História For you - Taegi - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Romance
Visualizações 84
Palavras 3.698
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom gente, eu gostaria de dizer: Sejam muito bem vindos ao último capítulo de For You, sim, o último, eu gostaria muito de agradecer por todos os comentários e favs que essa fanfic teve, eu nunca fiquei tão feliz na minha vida quanto quando comecei a ver os resultados dessa fanfic, eu gostaria de pedir perdão por não cumprir com os prazos e/ou prometidos, mas eu espero que For You possa sempre ter um espaço no coração de vocês, eu espero do fundo do coração que vocês gostem.


Por favor, se acharem algum erro, não considerem, eu passei o dia escrevendo, revisar esse capítulo extenso me cansou mais ainda então mesmo revisado pode ser que tenham erros, aproveitem a magia do momento. amo vocês.

Capítulo 25 - 끝 kkeut


°Narração°


Taehyung chegou em casa acabado por tudo que viu, sua cabeça girava à mil, se jogou no sofá e deixou que os sentimentos viessem à tona logo o fazendo derramar lágrimas desesperadas, o aperto em seu coração era tanto que, mesmo gritando contra o travesseiro, ele não conseguia se aliviar, até que dormiu suavemente, em meio ao seu próprio rio de lágrimas. 


Mihyo abriu a porta de casa com cuidado, apenas com medo de uma grande bronca, porém, viu seu pai deitado no sofá, abraçado à uma almofada, o menino parou alguns segundos para observar a cena mas logo trancou a porta, indo em direção ao seu quarto.


-x- 


Quando o sol começava à dar os primeiros indícios do dia, Taehyung acordou de súbito, como se houvesse tido um sonho ruim, mas na verdade não conseguira ao menos sonhar. Se levantou ainda meio atordoado com o peso em sua cabeça e foi rumo à cozinha, escorregou a mão pela parede e acendeu a luz assim que o interruptor foi achado, em passos pesados, foi até a cafeteira, ligando a mesma e sentando no balcão, mergulhou em seus desvaneios até ouvir o barulho da porta, olhou para trás e viu Jess entrando, levantou com um sorriso fraco olhando para ela, a mais velha parecia preocupada com a visão do homem:


-O que aconteceu com você? - Ela perguntou se aproximando e tocando a bochecha do mais alto.


-Ele voltou. - Taehyung não sabia se sorria ou chorava, qualquer decisão em falso poderia o levar ao fundo poço.


-Ah querido.- Jess não precisou de mais do que aquilo para entender o que se passava, pelo menos superficialmente. -Escute, porque não toma um banho, sim? Eu ligo para Ilhoon e falo que hoje você não poderá ir trabalhar. - Taehyung apenas assentiu e limpou as lágrimas, tomando o caminho até o banheiro em passos curtos.


Ligou o chuveiro e esperou até que a água estivesse quente, se despiu e entrou cuidadosamente, assim que a água o acertou, sua vontade de chorar voltou cem vezes mais forte, ali mesmo ele o fez, sentido a água quente contra suas costas e as lágrimas pesadas escorrendo por seu rosto com certa dificuldade. 


Quando finalmente terminou o banho, Taehyung se secou e se encarou no espelho, o cabelo estava molhado e ainda pingava, seus olhos e nariz estavam levemente vermelhos e seu rosto parecia fazer esforço para continuar estando ali assim como seus olhos se esforçavam para permanecerem abertos; pegou o secador e secou os cabelos o máximo que pôde,e pegou algumas maquiagens em sua gaveta e passou apenas para disfarçar a cara horrível que tinha naquele dia, se afastou para observar o resultado e murmurou um simples "Dá para o gasto." Saiu do banheiro já trocado e foi até a cozinha onde Mihyo já tomava seu café, olhou o filho com carência e lhe deu um beijo, sentando-se no sofá e pegando seu notebook, o mais novo virou o corpo para olhar o pai e soltou com delicadeza:


-Pai..-Mihyo tinha o tom tão baixo que parecia falar com um bebê dormindo.


-hm..? - Taehyung levantou a cabeça e fitou a criança que mordeu o lábio. 


-Sobre ontem..eu..-Ia começando mas foi cortado pelo mais velho.


-Você gostou do concerto?Foi bom? - Taehyumg mantinha o mesmo tom de sempre.


