História For You, Baby - Jikook - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Fanfic, Jikook, Romance
Visualizações 97
Palavras 2.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sem mais nem menos, bora lá!

Capítulo 25 - Amor?


Fanfic / Fanfiction For You, Baby - Jikook - Capítulo 25 - Amor?

PARK

Não sei como consegui chegar em casa.

Apenas corri para meu quarto e fiquei andando em circulos, puxando os cabelos. Eu estava chorando contra minha vontade, era como se as lágrimas tivessem vida própria. 

Não. Não. Não. Kookie está enganado. Ele se enganou. 

Faz muito tempo sim, mas eu lembro da minha mãe, do quão doce era. 
            Me jogo na cama caindo de costas no colchão. Kookie apenas precisa de tempo. Logo ele vai se dá conta da confusão que criou em sua cabeça.

Tomo um banho e me sinto mais estável. Pego o celular para ligar pro Jin e saber do Jeon, quando ouço vozes lá embaixo e passos leves se aproximando da porta do meu quarto. Fico em alerta. A porta do meu quarto é escancarada, e estou pronto para xingar e expulsar quem quer que seja, quando um corpo feminino com cabelos pretos enormes se joga nos meus braços me fazendo cair na cama com ela por cima.

-JIMIN! - ela grita me fazendo fechar os olhos um pouco.

-Mel, saia de cima de mim! Essa pirralha nunca aprende! - mas estou sorrindo enquanto aquela garota de traços asiáticos e sangue estrangeiro me encara com o queixo apoiado no meu peito.

-JIMIN VOCÊ NÃO CRESCEU! - ela rir me zuando. Defeito de Mel: gritar muito.

-Mel, por favor, fale mais baixo, hun? Eu realmente estou com dor de cabeça. 

-Aish - ela reclama se levantando enquanto me mostra a lingua. - Que chato você. 

-Me desculpe, - me sento na cama - mas você me pegou em um péssimo dia.

Ela se senta ao meu lado passando um braço em meu pescoço.

-Posso ajudar em algo? - fica séria enquanto avalia meu rosto - Você realmente não parece nada bem. Acho que o lixo daqui tá com aparência melhor que você.

-Obrigado, Mel, você como sempre levantando o humor dos outros.

-Você sabe que minha boca não tem freio. Mas e então? O que aconteceu? Brigou com o tio de novo?

-Não me fala sobre meu pai. Não quero o ver por um longo tempo.

-Sinto lhe dizer, mas ele e o tio Johan estão lá embaixo.

-Merda. Vou ficar trancado aqui. 

-Até quando? Até suas férias acabar? Porque ouvir uma conversa dele e do tio Johan e pelo que entendi não vão sair tão cedo daqui. Parece que a pausa deles começou hoje.

-Aish... Vou pra casa do Tae.

-Me leva junto, quero matar a saudades dele. Ele já se acertou com o Hobi? 

-Mel - aigoo, tinha esquecido como tagarela é essa menina. Ela é apenas um ano mais velha que eu, mas odeia usar todos esses termos sociais aqui da coreia. - Noona...

Sou interrompido com um tapa bem forte na cabeça.

-Vou lhe chamar assim se você não se calar.

-Eu só quero saber do Tae e o Hobi! Caramba! 

-Eles continuam amigos, tá bom?

-Como assim amigos? Espera... vocês não contaram ao Tae? JIMIN VOCÊS SÃO UM BANDO DE IDIOTAS! QUE MERDA!

-Não é assunto nosso, Mel, e o Hobi-hyung mesmo nos pediu que deixasse assim.

-Felizmente a sensata dessa merda toda chegou, não é? Faço aqueles caras de bundas se acertarem em dois tempos! 

-Melissa, você não vai se meter na vida de ninguém. Será que nunca aprende?

Levo outro tapa.

-Mas que merd...

-Cala a boca que pelo que vejo, parece que sua vida também tá uma merda. Se eu não me meter na vida de vocês, vão permanecer três otários pelo resto da vida. 

-Nós três?

-Você, Tae e Hobi.

-Porque só nós? E os outros hyungs? 

-Felizmente Nam e Jin tem cérebro e sabem usar muito bem.

Xio com aquele comentário.

-Sei, vivem brigando por ai, terminando e voltando.

-Mas pelo menos eles sabem concertar os erros. Agora me diz logo que merda tá acontecendo com você.

-Vai cuidar da vida do Tae, estou bem.

-Ahan. Não sabia que aqui na Coreia essa expressão de lixo revirado por um cão de rua era "estar bem".

