História For you -Camren - Capítulo 103


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 861
Palavras 2.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Encontro na Fátima Bernardes. Desculpa não resisti 😂😂😂😂😂😂😂
APARECIIII PORQUE EU SOU A AUTORA MAIS LEGAL. NAO SOU? (quem concordar aí, me avisa que vou mandar o que combinamos 💰🙄😂)
Boa leitura
Qualquer erro...

Capítulo 103 - Encontro


Pov Valerie Turner - Especial

Toquei a campainha e fiquei esperando, uma senhora muito bonita e bem arrumada abriu a porta com cara de que não era pra ela fazer isso… sorri.

-Boa noite senhora, Belinda está? -digo e ela me seca de cima a baixo.

-está… você é? -disse ainda mantendo sua pose de superioridade.

-Mamãe? Oh… Oi Valerie -suspirei aliviada por ela aparecer e me salvar -ahn… Valerie essa é minha mãe -fez uma careta -mamãe essa é Valerie Jauregui. -disse e a mulher sorriu de lado.

-É um prazer Srtª Jauregui -disse educada e eu sorri meio sem graça assentindo.

-O prazer é todo meu Srª Walker -digo e ela sorriu ainda superior.

-ok, vamos. Tchau mamãe -disse Belinda e me puxou pela mão saindo dali, não consegui prender o riso. -Eu sei exatamente o que está pensando, ela está de saída, não iria adivinhar que ela iria aparecer na porta. -disse, eu continuei rindo e ela parou no meio do gramado e se virou.

-Tudo bem vai… não vou zoar -digo e ela acabou rindo. -então.. vamos? -digo e ela assentiu, me aproximei e coloquei a mão nas suas costas a guiando até o carro da minha mãe. Abri a porta pra ela e rapidamente dei a volta olhando no GPS o endereço do restaurante que a mãe Camila mandou, mãe Lo disse pra eu pagar com o cartão dela, bom, não vou fazer desfeita, obrigada. Assim que chego em frente notei ser um restaurante sofisticado e elegante, ainda bem que estou vestida apropriada, o manobrista veio e eu sai o deixando estacionar meu carro, dei a volta e estendi meu braço a Belinda que sorriu entrelaçando o seu ao meu, meu celular vibrou, o peguei rapidamente.

Mamãe: A reserva está no seu nome, Valerie Jauregui, haha, boa foda… ops, bom jantar, meu amor…

Comecei a rir e guardei meu celular.

-Minha mãe é maluca -digo e Belinda riu, entramos e o Maitre simpático sorriu pra nós. -Valerie Jauregui -digo e ele olhou em seu tablet rapidamente sorrindo e pedindo para acompanharmos ele, ainda bem que tenho minhas mães, nem saberia chegar até aqui, e pelo visto, Belinda é uma patricinha, elas acertaram. Nos sentamos após eu puxar a cadeira pra ela, ele nos deixou os cardápios e saiu, demos uma olhada ainda em silêncio.

-Você é sempre assim? Todas devem morrer de amores por você -disse divertida quebrando aquele silêncio chato que tava desde que saímos e eu ri.

-na verdade eu me mudei tem pouco tempo e… -pigarreei -namorava. Mas enfim -digo sem muita emoção.

-me desculpa. -disse constrangida.

-não peça… e não, não sou uma... vagabunda -sussurrei a fazendo rir.

-bom pra mim. -disse ainda divertida e rimos.

-as senhoritas escolheram? -olhei Belinda que assentiu, esperei ela pedir sua entrada e seu prato principal logo após e eu falei o meu. -o que vão tomar? -fiz careta e olhei Belinda ela riu entendendo.

-ahn… um suco natural de abacaxi com hortelã. -a olhei e sorri de lado.

-o mesmo pra mim -digo e o garçom logo saiu.

-prometo ainda ser mais adulta mas publicamente realmente não deixariam eu pedir vinho -digo e ela riu.