-..Sim, foi maravilhoso. -O garoto se assustara com a ação do pai mas mesmo assim respondeu com delicadeza.


-Que bom..-Taehyung voltou o olhar ao seu relógio de pulso. -Já está na hora de você ir, quer que eu te leve? - Perguntou vendo o filho engolir o suco e negar com a cabeça, o menino se levantou pegando a mochila e se despediu do pai e de Jess com um beijo.


-Vai contar pra ele? - Jess disse secando a mão com o pano de prato e se encostando na mesa.


-O que? Que eu não sou o pai dele? Que o pai dele está na cidade e é seu músico favorito? -Taehyung bufou vendo a mulher morder o lábio. - Eu não faço idéia do que eu vou fazer agora. - Jess se sentou ao lado do Kim depositando a mão em sua coxa.


-É só uma turnê, logo ele vai para outro lugar e vocês não vão se ver mais. -Jess estava convencida. 


-Não é tão simples, ele me viu, Yoongi me viu com Mihyo, eu não duvido que ele venha atrás de mim, atrás de nós. -Taehyung tinha o olhar focado em um ponto fixo no chão. 


-Se ele vier, apenas seja o adulto que você se tornou, e resolva os problemas com seriedade. - Jess se levantou e seguiu para a cozinha, lavando o resto de louça suja.


Taehyung já estava em seu segundo banho do dia quando escutou alguém bater à porta.


-Jess atende para mim, por favor! - Gritou já saindo do chuveiro e secando o cabelo, escutou um "Ok" do outro lado da casa, se arrumou com roupas simples que normalmente usava para ficar em casa, uma calça de moletom e uma camisa branca larga. Taehyung se peeguntava quem era o visitante até que chegou na sala e o encontrou sentado no sofá apreciando a decoração do local. - Hoseok?! - O Kim quase se deu por berrar de felicidade.


-TaeTae!! -Hoseok se levantou indo abraçar o amigo.


-Meu Deus quanto tempo. - Taehyung exclamou se lembrando da última vez que o vera. - Você está ótimo! Me conte, como foram esses anos? - Disse puxando o Jung para se sentar no sofá. 


-Ah foram ótimos, assinei contrato com uma empresa famosa e agora escrevo livros, conteúdo didático e ficção; me casei, ainda moro no mesmo lugar de sempre e agora tenho meus 37 anos nas costas. -Taehyung arregalou os olhos quando ouviu a idade do amigo.


-Meu Deus, tem 37 anos nessa sua cara e ainda assim parece um Deus?! Queria eu estar assim. - Hoseok riu.


-Me fale de você agora. - Pediu.


-Eu sou chefe do laboratório de biologia e geografia marinha do da região, já estou com 33 anos e meu filho já tem seus 14 anos. - Disse Taehyung falando tudo alegremente. -Mas..o que te trouxe aqui? 


-Eu estava apenas passando pela cidade quando me lembrei de você e decidi fazer uma visita, seus tios estão morrendo de saudades sabia? -O Kim riu.


-Aish! Eles vieram aqui mês passado! - Tae fez um biquinho infantil.


-Tae, er..eu não queria ter que dizer isso mas você viu que..-Hoseok se atrapalhava um pouco com as palavras tentando fazer algo sair.


-Eu vi. - Taehyung bufou. - Mas não se preocupe eu irei tomar cuidado em relação à isso.


-Ok. - Jung mordeu o lábio inferior e suspirou. - Eu tenho que ir agora, foi muito bom te ver Tae. - Hoseok se levantou fazendo uma reverência. - Qualquer dia eu volto, provavelmente junto com seus tios se não se incomodar.


-Ah não será incômodo algum! Traga seu marido também!-Disse se levantando e acompanhando o Jung até a porta. 


Assim que a porta foi aberta, Mihyo estava ali parado, ele olhou Hoseok e depois seu pai.


-Mihyo! Diga "Oi" à Hoseok, ele é seu segundo padrinho sabia? - Tae disse ao filho que cumprimentou Hoseok e recebeu um sorriso largo.


-Bom, eu vou indo, fiquem bem, meninos. - Jung disse saindo.-Tchau TaeTae. - Se despediu do amigo e fechou a porta.


-Quem era ele? - Mihyo disse de braços cruzados.


