História Forbidden - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Anna Rita Cerqueira, Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, Iker Casillas, James Rodríguez, Karim Benzema, Olivier Giroud, Philippe Coutinho, Sergio Ramos, Toni Kroos
Personagens Álvaro Morata, Anna Rita Cerqueira, Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, Iker Casillas, James Rodríguez, Karim Benzema, Olivier Giroud, Philippe Coutinho, Sergio Ramos, Toni Kroos
Tags Diego Simeone, Futebol!, Kevin Gameiro, Saúl Ñíguez
Exibições 146
Palavras 1.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoinhas. Desculpa pela demora, a recuperação terminou hoje. Eu estava totalmente focada, então não pude postar muita coisa. Não sei quando vai sair o capitulo de Infiltrada, pois este vai dar muito trabalho. Vou fazer de tudo para sair amanhã, mas nem sei se vai dar. Vou viajar dia 22 e só volto dia 28, então só teremos capitulo dia 29 ou 30.
Espero que entendam a minha situação e curtam o capitulo. Tem varias surpresas nele, então espero que gostem. Posso até perder favoritos por isso, mas estou enfrentando.
Boa Leitura

Capítulo 2 - Chapter One


Fanfic / Fanfiction Forbidden - Capítulo 2 - Chapter One

As aulas estavam chatas. Eu queria as minhas férias de volta! Ficar com minha mãe, ir pra Gênova para ver o Giovanni, viajar com minha mãe pra Tailândia como sempre fazíamos. Mas, meu pai tem que me colocar na escola mais difícil de todas. Por mais que eu estude, sempre acabo na recuperação. O professor de matemática parece que me odeia! Vive dizendo que os alunos não estudam e que merecem ficar em recuperação.
Na realidade ele é um desgraçado, filho da mãe que só quer ferrar com os alunos. No fundo eu queria apenas sair dessa escola, mas não posso deixar Lauren sozinha.

— Acha que vai passar direto esse ano?

— Com esse professor? Eu duvido muito! Bem capaz de ficar em recuperação dele e de Biologia. Outra matéria que odeio! — A professora de Biologia é legal, mas não consigo gostar da matéria. Prefiro Física e Química, sem contar do meu amor por História. Fico tão preocupada com todas essas coisas. Que Deus me ajude!

— Tem uma festa na casa do Carlos hoje. O Álvaro vai estar lá, e você poderia ir também. — Eu estava cansada daquele dengo com o Morata. Desde que ele chegou, Lauren sempre fica no pé do mesmo. Eles estão ficando e eu odeio ficar de vela.

— Eu vou só para não deixar você fazer alguma merda. Quando vai parar de ficar no pé o Álvaro? Tem um cara que te ama e que é bem mais bonito que ele. — Ela riu.

— Eu gosto do jeito fofo e arrogante dele. Fora que, eu não gosto de mais ninguém além dele. E quem seria a pessoa mais bonita?

— Saúl Ñíguez. — Lauren me encarou por alguns segundos e logo voltou ao normal. — Vai me dizer que o Saúl não é bonito?  Se tu me disseres isso, te levarei no oftalmologista agora.

— O Saúl é lindo sim. Mas, o Álvaro é tão meu. — Revirei os olhos. — Eu amo ele, apesar de tudo. Sei que as vezes ele me faz sofrer, mas eu o amo.

— A verdade é que você gosta de sofrer por quem não te merece. — Sou bem direta, Lauren as vezes é muito boba é isso me irrita. — Está na cara que esse relacionamento é totalmente abusivo. Ele proíbe você de falar com as pessoas, te chama de feia, te humilha na frente de todos e você ainda ama um cara desses. Eu juro que quero te entender, mas é simplesmente impossível.

Não deu tempo de Lauren me responder. A professora de Química entrou na sala, com um sorriso enorme. Sempre que os professores entram desta forma e porque tem algo bom ou ruim vindo.

— Bom dia classe! Química no terceiro ano é fácil. Espero que ninguém fique na minha recuperação, então, por favor, estudem.

