História For The Love of A Daughter - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Miley Cyrus
Personagens Demi Lovato, Miley Cyrus, Personagens Originais
Tags Ariana Grande, Dallas Lovato, Demi Lovato, Diley, Marissa Callahan, Miley Cyrus, Zayn Malik
Exibições 261
Palavras 2.143
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Uau eu realmente estou impressionada com vocês, poxa como sempre vocês me surpreendendo e é por isso que voltei com um capitulo novo e dedico ele a todos vocês que sempre estão comigo e para os leitores novos também e que todos sejam bem vindos <3

PS: LEIAM AS NOTAS FINAIS TEM RECADO!

Capítulo 2 - Chapter Two


Point of View Demetria Lovato

Estava sentada observando a paisagem que a janela do avião me proporcionava, eu era a única acordada naquele voo, pois minha mente não se desligava ela trabalhava desesperadamente procurando achar um bom motivo para eu estar de volta aos Estados Unidos depois de seis longos anos.

E quando eu digo um motivo quero dizer de algo que parta de mim, mas isso não vem ao caso agora, pois em menos de uma hora eu estaria pisando novamente no país que um dia me trouxe tanta felicidade.

Como eu imaginava eu não consegui dormir e quando dei por mim o avião estava pousando no aeroporto assim como todos os outros passageiros nós descemos do avião e fomos atrás de nossas malas e assim que peguei as minhas eu passei a me dirigir a saída do aeroporto e tive uma grande surpresa assim que cheguei a um dos portões de saída.

- Achou que não teria ninguém aqui para recebe-la?

Meus olhos encaravam a loira parada a minha frente que sorria largamente para mim enquanto eu estava estática como se tivesse visto um fantasma.

- D-Dallas ai meu Deus Dallas.

Soltei minhas malas e corri na direção da minha irmã mais velha quando cheguei até ela eu me joguei em seus braços e por alguns minutos permiti que os sentimentos como saudade, paz e amor voltassem a habitar em mim.

- Nunca mais pensei que iria te abraçar novamente. – Dallas falou assim que nos separamos.

- Não seja tão dramática. – Falei sarcástica deixando com que minha verdadeira pose voltasse. – Afinal como soube que eu estava chegando?

- Tenho meus contatos Demetria. – Ela piscou para mim.

- Claro que sim. – Neguei com a cabeça.

- Venha vamos meu motorista está nos esperando.

- Agradeço por ter vindo até aqui Dallas, mas antes que pense que irei com você eu já aluguei um apartamento para ficar.

Eu sabia muito bem o porquê de Dallas estar aqui eu sabia que ela queria me levar para a casa de nossos pais quer dizer para a casa da minha mãe e do nosso padrasto, mas para Dallas ele era como um pai para mim ele foi um dia hoje ele é só o Eddie o cara que casou com Dianna.

- Não acredito que vai ficar em um apartamento não depois de seis anos sem ver sua família. – Ela disse séria enquanto caminhávamos para fora.

Sim desde que eu saí dos Estados Unidos indo para o Canadá eu fiquei sem ver minha família, mas por escolha minha eu até os ligava no final do ano, mas vê-los? Estava longe de minhas escolhas.

- Não irei discutir isso com você. – Falei seca.

Já estávamos do lado de fora e eu procurava atenciosamente por um táxi enquanto sentia os olhos de Dallas queimarem sobre mim.

- Seis anos se passaram Demetria e não é possível que você ainda se comporte como aquela garota de dezoito anos. – Eu podia sentir o quanto Dallas estava nervosa.

Assim que Dallas parou de falar eu a encarei sem expressão alguma enquanto meus pensamentos se pregavam as lembranças que eu tinha enquanto vivia aqui e isso me fez sorrir de lado, mas não era um sorriso de felicidade ou algo do tipo era um sorriso sarcástico sem vida.

- Seis anos se passaram e você não sabe nada sobre mim Dallas eu não sou aquela garota idiota e frágil se veio até aqui para lembrar do passado pode dar meia volta e ir embora.

Quando dei por mim já tinha dito da forma mais fria e grossa que podia, pois se Dallas ou mesmo minha mãe assim como Eddie achavam que eu era a mesma garota de antes eles estavam enganados e eu provaria isso a cada um deles.

- Por que você voltou? – Ela perguntou séria. – Pensei que tivesse voltado por nós, mas parece que o tempo ao invés de te fazer melhor só te deixou uma vadia escrota.

