga já está lá embaixo. - Falou. - Abra a porta. 

- Eu não consigo. - Falei sentindo meus olhos se encherem de lágrimas novamente. - Me desculpe, mais eu não consigo!

- Não consegue o que? - Ela me perguntou. 

- Eu não consigo encarar isso Nana! Eu não posso me casar com ele. - Falei senti minha gargante doer por conta de eu tentar segurar o choro. 

- Espere ai, eu sei como resolver isso. - Ela falou e foi embora. 

Nana P.O.V on

Subi ao quarto para buscar a Hyuna, cheguei lá e não a encontrei então bati na porta do banheiro e obtive resposta! Ela parecia estar chorando, Charlie me contou sobre a depressão dela. Tentei convence-la a sair porem ela se negava a praticar tal ato, sem pensar duas vezes chamei o Charlie e mandei ele buscar o Yoongi! Talvez ele conseguisse convence-la. 

Nana P.O.V off

Suga P.O.V on

Estava em pé no altar quando vi Charlie fazer um sinal de mão me chamando, fui em direção a ele, parecia desesperado! 

- O que foi Charlie? - Sussurrei, não queria que as outras pessoas escutassem. 

- Ela não quer descer Suga, a Nana já tentou de tudo! - Falou passando as mãos no cabelo, preocupado. 

- Porra! Essa garota parece que faz de tudo para me irritar, esses dias ela tacou um livro em minha cara! - Falei irritado. 

- Por isso você dormiu fora de casa? - Perguntou. - Para não perder a paciência com ela não é? 

- Não lhe interessa! Onde ela está, eu mesmo irei busca-la e era vai vir por bem ou por mal! - Falei seco. 

- Ela está no banheiro do quarto. - Charlie disse, apenas entrei em casa correndo e fui direto para o quarto. 

Cheguei lá e encontrei Nana sentada na cama, ela parecia preocupada. Bati na porta com força e gritei. 

- Hyuna saia daí agora! - Bradei do outro lado. - Se você não sair por bem terá que sair por mal! 

Falei e nada dela responder! 

- Hyuna, eu vou arrombar essa porta está me ouvindo? - Gritei já irritado. 

- Shiiiu! Você não conhece as dores dos outros, seja gentil com a menina! - Nana falou me repreendendo. Fechei os olhos e respirei fundo. 

- Hyuna, você está me ouvindo? Vamos, saia daí. - Pedi acalmando minha voz. - Não tenha medo, eu não vou fazer nada com você! Abra essa porta eu só quero conversar, por favor. - Pedi. 

Ouvi a porta ser destrancada e lentamente ela sair de lá com os olhos inchados, provavelmente por conta do choro. Suspirei aliviado. 

- Você quer nos matar do coração menina? - Nana perguntou a abraçando. Eu nada disse, passei as mãos no rosto me controlando para não perder a paciência. 

- Porque você se trancou no banheiro? - Perguntei me sentando na cama. 

- Isso não é da sua conta, porque não me deixa em paz? - Perguntou com a voz irritada, essa menininha é mais difícil do que eu pensava. 

- Escute Hyuna, é tarde demais para desistir. - Falei. - Você precisa aceitar de uma vez por todas menininha! - Tentei manter meu tom de voz calmo, não queria assusta-la. 

- Não é tão fácil assim! - Disse com a voz um pouco triste. 

Me aproximei lentamente dela ficando frente a frente. - Eu sei que não é, mas... - Suspirei cansado. - Você precisa tentar. 

A vi respirar fundo e ir até a porta do quarto. 

- Tudo bem. - Disse de cabeça baixa. 

Dei um sorriso para a mesma que permaneceu de cabeça baixa. 

- Melhora esse rostinho lindo, não quero que os convidados pensem que alguém morreu. - Eu disse dando um sorriso maior ainda ao vê-la corar. 

Suga P.O.V off

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Então meus lindos se vcs gostaram comentem e favoritem ok? Desculpem pelos erros é que não tive tempo de revisar! Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...