Ela colocou o assunto no quadro e começou a explicação. Química até que está interessante, mesmo com todas as minhas dificuldades nessa matéria.

[...]

O intervalo tinha começado, isso significa que eu posso ir para aula de dança. Logico que eu não vou dançar. Meu pai sempre diz que eu não presto para isso, na verdade ele sempre me põe pra baixo. Diz que não sei dançar, que não sou boa no futebol, diz que não posso torcer para o Real Madrid. Ah como eu, às vezes, odeio Diego Simeone!

— Vamos dançar hoje? — Lauren sempre estava animada para dançar. Já eu não posso dizer o mesmo.

— Tu sabes que meu pai não gosta!

— Só dessa vez, ele nem vai saber. Por favor! Vamos!

— Tudo bem. — Ela me arrastou até a sala de dança, onde escutamos uma música bem familiar.

 

Drop down on a desert ride

(Saia em um passeio em um deserto)

Just outside the 95

(Apenas fora do 95)

Never felt more, more alive

(Nunca me senti mais, mais viva)

I got my chicas by my side

(Eu tenho minhas garotas do meu lado)

 

— Muito bem gente! — A professora era bem alto astral; parecia ser uma boa pessoa. Eu via aquelas pessoas dançando e me animava cada vez mais.

— Vamos se juntar a eles? — Lauren estava com os olhos brilhando.

— Acho melhor ficarmos aqui.

 

If we want it, we take it

(Se queremos, nós temos)

If we need money, we make it

(Se precisarmos de dinheiro, nós fazemos)

Nobody knows if we fake it

(Ninguém sabe se nós fingimos)

You like to watch while we shake it

(Você gosta de assistir enquanto agitamos isso)

I know we're making you thirsty

(Eu sei que nós estamos deixando você sedento)

You want us all in the worst way

(Você nós quer da pior maneira)

You don't understand

(Você não entende)

I don't need a man

(Eu não preciso de um homem)

 

Escutei meu celular vibrar em meu bolso. Vi que era uma mensagem de Griezmann e logo sorri.

“Estou na frente do seu colégio. Me encontre aqui agora. ”

— Quem é? — Lauren olhou para o meu celular e logo leu a mensagem. — Amiga, vai encontrar o teu boy.

— Aqui está tão bom! — A dança sempre participou dos melhores momentos da minha vida. Sempre quis me entregar de corpo e alma a dança. Porém, tenho que ficar agradando o meu pai.

— Vai logo! Ou eu largo o Morata para ficar com ele.

— Iria ser uma ótima troca, até porque o Morata é um idiota.

— Para de conversa e se manda logo! — Sai da sala de dança e fui procurar Griezmann. Se ele já não deu bola para alguma menina e deve estar pegando ela. Espero que isso não esteja acontecendo, se bem que Antoine anda bem estranho ultimamente.

Vi ele parado em frente ao seu carro. Griezmann estava dando autógrafos, quando simplesmente me viu. Todos que estavam ali olharam para mim, já sei que irei parar nos jornais. Meu pai não vai gostar disso!

Antoine praticamente me arrastou para o seu carro. Ele deveria ter algo muito importante para falar.

— Eu preciso te dizer uma coisa. Já falei com seu pai sobre isso, e não é um pedido de namoro. — Suspirei. Imagina namorar com o meu melhor amigo? Não daria muito certo comigo.

— Você está me deixando nervosa. Graças a Deus que não é um pedido de namoro! Imagina se a gente namorasse? Seria muito chato.

— Está me chamando de chato? Você é bem mais insuportável que eu! — O encarei. Serio que eu sou a chata? Antoine é insuportável quando quer. Ainda bem que em boa parte do tempo, ele é um amorzinho comigo.

— Não vamos discutir isso! Fale logo o que quer, daqui a dez minutos tenho que ir para a tortura de novo.

— Eu estou namorando! — Comecei a rir. Então era essa a notícia urgente?

— Você me tirou da sala de dança para isso?  Não poderia esperar mais duas horas para me contar a notícia “importante”? — Continuei rindo, até que olhei para a face séria do mesmo. Parei de rir naquele momento, mas bem que eu queria continuar.