Dallas agora estava com raiva eu podia sentir em cada palavra dita e claro sua expressão deixava isso claro e ouvir suas palavras podiam me ferir se fosse antigamente, mas isso não me causou absolutamente nada.

- Boa noite querida irmã e mande lembranças a família. – Pisquei para ela e entrei no táxi que estava parado.

Passei o endereço do meu apartamento para o taxista e voltei a olhar as ruas de Los Angeles pela janela do carro e era incrível como tudo estava da mesma forma em que seis anos atrás.

Quando cheguei ao meu endereço eu desci do táxi acertei com o taxista e peguei minhas malas indo até a portaria do prédio e assim que cheguei na mesma o porteiro me encarou curioso.

- Boa noite posso ajuda-la em algo senhorita? – Ele perguntou simpático enquanto me analisava dos pés à cabeça.

- Boa noite. – Eu falei sem entusiasmos algum. – Eu sou Demetria Lovato a nova moradora da cobertura e quero a chave que o corretor falou que ia deixar aqui.

- Ah claro só um momento.

Eu nada disse apenas fiquei encarando o senhor que parecia procurar pela chave em um dos armários que tinha ali assim que o mesmo achou ele me entregou eu o agradeci e fui rumo ao elevador.

Levei cerca de dois minutos para chegar ao meu andar que por sinal era só meu já que os apartamentos daqui era um por andar sendo assim eu já saí na sala do meu apartamento.

- É até que vai servir.

Falei enquanto observava cada mínimo detalhe do apartamento eu já tinha o alugado mobiliado para não ter dor de cabeça com nada sem contar que eu não pretendia ficar por muito tempo aqui então eu precisava de coisas práticas e que não me prendessem.

Fui até o quarto que era bem luxuoso e deixei minhas malas em qualquer canto do mesmo e decidi que iria tomar um banho, pois eu precisava relaxar ainda mais depois da pequena briga com Dallas.

Tirei minha roupa e fui a jogando pelo caminho até o banheiro quando entrei no mesmo eu já estava nua um sorriso se abriu em meus lábios quando vi a banheira então caminhei até mesma e abri o registro para enche-la e enquanto isso acontecia eu fui despejando uns sais que tinham ali.

Quando a banheira estava na medida certa eu desliguei o registro e entrei sentindo a água quente aquecer meu corpo e relaxa-lo rapidamente o que me fez soltar um gemido de contentamento.

Fiquei por cerca de uma hora na banheira até que senti a água esfriar indicando que era hora de sair e assim eu fiz sai da banheira e fui até o box e tomei um rápido banho para logo voltar para o quarto e procurar por uma camisola.

Depois de vestida eu fui até a cozinha e passei a verificar a geladeira e os armários e como eu tinha pedido eles estavam cheios.

- O que o dinheiro não faz hoje em dia? – Debochei enquanto procurava algo na geladeira para comer.

Vi que tinha umas frutas ali então decidi por fazer uma salada de frutas já que não estava com tanta fome assim depois de pronta eu comi e voltei para meu quarto, pois precisava descansar um pouco afinal passei a madrugada viajando então eu só precisava dormir um pouco.

Eu estava em um sono gostoso e relaxante, mas como eu disse eu estava até por que o meu celular começou a tocar indicando que algum inconveniente me ligava e atrapalhava o meu sono.

Sentei-me na cama e estiquei o braço até o criado mudo em busca do meu celular e quando o peguei ele parou de tocar verifiquei o número e soltei um suspiro pesado quando vi de quem era.

O celular não voltou a tocar, mas vibrou em sinal de mensagem o que me fez revirar os olhos.

“Espero que tenha feito uma boa viajem querida e por favor atenda minhas ligações da próxima vez”.

Eu apenas li a mensagem e tornei a bloquear o celular o deixando no criado mudo e me joguei na cama.

- Deus será que eu nunca vou ter paz? – Resmunguei enquanto eu encarava o teto.

Fiquei por um bom tempo assim apenas deitada e pensando quais seriam os meus próximos passos daqui em diante e claro que o primeiro era ver a minha família e tentar conversar com Dallas, pois se eu queria que as coisas ao menos dessem certo enquanto eu estivesse aqui eu no mínimo teria que me dar bem com eles.

Mas antes disso eu precisava me encontrar com outra pessoa e me atualizar dos últimos acontecimentos foi por isso que eu peguei meu celular e resolvi mandar uma mensagem.

