História Forbidden Love - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor Proibido, Justin Bieber, Padrasto, Romance
Visualizações 5.805
Palavras 2.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá minhas divas! Eu estou tentando postar pelo celular, mas esta travando muito e da mt erro :( A Gabriela, minha melhor amiga irmã de alma postou o capítulo anterior para mim, mas agr ñ estou conseguindo falar com ela, então, vou continuar tentando.
- ESSE CAPÍTULO CONTERÁ CENAS DE SEXO, MAS CADA UM SABE O QUE LÊ.
não tenho experiência com esse tipo de capítulo, mas espero que vocês gostem!

Capítulo 13 - Sex


Chegando lá, encontrei um lugar lotado de jovens caindo bêbados, mulheres se oferecendo... Comecei a procurar Anne por todos os lados. Avistei Ryan e Jennifer em um canto, quase se comendo, mas logo em seguida eles começaram a subir uma escada. Em outro canto estava Chris e uma morena linda. Ih, será que o pirralho vai pegar aquela gostosa? Ok Justin, se concentre em achar aquela baixinha que te faz enlouquecer. Corri meus olhos por todo aquele local, novamente, e finalmente a achei, no bar, conversando com um cara, e de repente, eles se beijam. Merda! Andei rapidamente até lá.
- Com licença. - pigarreei.
Eles se afastaram e ela sorriu a me ver.
- Bieber! - falou rindo. - Você veio. - se levantou, mas eu tive que a segurar, pois a mesma não se aguentava em pé. - Ops, você me pegou. - falou gargalhando.
- Vamos embora Anne. - falei nervoso.
Como alguém pode beber tanto? Segurei firme em sua cintura e sai a puxando.
- Qual é Bieber? Vamos aproveitar. - falou.
Virei-me para ela, para dizer algo, mas fui surpreendido por seus lábios. Ela os grudou aos meus, e logo sua língua invadiu minha boca. Agarrei mais sua cintura e colei mais nossos corpos, correspondendo ao seu beijo. Cada vez ficava melhor. O beijo tomava mais intensidade e estava se tornando quente. Separamos-nos por falta de ar e ela sorriu marota.
- Nós temos que parar de fazer isso. - falei. - Não está certo, eu estou com a sua mãe.
- Ahh, quer dizer então que você nunca a traiu, ou se quer beijou uma pessoa enquanto estava com ela? - perguntou sarcástica.
- Não. - respondi.
A verdade é: Se eu estou com alguém, é por que gosto dela, e não vou a trair. Mas com Tracy está acontecendo diferente, eu QUERO a trair. Eu sei isso é totalmente infiel e cafajeste, mas parece que algo me chama a Anne, ela me seduz de uma maneira diferente e intensa. Ao mesmo tempo em que eu não quero trair Tracy, eu necessito sentir os lábios de Anne sobre os meus, e o pior é que ela é minha enteada! Como posso ser tão sujo? Balancei a cabeça negativamente espantando esses pensamentos.
- Foda-se. - murmurei antes de colar meus lábios nos da bela garota a minha frente.
Passei minha língua sobre os seus lábios, lentamente, pedindo passagem, e ela cedeu rapidamente. Minha língua explorava cada canto daquela boca com gosto de whisky e menta. Suas mãos acariciavam minha nuca me fazendo arrepiar. Minhas mãos entraram por dentro de sua blusa, e discretamente foram até seus seios, os apertando de leve, a fazendo arfar durante o beijo. Separamos-nos pela falta de ar, e eu segui beijando, chupando e até lambendo seu pescoço.
- Jus... - ela gemeu baixo. - Vem.
Ela me puxou pelas mãos, me levando até a escada, onde Ryan e Jennie, e Chris e a morena haviam subido. Subimos as mesmas, até chegar a uma recepção, ou algo assim.
- Um quarto. - Anne pediu.
A mulher entregou-lhe as chaves e ela me puxou até um dos últimos quartos daquele corredor. A abracei por trás e comecei a beijar sua nuca. Anne abriu a porta, com um pouco de dificuldade, assim que, finalmente, entramos ela virou-se para mim e sorriu marota, me guiando até a cama grande e redonda.
- Que tal brincarmos um pouco... PAPAI? - falou com uma voz extremamente rouca e sexy, fazendo meu pau começar a dar sinal de vida.
Ela engatinhou até mim, de maneira sensual, e pos uma perna de cada lado meu, sentando bem em cima da minha, já evidente, ereção. Grudei nossos lábios com volúpia, e segurei forte sua cintura, a fazendo arfar. Separamos-nos e ela começou a tirar minha camiseta, e sorriu maliciosa ao ver meu tórax descoberto. A mesma levantou-se da cama e caminhou lentamente até o aparelho de som que havia ali, o ligando. S&M da Rihanna soou por todo o quarto. Ela se virou para mim com cara de safada e começou a tirar a jaqueta, enquanto dançava sensualmente ao som da musica.
