História For You - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Revelaçoes, Romance, Yaoi
Exibições 13
Palavras 1.433
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Mecha, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá, amigos, como estão? Estou cansada. Obrigada.
Primeiramente eu queria pedir desculpas... Por quê? Porque eu não estou muito bem, eu não sei se a escrita vai ficar boa. Geralmente, eu escrevo aquilo o que sinto e eu não quero fazer isso nesse momento, então, por favor, me desculpem se esse capítulo ficar um pouco triste ou com um clima meio pesado. ;-;

Capítulo 7 - Seven


Fanfic / Fanfiction For You - Capítulo 7 - Seven

Christopher continuava com seu rosto contra o chão gélido de seu quarto, ele continuara imobilizando pelo Harry, que ainda estava bem próximo ao seu rosto. O coração de Christopher estava acelerado, ele agradecia pelo seu amigo não conseguir ler mentes porque se não, ele estaria com muita vergonha agora. Christopher pensava várias coisas impuras que ele tinha certeza que Harry nunca faria com ele. Mas, Harry, a culpa é sua. 

Christopher gemia de dor, seu amigo era leve mas Christopher estava deitado no chão de uma maneira nada confortável e Harry não estava notando muito nisso. Harry sorria travesso, aquilo estava uma verdadeira comédia para o maior. Harry tirara de seu bolso um objeto, uma caneta de cor preta permanente. Harry sorria diabolicamente, Christopher sabia o que o amigo iria fazer. 

Harry levou a caneta aos lábios e a prendeu entre os seus dentes e puxou a mesma, destampando a própria fazendo subir um leve odor da tinta. Harry continuara com a tampa entre os seus lábios, agora, formando um bico com a mesma ainda presa só que agora com a ajuda de seus lábios. Uma de suas mãos estavam ocupadas então ele só tinha uma livre.

"Que tampa sortuda" 

Christopher pensara. A imagem de seu "beijo" com o Harry voltou a sua mente. Ele tinha agora suas bochechas levemente corada enquanto encarava a boca do amigo com a tampa ainda lá. Harry começara a se aproximar a caneta do rosto do amigo e quando estava prestes a riscar a pele pálida do mesmo o som de duas batidas ecoou pelo quarto. Harry parou. O barulho vinha da porta que logo foi aberta pela pessoa que tinha batido na mesma, relevando a Amanda, mãe de Christopher 

Amanda encarava ambos no chão com uma expressão de surpresa por ver os garotos no chão. Amanda teria uma bandeja com alguns sanduíches caseiros e dois copos de suco de manga. Ela mudara a sua expressão para uma gargalhada, o que ambos não tinham entendido o motivo da risada da senhora a sua frente. 

- Garotos, parem de brincar e vão logo comer. - Disse ela limpado a lágrima que estava no canto de seu olho. 

- "brincar"? Essa espécie de gnomo humano está quase quebrando as minhas costas! - Disse Christopher com um pouco de dificuldade. 

- O quê? - Harry não sabia se estava vermelho pelo insulto ou pelo exagero de seu amigo. - Eu não sou gnomo seu gigante e eu não estava quase quebrando as suas costas, exagerado. 

- Ta bom, ta bom. Venham comer. - Disse Amanda colocando a bandeja em cima da pequena mesa que tinha no centro do quarto de Christopher e logo saindo. Harry saiu de cima de Christopher e foi na direção da mesa e logo se sentou no chão mesmo e começara a comer dos sanduíches da mãe de Christopher, ou como ele a chamava, Tia Ama. 

Harry comia um pouco afastado afastado de Christopher, ele com certeza não tinha esquecido que o amigo iria se vingar dele. Harry comia um pouco assustado e a cada movimento que Christopher fazia Harry dava um pequeno pulo de onde estava sentado, o que fazia Christopher quase sorrir. Christopher não estava com raiva de Harry mas estava fingindo está para saber como o amigo iria reagir, aquilo fazia parte do seu "Plano de Vingança Contra Harry". 

Christopher não olhava para Harry e muito menos falava com ele, fingia que só havia ele naquele quarto, o que não demorou para Harry perceber o comportamento estranho de seu amigo. Harry tentou chamar a atenção do amigo fazendo várias coisas como: 

Jogando bolinha de papel - Fail 

Jogando canetas, lápis e borracha - Fail

Fazendo caretas - Fail

Tocando nele - Fail 

Falando sobre o seu trabalho - Fail 

Harry já estava ficando sem opção para chamar a atenção de Christopher, só havia uma que era ir falar com o amigo. Christopher estava deitado em sua cama de costas para Harry. A cama de Christopher ficava junto a parede e ele estava olhado para a parede, tentando ignorar o amigo. 