Demi: Como sabe eu estou de volta e ficaria muito feliz em te ver te encontro daqui a dez minuto no parque.

Não esperei resposta, pois eu sabia que a pessoa estaria lá então apenas levantei e fui até minha mala em busca de algo para vestir. Optei por uma calça jeans preta que realçava minhas pernas e uma blusa branca básica que ficava colada em mim nos pés um sapato de salto fechado.

Depois de estar vestida fui até o banheiro e arrumei meu cabelo de forma que me deixasse satisfeita por último passei um batom vermelho e me dei por arrumada.

Sai do quarto com minha bolsa e entrei no elevador quando cheguei na rua pedi um táxi esse que não tardou a chegar dei as coordenadas ao mesmo e enquanto ele seguia para o parque eu passei a verificar uns e-mails onde continha coisas me atualizando sobre como as coisas iam no Canadá.

Assim que cheguei no parque eu passei a buscar a pessoa pelo mesmo, mas não a encontrei então passei a caminhar por ali para fazer um tempo. Eu andava tranquilamente observando as pessoas e vendo que nada tinha mudado era como se todos continuassem fazendo as mesmas coisas por aqui.

Caminhei por um bom tempo quando ao longe uma cena me chamou atenção de uma mulher com uma criança tomando sorvete as duas riam uma para outra de forma encantadora.

Fiquei por um tempo encarando a cena quando senti um aperto em meu ombro que me fez virar rapidamente.

- Pensei que não fosse vir. – Disse assim que a olhei.

- E eu já furei com você alguma vez? – Sorriu de lado. – Desculpe o atraso.

- Tudo bem Marissa sei o quanto é ocupada. – Sorri para a loira a minha frente. – Agora me dê um abraço.

Como eu pedi a loira me deu um abraço apertado posso dizer que por pouco não quebrou os meus ossos, mas admito que eu estava com saudades da minha velha e boa melhor amiga.

- Pensei que não tivesse mais sentimentos. – Falou rindo assim que nos separamos.

- E acredite eu não tenho. – Debochei. – Receba esse abraço como forma do meu pagamento.

- Você vai ter que me dar muito mais que um abraço se realmente quiser me pagar. – Disse animada. – Agora vem vamos sentar que tenho algumas coisas para lhe contar.

Caminhei com Marissa até um banco próximo dali e nos sentamos então ela passou a me contar o que tinha acontecido por aqui durante essas últimas semanas.

Sim eu estava por dentro de tudo que vinha acontecendo durante esses seis anos em que estive fora, Marissa era meus olhos e ouvidos.

- Estou vendo que terei muito trabalho pela frente.  – Bufei assim que ela terminou.

- Sim e acho que se você quer que as coisas deem certo terá que se desculpar com a Dallas.

- Ela te ligou não é mesmo? – Rolei os olhos.

- Me ligou sim e não parou de falar o quanto você é uma vadia escrota. – Marissa gargalhou e eu lhe dei um tapa.

- Dallas me torra a paciência. – Resmunguei.

- Vocês a tratou mal. – Ela ralhou.

- Marissa eu não estou aqui para brincadeiras ou para confraternizações em família. – E mais uma vez eu estava ali sendo grossa o que era raro acontecer com Marissa já que ela entendia algumas coisas sobre mim.

- Eu realmente gostaria que você me dissesse toda a verdade Demi. – Ela se lamentou. – Você não é essa pessoa que demonstra eu sei disso.

- Marissa por favor as coisas mudam as pessoas mudam me aceite do jeito que eu sou. – Minha voz escorria sarcasmo.

- Tudo bem. – Ela levantou a mão em rendição.

Fiquei por mais um tempo conversando com Marissa quando vi que a mulher e a criança que eu observava a minutos atrás estava vindo para perto de nós o que me fez encara-las mais ainda.

A menina corria alegremente enquanto a mulher vinha atrás rindo da pequena garota, mas seu sorriso sumiu assim que a menina tropeçou em seus pezinhos e por ironia do destino ou não caiu sobre meus pés.


Notas Finais


Demetria chegou e chegou causando cuidado que nem tudo é como a gente vê.... Gostaram?

RECADO: Fanfic será postada segunda, quarta e sexta como era em All of Me.

Pessoal eu ainda tenho aquele grupo que fiz para os leitores quem quiser entrar me manda no privado o nome e o número!

Me sigam no twitter também caso queiram falar comigo ou me cobrar sobre a fanfic @_dileylc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...