História Forbidden Love. - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Lil Za, Megan Fox, Pattie Mallette, Ryan Butler, Zayn Malik
Personagens Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Lil Za, Megan Fox, Pattie Mallette, Ryan Butler, Zayn Malik
Tags Ação, Barbara Palvin, Chaz Sommer, Christian Beadles, Justin Bieber, Megan Fox, Romamce, Ryan Butler, Zayn Malik
Exibições 90
Palavras 2.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente gostaria de pedir perdão pela demora, sim, fui uma grande filha da mãe, mas enfim aqui esta eu, com esse capítulo "meio fraquinho".
Eu demorei para atualizar pq queria ter todos os capítulos restantes, tipo uma maratona.

Falta no mínimo 5 capítulos para o fim da fanfic.

Ja escrevi dois 🌚 postarei em breve.

Volta no último capítulo para não ficar perdido, ja faz tanto tempo que não atualizo.

Outra coisa:

São duas "Anny" Anny namorada do Chris e Anny ex amiga da Gaby. Não se assustem.

Se vocês prestarem atenção em cada detalhe, vão entender esse final. 🌚

LEIAM AS NOTAS FINAIS

#ForçaChapecoense 😢😥

Capítulo 32 - Bad dream?


Pov's Justin


Nesses dois meses que eu estive aqui, só recebi visitas de Christian e de Jeremy, Jeremy veio me visitar duas vezes e Christian vem toda semana.


Gabriela? Ate hoje nada dela.


Se ela estivesse pelo menos em um "estado crítico" de tristeza, vai, mas não, ela não está, esta conseguindo cuidar das crianças e de Pattie tudo direitinho, esta cuidando das boates e tem dia que sai pra jantar com os amigos, e eu me pergunto sera que estou tomando uma decisão certa?


Christian me disse que ela não quer passar por aquele passo-a-passo chato que todo visitante tem que fazer, mas quem ama verdadeiramente não liga para as circunstâncias, não é mesmo?!


Eu realmente estou surpreso com essas atitudes dela.


— Visita pra você, Bieber. — O guarda falou já abrindo a porta da cela.


Sera que é ela?


Me levantei da cama e sai daquela cela, andei rapidamente ate o portão que leva pra fora da área de visitas e esperei pelo guarda, que veio logo atrás, abrindo a porta, saímos de lá e entramos na área de sala de visitas.


Entrei na sala de visitas e arqueei as sobrancelhas.


Não era Gabriela, nem Christian e muito menos Jeremy.


Era um homem branco e de terno, ele me fitou de cima a baixo, antes de se levantar da cadeira, sorrindo.


— Justin Bieber. — Ele sorriu e estendeu as mãos para mim.


— Quem é você? — Perguntei depois de um tempo, encarando a figura a minha frente.


— Seu anjo da guarda. — Arqueei as sobrancelhas e ele riu, se sentando novamente. — Sou o promotor Edans Levine e tenho a solução para você sair daqui. Sente-se, temos muito a conversar. — Me sentei e cruzei meus braços.


— Vai direto ao ponto.


— É simples, você nos ajuda e sairá daqui antes mesmo do que imagina.


— E como eu vou saber se vocês estão falando a verdade?


— Confie em nós e na nossa palavra de homem.


— O que eu tenho que fazer?


— Você sabe quem comanda as máfias do mundo inteiro e isso vai nos ajudar bastante, e tem essas coisas também. — Ele tirou um papel do bolso do terno e me entregou.


1 — Quero 1/3 de todos os seus homens.

2 — Seu parceiro Cristian Beadles vai ter que dar algumas aulas de tecnologia para um dos meus homens.

3 — Você tem que ensinar eu e o promotor Edans a atirar, correr... Tudo isso que vocês mafiosos fazem.

4 — Você vai ter que matar um homem, torturar sua família na frente dele e em seguida matar todos.