-Um amigo. - Taehyung passou pelo filho pegando uma maçã na fruteira da mesa.


-Você gosta dele? - O Kim engasgou com o pedaço de maçã que mordia.


-Que isso, menino! Não! -Taehyung deu um tapa no braço do filho.


-Ah,pai, amanhã tem reunião tá? A tia Hyoseong mandou falar que vem te buscar. - Taehyung assentiu e terminou de comer, assim indo dormir. 



Por volta das quatro horas da tarde do dia seguinte, Taehyung se arrumava para ir à reunião de pais do colégio, colocou sua típica camisa social branca, um jeans preto justo porém confortável e seus sapatos pretos divinamente bem conservados, o Kim havia dispensado Jess mais cedo devido ao fato de que a mesma iria á um encontro com sua família, o homem já estava quase pronto, apenas arrumava seu cabelo quando escutou a campainha, saiu de seu quarto correndo para atender e pensou que estava atrasado já que Hyoseong passaria para buscá-lo mas incrivelmente viu que ainda faltava meia hora para o horário combinado, caçou a chave pelo balcão enquanto a campainha continuava à tocar insistentemente:


-Já vai! -gritou se aproximando já com a chave em mãos. "Tinha que ser Hyoseong, sempre buscando me irritar". Pensou. Abriu a porta já pronto para dar a bronca. - Meu deus ainda falta meia hora..- Mas não era Jung, não, a feição de Kim mudou completamente e ele quis chorar, encarou a pessoa a sua frente como se ela fosse o espelho de algumas horas atrás, finalmente engoliu em seco olhando-o de cima à baixo, cada detalhe, cada fio de cabelo e cada cor do tecido de sua roupa, mais uma vez engoliu a própria alma, sua boca estava seca e as palavras pareciam impossíveis de sair. -O que faz aqui? - pronunciou baixo porém foi o suficiente para que ele escutasse.


-Eu vim te ver. -A voz grave o fez tremer de todos os cantos, ele mordeu o lábio inferior, suas mãos tremiam e suavam, Taehyung apertava a maçaneta como se pudesse a quebrar.


-Como me encontrou? - Não era exatamente a pergunta que ecoava pela cabeça do Kim, já que a mesma por agora era apenas um papel em branco.


-Digamos que não foi difícil achar o endereço do presidente do laboratório de ciências marinhas e blá blá blá - Min Yoongi revirou os olhos se encostando no batente da porta.


-Laboratório de Biologia e Geografia Marinha, e eu sou chefe e não presidente. - Taehyung respondeu grosso dando um passo para trás. - De qualquer jeito não temos nada para conversar, adeus. -Taehyung soltou a porta mas a mesma foi para pela mão firme de Yoongi que segurou a mesma, entrando no local.


-Nós temos muito o que conversar, Taehyung, me dá uma chance. -Yoongi pediu acompanhando os passos do Kim.


-Um chance pra quê?! Pra você se desculpar por ter me agredido e interrompido o meu sonho?! Pra explicar o porque de ter abandonado seu filho nos meus braços?! Uma chance pra você fazer eu me apaixonar de novo?! -Taehyung estourou feito um balão, lágrimas grossas brotavam em seus olhos enquanto ele simplesmente gritava, o Min estava em seu estado de espanto. - NÃO! Eu passei quatorze anos sentindo a sua falta, eu passei quatorze anos rejeitando tantas pessoas porque eu simplesmente te amava, você não tem o direito de voltar assim depois de tanto tempo! -Taehyung esmurrava o peito de Yoongi conforme cuspia as palavras para fora, porém, suas mãos foram contidas pelas do mais velho que as segurou firme.


-Taehyung, eu também senti sua falta, todos os dias desses quatorze anos. -Ele olhava fixamente nos olhos de Taehyung que já soltava algumas lágrimas grossas. - Eu ainda te amo, mas por favor não me perdoe, eu não mereço. -Yoongi o puxou para um abraço apertado que o sufocaria se seu oxigênio agora não fosse o perfume extremamente forte do mais novo. 


-Eu te odeio. - Taehyung soluçava com o rosto enterrado no pescoço do Min. - Você não tinha o direito de fazer isso comigo, você destruiu a minha vida. - Aquilo machucava Yoongi mas era verdade, era uma verdade tão pura e cheia de emoções, inexplicável. 