-Mel, só desce, por favor, sai do meu quarto.

-Cadê ele?

Parece que algo acendo dentro de mim, fico em alerta.

-Ele quem?

Ela me avalia depois sorri ladino.

-Ora ora... 

-Mel, não começa - a aviso. Sei muito bem quando ela coloca aquela expressão no rosto. Garota esperta irritante!

-Eu não sabia que você era gay, Jimin.

-Não sou.

Uma sobrancelha sua é levantada. 

-Bi?

-Não. Para com isso, ok? Você pode ir concertar a merda que quiser na vida do Tae, vai logo.

-Não, não, Jimin... Não mesmo. Tae pode esperar mais um pouco. Você, se eu não fizer algo, vai acabar virando um côcô de rato.

-Mas que merda de expressão é essa? Tá parecendo até o Yoongi.

-Minie é mais inteligente que todos vocês. Não mete ele na conversa.

Levanto as mãos em redenção.

-Não estou mais aqui.

-Então, Jimin. Onde ele está?

-Ele quem, Melissa? 

-Para de fingir de babaca. Você sabe, o Jeon.

-Não sei, porque eu deveria saber? Estamos de férias, esqueceu? - finjo uma expressão mais natural possível.

Levo outro tapa na cabeça.

-Para com isso!

-Você merece por tentar me fazer de alguma idiota! O que foi? Porque brigaram?

-Mel, como assim brigamos? 

-Jimin, para. Tá me irritando já! Você e seu namorado, porque brigaram?

-Que namorado? Garota você é louca, isso sim!

-JIMIN! - novamente meus ouvidos doem. - Pensa que não acompanho vocês pela mídia? Suas fãs não conhecem as verdadeiras expressões de vocês, mas eu conheço bem demais. Eu vejo a tensão entre vocês dois, eu vejo o olhar carinhoso, que, ressaltando, não é nada de irmão. Eu sei como você olha para seus hyungs. E, cara - ela abana o nada em minha direção com a mão - você tá realmente um lixo. Nunca te vi com esse olhar de cachorro que parece que vai ser castrado. 

-Seus pais sabem desse seu linguajar?

-Foi meu pai mesmo quem me ensinou e não mude de assunto.

Suspiro cansado. Conheço Mel demais para saber que ela é incansável quando quer algo.

-Tio Johan também me disse que você brigou com seu pai por ele - ela finalmente admite.

-A-rá! Eu sabia que você não tinha chegado nisso sozinha.

-Mas eu cheguei sim, tio Johan só me contou isso antes de eu subir pra cá. 

-Eu não posso te contar, Mel, é algo delicado. Ele está no Jin, só precisa de um tempo.

-Ou é você quem precisa?

Mel como sempre só me joga verdades. Ela tem razão, sou eu quem precisa de um tempo. Não sei quando ou como vou conseguir encarar o Kookie. Ele precisava de meu apoio e eu o abandonei. Eu quebrei minha promessa.

-É, parece que foi você quem fez a burrada. Coitado do garoto.

-Mel, para de se intrometer, você não sabe o que está acontecendo, é algo sério mesmo.

-Então me conta, droga! 

De repente Jin entra ali, sua expressão é de quem vai me matar, mas logo suaviza ao ver Mel.

-Melissa? Mel? Garota como você cresceu! 

-JIIIIIIIINNN! 

Ela se atira nos braços dele e os dois se abraçam sorridentes. Reviro os olhos ao olhar para Namjoon, que acabara de chegar ali também e agora olha para o Jin, abraçado na Mel, como se quisessem separar eles.

-NAM! - agora ela se joga nos braços dele.

-Olá, Mel!

Jin a puxa.

-Mel, não precisa cumprimentar abraçando, né.

Mel rir olhando para os dois.

-Seus ciumentos. Vocês não fazem meu tipo, sabem melhor que ninguém que meu tipo é um surfista. 

-Pensei que seu tipo era Yoongi - comenta Nam.

Ela revira os olhos.

-Porque vocês ainda continuam com isso, hein? Já disse que aquele beijo que dei no Minie foi apenas diversão e para irritá-lo. Mas então, como sabiam que estava aqui?

Então algo desperta Jin, o fazendo me olhar novamente como se estivesse pensando como me matar. Nam segura seu braço.

-Jin, deixa. Não vamos nos meter.

-Não, Nam. Se eu não cuidar do menino, quem vai? Ele aqui só tem a nós.

Aquilo atinge meu coração.

-Eu queria muito saber o que está acontecendo aqui - Mel não perde a oportunidade.