5 — Dozentos mil dólares na minha conta e cem mil na do promotor.      Sr. Juiz"


Terminei de ler aquele papel e olhei para Edans, franzino o cenho.


— Pra que tudo isso?


— Esse homem que você vai ter que matar, Jason Jackson matou a família do juiz e ele quer vingança, depois de você matar ele, ele quer tomar posse do Império desse cara.


— Ele pode pagar algum matador de aluguel, ou por que ele mesmo não faz? É tão simples. — Abri os braços e soquei a mesa.


— Mas ele quer você, Jason também te odeia, então... — Ele deu de ombros. — Seu amigo Cristian já está sabendo de tudo e ele ta de acordo.


— Não quero só a minha liberdade, quero a liberdade do Chaz e do Ryan.


— Sem problemas. — Ele deu de ombros.


— Isso está muito estranho, quero um tempo para pensar.


— Te darei, não demore, o dia do seu julgamento esta proximo e precisamos preparar tudo.


— Vocês tem a certeza que vão dar a minha liberdade?


— Se você aceitar, sim.


— Irei pensar, volte aqui semana que vem, ja vou estar com a decisão tomada.


— Tudo bem. — Ele se levantou e saiu andando.


Isso esta muito estranho, esta tudo fácil demais, e quando a esmola é demais, o santo desconfia — santo eu não sou né, mas okay. — Pedi para o guarda me deixar ter uma ligação, e fomos para a sala de telefonia, liguei para Christian e ele logo atendeu.


— Alô Chris? Sou eu Justin.


— Aconteceu alguma coisa?


— Qual é desse Edans Levine?


—  Se eu fosse você aceitava, ele é um ótimo promotor e iremos provar sua inocência.


— Irei pensar com mais calma, como esta tudo aí?


— Ta tranquilo, Gabriela e as crianças foram no médico.


— Aconteceu alguma coisa com ela?


— Não. Ela só foi fazer o pré-natal.


— Hm. Eu vou indo, tchau.


— Tchau.


....


— Você por aqui? — Falei ao entrar na sala de visitas.


Era ela, ela estava de vestido longo e cabelos amarrados.


— Chris conseguiu fazer com que eu viesse  sem passar por aquele processo chato.


— Hm. — Me escorei na mesa e a fitei de cima a baixo, a barriga dela ja esta começando a aparecer.


— Precisamos conversar sério. — Ela falou indo para o outro lado da sala, ficando de costas para mim. — Você tem duas escolhas, ou abandona esse mundo e fica comigo e com as crianças, ou continua nele e fica sem eu e as crianças. — Ela se virou para mim e me olhou, percebi a seriedade em seu rosto.


— O quê?


— Eu não aguento mais Justin, eu não aguento mais ter que ouvir minha filha e seu filho pedindo por você, eu não aguento mais ficar noites sem dormir, com medo de receber uma ligação daqui e dizendo que te mataram ou tentaram, eu não aguento mais ter que ficar com medo de sair de casa, eu não aguento mais Justin, essa vida, não é para mim. — Ela falou, deixando lágrimas caírem de seus olhos, a dei ate ela e a abracei.


— Você acha mesmo que se eu largar esse mundo do crime, vão nos deixar em paz? — Deixei uma risada escapar. — Eu saio do mundo do crime, mas ele não sai de mim.


— Sai, se você querer saí.


— Não Gabriela, eu não vou largar esse mundo.


— Então amanhã, eu trago Julie para vocês se despedirem. Chris saberá lidar com Bryan e Pattie.


— Então você vai me abandonar na primeira dificuldade? — Ri mais uma vez. — Quando estava tudo perfeito, era amor pra cá, eu te amo pra lá e agora?


— Nem pense em terminar essa frase, nunca duvide de meus sentimentos por você, eu te amo sim e é por isso que estou te dando o direito de escolha...


— Se você quiser ir embora, vá, mas não pense em levar a Julie...