Taehyung e Yoongi se abraçavam forte, um abraço que exalava todos os sentimentos possíveis, a cabeça do Kim começava à parar de pesar, ele parecia estar se aliviando de tudo o que o tormentou por tanto tempo, mas Yoongi separou o abraço e limpou as lágrimas de Taehyung.


-Tae, eu preciso voltar, por você, pelo meu filho..-Taehyung gruniu.- Eu sei que eu não fui pai em nada mas é o mínimo que eu posso fazer, contar a verdade á ele.- Taehyung engoliu em seco pela milésima vez. - Eu vou embora agora, tenho um compromisso e pelo visto você também deve ter. -Yoongi deixou um beijo na testa de Taehyung e caminhou até a porta.


-Kim Mihyo. -Yoongi se virou confuso ao ouvir aquelas palavras de Taehyung mas logo exibiu um sorriso. - O nome dele é Kim Mihyo. - Yoongi se foi e Taehyung fechou a porta, deslizando as costas pela mesma.


-Taehyung? Tae! - gritou Hyoseong do outro lado da porta. -Vamos que você já está atrasado. - Kim suspirou e se levantou,esforçou-se à exibir um sorriso e abriu a porta, dando de cara com uma mulher sorridente. 


Chegaram em casa Taehyung e Mihyo, ambos sem sono se sentaram no sofá. 


-Quer assistir um filme? - perguntou Tae.


-Só se tiver pipoca. - Mihyo olhou o pai com um olhar pidão.


-Ah claro, como quiser,senhor. - O mais velho fez uma reverência se dirigindo à cozinha. 


-Eu vou escolher o filme tá? - Disse Mihyo e viu seu pai sair correndo de volta à sala.


-Não! Terror não! - Taehyung ajoelhou no chão fingindo implorar.


-Porque não?! -Perguntou Mihyo segurando riso. -Ta bom, eu coloco um drama então. 


-Te amo,filho. -Taehyung mandou um beijo para o menino que estava no sofá e voltou para a a cozinha. 


-Interesseiro. - O Kim mais novo vasculhava entre os filmes da Netflix tentando achar algum que lhe agradasse até que seu pai sentou ao seu lado já com um balde de pipoca e uma garrafa de refrigerante na mão, depositou os dois na mesinha de centro puxando-a mais para perto do sofá. -Toma isso aqui.-Disse Mihyo já irritado dando o controle nas mãos do pai, este o pegou e escolheu o filme "Entre Nós" de produção Brasileira. - Ah pai! Produções Brasileiras nunca são boas.


-Cala a boca e assiste. -Pediu o Kim mais velho.



Depois de alguns minutos de filme, Mihyo já mexia no celular quando de repente segurou o braço de seu pai e o olhou sério:


-Pai, você lembra daquele músico que você viu, né? - Mihyo fitava o celular.


-Sim, o que houve? - Taehyung tinha um certo tom de preocupação. 


-Ele vai se casar, com Kim HyunA! -O ar de decepção foi inevitável quando Taehyung ouviu aquelas palavras, mas não podia se deixar transparecer. 


-Ta,e porque você está tão preocupado assim? Pretendia se casar com ele? - Taehyung riu.


-Ah credo, pai! - Desferiu um tapa no peito do maior, fazendo-o rir alto.



A semana foi inteira a mesma, Taehyung e Mihyo se divertindo como nunca, programas apenas de pai e filho, mais nada, e por uns momentos Taehyung esqueceu Yoongi, pelo menos até ele bater em sua porta de novo.


-Eu atendo! -Gritou Taehyung correndo até a porta e abrindo, vendo o Min em sua frente, ele mordeu o lábio inferior ainda segurando a porta aberta. -Oi. -Sibilou.


-Oi. -Yoongi sorriu fraco. - Eu vim aqui pra conversar com...-O Min foi cortado por Taehyung.


-Eu não acho que seja a hora certa pra isso, ele precisa de um tempo pra...-Mihyo o cortou sem intenção. 


-Pai, eu vou lá no...-Logo após as palavras, o copo que o menino segurava com tanta convicção foi de encontro ao chão, se quebrando, Taehyung abaixou a cabeça e se virou para o filho. 