- Você gosta disso Bieber? - perguntou jogando a mesma em cima de mim. Apenas assenti boquiaberto.
Ela gargalhou e continuou seu Streep. Suas mãos foram até a barra de sua blusa branca, e lentamente ela foi a levantando, revelando sua barriga, e seus seios. Mordi os lábios e sorri maroto. Ela a jogou em mim, e eu a segurei próximo ao rosto, sentindo seu doce perfume, ela jogou a cabeça para traz e gargalhou rebolando de acordo com a batida da musica, que se não me engano agora era Mr. Saxobeat da Alexandra Stan. Ela levou suas mãos até os botões da calça jeans e bem, bem lentamente mesmo, foi os abrindo. Minha vontade de levantar e ir lá, acabar com essa palhaçada era enorme, mas eu não conseguia, estava ocupado observando e vidrado naquele ser, delicado, selvagem e totalmente sexy, que fazia um Streep a minha frente. Eu sabia que aquilo era errado, mas eu vou pro inferno mesmo! Anne descia sua calça sensualmente, rebolando aquela bela bunda para um lado e para o outro, enquanto ria da minha cara de boco. Eu nem havia percebido, mas ela já estava sem sapatos e agora terminara de tirar sua calça, ficando apenas com uma lingerie roxa a minha frente. Como consegue ser tão gostosa? Levantei-me, para ir até a mesma, mas ela fez que não com a cabeça.
- Calma Bieber. - me empurrou novamente para a cama.
Ela veio até mim, e novamente, sentou em cima de mim, e me beijou. Minhas mãos passeavam por todo seu corpo, e o apalpava. Ela separou nossos lábios e desceu beijando meu pescoço, e foi descendo. Suas unhas aranharam meu abdômen de leve me fazendo arfar, e ela sorrir. Seus beijos pararam ao chegar à barra da minha calça. Ela começou a desabotoar os botões devagar e, com a minha ajuda, a desceu, me deixando apenas de Box. Ela mordeu o lábio inferior vendo o volume. Suas mãos apertaram lentamente meu membro por cima da cueca me fazendo soltar um gemido baixo e fechar os olhos. Ela tirou a cueca, fazendo o mesmo saltar para fora, totalmente ereto. Suas mãos foram até a base e começaram com um movimento de vai e vem enlouquecedor. Fechei os olhos e tombei a cabeça para traz aproveitando ao maxímo aquela sensação incrível. Senti sua língua passar pela cabeçinha do meu pau, o que me vez gemer alto. Seus lábios o envolveram, o chupando, maravilhosamente bem. Aquilo estava levando-me ao céu e me fazendo voltar. Seus movimentos eram precisos e gostosos, e eu já não controlava os pequenos gemidos e as arfadas. Segurei em seus cabelos, ajudando no movimento, e dando leves estocadas em sua boca.
- Anne... Eu... - antes de conseguir avisar senti meu liquido ser jorrado em sua boca.
A vi engolir tudo e lamber os lábios, e aquilo me fez enlouquecer. Após o melhor boquete de toda a minha vida, eu estava novamente de pau duro, por causa de uma garota de 18 anos. A puxei para cima, tomando seus lábios em um beijo urgente e quente. Em um movimento rápido, fiquei por cima dela.
- Agora, EU comando. - falei em seu ouvido fazendo-a arrepiar.
Desci meus beijos por seu pescoço, dando chupões, que deixariam marcas roxas, do jeito que eu gosto, e logo cheguei a seus seios. Abri o feixe, na parte da frente, e ela se curvou, ajudando-me a retira-lo por completo. Eles eram perfeitos, nem muito grandes, nem muito pequenos. Do tamanho perfeito. Levei minha boca a um deles, abocanhando-o e enquanto isso massageava o outro. Chupava, mordia e apertava, a escutando gemer descontroladamente meu nome. Aquilo me excitava mais. Intercalava entre eles. Quando me satisfiz ali, desci beijando sua barriga, e pude sentir seus pelos se eriçarem, sorri vendo os efeitos causados. Cheguei a sua calcinha e a abocanhei, e fui a retirando com os dentes. Passei meu dedo por sua intimidade, encontrando-a molhadinha, do jeito que eu gosto. Sem avisar ou fazer alarde chupei-a a fazendo gritar. Com a minha língua a penetrei, enquanto massageava seu clitóris com o dedo. Anne gemia e revirava os olhos, enquanto apertava os seios. Aquilo estava me excitando demais. Tirei minha língua dali, e recebi seu olhar de reprovação, me fazendo gargalhar. Beijei seus lábios ferozmente, e a penetrei com dois dedos de uma vez, arrancando um gemido abafado de seus lábios.