— Eu não vou deixar Julie para trás.


— Se você for embora e levar a minha filha, eu acabo com você.


— Esta me ameaçando?


— Sim.


— Não é o melhor jeito para resolvermos isso. — Ela falou depois de um tempo em que nos nos encaravamos sério.


— Espere ate meu julgamento pra você tomar uma decisão. — Falei andando ate ela. — Se for corfimado que irei pegar pena de morte, eu deixo você ir.


— Eles sentem a sua falta.


— Eu também sinto a deles.


— A visita acabou. — Um guarda entrou e eu assenti, fitando Gabriela.


— Então tchau. — Ela falou me puxando pra si e colando nossos lábios. — Eu te amo. — Sussurrou e eu assenti, me separando dela e indo ate a porta, virei-me para trás e dei uma ultima olhada, saindo da sala.


...


 Pov's Gabriela


— Meu noivo esta achando que eu nunca o amei de verdade, ta satisfeito? — Falei assim que o promotor Edans atendeu a ligação.


— Estou. Bieber ja me ligou pronto para assinar o contrato. Tem notícia melhor que essa?


— Tem, a que meu noivo vai ser inocentado.


— Falta pouco, senhorita Collins.


— Hm. — Desliguei a chamada e encostei minha cabeça no banco.


Foi tudo uma farsa, esta tudo sendo uma farsa, eu não quero me separar de Justin, nunca quis. So fiz isso a pedido de Chris e de Edans, eles disseram que assim, Justin iria aceitar e logo logo estaria solto. Assim espero.


Peguei minha bolsa que estava no banco passageiro e abri a porta do carro, saindo de lá, entrei rapidamente na mansão e assim que vi aquelas pessoas no sofá, dei um passo para trás.


— O que vocês fazem aqui?


— Gabi. — Anny se levantou e andou ate mim, me abraçando, retribui o abraço, não tão forte e me desvenciliei dela.


— Amanda. — Mandy estava me olhando receosa.


— Oi Gabi, poderíamos conversar?


— Tudo bem. — Coloquei minha bolsa no sofá e olhei para a minha mãe. — Onde está Julie e Bryan?


— Victor os levou para passear. — Assenti e olhei para Mandy e Anny. — Vamos para a sala de jogos. — Fui andando na frente


O que essas garotas fazem aqui? Não era elas que não podiam ter uma amiga vagabunda? Que ficou grávida com 17 anos de idade? E blábláblá.


Entrei na sala de jogos e me sentei em um sofá, acenando com a cabeça, mandando as se sentar.


— O quê vocês querem?


— Viemos te pedir desculpas... — Mandy começou a falar. — Fomos infelizes ao falar aquilo pra você e te abandonar na hora que você mais precisou de nós, eu dei ouvido a louca da minha mãe que na verdade estava pouco se fodendo para mim, me desculpe Gabi, me desculpe. — Ela enxugou as lágrimas de seus olhos.


— A Mandy falou por mim, éramos adolescentes e não sabíamos o que estavamos dizendo, mas agora ja sabemos o quão nojenta foram essas palavras, perdemos a nossa melhor amiga, a que nos entendia melhor que ninguém. Me desculpe Gabi.


— Hm... — Murmurei balançando a cabeça, mandando-as continuar.


— Gabriela nos perdoe.


— Não sou de guardar rancores, ate porque isso já passou e eu não me importo mais com o passado...


— Amigas? — Anny perguntou arqueando as sobrancelhas, revirei os olhos e disse.


— Amigas não, pra vocês conseguirem minha confiança, vão levar tempo.


— Não irei desistir. — Mandy disse sorrindo.


— Muito menos eu.


— Hm. — A porta da sala foi aberta e Julie e Bryan entraram no escritório.


— Mãe. — Me levantei do sofá e peguei ela no meu colo e a beijei. — Você saiu e nem me falou.


— Vocês estavam dormindo.