-Esta perfeito assim Valerie -disse e eu assenti. -ok, jogo do conhecimento, quantos anos? -disse e eu ri.

-17 -sorri amarelo e ela riu -e você? -ela mordeu o lábio inferior.

-19 -disse e eu assenti -porque procurei Valerie Jauregui no Instagram e não achei? -disse corada e eu a olhei suspirando..

-ahn... é Valerie Turner. -ela franziu o cenho -é uma longa história, não sou filha da Lauren e da Camila, meus pais são de Nova York, Spencer e Franklin Turner, mas…

-espera… Spencer Turner? Oh meu Deus… sua mãe é a minha atriz favorita? Não… Valerie não me diga… -disse empolgada e eu ri fazendo uma careta.

-Se estivermos falando da mesma Spencer -digo meio sem jeito e ela riu empolgada mas logo seu sorriso sumiu e sua expressão ficou “assustada/chocada"

-você… oh meu Deus… -ficou me olhando assim e eu não sabia direito como reagir.-Você é Valerie Turner, filha da Spencer, como eu não reconheci? Eu bem vi que você parecia muito com alguém que eu conhecia. Ok, me desculpa.. é que eu sou muito fã dela. Me desculpa -disse sem graça e eu assenti sorrindo de lado meio forçado.

-tudo bem… ahn… você faz algo além de hipismo? -perguntei mudando de assunto e ela riu ainda meio sem graça.

-eu faço direito na MU -Miami University é uma ótima universidade. Ela só não parece contente com isso.

-temos uma futura advogada aqui então? -pergunto divertida e ela riu fraco.

-juíza, como meu pai. Tradição Walker -disse sem nenhum entusiasmo.

-porque não parece feliz? -ela suspirou, a entrada chegou e começamos a revezar entre comer e conversar.

-porque talvez eu não esteja, meu sonho é salvar vidas, ser diferente no mundo da medicina como sua mãe -disse me pegando de surpresa -elas tão novas fizeram algo revolucionário e… isso que eu sempre sonhei, não.. decidir se acredito em advogados bem pagos e mentirosos. -disse e eu suspirei mastigando e engolindo o que estava em minha boca.

-bom, você também irá salvar vidas, irá decidir se essa gente que paga os mentirosos para defendê-los irão escapar ou se impede de alguém ser condenado injustamente. Não deixe ser comprada como acontece, meu pai é o típico homem que acha ser dono do mundo e tudo se resolve com a porcentagem enorme de dinheiro que ele tem. Talvez seja ruim agora mas… você pode revolucionar sendo apenas você, não importa a carreira. -digo e ela sorriu largo me olhando…

-porque você é tão incrível? -disse e eu corei -e linda -sussurrou me fazendo ficar com mais vergonha ainda… passando esse momento vergonha, continuamos conversando e comendo, o assunto foi pra algo mais divertido e engraçado, ela realmente me fez esquecer a dor que eu estava sentindo nesses dias..  

O jantar chegou ao fim, ela ficou griladinha quando eu disse firme que iria pagar, paguei e saí do estabelecimento, a encontrei do lado de fora com uma carranca emburrada e os braços cruzados, comecei a rir e a abracei por trás.

-Estou vendo um bico aí, que mimada -digo e ela acabou rindo e se virou abraçando meu pescoço e colocando seu rosto ali.

-não sou mimada. -disse abafado me arrepiando e eu a apertei em meus braços sorrindo. Vi o manobrista com meu carro.

-vamos? -pergunto e ela se afasta me olhando, percebi seu olhar vacilar entre meus olhos e boca... congelei. Sinto ela me soltar e pegar em minha mão entrelaçando nossos dedos, fazia um belo encaixe, mas não tinha nada demais ali, não era nada demais, não causava tudo o que já senti com ela suspirei e abri a porta do carro pra ela e dei uma gorjeta com umas notas que eu tinha no bolso pro carinha que sorriu largo agradecendo e eu entrei no carro saindo dali.