- Jus... Ohh... Justin... - gemeu em meu ouvido enquanto eu aumentava a velocidade. - Ohh, Justin! - praticamente gritou, o que me fez perceber que ela acabará de chegar ao seu ápice.
Retirei meus dedos de sua intimidade e o levei a sua boca. A mesma chupou-os com vontade, fazendo meu pau latejar. Eu necessitava estar dentro dela. Em cima de uma mesinha, ao lado da cama, havia alguns pacotinhos prateados, peguei um e o rasguei, pondo rapidamente a camisinha em meu pênis. Posicionei-me no meio de suas pernas, e a penetrei forte, fazendo-a gritar meu nome. Comecei com movimentos lentos e profundos, provocando-a.
- Justin... Por favor. - pediu.
- O que Anne? - sai lentamente dela e entrei de uma vez, fazendo-a gemer manhosa.
- Justin para. - pediu. - Faz direito.
- Como? - perguntei rindo.
- Justin, me fode direito! - gritou, olhando-me com raiva, mas suplicante ao mesmo tempo.
Atendo a seu pedido estoquei forte e profundo, começando com movimentos rápidos e repetitivos. Ela fechou os olhos e mordeu o lábio inferior, tentando reprimir os gemidos.
- Geme meu nome Anne. - falei rouco e estoquei mais forte.
- Ohh... Justin! Isso! Mais rápido! - gemeu, e eu atendi seu pedido.
A velocidade na qual me encontrava era incrível, e eu nem sabia que podia alcança-la. O quarto era tomado por nossos gemidos e pelo som de nossos corpos chocando-se. Eu tentei adiar ao maxímo, mas eu já estava a ponto de explodir. As paredes de sua vagina apertaram meu membro, e ela se contorceu, logo em seguida senti seu liquido quente escorrer. Deixei-me levar e, com mais algumas estocadas, senti meu pau jorrar meu gozo. Cai em cima dela, e agora a única coisa que se podia ouvir era nossas respirações, totalmente descompensadas. Sai de dentro dela, retirei a camisinha, jogando-a no lixinho ao lado da cama e me joguei ao seu lado. Ela virou-se para mim sorrindo. Seus cabelos estavam grudados na testa, devido ao suor, seus lábios estavam inchados e vermelhos, e ela ainda tentava regularizar sua respiração, assim como eu. Passei minhas mãos por seu rosto e a beijei. Esse beijo estava mais calmo, e me causou sensações totalmente desconhecidas por mim. Anne se levantou, sem desgrudar nossos lábios, e sentou em minha cintura. Ela rebolava sobre meu pau, o fazendo se animar.
- Anne. - gemi rouco entre o beijo.
- Cansado Bieber? - sorriu perversa para mim.
- Nunca. - falei apertando sua bunda e ela sorriu.
Ela levantou um pouco seu corpo sentando logo em seguida, causando a penetração, e nos fazendo gemer juntos. Ela se movimentava lentamente, quicando sobre meu membro, e eu segurava forte sua cintura, tanto que não sabia se ela gemia de prazer, ou de dor. Ela quicava rápida e seus seios balançavam, para cima e para baixo em minha cara. Levei uma mão até um deles e comecei a massagea-lo. Anne jogou a cabeça para trás enquanto gemia loucamente. Ela sentava cada vez mais rápido, me levando a loucura. Ela chegou ao seu ápice, gozando pela terceira vez na noite. Estava quase chegando ao meu ápice quando me lembrei da camisinha.
- Anne, camisinha. - avisei.
Ela saiu de cima de mim, e eu precisei continuar o trabalho com as mãos. Rapidamente gozei, e cai, novamente, ao seu lado cansado. Essa havia sido a melhor transa da minha vida, com toda a certeza. Essa pirralha conseguiu me leva ao céu e ao inferno em apenas uma noite, coisa que varias mulheres experientes nunca conseguiram. A ter para mim foi a melhor sensação do mundo, e não me arrependo de nada. A olhei, e a mesma já estava quase se entregando ao sono. Puxei-a para mim, fazendo-a deitar sobre meu peito e entrelaçar suas pernas as minhas. Beijei o topo de sua cabeça.
- Boa noite Justin. - ela disse acariciando meu peito.
- Boa noite Anne. - afaguei seus cabelos e aos poucos cai num sono profundo.

Notas Finais


E ae? Nossa, fiquei tão apreensiva quanto a esse capítulo. Eu nunca consegui escrever muito bem essas parte, mas espero que tenha dado para o gasto. OBRIGADA PELOS COMENTÁRIOS ANTERIORES! Vcs são as melhores do mundo, amo muito vcs! POR FAVOR, COMENTEM E FALEM O QUE ACHARAM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...