-Entra. - Pediu à Min que assim fez, o garoto tinha seus olhos fixados no moreno e estava completamente imóvel. -Meu filho,vamos sentar. - Taehyung passou a mão pelas costas da criança, o guiando até a poltrona onde ele se sentou,à sua frente Taehyung e Yoongi o encaravam.


-P-Pai, e-ele é o..o.. - O garoto tinha a voz trêmula. 


-Sim,filho, é o cara do concerto. -Taehyung disse sério e Yoongi riu.


-Porque não me disse que conhecia ele? Onde? Como? Porque? Onde conheceu ele? - Mihyo disparou à perguntar rapidamente ainda fitando o músico. 


-Ele é meu amigo de longa data.-Disse Taehyung mas ao mesmo tempo ouvindo Yoongi falar.


-Tivemos um caso no passado. - A voz de Yoongi parecia ter saído mil vezes mais forte do que a voz de Taehyung, e Mihyo ficou boquiaberto. - Mihyo, a verdadeira razão pela qual eu vim aqui é você, você é o motivo de minha vinda até essa casa. 


-Por favor me expliquem desde o início porque eu não estou entendendo nada. - Disse o garoto com as mãos na cabeça. 


-A alguns anos atrás, quando eu ainda era professor de história, conheci o seu pai. -Começou Yoongi.


-Você era professor de história?! - Exclamou o menino, recebendo um olhar repreendedor do pai.-Perdão. 


-Nós tivemos um caso, e neste caso muitas brigas, em uma delas nós ficamos separados por meses e em meio à esse tempo você nasceu, eu fiquei muito mal com tudo o que estava passando e tive de ser levado ao hospital e submetido à uma cirurgia. -Yoongi falava tudo calmamente para que o filho o entendesse. - No período em que fiquei internado no hospital, sua mãe o abandonou, nos meus braços ali mesmo, eu estava tão desesperado que acabei por te entregar à sua avó para que ela cuidasse de você. 


-Mas se meu pai é ele..-apontou para Taehyung. - Porque minha mãe me abandonou com você? E porque você me entregou para a minha avó e não para o meu pai?


-Deixe-o explicar, filho. -Disse Taehyung, atento às palavras de Yoongi. 


-Assim que eu reconciliei com seu pai, comecei à agir estranho, eu..era rude, muitas vezes o xingava e até mesmo eu..eu o batia, eu tinha um sério problema mental, e não pense que isso era brincadeira, eu simplesmente fazia coisas horríveis e no dia seguinte não me lembrava delas; - O Min gesticulava. 


-Espera você fazia o que?! -Mihyo o cortou. 


-Filho, pelo amor de Deus escuta o resto. -Taehyung pediu já sem paciência. 


-Continuando...quando eu te trouxe para casa, para que Taehyung cuidasse de você, você não tinha nem nome, era apenas um recém nascido; um dia e, com muito custo, Tae conseguiu fugir e te levou junto, me internou num hospício onde eu sofria tratamentos de choque e tomava remédios que aceleravam minhas sinapses. -O Kim mais velho abaixou a cabeça escutando tudo pelo o que Yoongi passava. - Ele te trouxe para cá, pra te dar a vida que eu não poderia te dar, mesmo sendo seu pai verdadeiro, eu não poderia cuidar de você. -Yoongi concluiu vendo a expressão perplexa de Mihyo.


-Então quer dizer que você agredia meu pai que na verdade não é meu pai? E ninguém me conta que Kim Taehyung não é meu pai verdadeiro? -Mihyo se levantou e parecia bravo.


-Tem que entender que tudo tem um porque, filho. -Disse Yoongi se aproximando mas o garoto se afastou bruscamente.


-Você não tem esse direito, não pode aparecer assim depois de tanto tempo fingindo que está tudo normal. - Ambos os adultos se espantaram o com tom do menino mas não por sua grosseria, mas sim por ser impressionantemente igual ao Kim.-Saiam daqui, por favor eu preciso pensar.


Eles assentiram e saíram, desta vez sem beijo na testa de ambas as partes.


Os dois adultos caminhavam pelas ruas claras de Heundae, cada qual perdido em seus próprios pensamentos, pensamentos estes que sempre se econtravam num mesmo ponto, até que enfim, quando se deram conta, já estavam caminhando sob a areia fina da praia:


-Taehyung, eu sei que não deveria perguntar mas..Você está com quantos anos? - Yoongi o olhou ainda caminhando.