Harry seguiu até Christopher e assim tocou em sua pele com seus dedos gélidos fazendo que os pelos de Christopher se eriçarem e  dando um pequeno choque. Christopher sentindo o toque continuou imóvel, queria saber o que o amigo iria fazer. 

- Ei, cara. - Falou Harry agora segurando o braço de Christopher. - Você realmente não ficou com raiva né? Bem, eu sei que eu sentei nas suas costas mas eu não sou tão pesado. - Harry tinha razão, ele não era pesado mas as costas de Christopher realmente tinha ficado doídas mas agora já não estava mais. 

- Christopher você não vai ficar me ignorando, não é? - Ele insistia mas não recebia uma resposta. 

- Tá bom, tá bom, desc-

Antes que Harry terminasse a frase Christopher o impediu o puxando para a sua cama, o fazendo ficar deitado junto a ele. A cama de Christopher era de solteiro e Harry teria ficado entre Christopher e a parede. Harry tinha suas mãos entre o peitoral de Christopher e o olhava. Christopher tinha um sorriso nos lábios, Harry percebeu que aquele teatro todo era apenas uma mentira. Ele tinha planejado tudo aquilo. 

- Você não está com raiva?! - Harry perguntou mesmo sabendo da resposta.

- Claro que não, impossível ficar com raiva de um ser tão fofo quanto você. - Christopher disse sorrindo. 

- E-Ei... 

- Como eu disse Harry... Quando eu me soltar você vai se arrepender de ter feito isso. - Falou Christopher sussurrando. 

- Ei, ei, o que você vai fazer? - Harry tentou empurrar Christopher mas era inútil.

- Algo que faça você sentir dor e ao mesmo tempo vergonha de lembrar de algo assim, quero que todos vejam o que eu fiz, o que um homem fez com você. Você irá se sentir constrangido quando alguém perguntar "O que foi isso?" e eu vou está lá, sempre perto de você para ver qual resposta irá dar. - Christopher falava isso lentamente para que o amigo entendesse. 

( N/A: Calma, não é isso que vocês estão pensando...Talvez. ) 

Na mente de Harry vinha várias coisas impuras que o seu amigo poderia fazer com ele, aquilo deixava Harry muito constrangido por ter aqueles pensamentos. Mas o que ele poderia fazer? Seu amigo provocava aquilo, aqueles pensamentos impuros. Aquilo não só fez Harry pensar "coisas" mas também teria animado o amiguinho de Harry. 

Harry não acreditava que tinha ficado daquele jeito só por ter pensado tais coisas. Harry era hétero, pelo menos ele achava isso, mas na sabia explicar o motivo de ficar assim só por pensar aquilo. Era pra ele ficar daquele jeito quando imaginasse isso com uma garota. Harry pedia para que Christopher não aproximasse muito uma de suas pernas na direção entre as pernas de Harry. O que Christopher iria pensar? Iria pensar que o mesmo era gay e poderia até mesmo se afastar dele. Mas, pensado melhor, Christopher teria o beijado, se ele fosse homofóbico ele não teria feito tal coisa. 

Christopher aproximou seu rosto do de Harry e assim encarou bem aqueles olhos negros que parecia a noite, a escuridão que o qual Christopher se perdia nela de uma maneira que em ele sabia explicar. Muitas pessoas tinham medo do escuro, queriam distancia do escuro, mas Christopher queria se aproximar do escuro, queria se aproximar daquele escuro, a escuridão que tinha nos olhos de Harry. Aqueles olhos que Christopher se perdia tão facilmente. 

Christopher não fez muita cerimônia, selou seus lábios com os de Harry mais uma vez. Aquilo não foi que nem a da última vez, aquele "beijo" foi mais rápido, Christopher não queria que Harry sequer suspeitasse que ele gostava de garotos e era loucamente apaixonado por Harry, ele ão queria que ele soubesse, não agora. 

Christopher mordeu o lábio inferior de Harry, não foi uma mordida nada carinhosa. Christopher cada vez deixava o espaço que não tinha menor entre os dentes dele e o lábio róseo de Harry, o que fazia o amigo começar a se debater e esmurrar Christopher um pouco desajeitado para que ele soltasse o seu lábio. Quado Christopher achou que já estaria de um com estado, soltou o lábio de Harry com um sorriso no rosto. Inesperadamente, Christopher se aproximou mais de Harry e sem querer, levou uma de suas pernas para o meio das penas de Harry, sentindo algo um pouco mais diferente que o normal lá, o que fez Harry corar muito. 

- Eh? - Christopher perguntou, referindo-se ao que tinha acabado de sentir. 


Notas Finais


Então, é isso. Espero não ter ficado muito ruim... Desculpe os erro, não li de novo porque minha cabeça está doendo. Comentem, isso me incetiva a escrever.
Beijos de... mandioca? Estou sem ideias
( Nunca comi mandioca )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...