-O que acontece, Mel, é que esse - Jin me aponta um dedo e me envia um olhar mortal me fazendo encolher na cama - é um puta de um retardado! 

-Ah - a face dela se ilumina - Então eu estava certa, foi o Jimin quem fez merda.

-Sim, uma merda que papel higiênico nenhum no mundo vai dá conta.

Mel assovia.

-Uau, Jimin... Parece que temos um longo trabalho dessa vez. Não precisam me agradecer por chegar em boa hora.

-Péssima hora - murmuro irritado com todos aqueles olhares de reprovação - e pode voltar, não lhe dei permissão para opinar sobre minha vida.

-Querido Jimin, no momento, você não tem permissão nem de respirar. 

-E não tem mesmo - concorda Jin, que ainda está sendo contido pelo namorado, Nam. 

-Certo, quando alguém vai ser um anjo e me dizer o que foi que esse imbecil fez ao garoto lá? E eu o quero conhecer. Ele parece bem gostoso em vídeos e fotos.

-Mel, pensei que seu lance era surfistas, e Kookie não está disponível.

-Calma, Jimin. Apenas fiz uma observação da qual todo mundo acha.

-Vocês querem fazer o favor de se mandarem daqui?

-Não. Olha aqui seu moleque - Jin consegue se soltar e vem em minha direção pronto para me atacar. - Você vai me ouvir caladinho, eu não vou sair daqui antes de falar tudo que tenho pra dizer! 

E levo um puxão forte na orelha.

-Au, Jin-hyung!

-Agradeça por não cortar uma coisa sua ai, porque só não o faço em consideração ao JungKook que iria ficar sem o brinquedinho dele.

Eu sinto minhas bochechas esquentarem enquanto Mel gargalha e Namjoon tenta conter o riso.

-Ok, fale logo e se manda todo mundo. Eu preciso de paz!

-Aish, esse moleque nem para perguntar sobre o garoto...

Outra pontada no coração.

Então Jin me conta a mesma história que Jeon havia me contado. Cada palavra sobre aquilo, é uma facada no meu coração. Jeon não merecia aquilo, a pessoa que fez é um monstro. Só não entendo porque ele teima em dizer que foi minha mãe.

Mel está de olhos arregalados, Nam mantém uma expressão dolorosa. Jin parece que quer chorar e me matar ao mesmo tempo.

-Coitadinho... - a garota ali sussurra. 

-Então, desde então - continua Jin. - Ele tem pesadelos noturnos. Quando eu fui ficar um tempo com ele, quando o estavam treinando, acordava no meio da madrugada com gemidos dele, e quando chegava no quarto, o garoto chorava dormindo.

-Eu... Eu não sabia que eram assim - comento num fio de voz. - Eu nunca vi.

-Ele me disse que quando dorme com você, de alguma maneira os pesadelos somem - Jin comenta seco. Ele não tá nada feliz comigo.

Então lembro de quando me afastei dele, os pesadelos. Droga. Merda. Caralho! Por isso ele ficou tão doente. Não se alimentava direito e ainda não dormia direito. Eu sou um merda! Então lembro do seu delirio. Fecho os olhos.

-Ele quando estava delirando, falou algo como não o tocar... - murmuro.

-Sim, isso é outra consequência, Jimin. Kook também desenvolveu uma fobia a toques por estranhos. As vezes quando está muito sensível, nem de pessoas próximas ele deixa ser tocado. É como se o toque de alguém o queimasse, o causasse pânico.

-Esse garoto precisa de um tratamento. Que vida infeliz! 

-Mel, já tentamos, mas ele não respondeu e não quis depois de um tempo. Parece que infelizmente seu único remédio é o babaca ai.

-Onde ele está? - pergunto me sentido culpado por tê-lo deixado só.

-Não te interessa. Você precisa resolver primeira essa merda com sua mãe, e só depois te falo para onde ele foi.

-Como assim para onde ele foi? - me levanto assustado.

-Ele não está mais em Seul.

Pânico. É isso que sinto. JungKook está longe, muito longe de mim?

-Você precisa ir conversar com sua mãe, Jimin - continua Jin.

-Eu não vou falar nada para minha mãe, hyung! Sabe o quanto isso vai magoa-la? 

Jin rir sem humor.

-Eu não acredito no que estou ouvindo! Nam, diga alguma coisa!

-Jimin, cara, você está errando feio. Se sua mãe não deve nada, ela vai entender a questão da conversa.

-Não deve minha bunda! - Mel finalmente se anuncia na conversa.

-Tava demorando... - resmungo.

