História Forbidden Girl - Capítulo 73


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Colegial, Drama, Lesbicas, Romance
Exibições 548
Palavras 1.266
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, FemmeSlash, Festa, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


leiam as notas finais, please!
façam uma boa leitura!!

Capítulo 73 - Nós somos um terrível clichê.


    POV CAMILA

 - Amor, você viu onde eu coloquei minha calça branca? – perguntei bagunçando mais ainda as roupas na cama.

 - É essa? – levantou uma que estava na poltrona.

 - Isso – sorri – Pode jogar – e ela jogou.

 - Você viu minha saia branca?

 - Vai usar saia? – parei tudo que estava fazendo.

 - Vou – deu de ombros – viu ou não?

 - LINDA – fui correndo até ela e pulei mesmo.

 - Ugh que peso – reclamou me segurando.

 - Ela deve tá no seu closet, você nunca usa – falei no meio de vários beijos pelo seu rosto.

 - Me ajuda a procurar – foi em direção ao closet, me carregando – Esse quarto tá uma zona, puta merda.

 - Tá mesmo – me colocou no chão – Acho que deve tá nessa gaveta – abri, e tava – Essa?

 - Como caralhos você conhece mais minhas coisas que eu? – riu pegando a saia.

 - 5 meses grudadas, talvez?

 - Eu ainda nem acredito que você continua apaixonada por mim depois de cinco meses – colou nossas testas.

 - Digo o mesmo. Mas estranho mesmo seria se eu não me apaixonasse – selei nossos lábios.

 - Nós somos um terrível clichê – rimos.

 - Um clichê extremamente atrasado – fui vestir minha calça – Vai dar 2018 e nós ainda estamos aqui.

 - Verdade – foi tirando a blusa.

 Trocamos de roupa correndo, perfume, celulares carregados e prontas pra ir. Chegamos na casa de Laís depois de enfrentar um pouquinho de trânsito, mas tudo bem, o sol nem se pôs ainda.

 Cumprimentamos o pessoal e já fomos roubar comida, porque somos um casal lindo e esfomeado.

 - Liga aí pra gente ver a virada na Times Sqaure – Nathan comentou.

 - Para de ser bobo – Henrique deu um tapa nele – A gente tem tudo o que precisa aqui.

 - Henrique morreu e voltou todo sentimental – Paula sendo Paula.

  POV GIULIA

 A casa nova da Laís é bem legal. Tipo, tem a sala de TV, que dá direto pra uma varanda gigantesca, que tem piscina, uma churrasqueira, caixas de som e tudo. Se você subir uma escadinha no fundo da varanda saí no telhado da casa, uma visão linda, mas acho que não vamos lá hoje.

- Renato, segura as rédeas da sua mulher, pelamor – Henrique não ia deixar barato.

 Ah, Renato é o novo namorado da Paula. Isso mesmo, o Henrique conseguiu fazer com que eles namorassem, ele não disse que faria? Pois é, esse viado tem palavra.

 - Laís coloca uma música aí – pedi, assentada no braço do sofá, Camila estava com o corpo apoiado no meu.

 - Bora lá comigo – levantou.

 - Uhum. Levanta aqui rapidinho, amor – bati de levinho na coxa da Camila.

 Levantou e eu fui com a Laís até a parte da varanda que tinha o computador que controlava o som.

 - Como você tá, Laís? – perguntei agora que estamos sozinhas.

 - Bem, por quê? – respondeu sem olhar pra mim.

 Entramos no lugar e eu fechei a porta. Bem é a última coisa que ela tá.

 - Me conta, o que tá acontecendo – levantei seu rosto pra que ela olhasse pra mim.

 - Eu te chamei aqui porque quero te contar mesmo – vi uma lágrima descendo em seu rosto.

 - Vem cá – a abracei pela cintura, ela apertou o meu pescoço com força e deu pra escutar o seu choro abafado (e sentir suas lágrimas quentes) – Pode chorar, alivia isso, depois você me explica – apenas fiz um carinho em suas costas.

 Continuei a segurando, só com um braço, e dei play na playlist que tava aberta mesmo, a música pouco importa agora.

 - Eu não sei mais o que eu faço, Giu – falou baixinho no meio de soluços.

 - Senta aqui – tinha uma cadeira ali, agachei na sua frente e me apoiei em seus joelhos – Quer falar sobre isso agora? – assentiu.

 - Eu tô apaixonada por outra menina – disse e começou a chorar mais ainda.

