História For You -Camren - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Drama, Família, Romance
Exibições 283
Palavras 2.558
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!
Qualquer erro ortográfico, perdoem!
2/2

Capítulo 20 - Quem é você?


Pov Lauren

Uma semana depois

Uma semana que eu não saio do quarto, estão me ajudando a cuidar do Henri, uma semana que não vejo a Camz, uma semana que não sei como ela está, que não sinto o gélido dos seus dedos e seu coração fraco bater, uma semana que eu não consigo cuidar do meu filho direito, uma semana que eu me fechei mais ainda, e sentindo a pior, eu precisava desse tempo pra quando a Camz acordar eu estar lá, mesmo ela me mandando embora, ou me magoando de novo ou me rejeitando quando eu tiver meu magnífico impulso de abraçá-la e beijar ela quando ela abrir os olhinhos. Não falei com keana, meu celular está no modo avião, fico velando o sono do Henri a noite toda e o dia todo só o levam quando ele precisa comer, não sei se levam pra keana, não sei o que fazem. Chorei, não comi, devo ter emagrecido, mas hoje eu mudaria, eu não iria mais sofrer por keana ter me mandado embora sem eu nem saber o que tinha feito, por simplesmente tratar o “nós” como Camila fez depois de tempos juntas, hoje eu voltaria pro hospital, hoje eu visitaria a camz, hoje eu levaria meu filho a praça para pegar um sol, trataria keana como qualquer funcionário, ela nunca deveria ter saído do profissional, eu não sou a magnífica Lauren Jauregui que dizem na mídia. Eu sou um caco, uma pessoa estilhaçada. O que tem de errado com as pessoas? Ou sou eu que não me adaptei a esse mundo?! Porque eu só queria dar e receber amor, as pessoas não fazem questão disso? Levantei era oito da manhã, tomei um banho, fiz uma maquiagem mais reforçada para tapar minhas enormes olheiras, destaque meus olhos murchos sem brilho, vesti uma calça branca mais larga, camisa social alongada azul bebê, coloquei um óculos preto rayban, um adidas todo branco. Passei perfume, assim que terminei escuto o choro do meu filho, sorrio e deixo meu óculos e meu celular em cima do criado mudo, limpei ele, banhei meu campeão, ele logo logo faria um mês, ele estava crescendo, vesti uma calça branca e uma camisa azul bebê nele, sim, igual a mim, comprei até um adidas igual o meu pra ele, na verdade eu encomendei na fábrica porque olha o tamanho do pé dele né?! Minúsculo, os sapatinhos dele dá pra fazer chaveiro .. coloquei duas trocas de roupa na bolsa dele, fralda, chá para cólica que ele começou a ter, acredita?! Geralmente tem não é quando é bem bebê?! Ele vai fazer um mês e começou a ter agora. Mesmo eu sendo médica não faço ideia disso, sou uma péssima papi, mas enfim, terminei de arrumar a bolsa dele, tirei meu celular do modo avião e chegou notificação de muitas ligações e mensagens, só apaguei nem vi de quem eram. Peguei meu óculos coloquei na cabeça, peguei a cadeirinha do Henri com ele dentro, a bolsas e sai do quarto, acho que não tinha ninguém em casa mais. Desci até a cozinha e mamãe estava lá, tomando seu chá.

-Bom dia dona clara. -ela sorri largo.

-e esses meus amores iguais? Estão lindos. Vai visitar a Mila hoje?! -apenas afirmei com a cabeça e ela pegou Henri, fui pegar um fruta e lembrei da minha Camz, todo café da manhã ela comia uma banana antes de comer qualquer coisa e antes de dormir ela comia uma também. -Sorri lembrando dela.. acabei pegando uma banana pra comer só por causa dela, fez 3 meses no meio dessa semana que ela não se mexe, não fala, não está completamente viva. Olho pra minha mãe e ela está com uma mamadeira dando pro Henri.

-Onde arrumou leite? -perguntei mordendo a banana e olhando pra ela.