— É... O tio Victor nos levou no cinema, a gente assistiu "poculando doly" e um outo lá.


— É e mais o quê?


— O too Victor me ensinou como ele faz para pegar as novinhas. — Bryan falou e eu ri alto.


— É? E como ele faz?


— Primeiro você tem que chegar com jeitinho e em seguida ja manda uma cantada bem boa, ele falou que mais pra frente vai me ensinar essas cantadas e mais coisas.


— O Victor me paga, como eu já disse você vai ser padre.


— Como o meu pai disse, eu vou é sair passando o rodo em geral. — Ele se gabou e nos rimos.


— Se dessa idade já é lindo desse jeito, imagina quando tiver seus 18 anos. — Mandy falou e rimos.


— Os dois são seus? — Any perguntou sorrindo.


— Não só ela, Bryan é filho somente de Justin.


— E minha mãe ta gávida, daqui uns dias eu vou ter mais um imãozinho. — Julie falou e sorri, colocando ela no chão.


— Daqui uns meses, vai demorar viu.


— Felicidades, que venha com saúde.


— Felicidades Gabi. — Mandy falou.


— Obrigada meninas.


— Vocês querem comer ou beber alguma coisa?


— Uma água?


— Vou trazer pra vocês. — Bryan falou, se encaminhando para fora da sala.


— Que educado. — Rimos.


— o tio Victor falou que tem que ser educado com as meninas, ele ate calegou a minha bolsa hoje — Ri mais ainda. — Quem são elas, mamãe?


— Umas conhecidas.


— Ah. Meu nome é Julie e de vocês?


— Eu sou a Mandy e essa é a Anny. — Mandy falou e Julie sorriu assentindo.


— Aqui a água. — Bryan falou entrando dentro da sala de jogos, em mãos ele tinha dois copos com água.


— Obrigada. — As meninas agradeceram e sorriram.


— Julie vamos procurar o Tom.


— Vamos. Tchauzinho. — Julie e Bryan saíram correndo e eu revirei os olhos.


Por que eles nunca entendem que não pode correr?


— Você foi visitar o Justin na cadeia?


-- Sim. Porquê?


-- Nada. Foi só uma pergunta.


-- Hm.


-- Então eu vou indo, tenho que pegar o Noah na creche.


-- Noah?


-- Sim... -- Mandy olhou pra Anny e depois voltou o seu olhar a mim. -- Meu filho.


-- Você está casada?


-- Não. Noah é fruto do meu último namoro.


-- Seu pai queimou a língua.


-- Meu pai não sabe da existência do Noah. -- A olhei sem entender.


-- Eu acabei de voltar de viagem, fiquei três anos morando na Suécia...


-- Se precisar de alguma ajuda com o Noah, pode me procurar... -- Ela sorriu e assentiu.


-- É sobre isso mesmo que eu vim falar com você, além, claro de te pedir perdão.


-- Diga o que você quer?


-- Minha mãe sabe da existência do Noah e está super brava comigo, a empresa do meu pai caiu e esta prestes a fechar as portas, eu estou sem dinheiro e vim te pedir emprego?


-- Emprego?


-- Sim. Eu sei que você é gerente das boates do Bieber e sei lá... você poderia me arranjar um emprego de balconista ou ate faxineira lá...


-- Nossa. -- Falei espantada.


-- É por um curto período de tempo.


-- Fale com o seu pai, ele vai te dar emprego que preste, não que esses de faxineira e balconista não preste, mas você, Amanda Beufior, filha de Paulo Beufior, merece coisa melhor.


-- Eu preciso, vai ser só ate Anny achar um emprego, a pensão de Noah cair na minha conta e meu pai chegar para termos uma conversa.


-- Vou conversar com Caitlin e em seguida te falo. -- Ela assentiu. -- Você também esta morando na Suécia, Anny?