-a nao… -murmurou e eu a olhei rapidamente voltando minha atenção pra estrada -meus pais não vão estar em casa e minha irmã deve estar com o namorado ou as amigas indo pra balada. -disse emburrada e eu ri -não ria da tragédia alheia Turner -disse eu me forcei a parar de rir porém ela riu. Andamos mais uns minutos até que paramos no semáforo, estava um silêncio agradável. -Eu não disse? Olha ali -apontou e eu me aproximei mais do seu lado para olhar o estabelecimento bem aberto com o nome destacado em cima da porta principal “Imperial Beer” -Aquela loira tingida perto do moreno de camisa branca naquela mesa ali, tá vendo? -disse e eu tentei achar porém o que eu olhei foi outra coisa… meu coração começou a bater rápido, meus olhos se encheram… o ar faltou em meus pulmões. Eu.não.vou.chorar. disse com raiva, o sinal ainda estava no amarelo, acelerei rápido saindo dali, o barulho ecoou pela rua e apertei o volante com raiva, garota estúpida, ela realmente tá com ele não é?! Maldita…

-Valerie o que houve? Cuidado... -disse Belinda assustada até que parei em frente a sua casa, foi rápido porque realmente já estávamos perto e olhei pra ela. -você está bem? Esta vermelha -disse pegando em meu rosto assustada.

-Eu… -bufei batendo no volante a fazendo recuar com medo. Ficamos em silêncio e eu respirando fundo. -me desculpa -digo baixinho obrigando a raiva se esvair, ela não tem culpa.

-você viu alguém lá não foi? -disse me olhando seria. Engoli seco.

-É complicado -digo e ela assentiu.

-entra comigo? Me conta o que houve? Não vou te deixar ir embora assim. -disse preocupada acariciando meu rosto e eu sorri de lado

-tudo bem… -digo e ela sorriu, puxei sua mão em minha bochecha e beijei a palma olhando seus olhos lindos, estava escuro mas a luz da rua iluminava parcialmente dentro do carro. -espera um minuto -digo saindo do carro e dando a volta, abri a porta e estendi a mão. Ela rapidamente pegou entrelaçando nossos dedos e ativei o alarme indo pra dentro a sua casa, subimos as escadas e eu estava nervosa, por certamente estarmos indo pro seu quarto. Acertei. Entramos e ela fechou a porta.

-vem… me conta o que houve -me puxou pra cama de casal dela, seu quarto era a cara dela, delicado e organizado, ela tira seus saltos e sobe na cama, tirei meus sapatos e subi também, me encostei na cabeceira e ela deitou em meu peito, típico casal Tumblr, ri fraco com isso. -me diz vai -disse baixinho e eu suspirei, ela me olhou ficando centímetros do meu rosto.

-eu não disse mas, você está linda hoje -digo e ela sorriu envergonhada -você é linda, mas hoje está maravilhosa -digo elogiando-a e ela escondeu o rosto em meu pescoço.

-mais linda que você eu não sou -disse sussurrando me causado arrepiou, puxei levemente seu rosto fazendo-a me olhar e rocei nossos narizes, ~a vida precisa seguir Valerie~, meu subconsciente dizia, a razão dizia, então… a beijei, colando lentamente nossos lábios, ela me beijou de volta e minha mão em suas costas subiram um pouco, sua mão que estava em minha cintura subiu para meu pescoço, pedi passagem pra minha língua adentrar sua boca e ela permitiu, nos beijamos lentamente e docemente, ela é perfeita, linda, doce, educada, engraçada e fofa. ~se permita Valerie~ minha razão outra vez dizia, a puxei mais pra mim fazendo-a se deitar, literalmente, em cima de mim, suas mãos ficaram em meu pescoço e rosto, e minhas mãos em sua cintura e coxa, exposta devido seu vestido curto ter subido, comecei a esquentar sentindo seu corpo em cima do meu e seus beijos, mas tudo que é bom dura pouco, eu preciso respirar, nos separei mordendo seu lábio inferior e dando-lhe um selinho, abri os olhos olhando-a, ela sorria com os olhos fechados. Ela se afastou minimamente e ficamos nos olhando, até que ela sorriu desviando o olhar. -nao vai me dizer quem te deixou brava daquele jeito? -suspirei -quem você viu em frente a imperial Valerie? -disse docemente me encarando.