-Dinah traz todo dia alguns ML de leite pra ele. -saquei. Todos devem saber da minha semana de reclusão. Tentei seguir em frente mas não sou capaz, não sei lidar com as pessoas, sei que keana teve os motivos dela, abandono para uma criança é pior que ela perder os pais, ela ser abandonada causa mais danos no psicológico da criança do que quando seus pais simplesmente morrem, ele é muito inteligente e pelo que Will me disse sobre não ter um papai ele entende e muito disso, e porque ele teria uma psicóloga daquele tamanho?! Mas ela me expulsar daquele jeito doeu porque eu já estava frágil, só que agora eu vou voltar a viver pra Camz, se ela me jogar no precipício outra vez aí sim eu não terei forças pra sair de lá.

-estou morrendo de saudade da Camz.. de sentir ela fria, sentir ela respirar fracamente, sentir seu coração bater devagar, acima de tudo sinto falta do olhar de amor dela, dos beijos carinhosos, dos abraços calorosos, da risada mais perfeita quando eu falava algo idiota ou quando ela amava que eu beijasse seu corpo, mas essa saudade vai ser pra sempre não é mesmo?! A minha Camz a não é mais a mesma, já não é mais minha. Eu realmente falei sério quando disse que queria conquistar ela de novo, mas pensa.. ela acorda e eu idiota vou me emocionar e vou abraçar ela, e ela fazer como da última vez… isso seca meu ser. Isso dói amargamente, me estilhaça de novo… como se fosse possível fazer isso outra vez… -sussurro a última parte com lágrimas os olhos e minha mãe com a cabeça baixa..

  //

Cheguei no hospital, fui ao encontro de Ally, chego em sua sala e esta ela e Dinah conversando.

-Lauren? -as duas diz juntas, coloco à cadeirinha do Henri com ele dentro em cima da poltrona da sala de Ally e Dinah me puxa pra um abraço de urso.

-É incrível como você é forte Laur, admiro tanto você. -ela nem sabe o tanto que sou forte, pois me sinto o Huck as vezes, como sou forte. Uau.. é incrível a minha força, vou até rir internamente hahahaha.. sorrio pra ela sem mostrar os dentes e abraço Ally.

-Laur, hoje eu queria que você levasse o Henri na sua visita, pelo menos meia hora depois deixo você ficar á sós com ela mais tempo. O que você acha?

  //

Entrei no quarto da Camz e ela estava como todas as vezes que a vi. Ficamos meia hora, como uma família, mesmo ela não se mexendo, me permitir imaginar o Henri a chamando de mamãe, e a mim de papi, me permitir chorar, como eu sentia saudade dela… isso me corroía, E Henri ficou tão calmo quando o coloquei de bruços sobre ela, foi incrivelmente lindo a ligação, ele estava dormindo mas sorriu, e ficou quietinho deitado nela, não quis voltar, precisava de um ar, deixei tudo do Henri com a Dj e Ally. Estava passando pela recepção e escuto chamarem meu nome, olho e vejo a secretária atrás do balcão da recepção acenando, cheguei até lá ainda confusa com isso.

-querem falar com você, disseram que é urgente, Emily alguma coisa, posso mandar ligar depois se a senhorita quiser- Emily, Emily, Emily… fiquei repetindo isso na minha cabeça alguns segundos, e veio como um estalo… a babá do Will.

-me da aqui. -dei a volta no balcão e peguei o telefone rapidamente.

Ligação ON

-Oi? Quem fala? -perguntei pra ter certeza mesmo se era ela.

-Lauren, graças, pelo amor de Deus vê se acha keana, Will vomitou duas vezes e não está muito bem, eu não faço ideia do que fazer, como vou com ele até aí, keana não me atende, Lauren por favor faz alguma coisa estou desesperada.

-Ei, fica calma okay? Tenta deixá-la quentinho, sem cheiros forte perto, estou indo buscar vocês certo?! Se acalma que Chego aí em 5 min. -o apê de keana é bem perto do hospital então.. desliguei o telefone.