-- Sim. Fomos fazer nossa faculdade lá, é... Anny Piterson, jornalista. -- Ela esticou as mãos e riu.


-- Você já formou? Parabéns. -- Perguntei rindo.


-- Tecnicamente não, eu comprei currículo, faculdade não é pra mim, todos sabem disso. -- Rimos.


-- Seu pai sabe disto?


-- Sim. Foi ele que comprou pra mim.


-- Ó.


-- Agora precisamos ir.


-- Onde vocês estão ficando?


-- Na minha antiga casa, meu pai e minha mãe se separaram, papai foi embora para a Argentina e mamãe para a China.


-- Ah sim.


-- Tchau Gabis, foi um prazer te reever.


-- Tchau Anny.


-- Tchau Gabriela.


-- Tchau Mandy.


Depois que elas sairam da sala, me joguei no sofá e fitei o chão.


É... E não é que o mundo gira?


Me levantei do sofá e sai do cômodo, me encaminhando para o meu quarto, não tem ninguém na sala e nem nos corredores, o que é uma surpresa, pois sempre Julie, Bryan e Tom estão correndo pela casa.


Entrei no meu quarto e no caminho ate o banheiro, fui tirando a minha roupa.


...


Pov's Justin


Levantei a mão, encarando a bandeira dos Estados Unidos.


— Você jura solenemente que irá dizer a verdade, toda a verdade e nada mais que a verdade, sob efeitos de perjúrio?


— Eu juro. — Me sentei na cadeira, então esperando pelas perguntas do promotor.


— Justin Bieber você matou ou não matou, Rubens Martin?


— Não matei.


— O quê você fazia na residência do prefeito, antes dele ser assassinado?


— Fui ao leilão que estava acontecendo na residência dele. — Mudei a versão que havia dito com o delegado.


—Você mentiu no seu depoimento, com o delegado você disse que não estava la e agora diz que sim.


Eu tinha pensado em cena por cena, momento por momento, meu advogado, tinha conversado comigo por cada segundo, cada momento e cada problema que poderíamos ter.


Fui até o final do julgamento sem fugir um mísero centímetro do que eu já tinha falado.


Ryan veio logo em seguida, reafirmando tudo o que eu tinha dito, assim como chaz, Christian e Gabriela. Meu advogado  tentava com todas as forças rebater cada uma das acusações, mas era óbvio que eu estava ferrado.


— Justin Bieber, você está sentenciado a pena máxima considerada no Estado da Geórgia, Estados Unidos da América. Considerando a pena capital, você foi sentenciado à morte através de injeção letal. — Voltei meus olhos para o meu advogado com o mesmo me encarando de volta.



Notas Finais


Agora um troço que esta me deixando #chateada a falta de comentários, a fanfic tem mais de 150 favoritos e apenas 2/3 comentários por capítulo.
Gente se vocês não estão gostando, chega pra mim e diz o que não está gostando, você que é um leitor e nunca escreveu nada, não faz ideia do quanto isso chateia um autor, sim, eu demoro para atualizar, eu sei, tentam entender o meu lado também, eu tenho uma vida fora desse site, tenho escola, tenho família e compromissos
Eu sei que isso é chato, é ridículo, mas tentam entender o meu lado, eu so estou nesse site por vocês, é por vocês que passo noites acordadas querendo escrever um capítulo fodastico e por vocês que estou aqui ate hoje, pelos 150 leitores.

Não sejam fantasmas, eu não mordo, estou aqui para atenderem o pedido de vocês.

Por que não fazermos um jogo? Pergunte tudo o que você quiser, estarei respondendo todos nas notas finais do próximo capítulo, fazem tipo assim

Pergunta para Justin "Oi Justin..."

Pergunta para autora no caso eu "Oi linda, gostosa maravilhosa."

Enfim fiquem a vontade.

Espero que tenham gostado do capítulo.

Beijos e até mais.


Qualquer coisa, tamo ae


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...