-33, Yoongi. -Ouviu um murmúrio do outro ao seu lado. - É, você perdeu uma vida inteira ao meu lado, ao nosso lado.


-Eu me arrependo de tudo isso, sinceramente. - Disse Yoongi, subindo na grande e alta pedra que ali havia, sentou-se na beirada da mesma, sendo acompanhado por Taehyung, Yoongi fitou o mar abaixo de seus pés. -Infelizmente não poderei reparar tudo o que fiz.


-Sabe, eu te perdôo por tudo. - Disse Taehyung, encontrando o olhar de Yoongi. -Apesar de tudo o que aconteceu, eu não tenho ódio de você, não consigo. 


-Aquela hora que eu te vi no concerto...foi inexplicável. -O Min tinha o queixo erguido e desfrutava da brisa oceânica que vinha suave.


-Meus sentimentos vieram à tona ali, eu evitei tudo que me lembrasse você por todos esses tempos, eu me privei de muitas coisas por você e hoje eu vi que não adiantou nada, porque querendo ou não eu continuo a te amar. -Taehyung concluiu. 


-Taehyung eu gostaria de visitar Mihyo mais vezes se é que me permite. -Pediu e o Kim assentiu.


-É claro. -Se deitou sentindo o solo fresco contra as costas.-Yoongi...eu senti a sua falta, sabia? Porque não me mandou notícias depois que saiu da clínica? 


-Eu imaginei que você nunca mais fosse querer me ver. - Disse o Min se deitando ao seu lado também. 


-Tem razão, eu ainda não estou pronto para te ver na minha frente assim depois de tanto tempo. -Taehyung proferiu. -Eu espero que possamos recomeçar, e mudar nossas vidas.


-Eu ainda sinto que tenho uma longa história com você. -Disse Yoongi. 


O silêncio reinou por alguns minutos, até que Yoongi se levantou indo para trás até onde seria o início da pedra, seus atos eram ruidosamente supervisionados pelo Kim, assim ele partiu à andar, se sentando ao lado do mais novo que fez o mesmo.


-O dia está lindo hoje, não? - Perguntou olhando o horizonte. 

-Está sim, deslumbrante. - Respondeu.


-Min Yoongi. - O mais velho estendeu a mão ao acastanhado que, sorrindo, apertou a mesma.


-Kim Taehyung. - Yoongi suspirou voltando à olhar o horizonte. 


-Confia em mim, Kim Taehyung? -Perguntou Yoongi.


-Como vou confiar em alguém que acabo de conhecer? -O Min sorriu com a resposta do mais novo. 


-Tem razão. -Yoongi se levantou, tirou a camisa e os pertences do bolso do shorts.-É apenas para loucos. -Estendeu a mão para o acastanhado que aceitou a ajuda e fez o mesmo ato de Min.


Os dois entrelaçaram fortemente as mãos, se olhavam levemente tensos e empolgados, caminharam até a ponta da pedra, e Yoongi encontro o olhar de Taehyung, sorriu como nunca.


-No três. -Disse.


Um 


Dois


Três. 


Logo o corpo todo foi tomado por um choque de temperatura, a água gelada cobrindo a cabeça de ambos e ajitando seus cabelos, as ondas que vinham levavam tudo o que um dia estava preso neles, mas as mãos ainda permaneciam juntas, logo o ar voltou aos seus pulmões, lhes fazendo ofegantes, se olharam novamente e sorriram, pela primeira vez nenhum dos dois pensava no amanhã. 



                  끝 kkeut

                     (Fim)


Notas Finais


Eu espero do fundo do peito que vocês tenham gostado, eu dei o meu melhor para essa fanfic, e espero que de alguma forma ela possa ter tocado vocês lá no fundinho do coração.

Muito muito muito obrigada por tudo o que vocês me proporcionaram, essa experiência foi maravilhosa eu estou muito feliz, eu amo vocês demais. Por favor não esqueçam de mim tão cedo, não esqueçam de For You tão cedo. Muito obrigada por tudo.

Por favor dêem uma passada no meu perfil e vejam a minha mais nova fanfic "Crucifix" eu tenho certeza que vocês vão gostar.


Até o dia distante em que nos encontrarmos de novo, Adeus, Adeus. - Goodbye, 2ne1


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...