Ligação Off

Sai correndo pra ir ate meu carro, pisei fundo, rapidamente cheguei lá. Teria que ter avisado keana, mas primeiro que não daria tempo de eu achar ela e até eu vir aqui ou alguém vir pra leva-lo ao hospital demoraria mais e precisamos saber imediatamente o que ele tem e o que está causando os vômitos, subi até o andar deles e entrei, fui até o quartinho dele e ele estava pálido, um semblante cansado, falei com Emily, ela me explicou o que tinha feito naquele dia e depois ele ficou assim, Pedi pra ela arrumar umas roupinhas dele que iríamos para o hospital, ele sorriu tão lindo quando me viu, mas logo vi que ele queria vomitar outra vez, o segurei sobre um baldinho que estava ali, ele fez muito vômito porém não saía nada, até que vi um líquido verde escorrer de sua garganta até o balde, pelo odor deduzi que tinha tempo desde que ele tivesse ingerido sei la o que, o odor se formou misturando o líquido com o suco gástrico tentando digeri-lo e provavelmente ficou podre em seu estômago, ele precisa de uma lavagem estomacal urgentemente e soro com vitaminas para fortalecer seu organismo novamente.

Chegamos ao hospital, já tinha examinado ele mesmo, levei rapidamente para sala de lavagem estomacal, e contei ao médico responsável, peguei uma amostra do líquido verde que ele teria ingerido, para avaliarmos e descobrirmos o que era.

  //

Em seu quarto já, com soro, eu conversava com ele..

-Voxê me xalvou titia Lou, obigado, voxê tilou aquela dozinha ti mim… -esse jeito embolado dele falar as palavras é tão lindo, quero que o Henri cresça logo.

-A tia Lou é médica meu amor, eu tenho que fazer de tudo pra tirar a dorzinha das pessoas. -ele sorri, mas fica me olhando sério enquanto faço carinho em sua cabeça, logo vejo seus olhinhos começando a lacrimejar..

-Voxê me deixou tia Lou, a mamãe cholou, eu cholei também, cholei condido da mamãe pá ela não biga comigo. -senti uma dor horrível no peito.

-Eu não deixei você meu príncipe, a tia Lou ficou machucada, o coração da titia foi machucado, sua mamãe me mandou embora aquele dia, e a titia ficou muito triste, mas eu não deixei você ta bom?! Até porque estou aqui agora com você cuidando de você. -ele parece não ter ficado satisfeito com isso, acho que ele ainda queria aquela pergunta respondida. -quero te pedir uma coisa.

-Pode falar titia Lou. -fala tristonho, ele deve querer a mãe dele, vou mandar chamá-la e explicar o que aconteceu com ele.

-não me chama de titia, chamade dinda, dindinha ou madrinha significa segunda mãe, você tem a mamãe keana, e a dindinha Lou, me entendeu? -ele sorriu largamente

-então voxê vai ser minha xigunda mamãe? -sorri com isso peguei amor a esse garotinho.

-Sim, mas chama de dinda pra mamãe sua não brigar com a gente e machucar o meu coração outra vez tá bom?! -ele parece não ter entendido, merda ele é uma criança Lauren, não vai entender de mágoa e decepção. -chama só ela de mamãe, porque se você me chamar assim ela vai ficar com ciúme -ele sorri agora sim entendeu.

-tudo bem dindinha Lou, agola pode chamar minha mamãe numelo um? -senti uma vontade de chorar, não vou decepcionar essa criança. Ele não merece, vou estar com ele sempre que ele precisar. Antes que eu pudesse levantar a porta é aberta ferozmente.

-como você foi capaz de ir na minha casa, buscar o meu filho e fazer lavagem estomacal nele sem os meus consentimentos Drª Jauregui? -formalidade?! Ótimo, era tudo que eu precisava para tirar coragem e a tratar como tal.