— Você não me deixou terminar, por isso ficou aí rindo feito uma idiota. — Mostrei o dedo do meio para ele. — Eu estou namorando um cara.

— O QUE?! EXPLICA ISSO! QUEM É? CONTA TUDO! COMO CONHECEU?! — Eu estava espantada. Como assim ele está namorando um cara? Jesus! Meu Deus do céu! Isso deve ser tão legal!

— Eu vou te explicar. Primeiro, eu e ele somos da mesma seleção. Eu sempre gostei dele, mas sempre senti medo de assumir alguma coisa ou simplesmente de dizer que o amo. Porém, ele acabou me beijando no hotel e disse tudo o que sentia. Eu gosto tanto dele!

— Entendi toda essa melação aí. Mas agora, diz para mim quem é o felizardo?

— Olivier Giroud. — Eu quase tive um ataque quando ele disse aquele nome. Como assim um jogador do meu time está namorando meu amigo?

— Aquele homem é um pecado. Amo ele! Odeio ele! É assim minha relação com seu namorado.

— Ele não fez nada para você!

— Mas fez para o meu time! Apesar de que, ele é até um jogador que resolve as coisas. Amo ele! — Antoine balançou a cabeça e riu logo em seguida.

— Ele quer assumir Lucille. Estou com tanto medo de sermos bombardeados pela mídia. — Eu entendia a preocupação dele, afinal também estaria assim se estivesse na mesma situação.

— Assumam sem medo. Vocês se amam e o resto não importa. Se alguém falar algo de ti, pode ter certeza que defendo publicamente. Também tenho certeza que meu pai não vai se importar com isso, ele não é um homem de muitos preconceitos.

— Ele foi o primeiro que me apoiou. — Naquele momento, tive um pouco de orgulho do meu pai. Mas, ele logo passou.

— Sr. Simeone tem que fazer algo certo alguma vez na vida. — Olhei para o meu celular e percebi que era hora de parar aquela conversa. — Tenho que ir. Se quiser, amanhã marcamos de conversar em algum lugar. Fique bem loirinho! — Ele beijou minha testa e logo saia daquele carro. Conversar com Griezmann era ótimo.

Quando entrei no colégio, todos me olharam. Deve ser porque eu estava no carro de um dos jogadores do Atlético.  Eles devem estar pensando que somos namorados ou que estamos ficando. Coitados, mal sabem que Antoine Griezmann é gay.

— Lucy! — Escutei alguém me chamar e logo olhei para trás. — Meu nome é Natasha. Sou professora de dança da escola. A sua amiga me falou do seu desejo de dançar, mas disse que seu pai odeia isso.

— A verdade e que Lauren é uma fofoqueira. —Sim, uma maldita fofoqueira. Como ela fala isso para a professora de dança? O Álvaro só pode estar deixando ela louca.

— Foi importante Lauren ter dito isso. Sempre te vejo nas aulas, você só fica ali observando e fiquei curiosa ao seu respeito. Tente conversar com seu pai. Se ele disser não, eu vou convence-lo.

— Obrigado professora! — Eu fiquei espantada com aquela atitude. Alguém finalmente está fazendo algo bom por mim.

— De nada. Qualquer coisa me ligue, percebi que você é uma garota com muitos problemas. — Natasha me deu o seu número e sorriu para mim. Agradeci mais uma vez e logo fui para sala de aula.

Os professores não demoraram muito em sala e logo fomos liberados. Eu estava agradecendo aos céus por isso, afinal odeio essa escola.

— Você vai para a festa do Carlos?

— Vou, mas ficarei coladinha no Francisco.

— Tudo bem. Vou te buscar as sete, por favor, não se atrase. — Lauren logo foi embora, deixando-me sozinha naquele lugar. Minha casa não era tão longe, então ir andando até lá era rápido.

Fiquei pensando em como essa manhã foi cheia de surpresas. E por mais que eu não admita, eu estava louca para a festa do Carlos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...