-Jimin - então ela pega minha orelha e me levanta. Droga de garota! 

-Ai Melissa, isso dói!

-Dói coisa nenhuma, Park! - Merda. Agora ela realmente está furiosa. - Dói é o coração e a cabeça do garoto do qual se você o amasse, acreditaria nele, ou pelo menos teria ido falar com a "mamãezinha" bondosa.

-Amasse? - me indigno. - Eu amo sim! 

-Ama? - ela solta minha orelha e eu a esfrego tentando amenizar a dor. - Que merda de amor é esse, Jimin? Uma mulher que te abandona sem explicações. Não te manda porcaria nem de cartas, nem telefonemas! E de repente aparece se fazendo de boazinha para conseguir dinheiro do filhinho, agora rico, e porque o macho dela está devendo à traficantes e seu pai deixou de dá dinheiro pra ela, então você faz o que? Dá a costa ao garoto que ficou do seu lado em todos os momentos de sua vida, tudo bem que não muito por ter entrado a pouco tempo, mas se dedicou de corpo e alma te adorando, pelo que tio Johan me falou. Um garoto que só tem 20 anos! Que está enfrentando desde os 11 uma puta de uma carga emocional abalada e outras merdas juntos, mas que deixa de lado como se não fosse nada só para te ver feliz. Desculpe, Jimin, mas se isso é amor, eu prefiro apenas umas fodas sem compromissos mesmo.

Jin e Nam estão paralisados de boca abertas. Eu senti cada palavra sua como uma pedrada em minha alma. 

-Eu... 

-Você sabe tanto que tá errado que não sabe nem o que dizer, Park Jimin - continua ela.

...porque o macho dela está devendo à traficantes.

-Como assim o macho dela, Melissa? Porque de repente vocês resolvem difamar minha mãe? Ela errou em sumir? Sim, mas ela teve seus motivos. 

Mel rir e sua risada me causam arrepios na espinha.

-Sim, que grande mulher não? Tadinha dela, hein, Jimin. Não quis vir embora com o marido e filho porque preferiu o amante de Busan. Porque preferiu um viciado, gigolô barato, ao filhinho precioso dela e o marido que queria dá o melhor para ela.

-Do que você está falando, Melissa? Você nem a conhece! Como ousa inventar isso? 

-Você ou é burro, ou se faz viu? Quer saber a verdade? Vai falar com seu pai. Ou com o tio Johan. 

Saio do quarto sendo arrastado por um Jin insistente. 

-O que quer, Park - meu pai pergunta quando entro no escritório ao ser empurrado pelo Namjoon. 

-Eu... - o que estou fazendo aqui? Porque estou dando ouvidos a Melissa, ela nem convive com a gente.

Dou meia volta pronto para sair. Meu pai está olhando alguns papeis em sua mesa, Johan está em uma cadeira na sua frente me avaliando enquanto finge ler algum documento. 

-Ela foi te procurar, não é - a voz baixa de meu pai me faz parar na porta. 

- O quê? - retorno para sua frente, ao lado do Johan.

-Mari AH - meu pai me encara enquanto diz o nome de minha mãe.

-C-como...

-Eu mantenho uma pessoa de confiança a vigiando de longe, Jimin.

Jimin. 

-Então é verdade? Você a ameaça?

-Sim - responde tranquilamente. - Mas parece que agora ela perdeu a linha de raciocinio já que foi te procurar. 

-O senhor não se atreva a tocar nela, pai!

-Eu acho que está na hora dele saber a verdade - Johan fala pro meu pai. - Eu te disse que era para ter feito isso desde que vieram, uma hora isso ia acontecer.

-Certo, Johan, você tem razão.

-Que verdade? Que você tem ou teve uma amante?

Meu pai rir.

-Foi isso que ela inventou? Sente, Jimin, preciso lhe contar o que realmente aconteceu naquele tempo.

 

 


Notas Finais


Por hoje é isso, gente!

Acho que faltam uns 3/4 capitulos só.

Talvez eu poste "O irmão gêmeo da minha esposa" (Jikook) (O Jk é seme e Jm é uke) quando eu terminar de postar essa.
Ainda estou pensando sobre isso.

Eu amo muito a Mel <3 Essa garota só me dá orgulho! :)

Se amanhã/hoje for feriado, para vocês, como é para mim, então que tenham um ótimo feriado!
E boa sorte com os tiros que a Big Hit nos dá!

>Vou tentar postar um ou dois amanhã.<

>Se não estivesse com tanto sono, postaria mais um agora< :(

xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...