-Sofia e o novo grupinho dela. -ela franziu o cenho.

-sua ex? -suspirei e assenti.

-olha, deixa ela pra lá, ainda é nosso primeiro encontro -digo e ela riu

-me conta.. me diz porque ficou com raiva… nunca gostei muito do clichê de encontros. -disse me fazendo rir.

-ahn… resumindo? -ela negou e eu suspirei.

-só não vale chorar, você está comigo agora -disse séria mas logo riu me fazendo rir também… comecei a falar sobre Sofia, que iríamos fazer seis meses de namoro mas daí ela começou a seguir outro rumo e a esquecer totalmente da minha existência, contei até o dia que terminamos depois disse divertida sobre minhas mães me dizerem pra sair com alguém e eu ter encontrado Belinda. Ela me ouviu quieta, ria ou fazia algumas caretas engraçadas mas não me interrompeu… e logo em seguida contei que a vi nos braços do bonitão do time ao lado das amigas e seus ficantes, ela não parecia muito feliz, suas roupas estavam mais curtas do que eu me lembro que ela usava-sim, eu reparei porque ela estava de pé- mas mesmo assim estava lá...

-... é isso.. agora estou aqui olhando pra uma garota linda e sexy em cima de mim enquanto conto do término trágico do meu primeiro namoro -digo e rimos

-posso falar uma coisa? -assenti e ela riu -que vaca, Valerie. Quem em sã consciência troca você? -sorri de lado -é sério, você é tudo que qualquer garota deseja. -meu riso morreu, desviei o olhar -você é um príncipe, ou princesa, enfim, entendeu né? -assenti ainda vagando e seria. -você deveria te ver como realmente é -disse após uns segundos em silêncio e eu a olhei -tá na cara que se afundou por ser diferente e não acorda para todas as suas qualidades. Se ela não foi capaz de realmente se apaixonar por você nesse tempo de vocês juntas, ela não merece nem sua atenção… -ri sem humor negando com a cabeça -Olha pra mim -olhei e ela fez um carinho em meu rosto -é ridículo eu dizer isso mas, eu te conheci hoje e já me sinto completamente apaixonada por você -disse risonha e eu acabei rindo, ela puxou meu rosto beijando minha boca demoradamente -você é incrível demais pra ficar ligando para esse tipo de coisa. -disse e eu realmente acreditei em suas palavras… pareceram tão sinceras… subi mais minhas mãos em suas coxas…

-É por isso que tá caidinha -digo rindo de lado e ela revirou os olhos.

-já começou a ser cafajeste -disse e eu ri.

-não sou cafajeste e não estou, só sou incrível, você que disse -digo tentando fazer o clima ficar mais descontraído.

-não disse não -disse e mordeu o lábio inferior tentando conter o riso. Ergui minha sobrancelha sorrindo -mas que cara lerda Valerie -disse rindo e jogando os cabelos pro lado…

-uau… isso foi sexy -era pra ser só pra mim, mas acho que saiu.. ela riu corada e colocou as mãos em meu rosto e eu ri, logo ela levou as mãos para meus cabelos e ficou milímetros do meu rosto.

-Dorme comigo? Fica aqui hoje? 


Notas Finais


Então... Podem venerar a Belinda, eu deixo... Vai... Kkkkkkkk

Gente, eu tô muito empolgada escrevendo, fico escrevendo, querendo postar logo, vocês me animam tanto, a quantidade de comentários que anda tendo, fico tão feliz, caramba. Continuem assim, obrigada 😍😍😍😍

Até o próximo bambis 💕💕💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...