-Senhorita Issartel, seu filho ingeriu uma pequena quantidade de desinfetante, mas o bastante para causar uma leve intoxicação alimentar, ele se desidratou por vomitar três vezes e resolvemos aplicar soro diretamente na veia com vitaminas para seu corpo se restabelecer e fortalecer o suficiente quanto, ou até mais que antes. Alguma pergunta? -agi como médica ignorando total o histerismo dela. Eu já estava de pé com a prancheta dele em mãos, estava de jaleco também estava acompanhando o caso dele mesmo não trabalhando de vez desde o acidente.

-Mamãe não biga com a dindinha Lou, ela tilou a dozinha ti mim-ele aponta s barriguinha dele com a maozinha- fala obigado pá ela fala mamaxinha… -que manha mais gostosa a dele, que bico mais lindo, quando dei por mim ja estava rindo, percebi keana me olhar de canto de olho.

-dinda? -apenas assenti pra ele e fui rumo a porta.

-é mamãe, dindinha é ota mamãe minha, voxe é minha mamãe e ela minha dindinha ou seja…-olho pra ele e ele tá gesticulando como gente grande explicando umas coisa muito importante- segunda mamãe, maisi ela dixe que é pá mim -apontou o dedinho pro próprio peito -chamar xo voxê de mamãe pá voxê não fica xiume da genti. -sorri largamente, ele é incrível. Abri a porta pra sair, meus olhos se encheram, pensei em Heri quando tiver desse tamanho, pensei quando eu iria explicar isso a ele de ter duas mamães ou se vou ter a chance de explicar isso a ele e ter ele como conversado assim..

-Lauren.. -respirei fundo e olhei pra ela.

-Tenha um bom dia senhorita Issartel, melhoras para o seu pequeno, qualquer coisa podem me chamar..

-Lauren me ouve…

-Com licença senhoritas, tchau príncipe.

-tchau didinha, obigado ti novo. -sorri pra ele e sai. Desmoronei assim que fechei a porta, fui pro quarto da Camz só precisava dela enquanto ela não poderia me rejeitar de novo, depois voltaria com meu filho, não me interessa mais ninguém, mesmo ela pisando em todo o amor que eu tenho eu não sou capaz de ficar longe dela, eu vou estar com ela mais do que tudo. De jaleco e tudo fui pro quarto dela, cheguei lá fechei a porta e deitei sobre ela de lado, a abracei como pude e o mais forte que foi possível daquele jeito desengonçado.

-Eu te amo tanto, e desculpa por ter tentado seguir em frente, você não pode me deixar, eu sou capaz só de te amar minha Camz, volta pra mim, pela gente, pelo nosso filho, eu amo por nós duas mas seja minha, vamos construir uma família por favor, por favor vida… lembra quando me chamou assim antes da batida? Eu sei que ainda me ama, eu te perdôo por tudo eu só quero que você acorde... -fiquei suplicando pra ela voltar pra mim, dizendo como eu a amava, chorando, ate que peguei no sono. Senti uma mão nas minhas costas, droga, já vieram me tirar daqui, mas nao sei quanto tempo dormi então.. Abri os olhos e olhei pra trás não vi ninguém, merda, vou ter que levantar, apoiei meu braço ao lado da Camz pra levantar mas percebi que, ela estava mais quente, sua respiração não estava tão leve, olhei rapidamente pra ela e seus olhos estavam abertos, uma expressão confusa, lágrimas imediatamente desceram, minha respiração se alterou de forma incrivelmente rápida, meu coração parecia sair pela boca, por segundos eternos o silêncio permaneceu.

-Camz? Meu Deus… -beijei seus lábios por uns segundos, de início ela ficou parada mas logo correspondeu só que me afastei temendo uma tapa na cara, temendo ela me rejeitar, mas ela sorriu e ela correspondeu ao beijo..

-seu beijo é muito bom - ela fala, sua voz roupa, sua garganta parece seca, mas minha Camz estava de volta, sorri largo, lágrimas desciam sem pudor algum, até que ela se pronuncia novamente- mas eu não faço ideia de quem é você. Quem é você?


Notas Finais


Lauren tão fofa com o baby 😍😍😍
E.. COMO ASSIM "EU NÃO FAÇO IDEIA QUEM É VOCE" ??????
FUDEEEEU BONITO...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...