 Admitir em voz alta é a parte mais difícil de tudo.

 - Certo. Faz quanto tempo?

 - Algumas semanas, um mês, talvez – jogou o cabelo pra trás, limpei suas lágrimas.

 - A Bianca já desconfia?

 - Acho que não, isso me deixa pior ainda.

 - E quem é essa menina?

 - A Paty.

 - O QUÊ? – ela assustou – Desculpa – me levantei – Como?!

 - Eu não sei, Giu, não dá pra entender, a Bianca me faz tão bem. Mas a Paty e eu, eu não sei, a gente vem passando tanto tempo juntas, ela tá sempre com o Nathan, e o Nathan sempre com o Rique, e o Rique sempre com a gente – falou tudo num suspiro só.

 - Eu sei, a culpa não é sua – quer dizer, não tem como ser, né? A gente não escolhe por quem se apaixona – Mas por que a Bianca não tá aqui hoje?

 - Os pais dela quiseram passar o ano novo com ela.

 - Gatinha, você tem que terminar com ela – segurei seu rosto.

 - Não! Mas o que a gente teve foi tão bom, ela me fez tão bem, apesar das brigas e tudo mais – só sabia chorar mais.

- Eu sei, vocês eram um casal maravilhoso. Só não vão mais dar certo, já que você se apaixonou por outra pessoa.

 - É verdade.

 - Você acha que a Paty também gosta de você? – eu acho.

 - Não sei, ás vezes parece, mas eu não sei – apaixonados são tão sonsos.

 - VOCÊS VÃO DEMORAR AÍ? – Paula gritando lá de fora.

 - Já tamo indo – respondi – Ei, vai dar tudo certo, relaxa, depois vocês conversam, eu te ajudo a pensar nas palavras certas, tá?

 - Brigada, loira – esboçou um sorriso – Camila é muito sortuda de namorar você.

 - É mesmo – dei de ombros.

 - Você tá beijável hoje – levantou e me deu um selinho – Vamos?

 Não disfarcei minha cara de surpresa e ela soltou uma gargalhada, abriu a porta e nem parecia que estava chorando horrores lá dentro.

 Laís e eu temos isso em comum. O mundo pode estar desabando, mas vamos aparentar estar bem, simplesmente pra não preocupar quem tá em volta.

 - Tavam se pegando lá dentro? – Henrique reclamou.

 - Quase isso, né? – Laís se apoiou no meu ombro.

 - Sim. Camila, ela roubou um beijo meu – falei mesmo, num tom de brincadeira.

 - Oxe, e eu Laís? – Camila levantou e fez biquinho, não é que a Laís deu um selinho nela também?

 - Que pouca vergonha é essa?

 - Relaxa, amor, o seu selinho é melhor que o dela – selou nossos lábios, revirei os olhos e o pessoal começou a rir.

 - Bando de sapatão – Henrique passou reclamando – Vem, Nathan, vamos beber pra eu conseguir engolir isso tudo.

 - Henrique também tá querendo beijo nosso – segurei ele e enchi de beijos, Camila e Laís me acompanharam.

 - NOJEEEENTAS – gritou alto mesmo, Nathan só sabia rir.

 A essa altura Renato e Paula já tinham sumido sei lá pra onde. Também não quero descobrir.

 E ficamos assim, nos irritando e rindo até o fim da noite. O ano já ia virar, Laís serviu espumante pra todos e subimos pro telhado pra observar os fogos. Ainda faltava um tempinho, ficamos conversando mais um pouco.

 - 5,4,3,2,1 feliz 2017! – todos juntos.

 Eu não sei o que cada um fez. Só sei que Camila e eu nos beijamos, como se aquele fosse o nosso último beijo.

 - Que 2017 seja um ano de muitos beijos assim – disse no final.

 - E com saúde nas nossas vidas – completou.

 - Notas boas nas nossas provas – acrescentei.

 - E MUITA paz no nosso amor – ela disse e suspiramos juntas.

 E demos um último beijo. Pra selar todos os nossos pedidos.


Notas Finais


coitadas da giu e camila, mal sabem elas que paz é a última coisa que vão ter
you know you love me, xoxo, gossip girl
muhauhau espero que vcs tenham gostado do último capitulo antes da próxima fase da história, eu sei que não foi nada demais, mas eu tinha que fechar essa parte com algum capítulo, esse nem era pra existir, me perdoem o tamanho. olhando por outro lado, bom que prolonga mais as coisas hahaha
obrigada por ler <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...